Mitos Climáticos - Apresentação

Minho

Cumulonimbus
Registo
6 Set 2005
Mensagens
4,091
Local
Melgaço
Viva!

Após ter contactado o Professor Rui Moura autor do blog Mitos Climáticos, recebi uma resposta positiva ao convite para participar no fórum. No entanto, por falta de tempo, pediu-me o Prof. Rui Moura que deixasse aqui o registo de como acha interessante e aprecia o forum MeteoPT e a promessa de poder vir a participar no fórum MeteoPT.
Enquanto o Professor Rui Moura não se registar no fórum deixo aqui uma entrevista sua: http://www.algebrica.pt/Aredirect.asp?PID=24&RED=67

Professor Rui Moura: aguardamos com entusiasmo a sua futura participação.
 

kimcarvalho

Nimbostratus
Registo
19 Nov 2005
Mensagens
1,775
Local
Elvas
Que seja bem vindo pois :thumbsup: , quantos mais profissionais e entendidos, a sério, por aqui estiverem, melhor e mais enriquecido ficará o fórum, o que realmente deve acabar, são os blackouts periódicos aqui, e aproveito para passar esta mensagem ao Fil, pois até hoje ele não aceitou a ajuda de todos, não entendo muito bem o porquê :unsure:, mas achava melhor pagar-se por algo muito bom, do que por algo apenas razoável. A equação é fácil, se há vontade de levar este projecto a sério, com pés para andar, e poder ser um local de referencia para a meteorologia e climatologia portuguesa, há que dotá-lo de qualidade e solidez, se isso existir, os bons profissionais mais tarde ou mais cedo aparecem, pois terão todo o interesse e gosto em expor o seu pensar e porque não, beber dos assuntos que aqui se abordam, mais que não seja das nossas observações e dados, que por si só têm um valor muito importante para esta área disciplinar que é a meteorologia e a climatologia.
Da entrevista que o Prof. Rui Moura deu ao Grupo Algébrica, na rubrica "De frente", gostei em especial deste excerto, -
"São os AMP (Anticiclones Móveis Polares) que iniciam as glaciações e as terminam. Nos períodos interglaciários, como o que vivemos, responsabilizam-se pela irregularidade do tempo e do clima que conhece curtos períodos de estabilidade conhecidos como óptimos climáticos. Nos nossos dias eles estão a preparar a próxima glaciação que pode ocorrer mais depressa do que se imagina. De facto, as mal designadas “alterações climáticas” não são mais do que as premissas da primeira fase de uma glaciação. Temos de guardar as devidas proporções pois a escala temporal do clima não se conforma com a duração da vida dos humanos."

Acho que o LUPER tb vai gostar :rolleyes: ;)

Já agora obrigado Minho por ajudares a enriquecer o nosso fórum. ;) Minho a presidente!!!!! :D
 

tozequio

Nimbostratus
Registo
27 Jan 2006
Mensagens
1,242
Local
Carvalhos - Vila Nova de Gaia (180m)
Ontem à noite também me deu a ideia de contactar o professor Rui Moura para o informar da existência do fórum, isto é o que se chama uma verdadeira coincidência. :) Em princípio a partir deste fim de semana, depois de acertados uns "pequenos retoques", o Professor vai começar a participar no fórum :)
 

LUPER

Nimbostratus
Registo
20 Nov 2005
Mensagens
1,945
Local
Aveiro
Que seja bem vindo pois :thumbsup: , quantos mais profissionais e entendidos, a sério, por aqui estiverem, melhor e mais enriquecido ficará o fórum, o que realmente deve acabar, são os blackouts periódicos aqui, e aproveito para passar esta mensagem ao Fil, pois até hoje ele não aceitou a ajuda de todos, não entendo muito bem o porquê :unsure:, mas achava melhor pagar-se por algo muito bom, do que por algo apenas razoável. A equação é fácil, se há vontade de levar este projecto a sério, com pés para andar, e poder ser um local de referencia para a meteorologia e climatologia portuguesa, há que dotá-lo de qualidade e solidez, se isso existir, os bons profissionais mais tarde ou mais cedo aparecem, pois terão todo o interesse e gosto em expor o seu pensar e porque não, beber dos assuntos que aqui se abordam, mais que não seja das nossas observações e dados, que por si só têm um valor muito importante para esta área disciplinar que é a meteorologia e a climatologia.
Da entrevista que o Prof. Rui Moura deu ao Grupo Algébrica, na rubrica "De frente", gostei em especial deste excerto, -

Acho que o LUPER tb vai gostar :rolleyes: ;)

Já agora obrigado Minho por ajudares a enriquecer o nosso fórum. ;) Minho a presidente!!!!! :D


O LUPER é um grande admirador do Prof Rui Moura, todos os dias vou ao seu blog e é com grande entusiasmo que lê os seus fabulosos textos. É com grande alegria que vejo a possivel participação de alguem tão entendido na materia.:thumbsup: :thumbsup: :thumbsup:

Este forum um dia ainda há-de ser uma grande referência a nivel nacional, e cá estaremos todos para assistir a esta fabulosa e espetacular mudança climática que nós atravessamos.:cool:
:cool: :cool:
 

dj_alex

Nimbostratus
Registo
14 Dez 2005
Mensagens
1,913
Local
Lisboa
Boas!!

O professor Rui Moura dá aulas em que universidade e a que disciplinas ??? ;) ;)
 

Rui G. Moura

Cirrus
Registo
11 Nov 2006
Mensagens
6
Aceitei de muito bom grado participar neste Fórum pois foi através de fóruns internacionais que fui aprendendo alguma coisa de climatologia. Para sossego do dj_Alex já não tenho idade para dar aulas. Dei aulas no Instituto Superior Técnico mas de Electrotecnia, Medidas Eléctricas e Alta Tensão. Agora estou reformado. Já pedi ao António Oliveira e ao Vasco Castro para não me tratarem por Prof. Sou apenas Rui G. Moura (o G. é importante porque existem muitos Rui Moura, a começar pelo meu filho). Já tinha escrito uma extensa mensagem de apresentação (em que já falava no anticiclone dos Açores) mas carreguei em quaisquer teclas do teclado que me destruiram o texto. Como tenho de sair, continuo a conversa logo que possível. Até logo. RGM
 

tozequio

Nimbostratus
Registo
27 Jan 2006
Mensagens
1,242
Local
Carvalhos - Vila Nova de Gaia (180m)
Aceitei de muito bom grado participar neste Fórum pois foi através de fóruns internacionais que fui aprendendo alguma coisa de climatologia. Para sossego do dj_Alex já não tenho idade para dar aulas. Dei aulas no Instituto Superior Técnico mas de Electrotecnia, Medidas Eléctricas e Alta Tensão. Agora estou reformado. Já pedi ao António Oliveira e ao Vasco Castro para não me tratarem por Prof. Sou apenas Rui G. Moura (o G. é importante porque existem muitos Rui Moura, a começar pelo meu filho). Já tinha escrito uma extensa mensagem de apresentação (em que já falava no anticiclone dos Açores) mas carreguei em quaisquer teclas do teclado que me destruiram o texto. Como tenho de sair, continuo a conversa logo que possível. Até logo. RGM

Seja muito bem-vindo ;)
 

Minho

Cumulonimbus
Registo
6 Set 2005
Mensagens
4,091
Local
Melgaço
Bem-vindo Rui :thumbsup:
Vais ver que isto aprende-se num instante :thumbsup:
 

kimcarvalho

Nimbostratus
Registo
19 Nov 2005
Mensagens
1,775
Local
Elvas
Aceitei de muito bom grado participar neste Fórum pois foi através de fóruns internacionais que fui aprendendo alguma coisa de climatologia. Para sossego do dj_Alex já não tenho idade para dar aulas. Dei aulas no Instituto Superior Técnico mas de Electrotecnia, Medidas Eléctricas e Alta Tensão. Agora estou reformado. Já pedi ao António Oliveira e ao Vasco Castro para não me tratarem por Prof. Sou apenas Rui G. Moura (o G. é importante porque existem muitos Rui Moura, a começar pelo meu filho). Já tinha escrito uma extensa mensagem de apresentação (em que já falava no anticiclone dos Açores) mas carreguei em quaisquer teclas do teclado que me destruiram o texto. Como tenho de sair, continuo a conversa logo que possível. Até logo. RGM


Pois seja muito bem-vindo, Prof. Rui G. Moura :w00t: :thumbsup:, e desde já seguindo a sua vontade, permita-me que o trate apenas por Rui G. Moura. Sendo o mais recente membro deste fórum é curiosamente também o único a quem conheço o rosto (pela foto da sua entrevista) :).

Do que ultimamente tenho lido, no seu blog, concordo com muitas coisas mas outras tb discordo, em particular com a sua posição de não aceitação da influência do homem nas alterações do clima, numa outra altura terei todo o prazer em abordar esta questão consigo, porque como você mesmo já referiu o que é o clima? :unsure: ;)
Obrigado por se dignar a participar num fórum onde maioritariamente somos amadores, ou apenas simpatizantes, como eu, nesta área tão bela e fascinante da meteorologia e da climatologia.
Como já deve saber gente com formação por aqui, apenas o Seringador (nosso moderador e grande investigador na área das teleconexões, que tem feito um trabalho louvável :thumbsup:, na previsão meteorológica a longo prazo, espero que algum dia este país lhe dê o seu devido valor, pois já aqui mostrou muitas vezes que é um valor a ter em conta neste fascinante mundo do meteo ;); o dj_alex (colega seu, uma vez que também é climatologista e outro dos pilares do verdadeiro saber neste fórum. Por ser abertamente um simpatizante do nosso IM, acaba por levar muitas vezes por tabela :(. É mais reservado nas suas previsões, mas ele é climatologista e como tal gosta mais de fazer análises à posteriori) e o Lord_Of_The_Weather (com formação superior militar na área da meteorologia, de quem pouco ou nada conheço). E que me desculpem se me esqueço de mais alguém :unsure:)
 

Rui G. Moura

Cirrus
Registo
11 Nov 2006
Mensagens
6
Continuando a conversa da minha apresentação. Fiz a minha travessia profissional no sector da electricidade (Repartidor Nacional da Cargas, Despacho da Rede Primária, Companhia Nacional de Electricidade, Companhia Portuguesa de Electricidade e Electricidade de Portugal). Com a abertura dos mestrados, frequentei no Instituto Superior de Economia o primeiro sobre Economia, Energia e Ambiente. Foram especialmente úteis dois módulos: Modelação e Epistemologia. O último serviu para concluir que “só sei que nada sei e mesmo disso tenho dúvidas”, ou seja para me precaver contra os trapalhões da ciência. O primeiro para conhecer por dentro e por fora os limites dos modelos. Serviu ainda para, dado o meu aproveitamento escolar, ser requisitado por escolha do governo de então para ir trabalhar para Bruxelas. Dentro da Comissão das Comunidades Europeias tive oportunidade de começar a duvidar dos fundamentos do tema que despontava: «global warming» e a «climate change». De regresso a Portugal fui trabalhar para o Plano Energético Nacional. Aí abordei pela primeira vez em Portugal a ligação das emissões e da energia. Tive contactos profissionais com: Engº João Gonçalves, actual Presidente do Instituto do Ambiente, Profº Júlia Seixas, responsável pela realização do PNAC (Plano Nacional sobre as Alterações Climáticas), Profº Álvaro Martins, idem (já o conhecia do mestrado no ISE) e outros técnicos do sector do Ambiente que entretanto subiram a governantes. Resumindo, esta trajectória conduziu-me a uma grande dúvida: “Será que as «alterações climáticas» e o «aquecimento global» são o que estes senhores andam a afirmar, tanto mais que não se lhes reconhece competência no domínio da climatologia?” Eles são engenheiros químico (JG), do ambiente (JS) e economista (AM). Assim que me reformei, mergulhei a fundo na meteorologia e climatologia (acho que cada vez menos se justifica uma separação destas matérias, mas enfim). Naveguei pela web, passei horas em fóruns – franceses e americanos, especialmente – estudei as matérias de um mestrado canadiano (muito interessante), etc. Estive quase a concluir que a «global warming» e a «climate change» eram verdadeiras. Mas que a estratégia do Protocolo de Quioto estava errada (tese do pai do aquecimento global, James E. Hansen, a quem comecei por dar o benefício da dúvida. Até que um finlandês, hoje retirado (contrariamente ao vosso caso, nalguns fóruns internacionais são reformados quem mais participa), começou por me abrir os olhos quando eu lhe disse que o Hansen (que é um manda chuva da NASA) tinha razão. Aconselhou-me a leitura de certos artigos e livros. Qual não é a minha surpresa quando encontro um livro que refuta, cientificamente, todo este edifício téorico do «GW» e «CC». Escrevi ao autor, ele enviou-me artigos, aprofundei os meus estudos e conclui, com ele: “isto é a maior impostura científica de todos os tempos!”
A conversa já vai longa mas serviu para me apresentar. Para começar a nossa troca de opiniões, deixo-vos os seguintes enigmas para resolver: “Qual é a génese do anticiclone dos Açores?”, “Porque será que umas vezes ele ‘enche’ e outras ele ‘esvazia’?” “Qual é o significado físico do conhecido, e já lido neste fórum, índice NAO (North Atlantic Oscilation)?” “Porque será que o NAO umas vezes sobe e outras baixa?” Cada um deste enigmas dá pano para mangas. Mas que mangas…
Boa noite e até à próxima. RGM
 

LUPER

Nimbostratus
Registo
20 Nov 2005
Mensagens
1,945
Local
Aveiro
Continuando a conversa da minha apresentação. Fiz a minha travessia profissional no sector da electricidade (Repartidor Nacional da Cargas, Despacho da Rede Primária, Companhia Nacional de Electricidade, Companhia Portuguesa de Electricidade e Electricidade de Portugal). Com a abertura dos mestrados, frequentei no Instituto Superior de Economia o primeiro sobre Economia, Energia e Ambiente. Foram especialmente úteis dois módulos: Modelação e Epistemologia. O último serviu para concluir que “só sei que nada sei e mesmo disso tenho dúvidas”, ou seja para me precaver contra os trapalhões da ciência. O primeiro para conhecer por dentro e por fora os limites dos modelos. Serviu ainda para, dado o meu aproveitamento escolar, ser requisitado por escolha do governo de então para ir trabalhar para Bruxelas. Dentro da Comissão das Comunidades Europeias tive oportunidade de começar a duvidar dos fundamentos do tema que despontava: «global warming» e a «climate change». De regresso a Portugal fui trabalhar para o Plano Energético Nacional. Aí abordei pela primeira vez em Portugal a ligação das emissões e da energia. Tive contactos profissionais com: Engº João Gonçalves, actual Presidente do Instituto do Ambiente, Profº Júlia Seixas, responsável pela realização do PNAC (Plano Nacional sobre as Alterações Climáticas), Profº Álvaro Martins, idem (já o conhecia do mestrado no ISE) e outros técnicos do sector do Ambiente que entretanto subiram a governantes. Resumindo, esta trajectória conduziu-me a uma grande dúvida: “Será que as «alterações climáticas» e o «aquecimento global» são o que estes senhores andam a afirmar, tanto mais que não se lhes reconhece competência no domínio da climatologia?” Eles são engenheiros químico (JG), do ambiente (JS) e economista (AM). Assim que me reformei, mergulhei a fundo na meteorologia e climatologia (acho que cada vez menos se justifica uma separação destas matérias, mas enfim). Naveguei pela web, passei horas em fóruns – franceses e americanos, especialmente – estudei as matérias de um mestrado canadiano (muito interessante), etc. Estive quase a concluir que a «global warming» e a «climate change» eram verdadeiras. Mas que a estratégia do Protocolo de Quioto estava errada (tese do pai do aquecimento global, James E. Hansen, a quem comecei por dar o benefício da dúvida. Até que um finlandês, hoje retirado (contrariamente ao vosso caso, nalguns fóruns internacionais são reformados quem mais participa), começou por me abrir os olhos quando eu lhe disse que o Hansen (que é um manda chuva da NASA) tinha razão. Aconselhou-me a leitura de certos artigos e livros. Qual não é a minha surpresa quando encontro um livro que refuta, cientificamente, todo este edifício téorico do «GW» e «CC». Escrevi ao autor, ele enviou-me artigos, aprofundei os meus estudos e conclui, com ele: “isto é a maior impostura científica de todos os tempos!”
A conversa já vai longa mas serviu para me apresentar. Para começar a nossa troca de opiniões, deixo-vos os seguintes enigmas para resolver: “Qual é a génese do anticiclone dos Açores?”, “Porque será que umas vezes ele ‘enche’ e outras ele ‘esvazia’?” “Qual é o significado físico do conhecido, e já lido neste fórum, índice NAO (North Atlantic Oscilation)?” “Porque será que o NAO umas vezes sobe e outras baixa?” Cada um deste enigmas dá pano para mangas. Mas que mangas…
Boa noite e até à próxima. RGM


Rui G. Moura seja muito bem vindo. É uma enorme satisfação termos mais um colega que refuta o maior embuste de todos os tempos. O poder dos medias é enorme sobre a mentalidade e pensamento das massas. Estamos a entrar na estação fria e alguns records serão batidos ou igualados novamente este ano e os media simplesmente não irão interrogar-se sobre esses factos, será tudo obra do aquecimento, nem que caia novamente neve nas nossas praias.:rolleyes:
 

Iceberg

Nimbostratus
Registo
5 Jun 2006
Mensagens
817
Local
Braga
Rui Moura, bem-vindo.

O nosso forum acabou de dar mais um salto qualitativo, com a sua entrada nesta família.

Curiosamente, há uns tempos atrás, visitei o seu blog, julgo que o descobri por mero acaso, já não me recordo bem ...

Entretanto, os seus relatos da cimeira de Estocolmo, são muito interessantes e permitem-nos estar a par das mais recentes intervenções nesta matéria a nível internacional.

De facto, também sou dos que partilham a ideia de que estas oscilações climatéricas a que temos assistido, mais não são do que os pressupostos iniciais de entrada num novo padrão climático, com características de tempo mais frio, levando-nos num futuro mais ou menos distante a uma nova glaciação.

O que eu acho é que a intervenção do Homem, com o consequente aquecimento do planeta (os dados não enganam) estão a atrasar esse processo natural. Provavelmente se estivéssemos há 2.000 anos atrás, talvez já seria possível presenciar um arrefecimento real do planeta. Mas a crescente industrialização veio atrasar todo este processo.
 

duncan

Cumulus
Registo
24 Set 2006
Mensagens
150
Local
palmela
Rui Moura, bem-vindo.

O nosso forum acabou de dar mais um salto qualitativo, com a sua entrada nesta família.

Curiosamente, há uns tempos atrás, visitei o seu blog, julgo que o descobri por mero acaso, já não me recordo bem ...

Entretanto, os seus relatos da cimeira de Estocolmo, são muito interessantes e permitem-nos estar a par das mais recentes intervenções nesta matéria a nível internacional.

De facto, também sou dos que partilham a ideia de que estas oscilações climatéricas a que temos assistido, mais não são do que os pressupostos iniciais de entrada num novo padrão climático, com características de tempo mais frio, levando-nos num futuro mais ou menos distante a uma nova glaciação.

O que eu acho é que a intervenção do Homem, com o consequente aquecimento do planeta (os dados não enganam) estão a atrasar esse processo natural. Provavelmente se estivéssemos há 2.000 anos atrás, talvez já seria possível presenciar um arrefecimento real do planeta. Mas a crescente industrialização veio atrasar todo este processo.

olá, há uns anos atrás tambem ouvi o professor A.Azevedo a defender esse atraso para a nova glaciação,na altura fiquei um pouco céptico.Mas hoje já estou aceitar melhor,porque sei que existem grandes cientistas como R. Moura a defenderem essa teoria, e que nos deram ter uma melhor visao acerca das alteraçoes climáticas,agora quando será que se vai verificar a aproximaçao do frio 6,10, 0u 100 anos??:cold: :huh:
 

ACalado

Cumulonimbus
Registo
16 Fev 2006
Mensagens
3,005
Local
Covilhã 750m
Aceitei de muito bom grado participar neste Fórum pois foi através de fóruns internacionais que fui aprendendo alguma coisa de climatologia. Para sossego do dj_Alex já não tenho idade para dar aulas. Dei aulas no Instituto Superior Técnico mas de Electrotecnia, Medidas Eléctricas e Alta Tensão. Agora estou reformado. Já pedi ao António Oliveira e ao Vasco Castro para não me tratarem por Prof. Sou apenas Rui G. Moura (o G. é importante porque existem muitos Rui Moura, a começar pelo meu filho). Já tinha escrito uma extensa mensagem de apresentação (em que já falava no anticiclone dos Açores) mas carreguei em quaisquer teclas do teclado que me destruiram o texto. Como tenho de sair, continuo a conversa logo que possível. Até logo. RGM
Rui Moura, seja bem vindo a este forum certamente a sua participação irá enriquecer e muito está familia :thumbsup: :thumbsup: :thumbsup:
 

Rog

Cumulonimbus
Registo
6 Set 2006
Mensagens
4,515
Local
Norte Madeira (500m)
Seja bem vindo Rui G. Moura.
A questão do aquecimento global: qual a razão de uma tão massiça campanha sobre o aquecimento. Serão muitos os cientistas a defender a teoria do aquecimento global e poucos os que acreditam na situação oposta?? Ou podemos imaginar que teremos defensores de ambas as hipoteses nuns 50/50 só que a visibilidade da teoria do aquecimento global é mais utilizada pelos media e divulgada. É que a teoria sobre o aquecimento, está tão bem munida de argumentos (argumentos de grande visibilidade como a poluição CO2) que facilmente convence qualquer leigo no assunto...