Transição Energética em Portugal

StormRic

Furacão
Registo
23 Jun 2014
Mensagens
23,837
Local
Póvoa de S.Iria (alt. 140m)
O cidadão comum diz e pensa se eu pago o lixo eles que fazem a separação.
Eu acho que nem sequer "pensa". :disgust:

Quando vejo três contentores em linha para resíduos indiferenciados, em que: o primeiro, do lado da rua que tem prédios mais altos, completamente cheio já com a tampa levantada e a caírem sacos para o chão; o do meio, meio vazio; o terceiro, do lado dos prédios baixos, quase cheio. Expliquem-me qual é o (improvável) raciocínio? Será a dificuldade de dar mais dois passos (literalmente: 2 passos entre cada contentor) ??
Isto é apenas um exemplo.
Depois há a diferenciação, há o contentor da compostagem que é exactamente igual aos outros e só difere subtilmente na cor (é castanho pardo enquanto os indiferenciados são cinzentos, talvez um problema de 'daltonismo' em certa parte da população) no qual o conteúdo deixa muitas dúvidas sobre a possibilidade de ser usado efectivamente em compostagem (desde garrafas - e note-se que o contentor dos vidros é claramente diferente dos outros pela sua boca reduzida, não há que enganar - até plásticos vários e mesmo pedaços de móveis que couberam lá dentro).
Ao lado dos contentores encontram-se sacos com conteúdo que originalmente até terá sido separado por alguém lá em casa, mas na altura de levar para o ecoponto foi tudo no mesmo saco: resultado, o membro mais jovem da família chegou com aquele saco ao ecoponto e ficou indeciso para qual contentor ia aquele saco, achou melhor deixar a decisão aos profissionais da recolha dos resíduos, ficou no chão.
Mas há mais: sacos com entulho de obras colocados em cima da base dos contentores (note-se que são sacos com várias dezenas de quilos ou mais). Resultado, assisti à recolha do lixo nessa madrugada. Como não era possível abrir o contentor para o despejar no camião, lá tiveram que fazer o seguinte: abriram outro contentor ao lado, já pronto para retirar o balde, e arrastaram os sacos até à borda fazendo-os cair para dentro do balde. Seguidamente, o balde (de resíduos indiferenciados) foi erguido pela grua e despejado no camião. Claro que sacos de 50kg ou mais de tijolos cimentados, pedras, etc fizeram um tal barulho a cair no interior do camião que pareciam trovões. Não sei em que estado terá ficado o interior do compartimento do camião.
Também "divertido" é ver os móveis ('monos') a terem que ser arrastados de cima do estrado dos contentores para estes poderem ser abertos.
Não invejo, de todo, a profissão de recolha de resíduos urbanos, e deixo aqui o meu louvor ao trabalho e infinita paciência dos profissionais.

Asseguro-vos, a educação e o civismo de grande parte deste povo é um desastre! Talvez daqui a vinte ou trinta anos, com as novas gerações a coisa melhore.
 


algarvio1980

Furacão
Registo
21 Mai 2007
Mensagens
12,531
Local
Olhão (24 m)
Eu acho que nem sequer "pensa". :disgust:

Quando vejo três contentores em linha para resíduos indiferenciados, em que: o primeiro, do lado da rua que tem prédios mais altos, completamente cheio já com a tampa levantada e a caírem sacos para o chão; o do meio, meio vazio; o terceiro, do lado dos prédios baixos, quase cheio. Expliquem-me qual é o (improvável) raciocínio? Será a dificuldade de dar mais dois passos (literalmente: 2 passos entre cada contentor) ??
Isto é apenas um exemplo.
Depois há a diferenciação, há o contentor da compostagem que é exactamente igual aos outros e só difere subtilmente na cor (é castanho pardo enquanto os indiferenciados são cinzentos, talvez um problema de 'daltonismo' em certa parte da população) no qual o conteúdo deixa muitas dúvidas sobre a possibilidade de ser usado efectivamente em compostagem (desde garrafas - e note-se que o contentor dos vidros é claramente diferente dos outros pela sua boca reduzida, não há que enganar - até plásticos vários e mesmo pedaços de móveis que couberam lá dentro).
Ao lado dos contentores encontram-se sacos com conteúdo que originalmente até terá sido separado por alguém lá em casa, mas na altura de levar para o ecoponto foi tudo no mesmo saco: resultado, o membro mais jovem da família chegou com aquele saco ao ecoponto e ficou indeciso para qual contentor ia aquele saco, achou melhor deixar a decisão aos profissionais da recolha dos resíduos, ficou no chão.
Mas há mais: sacos com entulho de obras colocados em cima da base dos contentores (note-se que são sacos com várias dezenas de quilos ou mais). Resultado, assisti à recolha do lixo nessa madrugada. Como não era possível abrir o contentor para o despejar no camião, lá tiveram que fazer o seguinte: abriram outro contentor ao lado, já pronto para retirar o balde, e arrastaram os sacos até à borda fazendo-os cair para dentro do balde. Seguidamente, o balde (de resíduos indiferenciados) foi erguido pela grua e despejado no camião. Claro que sacos de 50kg ou mais de tijolos cimentados, pedras, etc fizeram um tal barulho a cair no interior do camião que pareciam trovões. Não sei em que estado terá ficado o interior do compartimento do camião.
Também "divertido" é ver os móveis ('monos') a terem que ser arrastados de cima do estrado dos contentores para estes poderem ser abertos.
Não invejo, de todo, a profissão de recolha de resíduos urbanos, e deixo aqui o meu louvor ao trabalho e infinita paciência dos profissionais.

Asseguro-vos, a educação e o civismo de grande parte deste povo é um desastre! Talvez daqui a vinte ou trinta anos, com as novas gerações a coisa melhore.
Mas, os monos basta chamar a empresa que recolhe o lixo e agendar que eles recolhem o mono. :D

Se os ativistas climáticos sensibilizassem a população em vez de andarem a pintar edifícios e destruírem montras, estavam a fazer algo em prol do ambiente, mas eles querem é destruir e nada mais.
 

StormRic

Furacão
Registo
23 Jun 2014
Mensagens
23,837
Local
Póvoa de S.Iria (alt. 140m)
Mas, os monos basta chamar a empresa que recolhe o lixo e agendar que eles recolhem o mono.
:lmao:isso dá imenso trabalho!! Além do mais, "agendar" significa que aquela alteração na decoração tão esperada desde há tanto tempo, e que num repente de iniciativa foi finalmente encetada, tem que esperar mais uns diazinhos...

Se os ativistas climáticos sensibilizassem a população
Nem fazes ideia da fama que eu já tenho aqui no bairro devido às "acções" de sensibilização. :rolleyes:
 

algarvio1980

Furacão
Registo
21 Mai 2007
Mensagens
12,531
Local
Olhão (24 m)

Agora, é que lixaram os "apanhados do clima". :rolleyes:
 

MSantos

Moderação
Registo
3 Out 2007
Mensagens
10,714
Local
Aveiras de Cima

Energia solar em Portugal já tem mais capacidade instalada do que as centrais a gás​


 

algarvio1980

Furacão
Registo
21 Mai 2007
Mensagens
12,531
Local
Olhão (24 m)

Aristocrata

Super Célula
Registo
28 Dez 2008
Mensagens
7,018
Local
Paços de Ferreira, 292 mts

Convém ler todo o artigo, não só o título.
É uma tarefa difícil.
Não acredito num futuro próximo que tal seja viável, sequer desejável.
A Europa até pode (erradamente a meu ver) enveredar por esse caminho, o resto do mundo neste momento tem mais que fazer para melhorar a vida das pessoas.

Já pensaram na questão da qualidade de vida das pessoas? Privar do uso de combustíveis fósseis será um caminho de futuro se as opções em cima da mesa forem única e exclusivamente direccionadas para a luta contra as alterações climáticas.
O preço global da alimentação humana seria esmagador para as populações pobres, e até a actual classe média mundial partilharia de dificuldades sérias no acesso aos alimentos.

A UE junto com a ONU\OMS tem de ter muito, mesmo muito cuidado, naquilo que pretende "impor" às populações.

Sejamos sérios: ou toda a economia mundial rema no mesmo sentido ou nada disto fará sentido, e a UE/EUA (e outros países) afundarão em tomadas de decisão que nos afectarão de forma dramática.

Todos teremos consciência da mais que anunciada "morte" do carro eléctrico tal como o conhecemos. Há muito por evoluir na sustentabilidade deste tipo de locomoção, novos materiais\matérias primas, novas baterias, novas energias "efectivamente" sustentáveis e renováveis (fusão a frio, etc.)

Para onde irá o lixo relacionado com uma indústria ainda recente? Veículos movidos a bateria, pás de eólicas e outros? Não existe ainda uma indústria capaz de reciclar por completo estes materiais em fim de vida. Oxalá rapidamente se chegue a este ponto, para já não. É a REALIDADE!
 

Aristocrata

Super Célula
Registo
28 Dez 2008
Mensagens
7,018
Local
Paços de Ferreira, 292 mts

Porra, pagava mais de 500€ de imposto. Prefiro o carro a combustão, nada melhor o cheiro a gasolina. :D
TAMBÉM EU, TAMBÉM EU!

Já pensaram que tudo se reduz ao factor impostos? Mais impostos aqui, mais impostos ali.
Estou contra a visão de mais impostos por CO2, mais impostos sobre emissões de "seja o que for", isso não resolve nada.
Desculpem não usar palavrões.
Estou cheio da conversa da treta de que pagar mais impostos melhora o ambiente. NADA. ZERO. IMPOSSÍVEL. Andam a enganar o povo. Mentem descaradamente.
Quero medidas sustentáveis para o ambiente e para a carteira de todos nós.

Não podemos avançar mais do que as pernas que temos, dar um passo maior do que podemos. Sustentabilidade é assumir que a luta por um melhor ambiente também depende da capacidade financeira que os portugueses tem. E com isso sermos inventivos e tomar decisões sensatas.
Um exemplo: uma barbaridade está a ser cometida na instalação dos grandes produtores de energia solar. Deitar abaixo dezenas de milhares de sobreiros, destruir um ecossistema como o montado não é lutar pelo clima. Com tantos terrenos improdutivos no Baixo Alentejo, faz ZERO sentido usar os do Ribatejo ou Alto Alentejo para o fazer.
Há muitos mais exemplos. Eu não compro a luta pelo ambiente com tomadas de decisão anedóticas e criminosas como têm feito.
 

StormRic

Furacão
Registo
23 Jun 2014
Mensagens
23,837
Local
Póvoa de S.Iria (alt. 140m)
Não podemos avançar mais do que as pernas que temos, dar um passo maior do que podemos. Sustentabilidade é assumir que a luta por um melhor ambiente também depende da capacidade financeira que os portugueses tem. E com isso sermos inventivos e tomar decisões sensatas.
Um exemplo: uma barbaridade está a ser cometida na instalação dos grandes produtores de energia solar. Deitar abaixo dezenas de milhares de sobreiros, destruir um ecossistema como o montado não é lutar pelo clima. Com tantos terrenos improdutivos no Baixo Alentejo, faz ZERO sentido usar os do Ribatejo ou Alto Alentejo para o fazer.
Há muitos mais exemplos. Eu não compro a luta pelo ambiente com tomadas de decisão anedóticas e criminosas como têm feito.
Sem dúvida.
 
  • Gosto
Reactions: "Charneca" Mundial