Instabilidade 20-24 Junho 2014

Tópico em 'Eventos Meteorológicos' iniciado por Duarte Sousa 20 Jun 2014 às 10:25.

  1. StormRic

    StormRic
    Expand Collapse
    Furacão

    Registo:
    23 Jun 2014
    Mensagens:
    14,018
    Local:
    Póvoa de S.Iria (alt. 140m)
    Mais fotos de Carcavelos, noite de 22 para 23. Devo referir que um evento desta intensidade é relativamente raro aqui, uma vez por ano ou menos. Estive a comparar as minhas fotos com as de outro membro (Artur Rebelo Neves) na página do facebook Meteoalerta, tiradas em Linda-a-Velha, e percebi que temos imagens das mesmas descargas. A comparação das imagens permite perceber a estrutura espacial e localizar por triangulação os pontos exactos dos impactos. Só preciso de saber a posição o mais aproximada possível do ponto de vista das obtidas em Linda-a-Velha. Esta ideia desenvolvida para tempo real pode ser útil se se conseguir coordenação em eventos deste tipo.

    Mesmo por trás do forte (algumas centenas de metros)
    [​IMG]


    Esta terá sido a mais potente, a intensidade luminosa foi excepcional e confirmada pela foto no MeteoAlerta.
    [​IMG]

    [​IMG]
     
  2. Ruipedroo

    Ruipedroo
    Expand Collapse
    Cumulonimbus

    Registo:
    6 Out 2010
    Mensagens:
    3,255
    Local:
    Braga, Merelim (60m)
    Cá fica o vídeo da trovoada que ocorreu ao início da tarde. Só comecei a filmar quando a trovoada já estava mais distante. Durante as bombas iniciais nem pensei em ir buscar a câmara. :D

    [​IMG]


     
    Collapse Signature Expandir Assinatura
    #47 Ruipedroo, 24 Jun 2014 às 20:31
    Editado por um moderador: 21 Set 2014 às 04:01
    Mr. Neves e StormRic gostaram disto.
  3. StormRic

    StormRic
    Expand Collapse
    Furacão

    Registo:
    23 Jun 2014
    Mensagens:
    14,018
    Local:
    Póvoa de S.Iria (alt. 140m)
    Mais para a colecção do evento eléctrico memorável em Carcavelos (captei cerca de 50, fora os relâmpagos em que os raios estavam ocultos nas nuvens)

    [​IMG]

    [​IMG]

    e para mostrar como a circulação mudou para Noroeste depois de um poente memorável ontem, dia 23:

    [​IMG]

    nascer do sol completamente descolorido e escuro devido às nuvens que bloquearam o horizonte desde o interior:

    [​IMG]

    e por último um poente com entrada de noroeste húmida:

    [​IMG]
     
  4. filipeoliveira

    filipeoliveira
    Expand Collapse
    Cirrus

    Registo:
    8 Fev 2014
    Mensagens:
    62
    Local:
    Agra, Vieira do Minho, Braga (750m)
    Antes de mais parabéns pelas imagens obtidas. Gostava de saber com que tipo de máquina obteve estas fotos.;)
     
  5. Duarte Sousa

    Duarte Sousa
    Expand Collapse
    Staff

    Registo:
    8 Mar 2011
    Mensagens:
    5,974
    Local:
    Loures
    Sem me querer intrometer, digo apenas que qualquer máquina que tenha modo manual e que consiga fazer longas exposições, perimte a captação de raios. Depois é óbvio, quantos mais MP, mais resolução, etc etc, mais perfeitas ficam as fotos ;)

    Se os moderadores considerarem isto off-topic, por favor movam para este tópico -> Como fotografar Raios
     
    StormRic gostou disto.
  6. Snifa

    Snifa
    Expand Collapse
    Furacão

    Registo:
    16 Abr 2008
    Mensagens:
    10,159
    Local:
    Porto-Marquês:145 m Mogadouro:749 m
    Sim, as máquinas são importantes, mas acrescentaria que mais importante que as máquinas e megapixeis são a técnica e as lentes usadas:thumbsup:

    Hoje em dia uma SLR de gama média ou de entrada já é capaz de fazer excelentes fotos, quando em boas mãos e usada com bom vidro.

    Primeiro o aperfeicoamento da técnica, depois as lentes, e por fim o corpo da máquina:thumbsup:
     
    Collapse Signature Expandir Assinatura
    StormRic e Duarte Sousa gostaram disto.
  7. Duarte Sousa

    Duarte Sousa
    Expand Collapse
    Staff

    Registo:
    8 Mar 2011
    Mensagens:
    5,974
    Local:
    Loures
    Exacto! E há que ter atenção à distância focal, quanto mais pequena, maior é a possibilidade de captarmos um raio, principalmente se estivermos mesmo à frente do espectáculo, como foi o caso do StormRic.

    Nas lentes, eu próprio começo a notar uma decadência da qualidade das minhas próprias fotos, pois uso a 18-55mm... Mas talvez o meu sensor também já precise de uma limpeza, já vai para 2 anos e nem faço ideia da quantidade de disparos que efectuei, adicionando o facto de que já passou por situações atmosféricas complicadas, chuva, poeiras, cinzas... :p
     
    StormRic gostou disto.
  8. StormRic

    StormRic
    Expand Collapse
    Furacão

    Registo:
    23 Jun 2014
    Mensagens:
    14,018
    Local:
    Póvoa de S.Iria (alt. 140m)
    Obrigado, Filipe. A lente é a ultra grande angular Canon 10-22mm. Presentemente uso-a com a 700D. Apesar das deformações periféricas, especialmente quando a tomada de vista não tem o horizonte a meio da imagem, serem enormes, para apanhar o máximo de céu não há melhor. O ângulo de vista de 97º é essencial. Em 22mm as deformações são muito menores, melhor até que a 18-55mm em 18. É essencial conjugar esta lente com o Digital Lens Optimizer da Canon, integrado no programa de edição de RAW que vem com a câmara, e que corrije a 99% as aberrações cromáticas e melhora espantosamente a definição. Sem esta correcção digital e sem aplicar na própria câmara o Lens aberration correction, o resultado é mau do ponto de vista das aberrações cromáticas.

    Foco sempre previamente em modo manual e Live View. Também uso sempre a câmara em manual (para qualquer fotografia). O f/8 é o "sweet point" desta lente, quando o equilíbrio entre a profundidade de campo e a difracção produz a melhor nitidez, o que para a fotografia de raios é óptimo pois é em geral a melhor abertura para as descargas próximas. Tenho sempre a exposição em modo variável (Bulb), controlado por disparador remoto infra-vermelho, RC-6. Conforme a luminosidade ambiente e o brilho esperado para os raios vou expondo por períodos variáveis até 1 minuto, interligados por uma pausa técnica de 1 segundo para nova exposição. Se durante um período de exposição apanho uma descarga termino-o imediatamente e inicio o seguinte. A única "arte" é tão sómente prever, por observação da evolução da proximidade das descargas, a intensidade luminosa que vão ter e assim regular a abertura desde f/3,5 (ou mais aberto conforme a lente) quando estão longe, até f/8 ou às vezes mesmo f/11, quando o acontecimento já está mesmo em cima de nós; também a direcção da tomada de vista em que estamos a apostar é uma "arte", só a experiência de acompanhamento de trovoadas nos dá esse instinto, mas com esta lente isso torna-se muito mais fácil devido ao grande ângulo de vista. O facto de nesta trovoada ter apanhado cerca de 80% dos raios significa que ela foi bastante estável na distribuição espacial das descargas, era muito previsível onde ia produzir-se a descarga seguinte.

    Penso que esta conversa já está em off-topic, peço aos moderadores para a colocarem onde o Duarte já sugeriu.
     
    #53 StormRic, 25 Jun 2014 às 19:18
    Última edição: 25 Jun 2014 às 21:37
  9. Duarte Sousa

    Duarte Sousa
    Expand Collapse
    Staff

    Registo:
    8 Mar 2011
    Mensagens:
    5,974
    Local:
    Loures
    O possível apanhado da noite de 22 para 23:

     
    #54 Duarte Sousa, 26 Jun 2014 às 21:11
    Editado por um moderador: 21 Set 2014 às 04:01
  10. StormRic

    StormRic
    Expand Collapse
    Furacão

    Registo:
    23 Jun 2014
    Mensagens:
    14,018
    Local:
    Póvoa de S.Iria (alt. 140m)
    Boa montagem de video e reportagem! :thumbsup: Penso que adicionar um relógio do tempo real é importante, assim como coordenadas do ponto de vista e direcção da tomada de vista, mesmo aproximadas. Gostava de comparar os momentos das descargas com as imagens capturadas em fotos, por mim e outros. Os enquadramentos e controlo de luz estão bem feitos. Gosto dos momentos editados em câmara lenta.
     
    Duarte Sousa gostou disto.
  11. guimeixen

    guimeixen
    Expand Collapse
    Nimbostratus

    Registo:
    5 Jun 2013
    Mensagens:
    1,835
    Local:
    Real, Braga 105m
    Deixo aqui um vídeo de um trovão da trovoada que passou aqui ao início da tarde do dia 24.

     
    Collapse Signature Expandir Assinatura
    #56 guimeixen, 27 Jun 2014 às 21:24
    Editado por um moderador: 21 Set 2014 às 04:01
    Mr. Neves, CptRena e StormRic gostaram disto.
  12. Duarte Sousa

    Duarte Sousa
    Expand Collapse
    Staff

    Registo:
    8 Mar 2011
    Mensagens:
    5,974
    Local:
    Loures
    Obrigado! :)

    Talvez a partir de agora passe a colocar esses elementos também nos vídeos, obrigado pelas sugestões :thumbsup:

    --

    Entretanto, fiz um time-lapse no dia 23:

     
    #57 Duarte Sousa, 27 Jun 2014 às 21:52
    Editado por um moderador: 21 Set 2014 às 04:01
  13. StormRic

    StormRic
    Expand Collapse
    Furacão

    Registo:
    23 Jun 2014
    Mensagens:
    14,018
    Local:
    Póvoa de S.Iria (alt. 140m)

    Olá
    Grande bomba sonora, é pena não conseguir vislumbrar o relâmpago, a que distância terá caído? O registo sonoro dos raios é bastante útil para avaliar a distribuição espacial da descarga, quanto maiores as componentes horizontais dos trajectos dos raios mais prolongado é o ribombar, e isto antes de se começar a ouvir os reflexos orográficos ou urbanos que em geral são sons mais graves. Se o trovão começa com um estoiro principal que depois se arrasta então o ponto de impacto no solo está mais próximo de nós do que a nuvem de proveniência, situação mais perigosa pois o risco é sub-avaliado devido a visualizarmos a nuvem ainda relativamente longe.
     
  14. StormRic

    StormRic
    Expand Collapse
    Furacão

    Registo:
    23 Jun 2014
    Mensagens:
    14,018
    Local:
    Póvoa de S.Iria (alt. 140m)
    Muito bom, tenho que voltar a experimentar fazer isto, aceitam-se dicas ;)

    Para mim o time-lapse é a mais útil das ferramentas de observação para estudo posterior aprofundado.:thumbsup:
     
    Paelagius gostou disto.

Partilhar esta Página