Auroras em Portugal

Vince

Furacão
Registo
23 Jan 2007
Mensagens
10,624
Local
Braga
Olá,
Estou, ainda assim, curioso por saber mais e, como tal, lanço aqui umas perguntas ao caro Vince (e aos outros, já agora!) :

- Tem por aí mais documentos ou informação sobre as Auroras em Portugal?

- Onde é que poderei ter acesso a esse estudo que refere "Auroras observed in Portugal in late 18th century" do R.M.Trigo?

- Alguém faz ideia se existe bibliografia portuguesa sobre auroras em Portugal?


Tudo o que encontrei coloquei na página anterior deste tópico, não foi muita coisa. O estudo que refere, não está online, alguma mudança de servidor e eu perdi a copia que tinha num disco que pifou o ano passado. Experimente pedir directamente ao autor, uma vez contactei-o a propósito de outro tema, e ele simpaticamente respondeu:
http://idl.ul.pt/ricardotrigo.htm?destination=node/143


Do que li, penso que em média serão visíveis auroras em Portugal pelo menos uma vez em cada máximo solar (ou pouco antes/depois do mesmo), na fase em que nos encontramos actualmente, mas por vezes a nebulosidade pode impedir a sua visualização. Mas quando falo de visibilidade, é uma coisa bastante ténue, visível apenas por quem está atento e já preparado para a ver, nada que se compare com a sua experiência em latitudes superiores.

E excepcionalmente penso que ocorre algo mais poderoso, a ponto de alarmar a própria população como alguns textos de 1938 citados na página anterior demonstram (mas mesmo assim muito abaixo de experiências mais a norte claro), talvez arrisque dizer, 2 vezes em cada século em média. Tudo depende da intensidade do flare, do CME e da sua direcção e orientação à Terra. Já agora, em termos de probabilidade das condições ideais ocorrerem quanto a isso é nas alturas próximo dos equinócios, ou seja, a nossa Primavera e Outono (explicação aqui), mas há excepções, como a famosa aurora de Janeiro de 1938 bem demonstra.

Se conseguir encontrar o tal documento, penso que na bibliografia do mesmo havia referências a outros estudos em Portugal.
Já agora, bem vindo, passe também pelo tópico de seguimento solar, que é aí que vamos acompanhando a actividade solar, uma aurora visível por cá será este ano e no próximo na minha opinião, depois teremos que esperar pelo máximo solar seguinte, uma eternidade.
 
  • Gosto
Reactions: Lolita

trepkos

Nimbostratus
Registo
10 Out 2008
Mensagens
1,564
Local
Eborae
Encontrei um impressionante relato da Aurora de 25 de Janeiro de 1938, contado na primeira pessoa, de facto é assombroso e sentimos uma ligeira inveja por não termos sido nós a ver. ;)

EU VI A AURORA BOREAL...​

Estávamos em pleno Inverno.Dia vinte e cinco de Janeiro de 1938.Tempo de frio ,chuvas intensas e ventos fortes . Por vezes a neve resolvia presentear-nos com a sua visita. Os campos e os caminhos apareciam todas as manhãs cobertos de geada transparente como cristal,o que dificultava o acesso a esses lugares.Era necessário redobrar os cuidados nas caminhadas que não podiam deixar de ser feitas. Os agricultores tinham de deixar que a geada derretesse para poderem colher nos campos os produtos agrícolas para sua subsistência e dos seus animais domésticos.
Este dia estava particularmente frio.Na minha aldeia quase ninguém ousava sair à rua.Nas lareiras crepitava a fogueira e todos procuravam aninhar-se à sua volta para resistirem aos rigores das temperaturas excessivamente baixas.
Na minha casa ,além da fogueira habitual, tinha-se acendido o forno para cozer a broa que a minha mãe amassou como fazia sempre.É que ela não confiava a ninguém esta tarefa!
Se ,de dia, poucas pessoas saíam de casa ,quando a noite caía ninguém mais deitava o nariz fora da porta ,excepto em situações especiais:buscar mais lenha para manter a lareira acesa,tratar algum animal que estivesse a necessitar de cuidados especiais ou então ir ao armazém, onde se guardavam os produtos agrícolas ,abastecer-se de algum que eventualmente tivesse acabado.
No silêncio da noite,qualquer som, por mais insignificante, toma uma dimensão enorme.Foi o que aconteceu nessa noite:ruídos estranhos ,semelhantes à queima de lenha seca,começaram a ser ouvidos por todos nós que estávamos à volta da lareira.O Manuel,nosso feitor, a quem, carinhosamente,chamávamos "Pionas,"ao ouvir estes barulhos , assomou ao postigo da porta para se inteirar do que se passava.Mal deitou a cabeça fora da pequena janela, apercebeu-se que o céu estava vermelho da cor do fogo, parecendo em chamas, donde se desprendiam raios luminosos. Gritou para todos nós:venham ver ,é o fim do Mundo.De imediato gritos aflitivos se fizeram ouvir em toda a aldeia,ao mesmo tempo que se dirigiam para a Igreja onde o Sr Padre António se encontrava, tentando acalmar os seus paroquianos. Todos nós lá de casa fizemos o mesmo,largando tudo.Só o Manuel Pionas ficou mais algum tempo para enfornar o pão que estava na masseira ,tapar o forno e fechar todas as portas e janelas de casa.Só depois disso ,foi ter connosco à Igreja.

As pessoas vinham munidas de lampiões que à pressa tinham conseguido pegar.Mas não foi necessário acendê-los,porque do céu emanavam clarões de luz dum brilho sanguinolento.
As pessoas corriam desesperadamente ,atropelando-se,escorregando aqui e ali sem pensar nas consequências funestas que poderiam advir dessa correria desenfreada. Uma senhora, já de certa idade, que corria e gritava ao meu lado, levando pela mão uma netinha mais ou menos da minha idade, escorregou na calçada ,caíu desamparadamente e partiu um pé.Mesmo assim cheia de dores só parou na Igreja junto da multidão enorme que ali se aglomerava.
Os gritos aflitivos daquela boa gente enchiam a Igreja e faziam-se ouvir por toda a freguesia:É o fim do Mundo; é a guerra ,acudam...
O bom do Sr. Padre António tentava acalmar os seus paroquianos ,explicando que o fenómeno que se estava observando, não era mais do que uma Aurora Boreal ,fenómeno que era visto muitas vezes nas regiões do norte do Globo. Ao mesmo tempo ia rezando com eles.
Esta situação aflitiva durou algumas horas até que a luz do dia ofuscou a luz que tinha incendiado o céu durante a noite longa.
Depois do dia amanhecer e com as sábias palavras do Sr. Padre, o bom povo da minha aldeia,acalmou e voltou em paz para suas casas.No entanto aquela visão dantesca perdurou por muito tempo, talvez por toda a vida, na memória daquela boa gente, assim como perdurou na minha até hoje.E já se passaram setenta anos!...Eu tinha nessa altura quatro anos e nove meses. E essa imagem foi tão forte que consigo descrever tudo o que presenciei e reproduzir textualmente o que ouvi.
No dia seguinte àquele acontecimento,o jornal diário que meu Pai assinava, trazia noticiado o fenómeno observado em todo o céu de Portugal e de outros países.Claro que eu não li a notícia,mas ouvi meu pai lê -la e comentá-la ,tentando explicar, da melhor maneira que sabia, as causas daquele "Belo Horrível".
Achei por bem deixar aqui a descrição deste acontecimento que tanto me impressionou e ,porque não dizer,que tanto me maravilhou!...

27 de Dezembro de 2007


Adélia Barros

Blog: http://adeliabarros.blogspot.pt/2007/12/eu-vi-aurora-boreal.html
 

trepkos

Nimbostratus
Registo
10 Out 2008
Mensagens
1,564
Local
Eborae
Encontrei um PDF referindo-se aquilo que o Vince já referiu aqui, a Guerra, Fátima e a Aurora.

AURORA BOREAL​

Na Aparição de 13 de Julho de 1917,em Fátima, entre outras coisas, Nossa Senhora disse aos Videntes:
- Quando virdes uma noite alumiada por uma luz desconhecida, sabei que é o grande sinal que Deus vos dá de que vai a punir o Mundo de seuscrimes por meio da guerra, da fome e de perseguições à Igreja e ao Santo Padre. (Doc.219).

Esta Profecia da Segunda Grande Guerra Mundial, fazia parte do Segredo e, sobre ela, a irmã Lúcia nada disse na Primeira Memória nem na Segunda, escritas entre 1935 e 1937.

Mas a irmã Lúcia foi autorizada a desvendar, particularmente, o significado da
chamada Aurora Boreal, que iluminou o hemisfério Norte, desde o Canadá até à Checoslováquia, incluindo Portugal, na noite de 25 para 26 de Janeiro de 1938.

A Aurora Boreal foi, pois, na noite de 25 para 26 de Janeiro de 1938, de que estou perfeitamente lembrado, porque também a vi.(Nota do autor).

No dia seguinte, toda a imprensa se referiu ao facto e foram alvitradas as mais variadas hipóteses no intuito de encontrar uma explicação para o facto, mesmo a nível científico. A verdade, porém, só veio, muito mais tarde.

Numa carta que a irmã Lúcia escreveu ao Senhor Bispo de Leiria, ela falou-lhe no sentido da Aurora Boreal :
Ex.mo e Rev.mo Senhor Bispo. Vossa Ex.cia não ignora como, há alguns anos Deus manifestou esse sinal, que os astrónomos quiseram designar com o nome de Aurora Boreal. Não sei. Parece-me que se examinarem bem, verão que não foi nem podia ser, da forma como se apresentou, tal Aurora. Mas seja o que quiserem. Deus serviu-se disso para me fazer compreender que a Sua Justiça estava prestes a descarregar o golpe sobre as nações culpadas, e comecei, por isso, a pedir, com insistência a Comunhão reparadora nos primeiros sábados e a Consagração da Rússia.

O meu fim era não só conseguir misericórdia e perdão para todo o Mundo, mas em especial para a Europa. Deus na Sua infinita misericórdia, foi-me fazendo sentir como esse terrível momento se aproximava, e V. Ex-cia Rev.ma não ignora como, nas ocasiões oportunas o fui indicando. E digo ainda que a oração e a penitência que se tem feito em Portugal, não aplacou ainda a Divina Justiça, porque não tem sido acompanhada da contrição nem emenda. (Doc.231).

Nota: As recentes investigações científicas da AuroraBoreal de 25 para 26 de Janeiro de 1938, provaram que a irmã Lúcia tinha razão.

Essa Aurora Boreal não se deu nas circunstâncias em que normalmente aparecem, nem teve, portanto, uma causa natural.

Um jornal de Oslo, publicou em 8 de Setembro de 1938 a notícia de que a Aurora Boreal foi visível numa extensão de 500.000 quilómetros e numa vertical de 400 quilómetros.
Alguns dos seus raios atingiram 700 quilómetros, o que significa um excesso de mais 400 quilómetros sobre a mais alta e a mais larga Aurora Boreal até agora conhecida.

Milhões de pessoas em vários países puderam observar esta Aurora Boreal, e muitas pessoas julgaram que o Mundo estava em fogo e que seria o Fim...

link do PDF: http://www.ourladyoffatimachurch.net/ENCICLOPEDIA(A)AURORA BOREAL.pdf
 

borealis

Cirrus
Registo
3 Mai 2012
Mensagens
2
Local
Lisboa
Bem, eu cheguei aqui há poucos dias mas devo confessar que estou a adorar este fórum!

Muito obrigado a todos pelas vossas respostas!

Estou particularmente feliz porque finalmente parece que encontrei portugueses que falam e se interessam por auroras - é que desde que me tenho dedicado a ler sobre o assunto só tenho andado por sites estrangeiros.

Contactei o Ricardo Trigo por causa dos tais estudos e ele enviou-me os pdfs. Pareceu-me ser excelente pessoa.

Isto foi há pouco, ainda não tive tempo para ler tudo com calma.

Esse relato da senhora que viu a Aurora em 1938 também é magnífico. Vou pesquisar mais sobre isso.

Caro irpsit, você tem sorte de viver na Islândia, esse país deve ser enfeitiçante. Curiosamente, aqui há uns dias, troquei umas mensagens com uma senhora islandesa que tem publicado, no facebook, várias fotos de auroras tiradas este ano. Disse-me ela que tem pena que existam demasiadas noites com nuvens a tapar o espectáculo.
O local onde estive na Lapónia é ligeiramente mais a norte (68º.6, creio) do que a Islândia e em cinco noites consegui três com céu limpo - nessas três vi auroras, ainda que tenha esperado longas horas numa das noites. Nas outras duas, o céu estava com demasiadas nuvens e mesmo assim ainda esperei para ver se desapareciam mas a dada altura comecei a gelar (aquilo não é brincadeira e mesmo assim tive sorte de não apanhar vento).

Deixo aqui duas fotografias que tirei numa dessas noites de céu mais limpo. A minha máquina não é grande coisa - é uma compacta, simples e básica - mas felizmente levei tripé. As fotos estão com um bocado de grão porque foram tiradas com um tempo de exposição algo elevado.








Obrigado pela vossa ajuda!
 

rbsmr

Nimbostratus
Registo
6 Ago 2007
Mensagens
594
Local
Cabeça Gorda, Torres Vedras (140m)

Relativamente às auroras boreais em Portugal, na página acima indicada, relativamente à de 21.01.1957 refere apenas localidades no norte de Portugal.
No entanto, o meu pai conta-me que na infância teria avistado uma aurora boreal na aldeia dele (a cerca de 10 km a norte de Torres Vedras) que pôs os habitantes em alvoroço! Parece-me ter sido esta.
 
Registo
17 Ago 2012
Mensagens
116
Local
Mafra
A minha avó presenciou com 18 anos a aurora de 1938, bem no norte de Portugal, perto da fronteira com Epsanha. Segundo ela, "pareciam cortinas que se moviam lentamente para os lados de Oeste. No início da noite, parecia que tinha sido um dia mais longo, como se o sol de cor avermelhada teimasse em não se pôr. Depois azulada e esverdeada. Pela meia-noite, foi rezada Missa e toda a gente se recolheu na Igreja. Na altura já o padre dizia que podia ser o sinal de uma guerra iminente, o que veio a acontecer. Os leigos não sabiam ainda a segunda parte do Segredo de Fátima, que falava nessa luz desconhecida. A Lúcia não tinha escrito nada porque ainda não tinha autorização do confessor nem do Céu, mas por alguma maneira (suposição ou não) o pároco associou isto ao aviso de uma guerra. Uma noite de terror, em que os únicos sons que se ouviam na aldeia (na altura era uma aldeia) eram os toques de sinos e pelas ruas Avé-Marias, Pai-Nossos e Credos".
 

MSantos

Staff
Registo
3 Out 2007
Mensagens
9,758
Local
Azambuja / Rio Maior
Relativamente às auroras boreais em Portugal, na página acima indicada, relativamente à de 21.01.1957 refere apenas localidades no norte de Portugal.
No entanto, o meu pai conta-me que na infância teria avistado uma aurora boreal na aldeia dele (a cerca de 10 km a norte de Torres Vedras) que pôs os habitantes em alvoroço! Parece-me ter sido esta.

A minha Avó que é da Lourinhã também se recorda desta aurora boreal, ela descreve como uma luminosidade avermelhada. O fenomeno terá assustado as pessoas que não faziam ideia do que era.
 

pdf

Cirrus
Registo
1 Fev 2009
Mensagens
29
Local
Matosinhos
Bem, eu cheguei aqui há poucos dias mas devo confessar que estou a adorar este fórum!



Muito obrigado a todos pelas vossas respostas!



Estou particularmente feliz porque finalmente parece que encontrei portugueses que falam e se interessam por auroras - é que desde que me tenho dedicado a ler sobre o assunto só tenho andado por sites estrangeiros.



Contactei o Ricardo Trigo por causa dos tais estudos e ele enviou-me os pdfs. Pareceu-me ser excelente pessoa.



Isto foi há pouco, ainda não tive tempo para ler tudo com calma.



Esse relato da senhora que viu a Aurora em 1938 também é magnífico. Vou pesquisar mais sobre isso.



Caro irpsit, você tem sorte de viver na Islândia, esse país deve ser enfeitiçante. Curiosamente, aqui há uns dias, troquei umas mensagens com uma senhora islandesa que tem publicado, no facebook, várias fotos de auroras tiradas este ano. Disse-me ela que tem pena que existam demasiadas noites com nuvens a tapar o espectáculo.

O local onde estive na Lapónia é ligeiramente mais a norte (68º.6, creio) do que a Islândia e em cinco noites consegui três com céu limpo - nessas três vi auroras, ainda que tenha esperado longas horas numa das noites. Nas outras duas, o céu estava com demasiadas nuvens e mesmo assim ainda esperei para ver se desapareciam mas a dada altura comecei a gelar (aquilo não é brincadeira e mesmo assim tive sorte de não apanhar vento).



Deixo aqui duas fotografias que tirei numa dessas noites de céu mais limpo. A minha máquina não é grande coisa - é uma compacta, simples e básica - mas felizmente levei tripé. As fotos estão com um bocado de grão porque foram tiradas com um tempo de exposição algo elevado.

















Obrigado pela vossa ajuda!


Bom testemunho!

Apenas um reparo: não é o tempo de exposição que causa o grão, mas sim o ISO elevado ;)

Cumps!
 
  • Gosto
Reactions: CptRena

belem

Cumulonimbus
Registo
10 Out 2007
Mensagens
4,342
Local
Sintra/Carcavelos/Óbidos
A minha avó presenciou com 18 anos a aurora de 1938, bem no norte de Portugal, perto da fronteira com Epsanha. Segundo ela, "pareciam cortinas que se moviam lentamente para os lados de Oeste. No início da noite, parecia que tinha sido um dia mais longo, como se o sol de cor avermelhada teimasse em não se pôr. Depois azulada e esverdeada. Pela meia-noite, foi rezada Missa e toda a gente se recolheu na Igreja. Na altura já o padre dizia que podia ser o sinal de uma guerra iminente, o que veio a acontecer. Os leigos não sabiam ainda a segunda parte do Segredo de Fátima, que falava nessa luz desconhecida. A Lúcia não tinha escrito nada porque ainda não tinha autorização do confessor nem do Céu, mas por alguma maneira (suposição ou não) o pároco associou isto ao aviso de uma guerra. Uma noite de terror, em que os únicos sons que se ouviam na aldeia (na altura era uma aldeia) eram os toques de sinos e pelas ruas Avé-Marias, Pai-Nossos e Credos".


Auroras boreais verdes e azuis parecem ser as menos comuns em Portugal.

Interessante o teu testemunho, obrigado!
 
  • Gosto
Reactions: CptRena
Registo
17 Ago 2012
Mensagens
116
Local
Mafra
Bem... Não foi em Portugal, mas aqui no norte da Escócia (assim como na Irlanda) fomos presenteados pelo reflexo de uma aurora boreal na noite passada! :D

Sem palavras!

Belíssimo!! E pelo site SpaceWeather espero que hoje possa novamente ver...
 
  • Gosto
Reactions: StormRic

ELJICUATRO

Nimbostratus
Registo
24 Jan 2009
Mensagens
637
Local
BRAGA SUL (Baixo Minho)
Bem... Não foi em Portugal, mas aqui no norte da Escócia (assim como na Irlanda) fomos presenteados pelo reflexo de uma aurora boreal na noite passada! :D

Sem palavras!

Belíssimo!! E pelo site SpaceWeather espero que hoje possa novamente ver...



Caro JoãoLuísAguiar,

Auroras Boreais foram avistadas na noite de 3ª para 4ªFeira (dia 18/03) em França (algumas regiões do norte e até no sul).


http://nsa34.casimages.com/img/2015/03/18//150318022817474926.png >>> (6400 Iso, 10", f/2 Nikon D800 20mm 1.8) tirada na região norte da Alsácia

http://i19.servimg.com/u/f19/11/50/52/19/imgk8510.jpg >>> (3200 ISO et f2.8) tirada no sul de França: 43.89°N

http://imagizer.imageshack.us/a/img661/9459/6lP6TW.jpg >>> tirada em Montlandon (departamento Eure-et-Loir)


Cmps.
 

Vince

Furacão
Registo
23 Jan 2007
Mensagens
10,624
Local
Braga
Não me surpreenderia nada que um bom astro-fotografo como alguns que temos aqui no fórum, que a partir de um bom local sem poluição luminosa, conseguisse captar qualquer coisa também em Portugal. Ou seja, se calhar os olhos não viam muito, mas talvez aparecesse um tom avermelhado numa longa exposição.
É que foi mesmo bastante intensa a aurora, das maiores deste século.
 

ELJICUATRO

Nimbostratus
Registo
24 Jan 2009
Mensagens
637
Local
BRAGA SUL (Baixo Minho)
Não me surpreenderia nada que um bom astro-fotografo como alguns que temos aqui no fórum, que a partir de um bom local sem poluição luminosa, conseguisse captar qualquer coisa também em Portugal. Ou seja, se calhar os olhos não viam muito, mas talvez aparecesse um tom avermelhado numa longa exposição.
É que foi mesmo bastante intensa a aurora, das maiores deste século.


Boa tarde Caro Vince,

Tens toda a razão, temos cá excelentes fotógrafos neste fórum. O ideal é sempre arrajar um local alto (de preferência nas montanhas) longe de todo o tipo de poluição e estarmos atentos aos vários índices/valores da atividade solar que podemos encontrar em vários sites, mas aqui deixo um link bastante útil para a nossa comunidade.

http://www.spacew.com/


Cmps.
 
  • Gosto
Reactions: Vince