Terra em risco - Live Earth

Vince

Furacão
Registo
23 Jan 2007
Mensagens
10,624
Local
Braga
Os próximos dias vão ser férteis em notícias sobre as alterações climáticas, quer nos nossos media, quer no estrangeiro.
O motivo é o mega-evento do dia 07/07/07 Live Earth que vai decorrer um pouco por todo o mundo

Abro um tópico especial sobre o assunto, para concentrar as muitas notícias que vão surgir até lá. E claro, para debatermos as notícias ... e os mais do que inevitáveis exageros ou imprecisões alarmistas :D

Pontapé de partida, notícia de capa do CM de hoje:

Terra em risco
Chuva e calor matam 36 na Europa

A dez dias do Live Earth, que junta músicos em Lisboa e noutras cidades do Mundo preocupados com as questões ambientais, o CM inicia uma série de trabalhos sobre problemas que já não preocupam só os cientistas. Neste caso, as alterações no clima que levam a que o Verão faça vítimas na Europa.
Pelo menos quatro pessoas morreram, e milhares ficaram isoladas ou desalojadas, devido às chuvas torrenciais ocorridas na segunda-feira em Sheffield (norte de Inglaterra) e outras zonas deste país e de Gales segundo revelaram as autoridades locais.

Por outro lado, o calor excessivo esteve na origem de 30 mortes na Roménia, a maioria das quais em Bucareste, capital do país, onde se registaram mais de 40º à sombra e um máximo de 54,5º à torreira do sol. As altas temperaturas estiveram ainda na origem de dois óbitos na Grécia, em cuja capital, Atenas, o mercúrio subiu aos 39º.

MILHARES AFECTADOS

Só em Sheffield, uma das cidades inglesas mais atingidas pelas chuvas torrenciais, registaram-se dois mortos, um descoberto pela polícia e o outro pelos bombeiros de uma localidade próxima.

A polícia localizou o corpo de um jovem, ainda não identificado, cuja causa de morte aponta para o afogamento. Já os bombeiros de Hull, nos arredores, tentaram, sem sucesso e ao longo de várias horas, resgatar um outro homem, de 28 anos, que caiu numa boca de esgoto inundada.

Além dos quatro mortos, ficaram milhares de ingleses bloqueados nas suas viaturas ou refugiados em cima dos telhados para fugir às inundações, sem poderem contar com energia eléctrica. Para o resgate foram mobilizados helicópteros da polícia e do exército britânicos, na tentativa de ajudar o maior número possível de pessoas.

Consideradas as piores dos últimos anos no Norte de Inglaterra, estas inundações criaram uma situação caótica, que pode ainda agravar-se – apesar de os sites meteorológicos da BBC, Sky News e CNN preverem uma acalmia no tempo.

Houve localidades inglesas em que os valores de precipitação igualaram em horas o volume normal de um mês. Em consequência da subida das águas, foram improvisados abrigos para acolher os desalojados, incluindo famílias com bebés e crianças menores.

Se em Inglaterra e Gales foi o valor da precipitação que atingiu valores anormais, já na Roménia e Grécia o calor é que fez estragos durante o fim--de-semana.

Das 30 vítimas mortais romenas, quatro deveram-se a ataques cardíacos em homens, entre os 40 e os 61 anos de idade, que faleceram em lugares públicos.

Outro exemplo de clima extremo é a anormal onda de frio que actualmente assola o Peru (na América do Sul), onde pelo menos 48 crianças já morreram de pneumonia por causa do frio excessivo.

"VAMOS TER APENAS DUAS ESTAÇÕES POR ANO", Anthímio de Azevedo, Cientista, especialista em meteorologia


- Como é que se explica que chova no Verão e por vezes tenhamos temperaturas baixas ?

- Penso que não estamos a dar conta da alteração astronómica em curso e que vai provocar a mudança das estações. Não lhe sei dizer se é para o ano ou daqui a dez, mas a realidade é que progressivamente vamos passar a ter apenas duas estações por ano.

. Viveremos entre a Primavera e o Outono?

- A tendência é mais ou menos essa. Se repararmos, as andorinhas, que têm um relógio biológico rigoroso, começaram a aparecer mais cedo do que o habitual. Este fenómeno está a conduzir à precessão do equinócio, que começou mais cedo.

- Acredita que voltaremos a ter estações rigorosas?

- Não será nos nossos tempos de vida porque esta modificação da precessão dos equinócios realiza-se de 18 mil a 24 mil anos. Creio que isto já está em marcha e um dos indicadores são as andorinhas que chegam mais cedo.

- O que é que podemos esperar para este Verão?

- Apesar de termos um Verão instável e de podermos ter pequenos aguaceiros, este irá ser um Verão quente.

"EM MINHA CASA ATÉ CHEGO A LAVAR O LIXO", Zé Pedro, guitarrista dos Xutos e Pontapés, banda que toca no Evento Live Earth no dia 7 de Julho, em Lisboa

- Correio da Manhã – Em que altura da sua vida sente que despertou para as questões ambientais?

- Zé Pedro – Há muito tempo que me preocupo com estes problemas do ambiente, mas recordo-me que, por exemplo, o aparecimento do Greenpeace me alertou muito para a questão do nuclear, assim como a guerra do Iraque o fez para as questões relacionadas com o petróleo. Mais recentemente, o Al Gore veio trazer estes problemas para a ordem do dia, atacando empresas e indústrias, e penso que nos dias de hoje não há ninguém que não esteja sensibilizado para o ambiente e para todas as questões ecológicas. Não se fala muito mas o próprio degelo dos pólos é uma questão muito preocupante.

- De que forma tenta contribuir no dia-a-dia para minimizar os problemas ambientais?

- Em minha casa procuro sempre cumprir à regra a separação do lixo e até chego a lavar as embalagens de plástico e de vidro. Mas é interessante ver que são os comportamentos das gerações mais novas que têm despertado a consciência dos mais velhos. E isso tem acontecido muito comigo por causa dos meus sobrinhos.

- Como músico, que lugar ocupa na sua lista de preocupações a poluição sonora?

- É curioso que o nosso técnico de som tenha uma enorme preocupação com os decibéis e com o som excessivo (risos). Mas o barulho dos carros é muito pior. Os construtores deviam preocupar-se mais.

- Pode a música ajudar a sensibilizar as pessoas para a preservação do planeta? Acredita na iniciativa Live Earth?

- Claro que sim. A música rock tem tido uma intervenção social muito grande em diversas áreas, das guerras às questões humanitárias, passando, claro, pelo ambiente.

- Durante a actuação no Pavilhão Atlântico, os Xutos vão passar alguma mensagem? Têm discurso preparado?

- Ainda não preparámos nada, porque acreditamos que o melhor é o que sai na altura. Nos concertos, eu e o Tim temos sempre a preocupação de falar, pelo que no concerto teremos uma palavra a dirigir ao público.

UM PROBLEMA QUE É DA CULPA DE TODOS

Evocando um tema dos Xutos e Pontapés até parece que o mundo anda mesmo ao contrário. Chove no Verão e faz calor no Inverno. As temperaturas estão a aumentar e o gelo dos pólos a derreter. Em causa está o efeito de estufa. Nas palavras de Zé Pedro, o importante é que todos reconheçamos que temos responsabilidades na matéria e que, de uma vez por todas, juntemos esforços para melhorar as coisas. “Neste momento já nem interessa descobrir culpados em concreto. Os problemas ambientais são políticos e cívicos e dizem respeito a todos”, diz o guitarrista que lembra que em matéria de ambiente os pequenos gestos já fazem a diferença. “Já lá vai o tempo em que, por exemplo, atirava beatas para o chão ou despejava o cinzeiro do carro na rua. Há gestos que são tão fáceis de realizar no nosso dia-a-dia...” O músico acredita nos resultados do Live Earth e remata que é importante a intervenção de pessoas credíveis nesta matéria.

TRÊS MEDIDAS PARA SALVAR O PLANETA, Gonçalo Ribeiro Telles, Tem 81 anos. É arquitecto paisagista e ambientalista

PRIMEIRA

É difícil falar em termos de ambiente para o mundo inteiro, porque temos ecossistemas distintos no globo. No entanto, se houvesse mais Justiça nestes temas e uma maior sensibilização das populações, viveríamos melhor.

SEGUNDA

O ambiente é uma construção que se faz constantemente com a ordenação do território. E, em Portugal, é necessário fazermos esse ordenamento, o que corresponde à criação de uma paisagem viável em termos de qualidade de vida.

TERCEIRA


É urgente um plano ecológico das cidades. Não podemos viver de construções inertes. Por exemplo, em Lisboa, a Câmara Municipal adia sucessivamente o Plano Verde, o que significa que adia a qualidade de vida dos cidadãos.
Rui Arala Chaves com agências / Sofia Rato / MigueL Azevedo
(c) Fonte: Correio da Manhã



Liderança de Al Gore no Live Earth é contestada por ambientalistas e músicos de rock
O ex-vice-presidente Al Gore ganhou um Oscar pelo documentário "Uma verdade inconveniente", em que dá o alerta sobre as conseqüências do aquecimento global. Agora, com o megaconcerto Live Earth, que acontece em nove cidades do mundo no dia sete de julho, ele espera aumentar a consciência do planeta para tragédias que podem ocorrer ainda neste século, como um aumento de seis metros no nível do mar que submergiria cidades litorâneas e uma violenta queda de temperatura no Hemisfério Norte. Cheio de boas intenções, Gore está sendo visto com desconfiança à esquerda e à direita do espectro político e artístico.

Continua em:
http://oglobo.globo.com/cultura/mat/2007/06/23/296493228.asp

(c) Fonte: Globo


RTP em directo com o concerto global
Está prevista uma audiência de dois mil milhões de espectadores para oevento que já é considerado a maior operação televisiva de sempre. Com 24 horas de duração foi intitulado "SOS Terra - Live Earth 2007" e pode ser seguido na RTP 1, no próximo dia 7 de Julho.

Sílvia Alberto, que tem dado a cara no programa diário "SOS Terra", será uma das figuras da RTP que vai estar presente na emissão que junta, no Pavilhão Atlântico, vários músicos portugueses em concerto. Este evento partilha a emissão com os nove mega-concertos em Nova Iorque, Londres, Joanesburgo, Rio de Janeiro, Shangai, Tóquio, Sidney, Hamburgo e Istambul.

O objectivo do Live Earth 2007 é consciencializar o Mundo para as mudanças que estão a acontecer a nível do clima. São já conhecidos alguns dos nomes de artistas que vão estar no palco do estádio do Wembley, em Londres, como Madonna, Red Hot Chili Pepers, James Blunt, Genesis, The Black Eyed Peas, Corrine Bailey Rae, John Legend ou Foo Fighters. O concerto londrino vai ser transmitido pela BBC, através da televisão e da rádio para mais de 120 países.

Os produtores do "Live Earth" dizem pretender chamar a atenção do Mundo. "Não só estamos a criar os concertos ao vivo mais espectaculares, mas também uma infra-estrutura sem precedentes para que façamos algo contra as mudanças climáticas", referiu Kevin Wall, fundador e produtor executivo do "Live Earth". Para tanto, os concertos deverão ser montados de forma serem o mais verde possível, ou seja, no sentido de utilizar uma tecnologia que seja capaz de gerar a menor quantidade de CO2.

Al Gore, um dos organizadores, disse que espera que o "Live Earth" atraia a atenção de "biliões de pessoas" e que sirva para "lançar uma campanha que dote as pessoas de ferramentas críticas para lutar contra a crise da mudança de clima"

(c) Fonte: RTP
 

Minho

Cumulonimbus
Registo
6 Set 2005
Mensagens
4,091
Local
Melgaço
Ainda bem que vou estar fora e longe dos ecrãs :lmao: :lmao:
 

Rog

Cumulonimbus
Registo
6 Set 2006
Mensagens
4,515
Local
Norte Madeira (500m)
O problema será como diz o Vince, os exageros de por exemplo tomar uma ocorrência fora do vulgar localmente, como temperaturas altas e ter logo a prova irrefutável do aquecimento global..
Mas penso que no meio de tanta confusão, podemos sempre retirar algo de positivo e aprender. Nem tudo são verdades, mas nem tudo são mentiras.. há meios termos.
Alertas com esta magnitude anunciada, tem os convenientes e inconvenientes: chama a atenção e alerta as pessoas para possíveis causas de um aquecimento e as medidas de o evitar, mas pode também desencadear alguma desconfiança e até desprezo por parte das pessoas. Há algumas semanas atrás falavamos por aqui sobre o frio que ocorria no Alentejo e o descrédito e desdém com que os populares falavam dos cientistas que tanto apregoam o aquecimento. meteorologia e climatologia facilmente confundíveis, até mesmo por muitos jornalistas.