Seguimento Açores e Madeira - Fevereiro 2010

Tópico em 'Seguimento Meteorológico' iniciado por AnDré 1 Fev 2010 às 01:23.

  1. profgeo

    profgeo
    Expand Collapse
    Cumulus

    Registo:
    8 Abr 2008
    Mensagens:
    140
    Local:
    Caniço- Funchal!!!
    não e por nada, mas a jornalista da RTP1 esta a dizer k o curral das freiras esta abaixo do nível médio do mar:eek::eek:!?!?!??!?!


    helllo curral das freiras esta a 600 metros, e as montanhas a mais de 100metros
     
  2. Mário Barros

    Mário Barros
    Expand Collapse
    Furacão

    Registo:
    18 Nov 2006
    Mensagens:
    12,501
    Local:
    Cavaleira (Sintra)
    Madeira: 20 mortos, segundo fonte hospitalar

     
  3. lsalvador

    lsalvador
    Expand Collapse
    Nimbostratus

    Registo:
    18 Nov 2006
    Mensagens:
    1,241
    Local:
    Alhos-Vedros / Tomar
    Acabaram de dar na Sic Noticias, confirmação de 25 mortos:eek:
     
    Collapse Signature Expandir Assinatura
  4. Skizzo

    Skizzo
    Expand Collapse
    Nimbostratus

    Registo:
    24 Set 2007
    Mensagens:
    1,360
    Local:
    Porto (centro) - cerca de 7km da costa
    Ministro da Administração Interna acabou de confirmar 25 mortos

    :disgust:
     
  5. madfaoi

    madfaoi
    Expand Collapse
    Cirrus

    Registo:
    15 Jan 2009
    Mensagens:
    5
    Local:
    caniço
    a jornalista tambem disse que o dolce era ao pe do mudeu da luz quando fica precisamente no outro lado da cidade
     
  6. actioman

    actioman
    Expand Collapse
    Cumulonimbus

    Registo:
    15 Fev 2008
    Mensagens:
    2,052
    Local:
    Elvas (~300m)
    Também estava a escutar essa barbaridade :eek:, ela o que queria era dizer que estava numa cota abaixo das montanhas em redor... enfim...:disgust:
     
    Collapse Signature Expandir Assinatura
  7. Sunderlandz

    Sunderlandz
    Expand Collapse
    Nimbostratus

    Registo:
    29 Jul 2009
    Mensagens:
    506
    Local:
    Machico (ilha da Madeira) 35 m
    Neste momento já não chove.
    Vi agora nas noticias, e já estão confirmados cerca de 25 vitimas mortais.:(

    Condições Actuais :

    Temperatura - 20.8ºC
    Humidade Relativa - 65%
    Pressão Atmosférica - 999 hpa
    Vento - fraco S
    Precipitação - 75 mm
     
    Collapse Signature Expandir Assinatura
  8. Vince

    Vince
    Expand Collapse
    Furacão

    Registo:
    23 Jan 2007
    Mensagens:
    10,624
    Local:
    Braga
    25 mortos confirmados :( Que tragédia.
    As nossas condolências e força para as famílias.
     
  9. PedroAfonso

    PedroAfonso
    Expand Collapse
    Nimbostratus

    Registo:
    18 Fev 2008
    Mensagens:
    1,180
    Local:
    Covilhã (700 m) / Almada
    Acabaram de confirmar: 25 pessoas pereceram com este temporal, sobrepondo em larga escala, as perdas do evento de 1993.

    É mesmo uma tragédia o que se passa na Madeira.

    As minhas condolências para todos os que não resistiram a este temporal. :(
     
  10. mcpa

    mcpa
    Expand Collapse
    Cumulus

    Registo:
    6 Ago 2009
    Mensagens:
    141
    Local:
    Ponta Delgada, S. Miguel, Açores
    rtp noticias acaba de ser confirmada a existencia de 25 mortes!!!!!!!

    ainda não consegui saber nada da minha sogra. ela trabalha ao pé da policia.
     
  11. NGuedes

    NGuedes
    Expand Collapse
    Cirrus

    Registo:
    30 Nov 2008
    Mensagens:
    7
    Local:
    Amadora
    Para quem tiver twitter pode seguir la com a hashtag #tempmad
     
  12. meteo

    meteo
    Expand Collapse
    Nimbostratus

    Registo:
    15 Fev 2008
    Mensagens:
    1,867
    Local:
    Oeiras
    Isto é horrivel. A chuva pode mesmo ser destruidora,e depois de um Inverno muito chuvoso como tem sido na Madeira,mais de 100 mm numa madrugada e manhã é o pior que poderia ter acontecido.

    Algumas recomendações já dadas:
    -Não sair de casa,só em caso de urgencia.
    -Telefonar só em situações muito importantes.
    -Muita Força neste momento,esperar com calma( a possível )que passe o pior.
    -Guardar água potável para o caso de ser necessária.
    -Não se aproximar das zonas costeiras,ou zonas onde possam haver derrocadas.


    As minhas condolencias ás familias que perderam alguem.:(
     
  13. filipept

    filipept
    Expand Collapse
    Cumulus

    Registo:
    11 Out 2006
    Mensagens:
    492
    Local:
    Bico-Amares-Braga
    Impressionante o número de vítimas deste episódio (tragédia). Sem palavras...
    As condolências para os familiares e amigos das vítimas.

    Edit: desculpem mas acho importante, para seguir a emissão da rtpn na net http://tvtuga.no.sapo.pt/rtpn.html
     
  14. AndréFrade

    AndréFrade
    Expand Collapse
    Cumulonimbus

    Registo:
    6 Jun 2009
    Mensagens:
    4,558
    Local:
    Montijo / Loures (Atual)
    Já foram confirmados 25 mortos:(
    As minhas condolências para os que não sobreviveram a esta "tempestade".
     
    Collapse Signature Expandir Assinatura
  15. Skizzo

    Skizzo
    Expand Collapse
    Nimbostratus

    Registo:
    24 Set 2007
    Mensagens:
    1,360
    Local:
    Porto (centro) - cerca de 7km da costa
    Vinte e cinco mortos confirmados e 63 feridos na Madeira

    Vinte e cinco vítimas mortais,confirmados pelo ministro da Administração Interna, dois desaparecidos, 63 feridos internados no Hospital Dr. Nélio Mendonça, dezenas de carros arrastados, inúmeras inundações em casas, lojas e grandes edifícios públicos são o actual balanço do temporal que atinge o arquipélago da Madeira desde a madrugada deste sábado.

    O presidente da Câmara do Funchal, Miguel Albuquerque, informou que as situações mais graves têm ocorrido nas zonas altas do concelho do Funchal e, também, no concelho da Ribeira Brava.

    No Serviço de Urgências do hospital Dr. Nélio Mendonça, no Funchal, deram entrada até às 17h00, 63 feridos, dois dos quais em estado grave, de acordo com o responsável clínico da instituição.

    Pedro Ramos, o director clínico e o Presidente do Serviço de Saúde da Madeira, Miguel Ferreira e Almada Cardoso, fizeram o primeiro balanço da situação.

    Estes responsáveis garantiram que existe um plano de resposta hospital para emergências externas com vítimas que abrange diversos níveis que "foram todos activados".

    "Temos neste momento 63 pessoas que deram entrada no serviço de Urgências com os mais variadíssimos problemas e que obrigou o Hospital a activar todos os níveis de resposta à catástrofe", disse Pedro Ramos.

    Destes casos, "apenas duas situações merecem a atenção do bloco operatório, da especialidade de ortopedia e que estão em condições de serem submetidas à intervenção cirúrgica de que necessitam".

    No que diz respeito aos feridos, "alguns casos são de hipotermia, pessoas que ficaram soterradas ou foram arrastadas nas enxurradas, pequenas feridas, a maior parte são situações de baixo risco que só vão ficar até domingo por questão de segurança e é difícil regressarem aos seus lares", de acordo com aquele responsável clínico.

    "A situação está toda controlada, as equipas de intervenção do Bloco e várias especialidades, todos os colegas responderam ao apelo do virem para o Hospital e estão de prevenção", garantiu Miguel Ferreira.

    As equipas de enfermagem estão super-reforçadas e o pessoal de todos os sectores deram um "apoio excepcional para uma eventualidade de socorro", acrescentou.

    Reunião de urgência do Governo Regional
    O Governo Regional agendou para as 17h00 deste sábado uma reunião de emergência da proteção civil devido ao mau tempo que está a atingir a ilha e em particular a cidade do Funchal.

    Na baixa do Funchal a população viveu momentos de pânico. As águas das ribeiras ultrapassaram os muros de protecção e galgaram as principais pontes da cidade, como na Ponte do Bazar do Povo, a ponte do mercado (que desabou parcialmente) e a ponte junto ao edifício Dolce Vita, onde as águas ameaçam destruir uma rotunda ali construída recentemente.

    As zonas altas da Madeira foram as mais atingidas com a chuva persistente a provocar derrocadas nos Moinhos, Três Paus, Trapiche (onde morreu uma senhora idosa alarmada com o desabar do telhado da sua casa provocado pela queda de uma grua).

    A baixa da cidade está intransitável ao trânsito automóvel, com a Avenida do Mar e a zona velha da cidade completamente alagadas bem como a avenida Arriaga, a rua Fernão de Ornelas.

    O shopping Dolce Vitta foi evacuado e o parque de estacionamento de vários andares está completamente inundado. O mesmo ocorreu no Centro Comercial do Anadia, onde a água transbordou no estacionamento.

    A via rápida Ribeira Brava - Machico está interrompida em variadíssimos pontos, pelo que a circulação está praticamente intransitável.

    O Instituto Nacional de Meteorologia, diz que "o pior já terá passado" e prevê que a tarde não seja tão pluviosa como foi a manhã, designadamente entre o período compreendido entre as 09h00 e as 10h00 horas da manhã, período em que choveu 52 milímetros no Funchal e 58 milímetros no Pico do Areeiro, segundo ponto mais alto da Região.

    Os ventos muito fortes que chegaram a atingir os 100 quilómetros das zonas altas e a forte ondulação marítima contribuiram para o agravamento da situação.

    Governo agarante apoio às vítimas
    O primeiro-ministro, José Sócrates, declarou estar "absolutamente consternado" com a destruição e as vítimas mortais provocadas pelo temporal que assola a Madeira adiantando que o Governo "tudo fará" para apoiar esta região autónoma.

    "Estou absolutamente consternado e desolado com as imagens que pude observar sobre as consequências do temporal na Madeira", declarou José Sócrates, à margem da reunião da Comissão Nacional do PS.

    O líder do governo central expressou "toda a solidariedade ao Governo Regional da Madeira, à Câmara Municipal do Funchal" e garantiu que da parte do seu executivo haverá "toda a disponibilidade do Governo da República para cooperar na resposta à situação".

    "Quero expressar a minha solidariedade, a minha profunda mágoa e deixar uma palavra de coragem a todos aqueles que foram afectados", disse.

    O ministro da Administração Interna, Rui Pereira, partirá de avião para a Madeira logo que as condições climatéricas permitirem que aterre nesta região autónoma.

    "É um sinal claro que estamos com os madeirenses neste momento difícil. Tudo faremos para que a resposta à situação seja encontrada numa cooperação entre os governos da República, da Região Autónoma e da Câmara do Funchal", frisou José Sócrates.

    O Instituto de Meteorologia elevou para Vermelho o nível de alerta para a Madeira, o máximo.

    Açores apoiam
    Começam a chegar entretanto ao Governo regional da Madeira missivas de apoio dos mais variados quadrantes.

    Depois de o Governo pela voz do primeiro-ministro, José Sócrates, ter garantido todo o apoio da governo central, também Carlos César líder do governo regional da outra região autónoma portuguesa, os Açores, fez chegar a Alberto João Jardim uma mensagem de consternação e apoio.

    Para além, de disponibilizar a sua colaboração e solidariedade pessoal e institucional para fazer face ao mau tempo na ilha da Madeira, Carlos César afirma-se "consternado" com as consequências das fortes chuvas que assolam o arquipélago da Madeira e que já provocaram, pelo menos, cinco vitimas mortais, vários feridos e danos materiais avultados.

    "Quero, por este meio, deixar-lhe a expressão da minha solidariedade pessoal e institucional e lamentar as vítimas mortais e danos ocorridos", escreve o Presidente do Governo Regional dos Açores na carta.

    Carlos César solicitou ao seu secretário Regional da Ciência, Tecnologia e Equipamentos para que contactasse o homólogo madeirense visando oferecer a colaboração do Governo açoriano "em tudo o que for considerado útil".

    Situação evidencia erros de ocupação do território - denuncia a Quercus
    A Quercus vem na sequência dos últimos trágicos acontecimentos na Madeira, denunciar que o caos provocado pelas fortes chuvas no arquipélago é também "consequência dos inúmeros erros de ocupação do território" que se têm vindo a registar ao longo dos anos naquela ilha.

    "É uma situação que obviamente decorre da forte pluviosidade. Mas existem inúmeros erros de ocupação do território que se têm vindo a registar ao longo do tempo e que agora demonstram as suas consequências", afirmou Hélder Spínola, dirigente nacional da Quercus.

    O dirigente nacional da organização ambientalista, que está na Madeira, lamentou o facto de "os cenários mais graves" para os quais várias entidades, incluindo a Quercus, alertaram se estejam a confirmar.

    A "situação catastrófica" que se vive actualmente no Funchal e em alguns concelhos limítrofes devido às fortes chuvas é também uma consequência das "construções junto aos leitos das linhas de água, dos lixos, terras e entulhos que têm sido despejadas dentro das ribeiras e da impermeabilização cada vez maior dos solos", diz Hélder Spínola.

    "Estes são factores que agora nesta situação mais delicada acabam por significar, infelizmente, perdas de vidas humanas e uma destruição enorme de bens materiais", criticou.

    As "ribeiras estão quase todas a galgar, há pontes destruídas e muitos carros arrastados", explica o dirigente da organização ambientalista.

    Para a Quercus é fundamental que "de agora em diante se faça uma revisão da forma como ordenamos o território" e se assegure que "tudo não continue na mesma, como já aconteceu no passado". Por outro lado, é preciso "repensar a estratégia que tem vindo a ser seguida de ocupar os espaços, independentemente de eles estarem em zonas de risco", continua.

    "É fundamental que não se continue a fazer isso. Existem situações que vêm de erros do passado, mas presentemente continuam a ser desenvolvidas obras e construções nessas mesmas circunstâncias", criticou.

    RTP
     

Partilhar esta Página