Sismos Portugal 2021



fablept

Nimbostratus
Registo
12 Nov 2008
Mensagens
1,405
Local
Ponta Delgada - Açores
Como vêem a magnitude foi diferente nas agências que o detectaram. Porque será?
Nem magnitude nem localização (quase 100km de diferença entre IPMA e IVAR), mas é bastante comum isto acontecer.

Ente vários factores por isto ocorrer, o mais relevante é que o IPMA e IVAR tem redes sísmicas independentes, o IPMA tem estações nos Açores, Continente, Madeira, algumas de fundo oceânico (se tiverem activas) e possivelmente utiliza dados de algumas estações internacionais (Espanha), enquanto o IVAR (CIVISA), apenas tem e usa estações nos Açores.

Sendo este sismo meio caminho andado entre Açores, Madeira e Continente (mais longe), o IPMA tendo uma rede sísmica mais abrangente, consegue calcular melhor os dados de um sismo.
Mas calcular um sismo não é linear, é necessário várias estações sísmicas com registos de qualidade e depois rever manualmente os dados para calcular a magnitude. Cada estação regista amplitudes diferentes de um sismo, seja pela distância, factores geológicos.

Geralmente a magnitude de um sismo é calculada de forma automática, mas este valor raramente é final, por isso é normal que seja revisto manualmente.
Por exemplo, https://www.emsc.eu/Earthquake/earthquake.php?id=1075094#scientific
Podes ver que na coluna "Mag", diferentes estações sísmicas espalhadas pelo mundo calculam, que apesar de forma aproximada, um valor diferente de magnitude.
 

algarvio1980

Furacão
Registo
21 Mai 2007
Mensagens
11,348
Local
Olhão (24 m)
Há 12 anos que aconteceu o sismo mais forte (6.0) às 01:37 na falha de Gorringe. :cold: Foi o sismo mais assustador...
 

Wessel1985

Nimbostratus
Registo
21 Set 2013
Mensagens
1,582
Local
Angra do Heroismo, Ilha Terceira, Açores
Há 12 anos que aconteceu o sismo mais forte (6.0) às 01:37 na falha de Gorringe. :cold: Foi o sismo mais assustador...
Lembro-me perfeitamente desse evento ...

Estava a estudar em Setúbal e já estava a dormir ...

Nem senti bem o sismo mas os meus colegas de casa começaram aos berros a dizer que tinham sentido o sismo e que era terrível ...

Na altura não dei conta de ter sido assim tão forte e disse lhes muito calmamente para voltarem a dormir ... coisa que acabaram por fazer ...

Mas sei que noutras partes do país sentiu-se com bastante intensidade ...

Depende mesmo se estamos a dormir ou não ahah
 

algarvio1980

Furacão
Registo
21 Mai 2007
Mensagens
11,348
Local
Olhão (24 m)
Lembro-me perfeitamente desse evento ...

Estava a estudar em Setúbal e já estava a dormir ...

Nem senti bem o sismo mas os meus colegas de casa começaram aos berros a dizer que tinham sentido o sismo e que era terrível ...

Na altura não dei conta de ter sido assim tão forte e disse lhes muito calmamente para voltarem a dormir ... coisa que acabaram por fazer ...

Mas sei que noutras partes do país sentiu-se com bastante intensidade ...

Depende mesmo se estamos a dormir ou não ahah
Já tinha sentido vários, o 12 de Fevereiro de 2007 também abanou bem mas foi de manhã, mas o de 2009, estava a dormir e a cama tremeu forte em duas direcções distintas, o 1ª movimento E->W e depois S->N, mas nem saí da cama, fiquei sem reacção. :D
 

algarvio1980

Furacão
Registo
21 Mai 2007
Mensagens
11,348
Local
Olhão (24 m)

Publicação de Sismologia​


O IPMA deu à estampa a publicação "Da Sismicidade à Ciência dos Sismos: Para a História da Sismologia em Portugal”, da autoria de Jorge Miguel Quintino Gomes Ferreira.

A obra resulta da tese de doutoramento do autor e contém informação relevante não só para aqueles com interesse científico no tema, como para a comunidade em geral com curiosidade por sismologia.

A partir do fenómeno sísmico, o autor apresenta como evolui a explicação deste fenómeno nas diferentes épocas, e como a comunidade científica se foi organizando para fazer face aos terramotos e às suas consequências.

A obra integra-se na série de publicações "IPMA Conhecimento", que visa dar a conhecer trabalhos científicos de qualidade e relevância relacionados com a missão do IPMA, nas suas áreas de atuação, como sendo a Meteorologia, o Clima, a Sismologia, o Mar e Recursos Marinhos.

A obra está disponível nas Bibliotecas do IPMA (Sede - Aeroporto e Algés) e pode também ser acedida digitalmente no link: https://bit.ly/3DRnGOJ


IPMA_CAPA_FINAL.jpg
 

MSantos

Staff
Registo
3 Out 2007
Mensagens
9,994
Local
Azambuja / Rio Maior
Já tinha sentido vários, o 12 de Fevereiro de 2007 também abanou bem mas foi de manhã, mas o de 2009, estava a dormir e a cama tremeu forte em duas direcções distintas, o 1ª movimento E->W e depois S->N, mas nem saí da cama, fiquei sem reacção. :D

Acho que é normal ficar sem reação. No primeiro sismo que senti fiquei tão atarantado que só depois do sismo acabar é que fui para a ombreira da porta... :facepalm::D
 

algarvio1980

Furacão
Registo
21 Mai 2007
Mensagens
11,348
Local
Olhão (24 m)
Acho que é normal ficar sem reação. No primeiro sismo que senti fiquei tão atarantado que só depois do sismo acabar é que fui para a ombreira da porta... :facepalm::D
E sonhar com um? Tive essa sensação na última noite e garanto que não soube nada bem, estava a dormir na cama senti a cama tremer, até o corpo tremia, ouvi pessoas a gritarem que era um sismo e, nisso acordo meio aparvalhado e penso era um sismo real ou estaria a sonhar, pergunto a quem estava a dormir ao meu lado diz que não sentiu nada, passado algum tempo fui ao site do IPMA e nada, afinal foi um sonho e não consegui dormir o resto da noite. :confused:
 

Wessel1985

Nimbostratus
Registo
21 Set 2013
Mensagens
1,582
Local
Angra do Heroismo, Ilha Terceira, Açores
CIVISA disponibiliza Carta de Sismicidade dos Açores de 2021




No âmbito do projeto VOLRISKMAC II, financiado pelo Programa de Cooperação INTERREG V-A Espanha-Portugal MAC (Madeira-Açores-Canárias) 2014-2020, o Centro de Informação e Vigilância Sismovulcânica dos Açores (CIVISA), em colaboração com o Instituto de Investigação em Vulcanologia e Avaliação de Riscos (IVAR) da Universidade dos Açores, publicou hoje, no seu website, a Carta de Sismicidade dos Açores de 2021. Esta publicação surge na sequência do compromisso assumido pelo CIVISA em 2018 de disponibilizar, anualmente, a Carta de Sismicidade dos Açores numa plataforma acessível e de forma gratuita.

Para além do mapa de sismicidade anual do arquipélago, esta publicação apresenta os mapas de sismicidade mensal, o mapa com a configuração da Rede de Monitorização Sísmica Permanente do CIVISA, bem como o mapa com as áreas sismogénicas definidas para o arquipélago e as quais são alvo de monitorização. Para além destes elementos, apresenta igualmente as distribuições diária e mensal do número de eventos registados e sentidos e da energia sísmica libertada.

Para este período, o CIVISA registou 2.422 sismos, dos quais 1.668 obtiveram localização hipocentral e encontram-se projetados na Carta de Sismicidade dos Açores 2021. Para os restantes eventos sísmicos, devido ao facto de serem muito pouco energéticos e não terem sido detetados por um número suficiente de estações, não foi possível obter localização.

Em termos de distribuição geográfica, a maioria da sismicidade concentrou-se a W do Faial (zona sismogénica SZ43), a S de São Miguel (zona sismogénica SZ07) e na Crista Submarina da Serreta (SZ25), onde se registaram 344, 155 e 142 eventos, respetivamente.

O maior número de sismos foi registado no mês de março (559 sismos), tendo contribuído em grande parte para este número, a crise sísmica ocorrida na Crista Submarina da Serreta, ao largo da ilha Terceira.

Relativamente à sismicidade sentida, esta ocorreu, predominantemente, nos meses de julho e agosto, com 3 e 4 eventos, respetivamente, totalizando 17 sismos sentidos em todo o ano. O maior número de sismos sentidos é justificado pela atividade sísmica registada a S de São Miguel (SZ07). O sismo mais energético (sentido) ocorreu no dia 11 de janeiro com ML=5,1 (Richter) e localizou-se na zona sismogénica a W do Faial (SZ43). Este sismo foi sentido com intensidade máxima IV/V nas freguesias de Capelo, Castelo Branco, Praia do Norte e Feteira (ilha do Faial).

A zona sismogénica onde ocorreu maior libertação de energia foi a W do Faial (SZ43), responsável por um grande número de eventos de magnitude baixa a moderada, totalizando um valor energético de 1,02E19 ergs. No entanto, as zonas sismogénicas com maior número de sismos não são necessariamente aquelas que apresentam maior valor de energia libertada, pois depende da magnitude de cada evento sísmico. A zona sismogénica com o segundo maior valor de energia libertada foi a Falha GLORIA (SZ01), com 1,13E18 ergs, e na qual apenas 47 sismos foram gerados.

A maior libertação de energia registou-se no mês de janeiro, com 9,48E18 ergs, correspondendo à atividade sísmica registada a W da ilha do Faial (SZ43).

Para o Presidente da Direção do CIVISA, Professor Doutor Rui Marques, com a continuidade desta ação pretende-se promover uma maior consciencialização em relação aos perigos naturais, diminuindo o desfasamento existente entre o conhecimento científico e a população, fomentando uma sociedade mais sustentável e cidadãos cientificamente mais cultos.


Carta de Sismicidade dos Açores de 2021: http://www.ivar.azores.gov.pt/civisa/Documents/Carta_sismicidade_2021.pdf





Fontes

IVAR/CIVISA



sismicidade-2021.jpg