Tornados em Portugal

Profetaa

Cumulus
Registo
20 Jan 2009
Mensagens
329
Local
Febres -Cantanhede(altitude 57m)
Boas ....
No passado dia 29 de Outubro, um forte vendaval passou pela minha terrinha (ver os links com noticia e fotos), provocando alguns estragos, nomeadamente telhado de alguns pavilhoes da escola secundária, outros telhados (inclusive da torre da Igreja Matriz), arvores arrancadas, estufas Horticolas destruidas, etc.

A minha questão é a seguinte poderá haver algum factor do solo (excepto a altitude, pois este é um dos locais mais baixos da localidade), que interfira na zona onde ventos mais fortes ocorrem?
Isto porque apesar deste local ser de baixa altitude é lá que os ventos provocam mais estragos aqui na zona...
Há cerca de 8 anos ventos fortes derrubaram arvores e destruiram postes de electricidade e telhados nesta zona, no ano passado este local foi o mais afectado aquando dos ventos fortes em Fevereiro e agora novamente esta zona bastante afectada com o vento de 29 de Outubro....

Desculpem o off-toppic e talvez a pergunta sem grande logica, mas é algo que já me intrigou e a várias pessoas daqui....

http://meteofebres.blogspot.com/2010/10/vento-faz-estragos-em-febres.html

http://www.diariocoimbra.pt/index.php?option=com_content&task=view&id=9702&Itemid=135

http://aurinegra.wordpress.com/2010/11/05/ventos-ciclonicos-em-febres/
 

stormy

Super Célula
Registo
7 Ago 2008
Mensagens
5,117
Local
Lisboa
Bom, na minha opinião o sistema montanhoso Sintra-Estrela tem demonstrado uma grande importancia no que toca a estes sistemas convectivos tornadogenicos.

Primeiro, há que dizer que os tornados em Portugal ocorrem em situações de crista anticiclonica a SE/E e depressão/ULL a W/SW, mais frequentemente entre Outubro e Dezembro, embora haja registos tambem na Primavera ( Fev/mar a Abr), estes ultimos tambem ocorrem sob sinópticas similares.
No Inverno a actividade tornádica pode tambem ocorrer em situações de pós frontal intenso.

A predominancia Outonal deve-se ao facto desta ser uma altura do ano ser a que comporta maior instabilidade potencial ( SST´s elevadas vs Atmosfera em rápido arrefecimento).
O padrão sinoptico acima referido transporta grandes quantidades de ar tropical humido á superficie ( Theta e > 45º, Dewpoints >15º), sendo tambem responsavel pela introdução de uma franja de ar frio nos niveis altos, com a T500 geralmente abaixo dos -15º...este factor é dependente da posição exata da crista, que optimamente ficará no E Espanhol.
Nestas situações estamos sob a area divergente em altura e sob advecção de vorticidade e helicidade.

As caracteristicas deste tipo de ambientes é muito dinamica, aos baixos FCL´s juntam-se niveis de equilibrio elevados, que potenciam convecção profunda, as células geradas são de evolução rápida devido ao shear e á divergencia em altura ( por exemplo, estavamos ontem sob um fluxo médio nos 500-300hpa de 100 a 140km.h).

A helicidade e vorticidade por seu lado conferem rotação á massa de ar.

A razão dos tornados serem relativamente raros noutras alturas do ano é simples....só neste periodo é que as condições dinamicas se conseguem conjugar todas.

Bom, no que toca so sistema montanhoso Sintra-Estrela, eu acho que as suas altitudes relativamente baixas são potenciadoras de forcing vertical por efeito orografico....numa situação de uma célula sobre o mar, tanto a existencia de montes perto da costa quer uma boa convergencia costeira tendem a intensificá-las imediatamente após atingirem a linha de costa.

No caso da célula de ontem, pode-se ver que esta em mar alto apresentava uma organização pouco notória, mas ao atingir terra deu-se uma intensificação rápida, que creio estar relacionada com a topografia da zona do sistema Sintra-Estrela que atravessou.
É factual que grandes rugosidades topograficas distorcem o fluxo de ar, sendo más para a criação de sistemas tornadogénicos...acontece que a area montanhosa que este sistema cruzou tem altitudes maximas de 400-500m, que podem potenciar movimentos verticais sem causar garande distorção do fluxo predominante.

Se se pode considerar a zona ribatejana como um "tornado aley" Português, sinceramente não sei...mas é-me irrefutavel que as condições geograficas da zona podem ser favoraveis á criação de sistemas convectivos paciveis de criar tornados.

Os tornados em Portugal estão relativamente mal documentados...a principal razão é a ineficiencia dos radares a nivel de resolução....que os torna incapazes de detectar os "hook like features", e obviamente a falta de observações directas, resultantes da baixa densidade populaçional onde estes fenomenos acontecem.

Na minha opinião, areas muito mais vastas como grande parte do Alentejo devem ser locais relativamente bons para a actividade tornadica....pois são locais que nestas ocasiões de entradas de ar tropical, tendem a aquecer bastante devido á baixa altitude, formando uma camada limite aquecida pronta a ser explorada por estes sistemas, e estão rodeados de zonas montanhosas como as serras litorais ou mesmo a serra Alagrvia, que são boas criadoras de fenomenos de forcing vertical.


Padrão atmosferico tipico em dias de formação de tornados em Portugal continental:



Uploaded with ImageShack.us
 
  • Gosto
Reactions: Maxwell Black

joseoliveira

Cumulonimbus
Registo
18 Abr 2009
Mensagens
2,889
Local
Loures (Moninhos) 128m
A minha questão é a seguinte poderá haver algum factor do solo (excepto a altitude, pois este é um dos locais mais baixos da localidade), que interfira na zona onde ventos mais fortes ocorrem?
Isto porque apesar deste local ser de baixa altitude é lá que os ventos provocam mais estragos aqui na zona...

Se com a passagem de eventos convectivos se poderá determinar qual o potêncial de forcing vertical que possa resultar em eventos desta natureza, pode-se dizer com alguma segurança que a área de Cantanhede por exemplo não é um bom porto de abrigo? É provável!

Boa parte do concelho abrange áreas a cotas baixas cuja média anda bem perto daquela a que te encontras e o que se pode observar em volta é praticamente uma planura onde é apenas à saída Este da cidade que se observam alguns relevos em 1ª linha apesar de não serem proeminentes.
A imprevisibilidade destes fenómenos pode à partida identificar áreas tendencialmente propícias ao seu desenvolvimento, Cantanhede pode eventualmente ser considerada um ponto de passagem que cautelosamente se poderia identificar como tal; é sempre um risco fazer uma avaliação deste tipo visto que infelizmente os meios técnicos para o fazer são insuficientes e ainda que não fossem, vários estudos teriam que ser realizados num período de duração específico.

Cantanhede está situada mais ou menos a meio caminho numa área de transição cujo gradiente térmico/humidade apresenta uma trajectória de variação considerável entre a linha costeira a pouco mais de 20km e o sector serrano com orientação NNW do qual faz parte por exemplo a Serra do Buçaco à cota dos cerca de 500m, todos estes factores conjugados poderão contribuir para definir o seu grau de exposição, mas nunca esquecendo que o factor circunstância está sempre presente.
 

Profetaa

Cumulus
Registo
20 Jan 2009
Mensagens
329
Local
Febres -Cantanhede(altitude 57m)
Se com a passagem de eventos convectivos se poderá determinar qual o potêncial de forcing vertical que possa resultar em eventos desta natureza, pode-se dizer com alguma segurança que a área de Cantanhede por exemplo não é um bom porto de abrigo? É provável!
.

Obrigado pela explicação....:thumbsup:
 

Iwannaknow

Cirrus
Registo
9 Dez 2010
Mensagens
2
Local
Queluz
Boas,esclareçam-me uma dúvida,o nosso clima esta a mudar,o anticiclone dos açores funciona com um escudo para Portugal Continental,mas ultimamente temos dito alterações climatéricas,devido as mudanças a nível global tais como aquecimento dos oceanos e as calotes polares a descongelarem e entre outros fenómenos,a temperatura do Oceano Atlântico sofreu alterações,será que isso causou algum efeito no A.A e em consequência temos tido estes fenómenos em Portugal?
 

filipept

Cumulus
Registo
11 Out 2006
Mensagens
492
Local
Bico-Amares-Braga
No Jornal da Noite da SIC, o Luís Costa Ribas, citando o Weather Channel, referiu que Portugal teve 44 tornados nos últimos 10 anos. Este é um número já considerável, que mostra que o fenómeno não será tão recente quanto se pense (desconheço, porém, a base do weather channel para essa contabilidade).
A percepção da opinião publica para os tornados tem sido maior, existe maior atenção dos media, mais meios para relatar e gravar as ocorrências.
Tivemos sempre alguma sorte onde os tornados ocorreram... até ontem (mesmo assim, ontem quase se pode falar em milagre devido ao facto de não existirem vitimas mortais, foi mesmo muita sorte).
 
Última edição:

Paulo H

Cumulonimbus
Registo
2 Jan 2008
Mensagens
3,159
Local
Castelo Branco 386m(489/366m)
No Jornal da Noite da SIC, o Luís Costa Ribas, citando o Weather Channel, referiu que Portugal teve 44 tornados nos últimos 10 anos. Este é um número já considerável, que mostra que o fenómeno não será tão recente quanto se pense (desconheço, porém, a base do weather channel para essa contabilidade).
A percepção da opinião publica para os tornados tem sido maior, existe maior atenção dos media, mais meios para relatar e gravar as ocorrências.
Tivemos sempre alguma sorte onde os tornados ocorreram... até ontem (mesmo assim, ontem quase se pode falar em milagre devido ao facto de não existirem vitimas mortais, foi mesmo muita sorte).

44 tornados em 10 anos em Portugal já é bastante significativo.. Normalmente associamos a ocorrência destes fenómenos aos Estados Unidos, mas então, quantas vezes maior é aquele país em relação a Portugal??

Convém nunca esquecer que já ocorreram tornados com piores consequências, não ontem, mas várias décadas atrás: um brutal tornado de categoria F3 passou em castelo branco vitimando 5 pessoas em 1954 e 220 feridos! Uma estrutura de coreto voou literalmente quase 1km do centro da cidade para o parque da cidade! Portanto, não é de ontem, simplesmente acontece de vez em quando!

http://www.meteopt.com/forum/eventos-meteorologicos/tornados-em-portugal-780-2.html
 

Diogo.lis.vpa

Cumulus
Registo
18 Dez 2007
Mensagens
279
Local
Vale de Figueira
Estou plenamente de acordo com o pauloH,e não esquecer um facto a génese dos furações da América do norte nada tem a ver com a génese dos furacões europeus.


E muito mau e os estragos provocados,mas quanto a isso não podemos fazer nada, temos que cá andar e estar parcialmente preparado o que só por si já e muito difícil.


Cumprimentos a Todos,apesar de não postar nada no forum tento sempre por um olho em vocês meteo colegas :D
 

actioman

Cumulonimbus
Registo
15 Fev 2008
Mensagens
2,052
Local
Elvas (~300m)
Não sei ao certo, mas após ouvir um relato de uma colega de trabalho que tem familiares na zona da Esperança (Arronches, Portalegre) e depois ler umas notícias sobre o evento e consultar imagens do radar do IM, parece-me que o tornado do passado dia 7 de Dezembro Tomar/Ferreira do Zêzere/Sertã, não terá sido o único nesse dia... :unsure:

Ora vejam esta imagem do dia 07DEZ10 pelas 18H e nos seguintes links algumas fotos e relatos do sucedido:

por101207180029.jpg



O mau tempo da passada terça-feira provocou danos consideráveis no concelho de Arronches.

De acordo com o site Arronches em Notícia, a forte trovoada que atingiu o concelho de Arronches ao fim da tarde da passada terça feira com muita chuva, granizo e forte ventania deixou um rasto de destruição com postes de electricidade e telefones arrancados, bem como árvores de grande porte.

As zonas mais afectadas foram Nave Fria na freguesia de Mosteiros e Perna Chã na freguesia de Esperança, com a queda de inúmeras árvores e estragos em habitações.
Em Perna Chã foi necessário preceder ao realojamento de um idoso no Centro de Bom Jesus de Esperança, que viu a sua habitação danificada pela tempestade.

Fonte dos Bombeiros Voluntários de Arronches referiu que estiveram cortadas ao trânsito ao início da noite três estradas municipais, por árvores tombadas para a fixa de rodagem.

Notícia da Rádio Elvas



arronches2b25e225802593.jpg


arronches2b25e225802593.jpg


Notícia do Blog: Arronches em Notícias

Pelo que me contaram as árvores foram arrancadas de raiz como se fossem palitos e algumas eram sobreiros de grande porte! :eek: No relato em particular diziam-me que uma árvore mesmo em frente à casa fora arrancada e atirada a alguns metros a ela estava preso um canito com a sua casota! Escusado será dizer que foi o triste fim do animal :(.

Isto está mesmo a ficar complicado...:shocking:

Edito apenas para acrescentar um comentário que só agora vi neste mesmo blog que antes referi e que passo a citar:

Anónimo disse...

Confirmo o que diz o comentário das 03:31, quando ao anoitecer viajava vindo da Codosera onde fui abastecer o carro de combustível, para a zona de Alegrete pude com clareza observar desde a zona da serra do monte novo como no céu vindo de poente em direcção a nascente vir o que parecia ser um redemoinho de nuvens negras em movimento iluminado por relâmpagos, confesso que fiquei assustado, já fazia vento, chovia bastante e trovejava.

Só me apercebi realmente do perigo quando cheguei a Nave Fria e vi árvores arrancadas pela raiz e chapas de zinco retorcidas em postes e árvores, tive sorte por ter chegado alguns minutos depois da passagem da tempestade, claro para poder seguir viagem tive que retirar alguns destroços da estrada nas proximidades da antiga escola primária
Não esqueço a aflição de um pai que desesperado procurava saber que o filho já tinha regressado no transporte escolar, pelo que me apercebi no local pela descrição das pessoas o barulho provocado pelo tal redemoinho de vento e trovões foi horrível.
Como já era noite e a iluminação pública já estava apagada apenas pude ver a destruição junto á estrada.

J. Parente