Mitos Climáticos - Apresentação

Mário Barros

Furacão
Registo
18 Nov 2006
Mensagens
12,501
Local
Cavaleira (Sintra)
olá, há uns anos atrás tambem ouvi o professor A.Azevedo a defender esse atraso para a nova glaciação,na altura fiquei um pouco céptico.Mas hoje já estou aceitar melhor,porque sei que existem grandes cientistas como R. Moura a defenderem essa teoria, e que nos deram ter uma melhor visao acerca das alteraçoes climáticas,agora quando será que se vai verificar a aproximaçao do frio 6,10, 0u 100 anos??:cold: :huh:

Passa por este site talvez te esclareça um pouco as ideias http://www.mosnews.com/news/2006/08/25/globalcooling.shtml :thumbsup:
 

Rog

Cumulonimbus
Registo
6 Set 2006
Mensagens
4,515
Local
Norte Madeira (500m)
De facto, a beleza deste tema é que "em cada cabeça há sua sentença"!
Os media são neste momento os maiores opinion-makers da nossa sociedade. O que eles reproduzem normalmente não é colocado em causa pela "população comum", e as asneiras que eles dizem!!!...
Mas também são os media um joguete nas mãos dos grandes lobbies, quer dos que defendem que somos nós a provocar estas alterações climaticas (as grandes petroliferas, construtores automoveis, etc), quer dos que defendem que é a nossa poluição que origina o aumento da temperatura (lobbies das energias alternativas, da energia nuclear, etc).
Até me atrevo a dizer que também existem cientistas a soldo destes lobbies que organizam estudos que vão ao encontro dos interesses de quem lhes paga!
Eu posso achar que o meu copo está meio vazio... e do outro lado está um outro colega a dizer-me que afinal está meio cheio! E afinal temos os dois razão!

Acho também que um dos cancros da nossa sociedade é o facto dos politicos, salvo raras excepções, não perceberem nada de ciencia...
Olhamos para a nossa assembleia da republica e, dos 250 deputados a maioria são juristas, economistas, gestores, individuos formados em relações internacionais, etc... e físicos? e matematicos? e geografos? e filosofos? e antropologos? sociologos? felizmente vão aparecendo alguns engenheiros com obrigação de entender a ciencia e a sua ligação com a sociedade.
Mas é muito pouco... e ficam sempre dependentes dos resultados das comissoes tecnicas que encomendam, e que raramente entendem...

"Uma mentira, ainda que a digam milhares de bocas, não deixa de ser uma mentira"

Poderá até ser uma grande mentira esta situação do aquecimento global, e mesmo com estes lobbis todos, tiro algo de bom: reduzir a poluição seja ela de que ordem for, é fundamental, mesmo que o argumento esteja errado de responsabilizar isto pelo aquecimento global, o nosso bem estar será outro com menos poluição, devemos isso à Natureza.
Usamos e abusamos de todos os recursos, sem olhar a meios de riqueza, destruimos floresta, colocamos em risco grandes número de espécies sem contar com as inúmeras extinções que já provocamos. Assusta-nos um cometa um asteróide que colidisse com a terra e provocasse uma extinção? Extinções em massa é o que temos vindo a realizar...

É importante encontrar alternativas às reservas petrolíferas, se não é pelo aquecimento global que seja pelo nosso bem estar.
 

Rui M.

Cirrus
Registo
19 Nov 2006
Mensagens
11
Local
Lisboa
Primeiro que tudo queria saudar Rui G. Moura pela sua participação num fórum público de discussão, contrastando com o seu blog que não permite comentários nem outro tipo de resposta.
É sempre de saudar uma posição céptica em ciência mas convém não cair nos mesmos erros em que os outros não cépticos caem. Isso não me parece acontecer no Mitos Climáticos. Por exemplo, a atribuição da grande fome irlandesa e do congelamento do Tamisa exclusivamente á Little Ice Age. Se a primeira foi provocada pela destruição por um fungo da culturas de batata de que os irlandeses estavam dependentes devido á ursupação das terras pela nobreza inglesa (enquanto os irlandeses morriam aos milhares os ingleses exportavam cereais das suas propriedades na Irlanda para Inglaterra), muitos dos episódios de congelamento do Tamisa partilharão da responsabilidade tanto da Little Ice Age como da antiga London Bridge que até 1834 cujos pilares com espaçamento muito curto actuariam como uma barragem diminuindo o fluxo do rio e potenciando o seu congelamento. È de notar que depois da demolição da ponte o rio nunca mais congelou, nem depois da erupção do Krakatoa em 1883 que terá diminuído significativamente a temperatura global, mas nada disto figura no seu blog.
Comparar Lysenko e a sua investigação á investigação do aquecimento global é uma descontextualização grosseira. A ciência produzida por Lysenko e apoiada pela propaganda Estalinista e pelo seu regime sangrento e totalitário e pela exterminação física dos seus oponentes científicos não pode estar mais longe da ciência produzida em democracia. Não deixa contudo de ser irónico que o Rui G. Moura decida publicar na edição em português do antigo jornal oficial do partido comunista soviético um artigo sobre fraudes científicas.
Também não percebo o que o faz criticar as pessoas que repetem a doutrina do IPCC se o Rui só repete a doutrina de Marcel Leroux, que nem entre outros cépticos tem tido grande acolhimento. Desconheço contudo em profundidade da teoria deste senhor (parece estar apenas publicada em livro que ainda por cima é bastante caro) mas pelo que li parece focar-se na atmosfera ignorando os oceanos e a sua participação na regulação do clima o que me parece uma falha grave.
Quanto ás duvidas expostas no seu último post, parecem indicar alguma confusão. O aquecimento global não implica vagas de calor constantes e permanentes durante o verão, mas sim um aumento da sua frequência e talvez duração, visto que o site do IM regista vagas de calor apenas para os anos de 81, 91 , 2003, 2005 e 2006 parece ser isso mesmo que está a acontecer. Os furacões por seu lado parece que se estão a tornar mais intensos apesar da sua frequência não ter sofrido alterações de maior. Este ano contudo corresponde também a um ano de El Niño que causa uma diminuição de tempestades tropicais no Atlântico, embora as coisas no Pacífico andem animadas este ano com uma série de super tufões já registados.
A recente inclusão das influência de variações no ciclo solar e da quantidade de radiação cósmica no clima também é curiosa visto que o Rui G. Moura nega que o aquecimento actual seja global enquanto que os investigadores que trabalham nessa área defendem precisamente que as alterações na actividade solar são responsáveis pela totalidade ou parte do aquecimento global verificado este século. Esses estudos têm sido contudo muito contestados e alvo de debate intenso que não são alvo da sua preocupação.
Por fim, queria apenas acrescentar que uma série de climatólogos, paleoclimatologos, físicos e modeladores mantêm um blog onde expõe a sua visão sobre o assunto e onde respondem a várias perguntas sobre os mesmos na caixa de comentários dos seus posts.
O site é o www.realclimate.org e é assumidamente “warmer”.
Atentamente,

Rui
 

Luis França

Nimbostratus
Registo
23 Mai 2006
Mensagens
1,467
Local
Hades
Apreciei a resposta do Rui M. aos posts anteriores (estou sempre a aprender) e recomendo uma visita ao site por ele apresentado (assim escuso de o colocar no tópico Geociências); reúne uma série de temas muito importantes que às vezes nos passam ao lado. 5stars :thumbsup:
 

dj_alex

Nimbostratus
Registo
14 Dez 2005
Mensagens
1,913
Local
Lisboa
Gostei bastante da resposta do Rui M, neste momento por me encontrar em trabalho fora do pais, nao tenho oportunidade de discutir muito a fundo sobre este tema que no passado foi motivo de discussao aqui no forum (no bom sentido...mais troca de opinioes),

No entanto inclino-me mais para a corrente que estamos a aquecer, e que eventualmente esse aquecimento possa provocar arrefecimento, mas nao num futuro assim tao proximo como alguns membros aqui do forum opinao. (desculpe nao estar a por tills mas isso nao existe nos teclados espanhois...:angry: :angry: )

Já agora Rui M, qual é a tua formaçao academica??
 

Seringador

Cumulonimbus
Registo
29 Ago 2005
Mensagens
2,984
Local
Canelas - Vila Nova de Gaia
Primeiro que tudo queria saudar Rui G. Moura pela sua participação num fórum público de discussão, contrastando com o seu blog que não permite comentários nem outro tipo de resposta.
É sempre de saudar uma posição céptica em ciência mas convém não cair nos mesmos erros em que os outros não cépticos caem. Isso não me parece acontecer no Mitos Climáticos. Por exemplo, a atribuição da grande fome irlandesa e do congelamento do Tamisa exclusivamente á Little Ice Age. Se a primeira foi provocada pela destruição por um fungo da culturas de batata de que os irlandeses estavam dependentes devido á ursupação das terras pela nobreza inglesa (enquanto os irlandeses morriam aos milhares os ingleses exportavam cereais das suas propriedades na Irlanda para Inglaterra), muitos dos episódios de congelamento do Tamisa partilharão da responsabilidade tanto da Little Ice Age como da antiga London Bridge que até 1834 cujos pilares com espaçamento muito curto actuariam como uma barragem diminuindo o fluxo do rio e potenciando o seu congelamento. È de notar que depois da demolição da ponte o rio nunca mais congelou, nem depois da erupção do Krakatoa em 1883 que terá diminuído significativamente a temperatura global, mas nada disto figura no seu blog.
Comparar Lysenko e a sua investigação á investigação do aquecimento global é uma descontextualização grosseira. A ciência produzida por Lysenko e apoiada pela propaganda Estalinista e pelo seu regime sangrento e totalitário e pela exterminação física dos seus oponentes científicos não pode estar mais longe da ciência produzida em democracia. Não deixa contudo de ser irónico que o Rui G. Moura decida publicar na edição em português do antigo jornal oficial do partido comunista soviético um artigo sobre fraudes científicas.
Também não percebo o que o faz criticar as pessoas que repetem a doutrina do IPCC se o Rui só repete a doutrina de Marcel Leroux, que nem entre outros cépticos tem tido grande acolhimento. Desconheço contudo em profundidade da teoria deste senhor (parece estar apenas publicada em livro que ainda por cima é bastante caro) mas pelo que li parece focar-se na atmosfera ignorando os oceanos e a sua participação na regulação do clima o que me parece uma falha grave.
Quanto ás duvidas expostas no seu último post, parecem indicar alguma confusão. O aquecimento global não implica vagas de calor constantes e permanentes durante o verão, mas sim um aumento da sua frequência e talvez duração, visto que o site do IM regista vagas de calor apenas para os anos de 81, 91 , 2003, 2005 e 2006 parece ser isso mesmo que está a acontecer. Os furacões por seu lado parece que se estão a tornar mais intensos apesar da sua frequência não ter sofrido alterações de maior. Este ano contudo corresponde também a um ano de El Niño que causa uma diminuição de tempestades tropicais no Atlântico, embora as coisas no Pacífico andem animadas este ano com uma série de super tufões já registados.
A recente inclusão das influência de variações no ciclo solar e da quantidade de radiação cósmica no clima também é curiosa visto que o Rui G. Moura nega que o aquecimento actual seja global enquanto que os investigadores que trabalham nessa área defendem precisamente que as alterações na actividade solar são responsáveis pela totalidade ou parte do aquecimento global verificado este século. Esses estudos têm sido contudo muito contestados e alvo de debate intenso que não são alvo da sua preocupação.
Por fim, queria apenas acrescentar que uma série de climatólogos, paleoclimatologos, físicos e modeladores mantêm um blog onde expõe a sua visão sobre o assunto e onde respondem a várias perguntas sobre os mesmos na caixa de comentários dos seus posts.
O site é o www.realclimate.org e é assumidamente “warmer”.
Atentamente,

Rui


Antes demais Bem-vindo Rui M.

De facto teorias e cientistas há aos pacotes, contudo se a nossa atmosfera ainda é pouco compreendida quanto mais a planetária e a cósmica, mas isso é outra questão!:huh: ;)

Quanto aos dados de ondas de calor, se regressarmos aos anos 30 e 40, veremos ondas de calor muito mais intensas, assim com períodos de seca extrema. Embora não existam dados em Portuga a não ser do exército e de outras fontes, individuias e poucas institucionais, espreitamos ao nosso lado vizinho espanhol.
Mesmo agora muitas das estrações do IM funcinam mal e porcamente, face à possibilidade actual de escolha múltipla de equipamentos de mais baixo custo, por isso muito dos dados do IM são pouco fiáveis, o mm se pode comparar com INE.

Só no fim da época de furacões é que dizem as possíveis causas, neste caso do El Niño (que a principal consequência é um baixo Wind shear e esteve fraco durante a época agora é que poderá antingir o seu máximo)
http://www.cpc.ncep.noaa.gov/products/analysis_monitoring/ensostuff/ensoyears.shtml , contudo já havia referido em Fev. deste ano de que iria ser uma época calma, mais derivado a um Elevado SAL (Saharian Air Layer) e um baixo índice ACE (Acumulative Cyclonic Energy), situação que se veio verificar.

A previsão do NHC:http://www.cpc.ncep.noaa.gov/products/outlooks/figure1.gif
ACE : http://www.cpc.ncep.noaa.gov/products/outlooks/figure4.gif
Ganharam os 5%:thumbsup: embora no ACE tb erraram foi abaixo do normal quando projectavam acima e isso era o que eu não via e não vi!:disgust:

O que eu quero dizer com este ponto, é que é fácil prever a longo termo, mas temos de olhar para o período a 10 e 15 anos e não a 100 anos.
Actualmente a capitalix«zação institucional para as alterações Climáticas abraça, quase numa simbiose, tudo o que esteja relacionado com aquecimento global.
Contudo tem vindo a existir cada vez mais interessados nas teleconexões (no qual me incluo), visto que estas podem ser importantes para compreender uma pequena percentagem do total do comportamento atmosférico, para se efectuarem previsões sazonais e aí é que reside o verdadeiro KPI para um consequente aumento da probabilidade de precisão (pequena e gradual) nas referidas previsões.

http://www.cpc.ncep.noaa.gov/data/teledoc/telecontents.shtml

Neste sentido tenho uma opinião muito prória de que a longo prazo vamos arrefecer e bem, sendo no entanto mais seco durante o Inverno e os verões mais quentes e chuvosos, mas isso é outra história, pq não nego que tem vindo aquecer, agora saber quais serão as verdadeiras consequências disto é que reside a ignorância, ps só sabem falar do degelo dos polos (que está ocorrer), no entanto, não sabem falar das consequências directas sobre as currentes oceânicas,só mencionam aquilo que pouco podem indicar aumento do nível das águas (que poderá ser um interludio para uma consequência maior)

E como já referi anteriormente, penso que existe demasiada algoritmia para projectar (é um vicío americano), em vez de interpretar e ralacionar outras variáveis que actualmente são ignoradas, como comportamento animal, ciclo lunar e gravidade magnética da Terra, entre outras.
 

Rui G. Moura

Cirrus
Registo
11 Nov 2006
Mensagens
6
O EXPRESSO solicitou-me uma opinião sobre o realtório Stern. Enviei-lhe o artigo que se encontra neste link
Até agora não o publicaram. Mas neste fim-de-semana publicaram um artigo verdadeiramente “psitacídeo” da doutrina oficial do estado a que chegou a climatologia. Protestei contra as mentiras contidas neste artigo publicado. Vamos a ver o que se segue. Queria porém salientar as grandes linhas de conclusão daquele artigo que enviei para publicação:
- O Árctico não está a aquecer mas a arrefecer e aquecer simultaneamente;
- O Antárctico não está a aquecer mais está a arrefecer na sua esmagadora maioria e a aquecer numa pequena parte da designada Península de Larsen B;
- A pressão atmosférica está a subir em Portugal e na Europa contrariamente ao que deveria acontecer se fosse verdadeira a existência do «global warming»;
- Sobre os continentes, nomeadamente o europeu, as aglutinações anticiclónicas – do tipo do anticiclone dos Açores – estão a ser mais frequentes, especialmente nos Invernos, mas também nos Verões, com consequentes estabilidades anticiclónicas, vagas de frio e de calor;
- O tempo tornou-se, desde 1976, mais violento e mais irregular com tempestades de vento que conduzem mais calor tropical, latente e sensível, em direcção aos pólos;
- Na zona tropical – tanto no Atlântico como no Pacífico – não há nenhuma relação entre a ciclogénese (Katrina, por exemplo) e a temperatura, seja do ar seja dos oceanos;
- As mal designadas “alterações climáticas” têm o aspecto das premissas de uma primeira fase de um glaciação (guardem-se as devidas proporções na escala temporal que não se coaduna com o tempo de vida dos humanos).
Aqui se encontra resumidamente o desmentido das falácias que se ouvem e se lêem continuamente. Faltou-me o caso dos glaciares que também é um dos mitos com que se engana a opinião pública. Eis o que deveria escrever:
- A crioesfera na sua evolução dinâmica passa actualmente por um mínimo a caminho de um máximo tal como aconteceu na última glaciação.
De facto, a quantidade de água sob a forma sólida existente no planeta não é uma função estática. É máxima nos períodos glaciários e mínima nos períodos interglaciários. Misturar alhos com bugalhos é o que gostam de fazem os alarmistas e catastrofitas.
 

Rui G. Moura

Cirrus
Registo
11 Nov 2006
Mensagens
6
Primeiro que tudo queria saudar Rui G. Moura pela sua participação num fórum público de discussão, contrastando com o seu blog que não permite comentários nem outro tipo de resposta.
É sempre de saudar uma posição céptica em ciência mas convém não cair nos mesmos erros em que os outros não cépticos caem. Isso não me parece acontecer no Mitos Climáticos. Por exemplo, a atribuição da grande fome irlandesa e do congelamento do Tamisa exclusivamente á Little Ice Age. Se a primeira foi provocada pela destruição por um fungo da culturas de batata de que os irlandeses estavam dependentes devido á ursupação das terras pela nobreza inglesa (enquanto os irlandeses morriam aos milhares os ingleses exportavam cereais das suas propriedades na Irlanda para Inglaterra), muitos dos episódios de congelamento do Tamisa partilharão da responsabilidade tanto da Little Ice Age como da antiga London Bridge que até 1834 cujos pilares com espaçamento muito curto actuariam como uma barragem diminuindo o fluxo do rio e potenciando o seu congelamento. È de notar que depois da demolição da ponte o rio nunca mais congelou, nem depois da erupção do Krakatoa em 1883 que terá diminuído significativamente a temperatura global, mas nada disto figura no seu blog.
Comparar Lysenko e a sua investigação á investigação do aquecimento global é uma descontextualização grosseira. A ciência produzida por Lysenko e apoiada pela propaganda Estalinista e pelo seu regime sangrento e totalitário e pela exterminação física dos seus oponentes científicos não pode estar mais longe da ciência produzida em democracia. Não deixa contudo de ser irónico que o Rui G. Moura decida publicar na edição em português do antigo jornal oficial do partido comunista soviético um artigo sobre fraudes científicas.
Também não percebo o que o faz criticar as pessoas que repetem a doutrina do IPCC se o Rui só repete a doutrina de Marcel Leroux, que nem entre outros cépticos tem tido grande acolhimento. Desconheço contudo em profundidade da teoria deste senhor (parece estar apenas publicada em livro que ainda por cima é bastante caro) mas pelo que li parece focar-se na atmosfera ignorando os oceanos e a sua participação na regulação do clima o que me parece uma falha grave.
Quanto ás duvidas expostas no seu último post, parecem indicar alguma confusão. O aquecimento global não implica vagas de calor constantes e permanentes durante o verão, mas sim um aumento da sua frequência e talvez duração, visto que o site do IM regista vagas de calor apenas para os anos de 81, 91 , 2003, 2005 e 2006 parece ser isso mesmo que está a acontecer. Os furacões por seu lado parece que se estão a tornar mais intensos apesar da sua frequência não ter sofrido alterações de maior. Este ano contudo corresponde também a um ano de El Niño que causa uma diminuição de tempestades tropicais no Atlântico, embora as coisas no Pacífico andem animadas este ano com uma série de super tufões já registados.
A recente inclusão das influência de variações no ciclo solar e da quantidade de radiação cósmica no clima também é curiosa visto que o Rui G. Moura nega que o aquecimento actual seja global enquanto que os investigadores que trabalham nessa área defendem precisamente que as alterações na actividade solar são responsáveis pela totalidade ou parte do aquecimento global verificado este século. Esses estudos têm sido contudo muito contestados e alvo de debate intenso que não são alvo da sua preocupação.
Por fim, queria apenas acrescentar que uma série de climatólogos, paleoclimatologos, físicos e modeladores mantêm um blog onde expõe a sua visão sobre o assunto e onde respondem a várias perguntas sobre os mesmos na caixa de comentários dos seus posts.
O site é o www.realclimate.org e é assumidamente “warmer”.
Atentamente,

Rui

Desta prosa saliento esta dimafação: "Não deixa contudo de ser irónico que o Rui G. Moura decida publicar na edição em português do antigo jornal oficial do partido comunista soviético um artigo sobre fraudes científicas."
Decida? Como é que prova isso? É uma calunia. Não decidi nem permiti o que quer que seja. Se é este o método permitido neste fórum, agradeço ao seu responsável que me retire dele.
Rui G. Moura
 

Rui M.

Cirrus
Registo
19 Nov 2006
Mensagens
11
Local
Lisboa
E já agora, Larsen B é o nome da plataforma de gelo que se soltou. O que está a aquecer é a Peninsula da Antártida.
Tem piada que a "doutrina oficial" também não diz que o ártico está a arrefecer homogeneamente e o mesmo para a antártida, pelo menos nesse aspecto estão de acordo.
Gostava de ouvir mais argumentos sobre essa tal semelhança entre o periodo actual e uma pré idade do gelo.
 

dj_alex

Nimbostratus
Registo
14 Dez 2005
Mensagens
1,913
Local
Lisboa
Meus amigos...Apesar de nao ser adminstrador do forum, venho pedir um pouco de calma e que este forum nao sirva para lavar roupa suja...e que nao sirva para ataques pessoais de alguma ordem...

Nunca houve faltas de respeito no forum, esperemos que nao seja agora que elas vao começar...
 

LUPER

Nimbostratus
Registo
20 Nov 2005
Mensagens
1,945
Local
Aveiro
Caros amigos, penso que devemos e podemos discutir sem ataques pessoais. Pessoalmente penso que o Sr Rui M. deveria apresentar-se antes de passar ao ataque, afinal de contas o que pretende o sr com ataques directos a outros menbros do forum?

Eu tb discordo de algumas posições de outros menbros, mas felizmente temos todos a educação necessária para convivermos pacificamente por aqui, já lá vai mais de 1 ano.

Peço calma ao debate por favor, vamos é aprender e discutir como deve de ser e não criar insinuações politicas baratas e de baixo nível:disgust:
 

Rui G. Moura

Cirrus
Registo
11 Nov 2006
Mensagens
6
Caros amigos, penso que devemos e podemos discutir sem ataques pessoais. Pessoalmente penso que o Sr Rui M. deveria apresentar-se antes de passar ao ataque, afinal de contas o que pretende o sr com ataques directos a outros menbros do forum?

Eu tb discordo de algumas posições de outros menbros, mas felizmente temos todos a educação necessária para convivermos pacificamente por aqui, já lá vai mais de 1 ano.

Peço calma ao debate por favor, vamos é aprender e discutir como deve de ser e não criar insinuações politicas baratas e de baixo nível:disgust:

Caro Luper: agradeço e aproveito para fazer uma
Declaração de interesses.
É assim que se faz quando a alma não é pequena. Declaro que na Internet os únicos sítios, sem contar com o meu blogue, que publicaram textos meus com a minha autorização foram: Águaonline, Ciência Hoje, Alameda Digital, deFrente do Grupo Algébrica e este Fórum (não me recordo de mais nenhum). Em muitos outros foram reproduzidos textos meus sem me terem pedido autorização. Não posso proibir nem exigir a retirada dessas reproduções. Na Internet, que eu saiba, não existem direitos de autor (se houver que me desculpem a ignorância). Sempre que me pediram um texto para publicar, a única condição que coloquei foi a de não ser conotado com qualquer pensamento político, religioso, filosófico, sociológico ou outro. Numa rápida vista de olhos pela blogosfera verifico que aparecem textos meus reproduzidos em blogues que abrangem todo o “arco baleno”. Que culpa tenho eu?
Rui G. Moura
 

kimcarvalho

Nimbostratus
Registo
19 Nov 2005
Mensagens
1,775
Local
Elvas
Meus amigos...Apesar de nao ser adminstrador do forum, venho pedir um pouco de calma e que este forum nao sirva para lavar roupa suja...e que nao sirva para ataques pessoais de alguma ordem...

Nunca houve faltas de respeito no forum, esperemos que nao seja agora que elas vao começar...

Concordo plenamente, ao ler estes lamentáveis últimos posts, fiquei :surprise:.

Que me desculpem, e acho que falo por todos os membros de uma forma geral, e pelos mais antigos em especial. Nesta humilde casa toda a gente é bem-vinda :), e claro se forem pessoas com um conhecimento e formação na área melhor (como parece ser o caso de ambos), pois todos nós gostamos de aprender :w00t: e enriquecer os nossos conhecimentos, agora o respeito e a forma como se devem redigir e porque não "digerir" as opiniões, é uma regra de ouro que por aqui tem sido inquebrantável. Não acho assim tão difícil ser ponderado e reflexivo quando nos dirigimos a outra pessoa, aliás essa é a única maneira de aclarar pontos de vista e aprender.
Eu tenho pouco mais de trinta anos, mas se há algo que nesta vida julgo já ter aprendido, é que quando nos achamos donos da verdade, que o nosso ponto de vista ou teoria é a única a existir, então realmente nada sabemos e a nossa convicção é dogmatizada, logo, estancada, perdida... :sad:

Há aqui membros com opiniões quase diametralmente opostas, mas nunca os vi serem agressivos entre si. Até porque se assim fosse eu não era tão participativo e possivelmente nem me tinha registado.

Por favor, dignifiquem este espaço único, de gente amadora, pessoas de todos os quadrantes sociais, de tantas regiões e profissões e até de fora do nosso Portugal. Se não entraram com o objectivo de ajudar, de participar com alegria e PAZ, então não venham! :mad:
E este meu desabafo serve também para outros que ainda não se registaram e o pretendam fazer, venham! Mas de forma construtiva ;).
Não sei o que faz o MeteoPT um local tão especial, se o facto de ser único em Portugal (pelo menos que eu conheça :unsure:), se pelo gosto generalizado do frio e da neve, se pelo amor e carinho real que todos temos pela meteorologia e os seus fenómenos (e quantas vezes andamos ao vento, à chuva, e debaixo de neve, feitos tolitos com a máquina na mão, só para partilhar com os outros :D) ou simplesmente por este grupo de pessoas, tão singulares, que o integram :thumbsup:.
Reparem, eu como todos aqui, tenho vida própria, tenho muitas coisas que me ocupam, tenho esposa, filhos, trabalho e no entanto já nas minhas conversas do dia a dia, eu falo com todo o à-vontade do Seringador, do Alex, do Luper, do Minho, do Dan, do Luís França, do Fil, do Iceberg, do Tozequio, do Miguel do Rogpacheco, do Bruno, do João Pais, do Santos, do Mag0, etc, enfim de todos vós. Isto acontece porque o "clima" que se gerou ao estudar-mos os climas e os seus estados de tempo é fabulástico.
Tenho dito. :D ;)

P.S. - Alexandre, com um ordenadão desses já era para teres um portátil daqueles caros, com acentos e tudo! :lmao: