Planeta Terra com 2 semanas sem noite!

hurricane

Nimbostratus
Registo
11 Nov 2007
Mensagens
1,859
Local
Bruxelas, Bélgica
http://www.destak.pt/artigo/86061

Decidi criar este tópico porque achei interessante esta notícia!
Apesar de a fonte não ser muito fiável acho que pode ser um bom tópico de conversa e discussão. Afinal de contas se alguma vez acontecer será um fenómeno bastante interessante de observar!

Como não consegui encontrar fontes mais confiáveis espero também que se conseguirem o tentei encontrar :p

Obrigado
 

Geiras

Cumulonimbus
Registo
16 Jun 2010
Mensagens
4,247
Local
Qta. do Conde / Sintra
FAKE!

Parecem aquelas porcarias que andam pelas redes sociais em que se não mandarmos a x pessoas, irá-nos acontecer y. :lmao:
 

Paulo H

Cumulonimbus
Registo
2 Jan 2008
Mensagens
3,159
Local
Castelo Branco 386m(489/366m)
Valha-me nossa Senhora, Jesus Cristo! Recuso-me sequer a comentar! Como é possível haver gente assim?! Se querem ajuda, eu até arranjo uns quantos contactos do dr wamba ou da bruxa jamira, onde podem estoirar o resto do dinheiro que têm em superstições, maus olhados, fins do mundo 2012, Chemtrails, enfim, o que quiserem!! Se não soubesse que era ilegal, até punha aqui o meu NIB para me depositarem qualquer coisa, que eu até faço rezas para que o Sol não se apague! :)

Como é possível?! Com as épocas de crise, todo o mal se propaga pelo mundo, e o incrível é saber quanta ingenuidade existe por aí!! 2 semanas de noite?!?! Ah, ah, ah.. A que horas? Tristeza!!
 

Paulo H

Cumulonimbus
Registo
2 Jan 2008
Mensagens
3,159
Local
Castelo Branco 386m(489/366m)
A gigante vermelha Betelgeuse, encontra-se a 600 e tal anos-luz, é um facto! Também é um facto que se encontra no último estágio da sua vida. Neste último estágio, irá implodir sobre si própria, o que ainda não aconteceu! Os cientistas estimam que tal pode acontecer nos próximos 100 a 10000 anos, ou seja, é imprevisível! Até pode já ter implodido, e explodido (está a 640 anos-luz), quem sabe? O que se sabe é que provavelmente a explosão originaria uma nebulosa com uma amplitude superior à amplitude ângular da lua no céu! Quanto à visibilidade, bem.. Nem tudo o que as estrelas emitem se encontra no espectro de frequência visível, logo apenas uma pequena faixa seria visível, talvez nos primeiros dias a seguir à explosão fosse visível como uma pequena estrela no céu, e à noite fosse também visível com maior contraste. Contudo, quando se diz que a explosão poderia ter uma amplitude maior que a lua, tal também significa por um lado (dada a longa distância) que demoraria uns bons milhares de anos, e por outro, quanto maior a mancha da nebulosa, tanto menor o brilho concentrado!

Desculpem o post atrás, mas isto é mesmo típico de cenas à 2012 sem lógica nenhuma, só para causar reboliço! Vocês imaginam o que é 640anos-luz de distância! É muito, muito longe.. A ocorrer uma explosão, o aumento da amplitude da estrela, dada a distância, é quase nada ao longo dos anos, enfim para ser larga como a lua seriam precisos centenas de anos! Esqueçam lá isso! :)
 

Geiras

Cumulonimbus
Registo
16 Jun 2010
Mensagens
4,247
Local
Qta. do Conde / Sintra

Aristocrata

Super Célula
Registo
28 Dez 2008
Mensagens
6,190
Local
Paços de Ferreira, 292 mts
Eu que até gosto disto...
Sou adepto dos filmes de ficção científica (F-I-C-Ç-Ã-O) e seria interessante ver um fenómeno destes ao vivo. Comprava 100 sacos de pipoca e uma poltrona para o relvado e ficava 2 semanas a ver um espectáculo destes a 3D (3 dimensões).

Já me começam a tirar o sono! Xô com as más vibrações, senão a estrela não explode como deve ser...

Vou falar aos meus amigos; eles é que sabem disto.

marretas61.jpg
 

algarvio1980

Furacão
Registo
21 Mai 2007
Mensagens
10,723
Local
Olhão (24 m)
Bem bom, com um aumento da electricidade nada melhor que 2 semanas de dia, mas se pensarmos bem 2 semanas é pouco, é melhor o ano inteiro. Há que poupar que a factura energética está cara.

Se fosse um português a dizer isto eu batia palmas é uma forma de poupar na luz e estava a entrar no estado de paranóia, mas agora um australiano perdeu logo a piada. :D:lmao::lmao::lmao:
 

Albifriorento

Nimbostratus
Registo
4 Dez 2010
Mensagens
1,251
Local
Castelo Branco
http://www.destak.pt/artigo/86061

Decidi criar este tópico porque achei interessante esta notícia!
Apesar de a fonte não ser muito fiável acho que pode ser um bom tópico de conversa e discussão. Afinal de contas se alguma vez acontecer será um fenómeno bastante interessante de observar!

Como não consegui encontrar fontes mais confiáveis espero também que se conseguirem o tentei encontrar :p

Obrigado

As probabilidades de se conseguir prever a morte de uma estrela são inferiores ás da previsão de tremores de terra... O Paulo H já disse tudo :).

Não, não! 2 semanas só com sol! :D

:lmao:

Bom, na melhor das probabilidades nem sequer seriam 2 semanas de luz, mas sim um dia de luz normal e noites apenas ligeiramente mais claras que uma noite de Lua cheia :).

já agora uma citação que retirei da wiki, sobre um possível planeta a orbitar um sistema com duas estrelas...

http://en.wikipedia.org/wiki/Alpha_Centauri#View_from_a_hypothetical_planet
View from a hypothetical planet

An observer on a hypothetical planet orbiting around either Alpha Centauri A or Alpha Centauri B would see an intensely bright star in the night sky showing a small but discernible disk.

For example, some theoretical Earth-like planet orbiting about 1.25 AU from Alpha Centauri A (so that the star appears roughly as bright as the Sun viewed from the Earth) would see Alpha Centauri B orbit the entire sky once roughly every one year and three months (or 1.3(4) a), the planet's own orbital period. Added to this would be the changing apparent position of Alpha Centauri B during its long eighty-year elliptical orbit with respect to Alpha Centauri A (comparable in speed to Uranus here). Depending on the position on its orbit, Alpha Centauri B would vary in apparent magnitude between −18.2 (dimmest) and −21.0 (brightest). These visual magnitudes are much dimmer than the currently observed −26.7 magnitude for the Sun as viewed from the Earth. The difference of 5.7 to 8.6 magnitudes means Alpha Centauri B would appear, on a linear scale, 2500 to 190 times dimmer than Alpha Centauri A (or the Sun viewed from the Earth), but also 190 to 2500 times brighter than the −12.5 magnitude full Moon as seen from the Earth.

Also, if another similar Earth-like planet orbited at 0.71 AU from Alpha Centauri B (so that in turn Alpha Centauri B appeared as bright as the Sun seen from the Earth), this hypothetical planet would receive slightly more light from the more luminous Alpha Centauri A, which would shine 4.7 to 7.3 magnitudes dimmer than Alpha Centauri B (or the Sun seen from the Earth), ranging in apparent magnitude between −19.4 (dimmest) and −22.1 (brightest). Thus Alpha Centauri A would appear between 830 and 70 times dimmer than the Sun but some 6900 to 580 times brighter than the full Moon. During such planet's orbital period of 0.6(3) a, an observer on the planet would see this intensely bright companion star circle the sky just as we see with the Solar System's planets. Furthermore, Alpha Centauri A sidereal period of approximately eighty years means that this star would move through the local ecliptic as slowly as Uranus with its eighty-four year period, but as the orbit of Alpha Centauri A is more elliptical, its apparent magnitude will be far more variable. Although intensely bright to the eye, the overall illumination would not significantly affect climate nor influence normal plant photosynthesis.[83]

An observer on the hypothetical planet would notice a change in orientation to VLBI reference points commensurate with the binary orbit periodicity plus or minus any local effects such as precession or nutation.

Assuming this hypothetical planet had a low orbital inclination with respect to the mutual orbit of Alpha Centauri A and B, then the secondary star would start beside the primary at 'stellar' conjunction. Half the period later, at 'stellar' opposition, both stars would be opposite each other in the sky. Then, for about half the planetary year the appearance of the night sky would be a darker blue – similar to the sky during totality at any total solar eclipse. Humans could easily walk around and clearly see the surrounding terrain. Also reading a book would be quite possible without any artificial light.[83] After another half period in the stellar orbit, the stars would complete their orbital cycle and return to the next stellar conjunction, and the familiar Earth-like day and night cycle would return.

isto só para dizer que nalguns planetas, durante períodos significativos o sol (ou os sois) nunca se chegam a por.