Monitorização do Clima de Portugal - 2022



StormRic

Furacão
Registo
23 Jun 2014
Mensagens
18,369
Local
Póvoa de S.Iria (alt. 140m)
Os cinco primeiros dias de Dezembro, em acumulados de precipitação diária.

30 de Novembro para situar os acumulados do dia 1, no seguimento final de um dia de precipitação bastante bem generalizada a todo o continente:
FdQofhf.jpg
0wao2uB.jpg


Dia 2 foi uma pausa na precipitação, retomando no dia seguinte e começando pelo Sul:
oDBtp4k.jpg
FqtBYrc.jpg


Dias 4 e 5, a primeira cut-off com acumulados volumosos no Algarve e algumas zonas do Leste alentejano e prolongando-se por algumas áreas das Beiras interiores:
6SX5mEx.jpg
pFv1WcI.jpg
 

algarvio1980

Furacão
Registo
21 Mai 2007
Mensagens
11,492
Local
Olhão (24 m)

StormRic

Furacão
Registo
23 Jun 2014
Mensagens
18,369
Local
Póvoa de S.Iria (alt. 140m)
Relatório do IPMA sobre a situação nos dias 4 e 5 de Dezembro de 2022 na Região do Algarve: https://www.ipma.pt/pt/media/noticias/documentos/2022/Precipitacao-intensa-algarve.pdf

Estive a ler o relatório e apesar da referência à insuficiência de dados de radar pela avaria do radar de Loulé, os registos obtidos do radar de Coruche até são bastante esclarecedores. No entanto, não é referido que são registos acima de uma certa altitude (2 a 3 Km). Ainda pensei que tivessem solicitado dados de radar a Espanha (radar de Sevilha). Não vi, numa leitura em diagonal, referência a valores registados em estações não oficiais. :unsure:
 

Aurélio Carvalho

Nimbostratus
Registo
5 Out 2018
Mensagens
1,518
Local
Faro
Estive a ler o relatório e apesar da referência à insuficiência de dados de radar pela avaria do radar de Loulé, os registos obtidos do radar de Coruche até são bastante esclarecedores. No entanto, não é referido que são registos acima de uma certa altitude (2 a 3 Km). Ainda pensei que tivessem solicitado dados de radar a Espanha (radar de Sevilha). Não vi, numa leitura em diagonal, referência a valores registados em estações não oficiais. :unsure:
Infelizmente não, usaram dados do IPMA e do Snirh, nem fizeram referência a estações amadoras nem o carácter extremamente localizado de precipitação mais intensa, neste caso no contexto urbano.
Creio que seria interessante verificar a evolução constante na precipitação no Aeroporto de Faro pois da me a ideia que o período mais intenso no aeroporto corresponde a 10 minutos e dentro da cidade a cerca de 30 minutos.
Uma pena que não tenham indicado tambem valores de precipitação pelo cálculo da reflectividade para fazer uma estimativa de quanto choveu... Em sítios onde não exista estações EMA
 

StormRic

Furacão
Registo
23 Jun 2014
Mensagens
18,369
Local
Póvoa de S.Iria (alt. 140m)
Uma pena que não tenham indicado tambem valores de precipitação pelo cálculo da reflectividade para fazer uma estimativa de quanto choveu... Em sítios onde não exista estações EMA
Sim, no entanto penso que isso só poderia ser fiável se se usasse o radar de Loulé. O de Coruche está muito longe e não apanha pelo menos abaixo dos dois quilómetros de altitude, provavelmente as estimativas ficam abaixo dos valores reais.
O IPMA devia pensar a sério numa colaboração maior com as redes não oficiais, com certificação de localização e instalação das estações e calibração dos instrumentos. Certamente haverá muitas estações em localizações estrategicamente úteis e com registos de qualidade suficiente, e também estações que deviam ser marcadas devido aos registos erróneos e/ou instalações e locais completamente desadequados.
 

Aurélio Carvalho

Nimbostratus
Registo
5 Out 2018
Mensagens
1,518
Local
Faro
Sim, no entanto penso que isso só poderia ser fiável se se usasse o radar de Loulé. O de Coruche está muito longe e não apanha pelo menos abaixo dos dois quilómetros de altitude, provavelmente as estimativas ficam abaixo dos valores reais.
O IPMA devia pensar a sério numa colaboração maior com as redes não oficiais, com certificação de localização e instalação das estações e calibração dos instrumentos. Certamente haverá muitas estações em localizações estrategicamente úteis e com registos de qualidade suficiente, e também estações que deviam ser marcadas devido aos registos erróneos e/ou instalações e locais completamente desadequados.
Pensei no mesmo talvez tenha sido exactamente por essa mesma razão.
 

"Charneca" Mundial

Cumulonimbus
Registo
28 Nov 2018
Mensagens
4,552
Local
Corroios (cota 26); Aroeira (cota 59)
Entre 1 e 7 de dezembro já se nota uma clara recuperação dos níveis de água no solo no Sul, com apenas o vale do Sado tendo níveis de água no solo inferiores a 20% da capacidade de campo. :viva:

Dia 1
AFdBwith.png


Dia 7
uOrRas9h.png
 

frederico

Furacão
Registo
9 Jan 2009
Mensagens
10,278
Local
Porto
A EMA de Cacela tinha a 30 de Novembro 72 mm acumulados desde 1 de Setembro. Junqueira segue com 68 mm e Tavira com 89 mm. A Luz de Tavira tem 72 mm.

As temperaturas têm sido acima da média com valores magrebinos. As estações do IPMA devido à sua localização não dão uma verdadeira noção das temperaturas que se podem atingir no Algarve.

Cacela teve em Novembro 23,5 graus de máximas média. E em Outubro foram 27,5 graus! Toda esta região precisava de um estudo climatológico mais profundo pois temos áreas com temperaturas médias anuais provavelmente acima dos 18 graus.

Atendendo às normais climatológicas do sotavento o acumulado normal para as campinas do litoral do sotavento algarvio rondaria para este período de 3 meses os 160 mm. Portanto terão de cair mais de 200 mm em Dezembro para repor a normalidade. Neste momento já caíram mais de 100 mm ou mesmo mais de 150 mm no caso da região de Castro Marim. Se caírem 200 mm a região terminará a primeira fase do ano hidrológico na média mas não chega nem de perto nem de longe para repor o défice hídrico da década seca. Para tal seriam necessários uns 2 ou 3 anos acima dos 800 mm como sucedeu no final da década de 80 ou entre 1995 e 1997.

Fonte dos dados: https://www.drapalgarve.gov.pt/ema/emas.htm
 

algarvio1980

Furacão
Registo
21 Mai 2007
Mensagens
11,492
Local
Olhão (24 m)

Precipitação Forte em Lisboa​


No final do dia 7 de dezembro de 2022 ocorreram inundações repentinas em diversas zonas da área metropolitana de Lisboa, resultado de forte precipitação associada a uma linha organizada de trovoadas.

Ao início da manhã do dia 6 de dezembro, o IPMA emitiu avisos amarelo de precipitação para diversos distritos da zona sul, com o início entre as 12:00 e as 18:00 do dia 7 de dezembro.

Ao início da tarde de dia 6, os avisos foram revistos, tendo-se acrescentado avisos amarelos de precipitação para o restante território, incluindo Lisboa, e elevado para laranja os avisos de precipitação de Faro, Beja e Évora.

Na manhã do dia 7, cerca das 9h30, após nova avaliação da situação meteorológica, foram elevados para laranja os avisos de precipitação de Lisboa, Leiria e Santarém. Às 22h 26 do dia 7 de dezembro, face à informação obtida por observações de superfície, imagens de satélite, imagens de radar e detetores de descargas elétricas, foi decidido elevar o aviso de precipitação para vermelho no distrito de Lisboa.


Enquadramento sinóptico:
No dia 7 de dezembro de 2022, o estado do tempo em Portugal Continental foi condicionado pela presença de uma depressão centrada a leste dos Açores, a qual induzia um fluxo de sudoeste sobre Portugal Continental e que tinha associada linhas de instabilidade que deram origem a precipitação forte e trovoada em várias zonas da região Centro.
Informação superfície (Estações Meteorológicas)

A quantidade de precipitação ocorrida na região de Lisboa:


· O valor máximo em 10 minutos foi registado na estação da Tapada da Ajuda, 17.1mm, seguido do valor de 13.4mm na estação Instituto Geofísico.
· Acumulado horário, os valores máximos também foram registados nas duas estações referidas, com valor de 47.8mm na Tapada da Ajuda (22:40-23:40) e 44.5mm no Instituto Geofísico (21:50-22:50).
· Acumulado em 3 horas o valor mais elevado foi obtido entre o período 21:10 e as 00:10 na estação Instituto Geofísico, 64.4mm e, na estação da Tapada da Ajuda com 63.8mm no mesmo período.
· Em 6 horas também foram estas duas estações nas quais se registaram os valores mais elevados, 77mm (estação da Tapada da Ajuda) e 74.7mm (estação Instituto Geofísico.)

Em relação ao valor diário, 9h às 9h, foi registado um novo máximo para o mês de dezembro para as estações:


· Instituto Geofísico (83.3mm), sendo que o anterior máximo era de 61.1mm registado 7/12/2012
· Gago Coutinho (78.9mm), sendo que o anterior máximo era de 67.4mm registado 7/12/2012
· Estação de Almada P. da Rainha também foi obtido um novo máximo com valor de 51.4mm, sendo que o anterior valor era de 38.4mm

Em termos comparativos em relação ao valor normal climatológico para o mês de dezembro, o acumulado entre as 16:00 do dia 7 e as 3:00 do dia 8 resulta em:


· Instituto Geofísico, 67% do valor da média climatológica (121.8mm)
· Gago Coutinho, 60% do valor da média climatológica (127.3mm)
· Tapada da Ajuda, 74% do valor da média climatológica (113.3mm)

No que respeita ao valor dos extremos absolutos de precipitação diária, 9h às 9h, nas estações de Lisboa o valor não foi atingindo, mantendo-se o valor de:

· 143.7mm registado em 18/2/2008 na estação da Gago Coutinho
· 122.5mm registado em 18/2/2008 na estação da Tapada da Ajuda
· 118.4mm registado em 18/2/2008 na estação do Instituto Geofísico

Fonte: IPMA
 

algarvio1980

Furacão
Registo
21 Mai 2007
Mensagens
11,492
Local
Olhão (24 m)
Realidade vs Previsão

Acumulados nas estações do IPMA no Algarve (1/12 a 10/12)
:

Aljezur: 72mm
Fóia: 71.7 mm
Portimão (Aeródromo): 60.7 mm
Portimão (Praia da Rocha): 61 mm
Albufeira: 164.8 mm
Loulé: 167.8 mm
Faro (Aeródromo): 153.0 mm
Olhão (EPPO): 103.4 mm
Tavira: 115.1 mm
VRSA: 138.8 mm
Castro Marim: 161.4 mm

Previsões dos modelos (1/12 a 10/12):

ECM

Faro24.jpg


GFS

Faro25.jpg


GEM

Faro26.jpg


ACC

Faro27.jpg


Nenhum modelo acertou a 100%, o GFS falhou redondamente, o GEM acertou em várias estações, principalmente no Barlavento, Olhão e Tavira e foi aquele que teve mais perto da realidade, o ECM claramente com uma previsão acima da realidade, mas acertou sobretudo no Caldeirão, Faro, Albufeira e Loulé, mas falhou redondamente no Barlavento.
 

StormRic

Furacão
Registo
23 Jun 2014
Mensagens
18,369
Local
Póvoa de S.Iria (alt. 140m)
Realidade vs Previsão
Boa análise e verificação! Devíamos fazer isto para outras regiões. Realmente tem-se notado uma enorme instabilidade do GFS, especialmente entre saídas sucessivas, e o (mau) resultado está à vista. Faz-nos pensar que quando acerta é por acaso.
Continua a ter que ser sublinhada a falta que faz a instalação de estações no interior algarvio, a área das serras, barrocal, sueste alentejano.

Edição: corrigi o último parágrafo (tinha uma dupla negação).
 
Última edição:

Duarte Sousa

Moderação
Registo
8 Mar 2011
Mensagens
6,324
Local
Loures
Já está disponível o relatório do IPMA de novembro 2022 para Portugal Continental.

Previsível o contraste do índice PDSI entre o norte e o sul:

53a4Sla.png


No mapa parece-me claramente que a área em seca severa aumentou, mas na tabela o IPMA diz que diminuiu... :intrigante:

FGAWiqG.png


Percentagem de água no solo:

GEoxaMu.png


Em novembro choveu 142% do normal na região norte, e apenas 60% na região sul.

3T2W3ln.png


IJpYIGY.png


Em termos de temperatura, anomalias positivas na temperatura mínima, média e máxima.

bG79hay.png


Resumo dos extremos:

imBD4GT.png