Vinho e o clima

beckernunes

Cirrus
Registo
19 Out 2009
Mensagens
14
Local
Cachoeira Paulista, Brasil
As mudanças climáticas afetam a vida de todos, não poderia ser
diferente com relação à produção de vinhos.

Com o aquecimento global, a Inglaterra (cada vez menos fria) começa
a crescer sua produção, até então praticamente desconhecida mundialmente.

Por outro lado, produtores franceses já se preocupam com o aumento
excessivo da temperatura, o que prejudica o desenvolvimento de suas
vinhas.

Mais detalhes em: http://papodemeteoro.blogspot.com/2009/10/vinho-ingles.html

Será mesmo?

Abraço,
André.
 

Aristocrata

Super Célula
Registo
28 Dez 2008
Mensagens
6,164
Local
Paços de Ferreira, 292 mts
Efectivamente este fenómeno deriva de alterações climáticas nas últimas 2 décadas (mais nesta última década) sentidas em certas zonas vitivinícolas; não estou a falar aqui do fenómeno das alterações climáticas, coisa diferente.
Mas o aquecimento proporciona destas coisas - em Inglaterra tem proporcionado colheitas mais interessantes, em zonas onde a cultura da vinha era apenas residual, e assim houveram produtores que apostarem em aumentar as suas áreas de produção.
Aqui na minha região, a dos VINHOS VERDES ;), os factos permitem afirmar que as colheitas tem visto aumentar o grau alcoólico do vinho - aparentemente também associado a um aumento das temperaturas na sua fase de maturação; este facto tem sido notório nesta década.
Neste momento até se começa a colocar em causa a denominação de vinho verde pois entraram no circuito de produção muitas cepas geralmente associadas à produção de vinho maduro. A própria graduação alcoólica dos vinhos começa a aproximar-se "perigosamente" da fronteira dos vinhos maduros. Hoje é frequente ver vinho verde engarrafado com 11º, 12º e até 13º de teor alcoólico. Há inclusive produtores que afirmam terem vinhos que chegam aos 16º - no caso do vinho alvarinho pode superar os 18º em Verões muito quentes. O que ainda "safa" é que o gosto e a frescura mantêm uma caracteristica muito própria...

Há um dito antigo que afirma:

"O vinho é bom. Mas a água sendo fresca, pura e cristalina...Ahhhhhhhhh, nesse caso prefiro o vinho!"
:lmao::lmao::lmao:
 

Vince

Furacão
Registo
23 Jan 2007
Mensagens
10,624
Local
Braga
Vinhos ingleses sempre existiram, desde há séculos, são é por norma muito maus, fabrico caseiro e comercialmente irrelevantes , ninguém ouve falar neles.

A questão dos vinhos em Portugal parece-me contudo interessante. Na minha opinião, eu penso desde há bastante tempo que este sector até é um dos beneficiados pelo aquecimento das últimas décadas. Nem tudo é mau nestas problemáticas.
 

Aristocrata

Super Célula
Registo
28 Dez 2008
Mensagens
6,164
Local
Paços de Ferreira, 292 mts
Uma das coisas que chama a atenção é o facto de existir produção de vinho em países da orla mediterrânica no norte de África. Pelo que tenho provado é mau, muito mau esse vinho.
Parece-me que o excesso de calor também não é lá muito benéfico para as vinhas, de forma que aumenta o paladar alcoólico na mesma medida que diminui o paladar tão característico dos vinhos a que estamos habituados a consumir.

Parece-me que o vinho inglês não será "nem carne nem peixe". As características climáticas que potenciam o desenvolvimento do vinho serão ligeiramente semelhantes ao noroeste de Portugal, mas mais húmido e fresco na primavera e verão, o que aliado ao uso de castas diferentes das usadas por cá não dará grandes vinhos por lá. Mas como não provei não sei...alguém que tire a prova ou envie uma garrafa para eu dar a minha "humilde" opinião:p:lol:
 

Lousano

Cumulonimbus
Registo
12 Out 2008
Mensagens
3,635
Local
Lousã/Casais do Baleal
Uma das coisas que chama a atenção é o facto de existir produção de vinho em países da orla mediterrânica no norte de África. Pelo que tenho provado é mau, muito mau esse vinho.
Parece-me que o excesso de calor também não é lá muito benéfico para as vinhas, de forma que aumenta o paladar alcoólico na mesma medida que diminui o paladar tão característico dos vinhos a que estamos habituados a consumir.

Parece-me que o vinho inglês não será "nem carne nem peixe". As características climáticas que potenciam o desenvolvimento do vinho serão ligeiramente semelhantes ao noroeste de Portugal, mas mais húmido e fresco na primavera e verão, o que aliado ao uso de castas diferentes das usadas por cá não dará grandes vinhos por lá. Mas como não provei não sei...alguém que tire a prova ou envie uma garrafa para eu dar a minha "humilde" opinião:p:lol:

Ora aí está.

A temperatura e sol é apenas um dos factores para um bom vinho.

Muitos outros são tão ou mais importantes, tais como a precipitação, solo, castas, etc.

No caso inglês, e no caso do clima, penso que a excessiva precipitação no Verão deverá ter muito mais influência do que a própria temperatura pouco elevada.
 

Minho

Cumulonimbus
Registo
6 Set 2005
Mensagens
4,091
Local
Melgaço
As videiras e as uvas não lidam bem com extremos por isso, os vinhos mais famosos em todo o mundo são predominantemente de zonas temperadas. Excesso de chuva apodrece as uvas, excesso de sol e calor dá-lhes um teor alcoólico alto ou pode mesmo "queimar-las". Para um bom vinho é importante o ciclo chuva-seco, frio-calor, primavera-verão ser bem definido.
 

Vince

Furacão
Registo
23 Jan 2007
Mensagens
10,624
Local
Braga
Falando de vinhos e clima, há um bastante curioso e diferente, o famoso Icewine ou Eiswein que embora não seja um vinho de mesa mas de sobremesa, é um branco doce que experimentei pela primeira vez há pouco movido pela curiosidade que tinha já há uns anos. É possível encontra-lo por exemplo no El corte inglês embora seja caro em garrafas pequenas tipo licor ...
É geralmente feito com a casta Riesling, as uvas ficam nas videiras até serem recolhidas congeladas e o frio e gelo além da colheita tardia são o segredo do vinho na concentração de sabor. Os países que mais o produzem são o Canada e a Alemanha mas noutros menos dados ao frio já se vão fazendo experiências, inclusive em Espanha e recentemente no sul do Brasil.



Icewine (ou "vinho do gelo" ou, em alemão, Eiswein) é um tipo de vinho caro de sobremesa produzido a partir de uvas que foram congelados enquanto ainda na vinha. Os açúcares e outros sólidos dissolvidos não congelam, mas a água contida nas uvas sim, por isso o resultado é uma concentração elevada de açúcar, frequentemente vinho muito doce. No caso do Icewine, o congelamento acontece antes da fermentação, e não depois. Ao contrário do que outros vinhos de sobremesa como Sauternes (França), Tokaji (Hungria),ou Trockenbeerenauslese(Alemão/Austríaco/Tipo de Vinho), as uvas não devem ser afectadas por Botrytis cinérea (Fungo) ou podridão nobre. Apenas uvas saudáveis serão mantidas até a oportunidade da colheita do Icewine, que pode ser no ano seguinte. Isto dá ao Icewine a sua característica refrescante e doçura equilibrada mas também elevada acidez. Quando as uvas são livres de Botrytis, disse que estão "limpas".

Icewine também é feito nos Estados Unidos, Áustria, Croácia, República Checa, Itália, Eslováquia, Eslovénia, Hungria, Austrália, França, Nova Zelândia e Israel, em menor quantidade é claro. Eiswein faz parte da categoria QMP do vinho classificação Alemã, e Icewine no Canadá devem seguir o protocolo VQA e serão rotulados como tal.
Em contraste com a maioria das outras regiões produtoras de vinho, Canadá, em particular a Península do Niagára, consistentemente congela no Inverno tornando-se assim o maior produtor de Icewine no mundo. A produção vinícola de Icewine no Canadá é regulamentada pela Vintners Quality Aliança nas províncias de Ontário e British Columbia. Se açúcar nas uvas em medida é inferior a 35 °Brix, então eles não podem ser feitas em icewine. Estes são frequentemente reduzidos a uma menor denominação, como o Especial Selecione Late Harvest ou Select Late Harvest. Embora Niagara-on-the-Lake's Inniskillin é tradicionalmente considerado o maior produtor em termos de volume, muitas pequenas vinícolas na região do Niagára fizeram a sua presença conhecida com vinhos de alta qualidade e com produtos que ganharam prêmios em todo o mundo. Henry Pelham da Família Estate Winery de 2004 foi recentemente reconhecido pela Jancis Robinson (Critica de vinho muito importante no mundo do vinho) do Financial Times (Londres) e da Oxford Companion para vinho como um dos 10 melhores vinhos do Canadá. Para adicionar ao factor prestígio, em Novembro de 2006, a mais cara garrafa de Icewine, até à data, foi vendido a 30,000 por CAD dollars, produzido por uma pequena adega em Beamsville que se especializou em fazer icewine de alta qualidade.


Naturalmente os Icewine requerem um congelamento rápido (por lei no Canadá um mínimo de -8 ° C (17 ° F) e na Alemanha um mínimo de -7 ° C (19 ° F)) ocorrência deste processo geralmente ocorre algum tempo depois das uvas estarem maduras, que Significa que as uvas ficam desde Maio pendurados na videira durante vários meses após a colheita normal. Se o congelamento não ocorre com suficiente rapidez, as uvas em Maio são afectadas pela podridão e as culturas serão perdidas. Se o congelamento é demasiado brusco, não podem ser extraídas das uvas o suco. Vineland Winery em Ontário, uma vez quebrou sua prensa pneumática na década de 1990 enquanto pressionava as uvas congeladas porque estavam demasiadamente duras (a temperatura estava perto de -20 ° C). Quanto mais a colheita se atrasar, mais frutos se Perderá para os animais selvagens e a própria queda dos bagos que ocorrerá inevitavelmente.
Desde os frutos devem ser pressionada enquanto ela ainda está congelado, “apanhadores de uva” muitas vezes têm de trabalhar durante a noite ou muito cedo pela manhã, na apanha da uva no espaço de algumas horas, enquanto que outros trabalhadores têm de trabalhar em cave não aquecidas.
Na Áustria, Alemanha e Canadá, as uvas devem congelar naturalmente a fim de ser chamado Icewine. Alguns produtores usam cryoextraction (isto é, congelamento artificial) para simular o efeito de uma geada e geralmente não as uvas não ficam penduradas por longos períodos como se faz com o Icewine natural. Estes não-tradicionais Icewine são muitas vezes referidas como "icebox wines".Um exemplo é Bonny Doon's Vin de Glacière.

Quanto maior o nível de açúcar no vinho mais lenta é a sua fermentação. Pode demorar meses para completar a fermentação (comparado a dias ou semanas para vinhos de mesa) e leveduras especiais deve ser utilizados. Devido ao menor rendimento da uva e as dificuldades de processamento do Icewine, equivale dizer são significativamente mais caros do que vinhos de mesa. Eles são muitas vezes vendidos em meia garrafa volume (375 ml) ou a garrafa ainda menor 200ml.A fim de reduzir os custos de venda.


http://sabores-do-atlantico.livre-forum.com/vamos-ate-ao-bar-f10/espiritos-do-vinho-t181.htm



[ame="http://www.youtube.com/watch?v=4v1-rdE5YAE"]YouTube- The Last Hand Harvest: Icewine Clip #1[/ame]
 
Editado por um moderador:

james

Cumulonimbus
Registo
16 Set 2011
Mensagens
4,541
Local
Viana Castelo(35 m)/Guimarães (150 m)
Re: Seguimento Meteorológico Livre

E ainda ontem , vi uma reportagem sobre uma herdade no Alentejo , onde foi referido que este ano vai ser um ano muito bom de vinho na região .

Afinal , parece que as Correntes de Leste tórridas mais os 40 graus centígrados não foram necessários .
 

MSantos

Staff
Registo
3 Out 2007
Mensagens
9,635
Local
Azambuja / Mte. Barca (Coruche)
Re: Seguimento Meteorológico Livre

E ainda ontem , vi uma reportagem sobre uma herdade no Alentejo , onde foi referido que este ano vai ser um ano muito bom de vinho na região .

Afinal , parece que as Correntes de Leste tórridas mais os 40 graus centígrados não foram necessários .

Também vi, se calhar o calor tórrido que alguns apregoavam como sendo normal no Alentejo não é assim tão benéfico para as vinhas... :rolleyes:
 
  • Gosto
Reactions: james