Depressão extra-tropical «Gabriel/Xynthia» 26/27 Fevereiro 2010

AnDré

Staff
Registo
22 Nov 2007
Mensagens
11,045
Local
Odivelas (140m) / Várzea da Serra (900m)
Re: Seguimento Litoral Centro - Fevereiro 2010

Tenho informações de que cairammuitas arvores na zona de Leiria. A zonas que segundo me disseram parece que passou um tornado por lá. Tambem me foi dito por alguem que ja trabalha ha mais de 20 anos nestas coisas que nunca tinha visto cair tantas arvores num dia.

Na página da protecção civil há ocorrências de quedas de árvores no distrito de Leiria. Mas não falaram em nenhum tornado.

lei.png


Mais ocorrências, aqui!

---------------------------

Aqui, o vento forte derrubou o ecoponto, os contentores do lixo, espalhou lixo por todo o lado, mas não vi nada mais grave.

À janela, com o anemómetro portátil na mão, medi rajadas na casa dos 70km/h. Mas em condições muito peculiares. Mão de fora (no máximo 5 minutos), numa tentativa de captar o vento que vinha de todas as direcções (de cima, de baixo, da direita, da esquerda). :p
Era mesmo só para ter uma ideia. Mas se na janela e nestas condições, tive uma rajada de 75,6Km/h, no telhado do prédio, não duvido que tenha atingido valores bem interessantes.

Ainda assim, e também aqui, não foram as piores rajadas deste inverno.

De destacar a temperatura, que de manhã atingiu os 20,2ºC e agora está nos 9,8ºC.
 

rbsmr

Nimbostratus
Registo
6 Ago 2007
Mensagens
593
Local
Cabeça Gorda, Torres Vedras (140m)

miguel

Furacão
Registo
4 Fev 2006
Mensagens
13,487
Local
Setúbal
Re: Seguimento Litoral Centro - Fevereiro 2010

Extremos de hoje em Setúbal:

Mínima:10,9ºC (23:50)
Máxima:19,8ºC (11:40) :hehe:

Rajada máxima de vento:91,7km/h (11:40) W :thumbsup:

Pressão máxima:1007,8hPa (23:55)
Pressão mínima:985,6hPa (13:20) :eek:

Precipitação Total:12,6mm
Rain rate máximo:64,0mm/h (13:57)


Gráfico com a temperatura e pressão atmosférica:


Gráfico com as rajadas máximas em 10m e a média do vento em 10minutos:
 

Mário Barros

Furacão
Registo
18 Nov 2006
Mensagens
12,501
Local
Cavaleira (Sintra)
Re: Seguimento Litoral Centro - Fevereiro 2010

Extremos de ontem:

Máx - 20.6ºC

Mín - 11.1ºC

Precipitação - 9.2 mm.

Rajada máxima - 98 km/h.

Pressão mínima - 983.6 hpa.

Céu muito nublado, chuviscos fracos/moderados, vento moderado/forte sendo fraco à noite.

temporal27defevde2010.gif
 

Gilmet

Staff
Registo
12 Dez 2007
Mensagens
9,099
Local
Cacém (180 m) / Mira-Sintra (188 m)
Re: Seguimento Litoral Centro - Fevereiro 2010

Extremos de Ontem/Gráfico da evolução das rajadas de vento/Pressão:

wmr100dia270220103.png


De salientar, naturalmente, não só a rajada máxima como também a média máxima de vento, de 83,3 km/h!

De momento, 10,5ºC e vento nulo!:p
 

nimboestrato

Nimbostratus
Registo
8 Jan 2008
Mensagens
1,865
Local
Pedras Rubras-Aeroporto
Re: Seguimento Litoral Norte - Fevereiro 2010

Idem por Braga, no período entre as 15h00 - 16h00 registaram-se as rajadas mais fortes (e que intensidade! :shocking:), de facto, da minha parte, posso considerar que esta Xynthia correspondeu às expectativas criadas, foi uma verdadeira tempestade de vento, como há muito não via (pelo menos desde que vivo em Braga, e já lá vão uns anitos, no Porto recordo-me de situações similares).

Teve características similares a determinadas tempestades, dado que no momento de maior vendaval, foi o único período em que tivemos boas abertas, com o sol a brilhar, e um céu azul com uma nitidez incrível (parecia mesmo o olho do temporal). Foi simplesmente espectacular. Para mim cumpriu as expectativas. De lamentar possíveis vítimas ... :(

Nem mais.
Um temporal de vento com as mesmas caractrerísticas como o de hoje , com o céu a tornar-se pouco nublado de uns poucos Estratos baixos a correrem , justamente no pico da intensidade do vento ,e que intensidade,faz-me recuar até a um sábado de Fevereiro de 1970 ( e peço desculpa por não saber qual a data nem ela ser visível no arquivo do wetterzentrale por tudo isto ser muito rápido e por vezes nem num dia cabe, a esta escala )
em que o meu Pai me dizia:
-Vais ver...com todo este vento , chuva farta estará a chegar.
-Oh Pai: mas o céu está cada vez menos carregado.
Olha : agora até está sol.
-Pois é. Hoje não estou a perceber nada disto,
O vento costuma "puxar chuva". Estou baralhado.
...40 anos depois , mas que sábado tão parecido com esse, que guardado
ficou na minha memória.

Hoje no Passeio Alegre e na Cantareira, o passeio era impossível

temporalenorme086.jpg


temporalenorme053.jpg


Chegado a casa depois de tanta aventura ,
energia só agora, e até de casa ,
da janela da minha sala ,
mais uma das milhares, que a Protecção Civil contabilizou

temporalenorme102.jpg
 

AnDré

Staff
Registo
22 Nov 2007
Mensagens
11,045
Local
Odivelas (140m) / Várzea da Serra (900m)
Re: Seguimento Litoral Centro - Fevereiro 2010

O Vitamos está no Cais do Sodré e informa que metade da praça está de baixo de água, tal como os terminais de autocarros junto ao cais.
A policia encontra-se a desviar o transito.

Na praça Duque de Terceira, junto ao rio, só é permitida a passagem de autocarros. De resto o trânsito está cortado e o cais submerso.

Também há problemas na Praça do Comércio.

-------------

A página da protecção civil, não é actualizada há algumas horas.
Na última actualização do distrito de Lisboa, o panorama era o seguinte:

ertu.png


A página das estradas de Portugal, com noticias referentes ao transito, está em baixo.
 

AnDré

Staff
Registo
22 Nov 2007
Mensagens
11,045
Local
Odivelas (140m) / Várzea da Serra (900m)
Re: Seguimento Litoral Centro - Fevereiro 2010

Mau tempo: Avarias deixaram sem luz um milhão de clientes da EDP
Tejo inunda V. F. Xira e Margem Sul


28 Fevereiro 2010 - 00h30


Um milhão de clientes da EDP ficou ontem sem electricidade devido a avarias provocadas pelo temporal, num dia em que a subida das águas do Tejo provocou inundações em Vila Franca de Xira, Alhandra, Seixal e Alcochete. Em todo o País, registaram-se mais de 4600 ocorrências devido ao mau tempo.

No Seixal, a água galgou a marginal e inundou cerca de 30 habitações, provocando estragos materiais. Segundo o comandante dos Bombeiros do Seixal, António Matos, 'há 15 ou 20 anos que a água não subia tanto'. 'Isto foi provocado por uma conjugação de factores: maré cheia, vento forte e deve ter havido descarga de barragens', disse ao CM. As casas do Beco dos Calafates foram as mais afectadas. 'Dentro de casa a água chegava-me aos joelhos. Não tenho seguro e muita coisa estragou-se', contou ao CM João Sado, de 57 anos.

No Concelho de Vila Franca de Xira, o Tejo galgou as margens em várias localidades. Segundo a autarca Maria da Luz Rosinha, ocorreram inundações em Castanheira do Ribatejo, onde houve necessidade de retirar de casa duas idosas. Em Vila Franca de Xira, um lençol de água com 20 centímetros de altura cobriu grande parte do centro, a exemplo de Alhandra e Póvoa de Santa Iria. A autarca entende que 'aquando das descargas das barragens no Tejo deveria haver cuidado em contabilizar as horas de preia--mar, o que evitava a inundação' de habitações. O presidente do Instituto da Água, Orlando Borges, rejeita as críticas. 'As pessoas não deviam falar do que desconhecem. As descargas estão a ser feitas de forma coordenada com Espanha e, graças a essa articulação, as coisas têm corrido muito bem', disse ao CM, frisando que estas cheias 'são mais um problema de drenagem urbana'. O Tejo galgou também as margens no Cais do Sodré e Terreiro do Paço. Devido à forte ondulação, os catamarãs que ligam o Terreiro do Paço ao Barreiro navegaram entre Cais do Sodré e Cacilhas, Almada.

A circulação na A16, junto a Agualva-Cacém, foi interrompida durante algumas horas devido à queda de cabos de alta-tensão, divulgou o governador civil de Lisboa, António Galamba. Em Torres Vedras, a queda de uma estrutura provocou ferimentos ligeiros num bombeiro, acrescentou. O temporal provocou também a queda de um telhado num colégio de Loures e de mais de 200 árvores, sobretudo nos concelhos de Torres Vedras e Lourinhã. Na Venda do Pinheiro (Mafra) registou-se uma derrocada de terras.

APONTAMENTOS

FERIDOS E DESALOJADOS

Temporal causou nove feridos, sete deles bombeiros, e 24 desalojados (3 em Matosinhos, 10 em Gaia, 4 em Montemor-o-Novo, dois em Leiria, em Famalicão e em Barcelos, e um em Ferreira do Zêzere).

COMBOIOS PARAM

Mau tempo parou comboios nas linhas do Norte, Beira Alta, Cascais, Douro e Vouga.

ESTRADAS CORTADAS

Queda de árvores condicionou trânsito na A1. Mar cortou Marginal de Cascais.

VENTOS DE 140 KM/H

Na Pampilhosa da Serra o vento atingiu os 140 km/h. Em Lisboa, chegaram aos 90 km/h.

CASAL DE IDOSOS FICA SEM CASA

A queda de um pinheiro no telhado de uma habitação, em Barreira, Leiria, desalojou um casal de idosos, que teve de ser acolhido por uma neta. Maria Silvina, filha do casal, disse que 'o pinheiro estava seco e há outros também em risco de serem derrubados pelo vento. Há sete anos que andamos a pedir ao dono do pinhal para os cortar'. Os idosos tinham acabado de se levantar quando o pinheiro tombou para cima da sua casa e ficaram 'muito abalados' com a situação. O dono do pinhal comprometeu-se em repor o telhado.

BARCOS SOLTOS DÃO À COSTA

No Algarve, o forte vento fez com que alguns barcos se soltassem de onde estavam ancorados.Na Ria de Alvor, três embarcações chegaram bater nas pedras junto à costa do porto, entre os quais um barco propriedade de Aprígio Santos, presidente da Naval 1º de Maio.Houve ainda algumas quedas de árvores e estruturas.

DOIS FERIDOS EM ESTADO GRAVE

O mau tempo causou ferimentos graves em duas pessoas no Norte do País. Em Ovar, uma mulher, de 46 anos, estava a reparar o telhado quando os fortes ventos a fizeram cair. A vítima partiu uma perna e sofreu um traumatismo craniano. Já em Braga, o muro de uma empresa caiu em cim a do gerente, causando ferimentos graves.

NOTAS

LEIRIA: COBERTURA ARRANCADA

Parte da cobertura do Centro de Saúde de Marrazes, Leiria, ficou ontem destruída, em consequência do vento. As chapas foram torcidas e algumas chegaram a ser arrancadas

ALENTEJO: UM FERIDO

Um homem, de 39 anos, sofreu ferimentos graves devido à colisão do carro contra uma árvore, perto de Nisa. Em Montemor-o-Novo, a queda de uma parede fez quatro desalojados

FIGUEIRA DA FOZ: CARRO ATINGIDO

Ao efectuar o corte de uma árvore que tinha caído para a via, uma viatura dos Bombeiros Voluntários da Figueira da Foz foi atingida por um pinheiro, nesse momento derrubado pelo vento.

Fonte: Correio da Manhã

-----------------------

Tejo galgou margens na Baía do Seixal

[ame="http://videos.sapo.pt/LncNz4zIDtbL8oYWKTpE"]Tejo galgou margens na BaÃ*a do Seixal - SAPO Vídeos[/ame]
 

AnDré

Staff
Registo
22 Nov 2007
Mensagens
11,045
Local
Odivelas (140m) / Várzea da Serra (900m)
Em Portugal, a tempestade já passou


A Protecção Civil levantou às 20h00 de hoje as recomendações às populações do Norte e Centro Litoral para se manterem em casa e deu como terminadas as condições meteorológicas adversas e a situação de emergência.


A Autoridade Nacional de Protecção Civil (ANPC) confirmou ainda o fim do Alerta Laranja para as 21h00 horas, tal como tinha sido previsto durante a manhã de hoje.

“De acordo com as informações actualizadas e disponibilizadas pelo Instituto de Meteorologia, no “briefing” das 19h00, confirma-se o fim das condições meteorológicas adversas. Face a esta situação, a ANPC confirma o fim do Alerta Laranja às 21h00 e o fim da situação de emergência, terminando igualmente as recomendações à população”, lê-se naquele comunicado.

Na sequência das condições meteorológicas adversas, o balanço da ANPC entre as 00h00 e as 19h00 contabilizava 2582 quedas de árvores, 95 desabamentos, 141 deslizamentos, 801 inundações e 1025 quedas de estruturas, num total de 4644 ocorrências.

Tarde difícil

Foi a partir das 12h00 que se registou o maior número de ocorrências, motivando um apelo da protecção civil para que as pessoas no Norte e Centro Litoral se mantivessem em casa para evitar eventuais danos provocados pelo mau tempo.

A queda de um ramo de uma árvore cerca das 16h00 de hoje provocou a morte de um rapaz de 10 anos em Paredes, quando jogava à bola junto ao átrio da igreja, onde aguardava para ir à catequese.

Pelo menos onze pessoas ficaram hoje desalojadas nos distritos de Évora, Porto e Leiria na sequência do desabamento de partes das suas casas, devido ao mau tempo.

Em Torres Novas, os fortes ventos provocaram a queda de uma grua, causando danos numa viatura estacionada e num andar de um prédio em construção, e a zona da baía do Seixal ficou inundada com a subida da água do rio Tejo.

Em Viseu, o mau tempo provocou falhas na energia eléctrica durante a tarde na cidade de Viseu, assim como a queda de várias árvores, painéis publicitários e outras estruturas, sem causar danos pessoais.

A queda de árvores de grande porte provocou também o corte da linha ferroviária do norte em Povoa Valado-Aveiro e da linha do Vouga em S. Paio Oleiros-Sta. Maria Feira-Aveiro, devido a quedas de árvore de grande porte.

Linha do Douro interrompida

A circulação na linha do Douro entre a Régua e o Pinhão foi suspensa devido à queda de uma pedra de grande porte na linha, sendo o transporte dos passageiros assegurado por autocarros.

Em Évora o mau tempo obrigou ao realojamento de uma família em Montemor-o-Novo e provocou a queda de dezenas de árvores, um cabo eléctrico, duas estruturas e o desabamento de cinco barracões.

Em Portalegre, quatro famílias que vivem em condições precárias junto às muralhas do castelo de Campo Maior ficaram hoje sem tecto, quando o vento forte arrancou as chapas de cobertura de quatro barracas onde viviam.

Dezenas de estradas encerradas ou condicionadas

O mau tempo provocou o encerramento ou condicionamento por todo o país de dezenas de estradas, afectadas pela queda de árvores e postes, abatimento de pisos, desmoronamentos e inundações.

O trânsito nos dois sentidos na Estrada Marginal esteve cortado entre as praias de Paço de Arcos e Santo Amaro, como medida de prevenção do forte vento e ondulação.

O terminal fluvial do Terreiro do Paço, em Lisboa, foi fechado devido ao mau tempo, desviando a Transtejo as ligações do Barreiro/Lisboa para Cacilhas ou Cais do Sodré.

As barras marítimas de Caminha, Douro e São Martinho do Porto foram encerradas, ficando também condicionada a entrada e saída de embarcações nas barras de Leixões, Aveiro, Figueira da Foz e Faro.

O trânsito foi plenamente restabelecido na Ponte 25 de Abril às 18h00, em Lisboa, depois de quatro horas de condicionamento a motas e veículos com capota de lona devido aos fortes ventos.

Lusa/PÚBLICO




Algumas imagens da galeria do Diário de Noticias

51461376.jpg


52563710.jpg


90250981.jpg


41103866.jpg
 

stormy

Super Célula
Registo
7 Ago 2008
Mensagens
5,117
Local
Lisboa
desconfio que para alem de associadas ás actuais preia-mar de equinócio, as inundações tiveram "ajuda" de algum storm surge..talvez de 20-50cm;)
 

Vince

Furacão
Registo
23 Jan 2007
Mensagens
10,624
Local
Braga
Tempestade Xynthia faz 47 mortos em França
Balanço provisório da tempestade Xynthia é de 47 mortos e pode agravar-se, dado que as operações de socorro continuam em áreas onde há casas submersas.


O balanço da tempestade Xynthia, que fustigou o sudoeste da França no fim de semana, "pode agravar-se" e as buscas de vítimas continuam, afirmou hoje o ministro do Interior francês, Brice Hortefeux, à rádio France Info.

O ministro do Interior anunciou que o balanço provisório da tempestade Xynthia é de 47 mortos e que "o balanço pode agravar-se", dado que as operações de socorro continuam em áreas onde há casas submersas.

Segundo fonte oficial do Consulado Geral de Portugal em Paris, contactada hoje pela Agência Lusa, nenhuma informação indica a existência de portugueses entre as vítimas.

O desastre da Xynthia "colocou toda a França de luto", considerou hoje a presidente da região de Poitou-Charentes, Ségolne Royal, em declarações à imprensa num dos centros de acolhimento dos desalojados pela tempestade.
Nicolas Sarkozy visita zonas afetadas

"O Estado precisa de se organizar e prestar toda a assistência possível às pessoas que tudo perderam. A hora é de união", acrescentou Ségolne Royal.

O Presidente da República, Nicolas Sarkozy, visita hoje as zonas afetadas pela intempérie, deslocando-se ao litoral sudoeste francês, nas zonas de Vendée e Charente-Maritime, as mais atingidas, a partir da cidade de La Rochelle, onde a chegada do chefe de Estado estava prevista para as 10h50 locais (9h50 em Lisboa).

Formada no Atlântico, a tempestade Xynthia afetou vários países, incluindo Portugal, onde provocou uma vítima mortal.
Durão Barroso promete apoio

Entretanto, o presidente da Comissão Europeia, Durão Barroso, já prometeu apoio aos países mais afetados pela tempestade Xynthia que atravessou a Europa, a partir de sábado, e fez pelo menos 55 mortos. "A Comissão está pronta a prestar apoio aos países mais afetados", segundo um comunicado hoje divulgado.

O apoio será prestado, em primeiro lugar, à França, país particularmente atingido pela tempestade, com um balanço ainda provisório de vítimas que hoje aumentou para 47 mortos, devido a marés altas e ventos muito fortes, adianta o texto.

Durão Barroso "está a acompanhar de perto o impacto da tempestade" segundo o comunicado, no qual o presidente da Comissão Europeia expressa a solidariedade para com as pessoas afetadas.
Xynthia rumo à Bélgica e Alemanha

A tempestade, que atravessou a França este fim de semana, provocou a inundação de localidades costeiras no oeste, causando ainda elevados danos materiais.

O primeiro-ministro francês, François Fillon, declarou que se trata "de uma catástrofe nacional".

A tempestade, formada no Atlântico, afeta a Europa desde sábado. Após ter atravessado Portugal e a Espanha, atingiu a França e prepara-se agora para atingir Bélgica e Alemanha.
http://aeiou.expresso.pt/tempestade-xynthia-faz-47-mortos-em-franca=f568188
 

romeupaz

Cumulus
Registo
5 Set 2008
Mensagens
418
Local
Leiria (76 m)
Boas Tardes!

Como não tive oportunidade antes deixo agora a informação do sábado

Rajada de Vento 93,4 Km/h sábado, 27 Fevereiro 2010 ~14H

Tal foi a rajada que a estação do meteoleiria rodou e mudou de sitio... lol
agora os dados da direcção do vento estão errados, lá tenho de ir ao telhado!
 

ecobcg

Cumulonimbus
Registo
10 Abr 2008
Mensagens
4,862
Local
Sitio das Fontes e Carvoeiro (Lagoa - Algarve)
Julgo que por influência dos ventos fortes e da ondulação forte causada por esta depressão, tivemos o aparecimento da chamada "caravela portuguesa" aqui em pelo menos uma praia da zona de Lagoa. Não é uma espécie muito comum por cá, pelo que deverá ter sido arrastada de zonas de águas mais quentes até à nossa costa. Não sei se mais alguém aqui do Algarve teve conhecimento de mais alguma ocorrência? Apenas consegui tirar fotos a uns exemplares que já estavam um pouco "massacrados" pela ondulação, e de menor porte, mas parece-me ser mesmo essa espécie: