Depressão extra-tropical «Gabriel/Xynthia» 26/27 Fevereiro 2010

Lousano

Cumulonimbus
Registo
12 Out 2008
Mensagens
3,635
Local
Lousã/Casais do Baleal
Penso que a depressão não teve a intensidade destruidora em Portugal devido à fraca temperatura que existia e assim não "alimentou" a depressão.

Por exemplo, no norte de Espanha, Gijon, uma localidade com temperaturas baixas, atingiu os 23º, algo que nem perto aconteceu no litoral português.
 

Skizzo

Nimbostratus
Registo
24 Set 2007
Mensagens
1,394
Local
Porto (centro) - cerca de 7km da costa
Re: Seguimento Sul - Março 2010

Mau Tempo: Prejuízos ultrapassam meio milhão de euros no Alentejo

A destruição de estufas em Castelo de Vide e estradas e caminhos municipais danificados são alguns dos prejuízos do mau tempo, que chegam às centenas de milhares de euros no Alentejo.

O proprietário das estufas atingidas por um deslizamento de terras em Castelo de Vide (Portalegre), no sábado, devido ao mau tempo, disse hoje à Agência Lusa que "75 por cento da produção ficou totalmente destruída".

De acordo com João Sequeira, a cultura de alface que explorava nas estufas ficou em "75 por cento perdida".

O proprietário das estufas ainda não contabilizou, na totalidade, os prejuízos causados pelo mau tempo, mas assegurou que a estrutura que suporta as estufas está "totalmente danificada".

"O sistema de rega pode ser recuperado, mas ainda não fiz a avaliação completa dos danos. Ainda é muito cedo para avaliar a totalidade dos prejuízos", declarou.

Ainda ao âmbito agrícola, o presidente da Associação de Agricultores do Distrito de Évora, Francisco Carolino, disse hoje à Agência Lusa que a água que tem caído nos últimos dias "traz poucas vantagens, porque, à exceção de montados, começa a ser incómoda ao nível dos trabalhos agrícola".

"Há adubações que não se conseguem fazer, porque na maioria dos sítios é impossível entrar com as máquinas", explicou.

Francisco Carolino indicou ainda que o pastoreio dos animais, que nesta altura do ano já deviam estar no campo, "está comprometido, porque os solos estão bastante alagados".

Mais a sul, no distrito de Évora, uma família foi realojada numa casa da Câmara de Montemor-o-Novo, depois da sua habitação ter sofrido danos na sequência do mau tempo.

O forte vento provocou o desabamento, sábado, de uma parede de uma casa desocupada e em ruínas, no centro histórico da cidade, o que causou danos estruturais numa moradia contígua, pertencente a uma família de cinco pessoas, que foi retirada da habitação por precaução.

A família foi realojada provisoriamente numa casa municipal.

Além de suportar o realojamento desta família, a Câmara Municipal de Montemor-o-Novo confronta-se com prejuízos em infraestruturas do concelho.

O presidente do município, Carlos Pinto de Sá, disse hoje à agência Lusa que as obras de reparação dos danos em arruamentos, estradas e caminhos municipais do concelho deverão custar "cerca de 500 mil euros".

Devido à intensidade do vento, no fim de semana, caíram centenas de árvores no Alentejo, deixando algumas estradas cortadas temporariamente, além de terem desabado barracões agrícolas.

Maior horticultor de Ponte da Barca ficou sem as 12 estufas

O mau tempo do último fim de semana destruiu as 12 estufas do maior horticultor de Ponte da Barca, provocando um prejuízo superior a 30 mil euros, disse hoje à Lusa o proprietário.

"Foi praticamente tudo pelos ares e, sinceramente, já nem sei se vale a pena continuar", referiu José Manuel Dias.

Este horticultor tem 5600 metros quadrados de estufas, onde cultiva "pimentos padrón", alface, tomate e feijão verde.

"Não tenho seguro, porque me pedem valores elevadíssimos e isto não dá para esses luxos", acrescentou.

Há seis anos, as estufas de José Manuel Dias, situadas na freguesia de S. Martinho de Crasto, já tinham sido destruídas por um tornado, provocando prejuízos avaliados em 35 mil euros.

"Desta vez, ainda não fiz as contas, mas penso que não deverá andar longe dos 30 mil euros", disse ainda.

José Manuel Dias mostra-se cético em relação a eventuais ajudas do Governo, pelo menos a avaliar pela experiência anterior.

"Na altura, também por cá passou muita gente, com promessas e mais promessas, mas a verdade é que, até hoje, não chegou cá nada", criticou.

Com 38 anos de idade e pai de um filho menor, José Manuel Dias sempre retirou das estufas o sustento para a família, mas agora não esconde o desânimo. "Sinceramente, não sei se tenho forças para continuar", rematou.
 

AnDré

Staff
Registo
22 Nov 2007
Mensagens
11,249
Local
Caneças (300m) / Várzea da Serra (900m)
Intensidade de vento no Continente

2010-03-01
(IM)

De acordo com as previsões do Centro de previsão do IM, veiculadas nos últimos dias, que levou à emissão de aviso vermelho para a rajada, no território do Continente, a situação ocorrida veio a confirmar-se de acordo com as previsões do Instituto.

Em termos de intensidade de vento, observaram-se rajadas de 166 km/h às 15:00 UTC e de 161 km/h às 16:00 UTC na Pampilhosa da Serra e rajada de 129 km/h Às 18:00 UTC no Mogadouro. Estes valores registados encontram-se ajustados aos critérios dos Avisos emitidos pelo IM.

IM
 

Dan

Staff
Registo
26 Ago 2005
Mensagens
9,906
Local
Bragança (675m)

Minho

Cumulonimbus
Registo
6 Set 2005
Mensagens
4,091
Local
Melgaço
Análise Preliminar da Depressão extra-tropical «Gabriel/Xynthia» realizada pela AEMET

01/03/2010 Durante los días 25 - 28 de febrero de 2010 una intensa y profunda borrasca extratropical, de origen Atlántico, se profundizó de forma extraordinaria frente a las costas españolas conducida por vientos muy fuertes en altura. En primera instancia afectó a las Islas Canarias y, posteriormente, a la Península Ibérica, barriéndola de suroeste a noreste, para pasar a Francia al final del periodo y a afectar a otros países de Europa.

Las zonas más castigadas, además de las Islas Canarias, fueron las Comunidades de Galicia, Asturias, Cantabria, País Vasco, Navarra, norte de la Comunidad de Castilla y León, así como zonas altas de montaña. El viento muy intenso y generalizado en muchas zonas, con rachas huracanadas, fue el fenómeno más significativo y devastador. El oleaje en las zonas costeras, la lluvia en determinadas regiones y el aire cálido desplazado por la baja fueron otros elementos complementarios y singulares en esta situación.

Este episodio de carácter tan violento, y de consecuencias similares al acaecido el 22-25 de enero de 2009, se corresponde con un fenómeno extremo conocido como ciclogénesis explosiva: profundización e intensificación de una baja en superficie (precursor de niveles bajos) en un periodo de pocas horas provocado por la interacción con una baja, depresión o chorro en altura (precursor de niveles altos), aproximadamente a 9000 m. Para más detalles sobre este tema, ver referencia final.

La situación sinóptica estaba caracterizada en los días previos por una circulación zonal muy intensa de oeste a este que se reflejaba en todos los niveles de la troposfera. Dicha circulación se encontraba en latitudes más baja de lo normal. Durante el 25 de febrero un ramal del chorro, precursor de niveles altos, tomó una configuración más latitudinal, norte-sur, desarrollando en el seno general del aire frío una vaguada secundaria muy activa que iba a interactuar con una baja en superficie formada por una masa de aire cálido y húmedo.

El centro de la baja en superficie, que sufrió la profundización violenta, se desplazó desde la zona del oeste de Canarias, hasta situarse al oeste de la Península. Más tarde se situó en el mar Cantábrico y penetró a Francia.
Documento completo:
http://www.aemet.es/documentos/es/noticias/2010/03/ciclognesisexplosiva2528_02_2010(2).pdf

Fonte AEMET
 

Vince

Furacão
Registo
23 Jan 2007
Mensagens
10,624
Local
Braga
A tempestade provocou 55 mortos em França, sobretudo no Oeste e norte do país.

Algumas rajadas compiladas pelo Meteociel:

Pic-du-Midi (65) 238 km/h

Markstein (68) 172 km/h
Haut de la Tour Eiffel (75) 155 km/h

Loudervielle (65) 161 km/h
Scillé (79) 161 km/h
Ile de Ré 160 km/h
Col du Béal (63) 149 km/h
Chouilly (51) 148 km/h
Luchon (31) 144 km/h
Celles-sur-Ource (10) 144 km/h
Les Sauvages (69) 140 km/h
Loudun (86) 139 km/h
Ballon de Servance (70) 138 km/h
Vernines (63) 138 km/h
Chastreix (63) 137 km/h
Saint Chamond (42) 136 km/h
Brindas (69) 136 km/h
Belmont (67) 134 km/h
Mont-Aigoual (30) 133 km/h
Villard-de-Lans (38) 133 km/h
Pointe de Chemolin 133 km/h
Vagney (88) 133 km/h
Blois(41) 133 km/h
Chamrousse (38) 132 km/h
La Rochelle (17) 132 km/h
Chateau d'Ollone (85) 131 km/h
Fontenay (85) 131 km/h
Saint Mards (10) 131 km/h
Thénezay (79) 130 km/h

Les rafales maximales relevées de 160km/h sur le littoral et 120km/h dans l’intérieur des terres, avec localement 130km/h 140km/h. Une exception à Scillé qui se trouve dans l'intérieur de avec une rafale de 161km/h à 4h10 du matin le dimanche.

http://www.meteociel.fr/tempete/xynthia/