Episódio Sísmico nas Furnas

fablept

Nimbostratus
Registo
12 Nov 2008
Mensagens
1,387
Local
Ponta Delgada - Açores
Vitor Hugo Forjaz (vulcanólogo açoriano) em 2008 já criticou os planos de emergência referentes a erupções ..

Critica de Vitor Hugo Forjaz
http://www.acorianooriental.pt/noticias/ver/172754

Resposta das Autarquias
http://www.acorianooriental.pt/noticias/ver/173070

Actividade sísmica desde 04 de Janeiro nas Furnas..
pubchart
 
Última edição:

fablept

Nimbostratus
Registo
12 Nov 2008
Mensagens
1,387
Local
Ponta Delgada - Açores
@Azor,
Até custa a crer que tudo isto a qualquer momento poderá desaparecer.
Inevitavelmente é o que acabará por acontecer um dia...

A natureza tanto cria como destrói...


(fotos)

Excelentes fotos :)

A qualquer momento? Sim, pode ser hoje, como pode ser daqui a 200 anos.

@vamm
Ainda não sabemos como foi a actividade sísmica hoje, nos últimos dias parece está a acalmar, mas isto pode durar mais uns dias, semanas, meses e até anos. E não há nada neste momento, que nos indique que isto pode ter origem magmática e que esta actividade levará a uma erupção.

Se cada vulcão do mundo entrasse em erupção cada vez que ocorresse um episódio sísmico..não havia ninguem a viver perto de vulcões. Episódios sísmicos são muito comuns em estruturas vulcânicas e nem toda a sismicidade que ocorre num vulcão é de origem magmática.
 
Última edição:

StormRic

Furacão
Registo
23 Jun 2014
Mensagens
15,199
Local
Póvoa de S.Iria (alt. 140m)
Até custa a crer que tudo isto a qualquer momento poderá desaparecer.
Inevitavelmente é o que acabará por acontecer um dia...

A natureza tanto cria como destrói...

Imagens lindíssimas.

As nossas vidas é que são demasiado curtas.
Se pensarmos que esta paisagem já foi feita e desfeita milhares de vezes... ao longo de milhões de anos.
Agora estamos apenas num intervalo entre dois actos. Centenas de anos até são suficientes para refazer todo o coberto vegetal, sobretudo sob este clima no meio do Atlântico. E esse mesmo clima se encarrega de rapidamente modificar e suavizar também as agrestes novas paisagens vulcânicas. É difícil imaginarmos que no lugar deste lago idílico já houve provavelmente uma enorme montanha, talvez um Pico. Quem sabe se daqui a mais uns milhares de anos o Pico ele próprio não será transformado numa paisagem de paraíso como esta. Aquilo que é o mais natural à superfície da Terra, a contínua modificação da sua forma, devagar ou em sobressaltos, para nós é uma catástrofe... tal como nós quando abrimos uma estrada, deitamos abaixo uma colina, inundamos um vale, abrimos buracos, devastamos florestas, somos uma catástrofe para os biliões de seres que lá viviam.

Penso que a reconstituição histórica da evolução de uma paisagem e o modo como foi vivenciada pelas populações é um dos conhecimentos mais valiosos para planeamento de ocupação de território, paralelamente ao conhecimento científico. Nunca pesquisei mas será que existem representações das ilhas quando foram descobertas? O episódio vulcãnico das Sete Cidades, por exemplo, terá documentos históricos que retratem como era a configuração da caldeira?
 

fablept

Nimbostratus
Registo
12 Nov 2008
Mensagens
1,387
Local
Ponta Delgada - Açores
O CVARG ainda continua com a mensagem:
Actividade sísmica a oeste das Furnas, ilha de S. Miguel, mantém-se acima do normal

Possívelmente estão expectantes sobre os próximos dias, pois foram muitos sismos nos primeiros dias deste episódio, 100 sismos nos primeiros 3 dias, é muito sismo. Felizmente este episódio não gerou sismos de magnitude >2, pois um sismo de magnitude 3 à profundidade que ocorreram a maioria dos sismos seriam bem sentidos nas Furnas, Vila Franca, etc.

Era interessante o CIVISA lançar comunicados sismológicos mais detalhados, de uma perspectiva científica, com mapas, tabelas, etc. Um comunicado publicado no site da Protecção Civil dirigido à comunicação social, população em geral, e outro publicado no site do CVARG, numa vertente científica.

Sobre esta actividade, como ainda ninguem pronunciou-se oficialmente sobre este episódio, possivelmente foi derivado de actividade tectónica, hidrotermal ou magmática, até pode ser um mix. Mas os comunicados apenas falam na vertente tectónica.
 
Última edição: