Trovoada e Raios/Descargas eléctricas/Relâmpagos

luismeteo3

Furacão
Registo
14 Dez 2015
Mensagens
17,112
Local
Fatima (320m)
Meteorologia vai renovar e aumentar sensores de trovoadas
05 DE JULHO DE 2017 - 07:01


Renovação da rede de sensores de descargas elétricas vai demorar 3 anos e chegar, pela primeira vez, à Madeira e aos Açores.

image.aspx


O Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) vai renovar toda a rede do sistema de deteção de descargas elétricas atmosféricas, chegando, pela primeira vez, à Madeira e aos Açores.

A renovação vai acontecer nos próximos três anos e, segundo o presidente do IPMA, não tem nada a ver com o caso de Pedrógão Grande pois já estava prevista há algum tempo. Miguel Miranda explica que atualmente Portugal Continental tem quatro sensores em Braga, Castelo Branco, Olhão e Alverca, este último desativado há algum tempo.

SUBSCREVER
Foram os três sensores portugueses em funcionamento, conjugados com os espanhóis perto da fronteira, que permitiram ao IPMA concluir, no relatório pedido pelo primeiro-ministro, com uma probabilidade de 95%, que não existiu qualquer raio a cair em Escalos Fundeiros, onde começou o incêndio de Pedrógão Grande que matou 64 pessoas.

O presidente do IPMA explica à TSF que os sensores são antigos, têm mais de 20 anos, e começam a ter avarias, pelo que é preciso renová-los com tecnologia mais moderna.

Miguel Miranda garante, no entanto, que se os sensores fossem mais modernos e mesmo que o sensor de Alverca estivesse a funcionar não teria sido possível obter resultados mais precisos que aqueles que obtiveram na análise do que se passou em Pedrógão Grande.

Miguel Miranda explica o que vai acontecer aos sensores de raios.
O responsável do IPMA salienta que a mudança mais relevante neste processo de renovação dos sensores de descargas elétricas será a colocação de sensores na Madeira e nos Açores, regiões que atualmente não têm esta tecnologia.

Miguel Miranda defende que o caso de Pedrógão Grande é um exemplo de como estes sensores e todos os radares meteorológicos do país são muito importantes, apesar de com frequência "as pessoas não perceberem para que servem".
http://www.tsf.pt/sociedade/interio...e-aumentar-sensores-de-trovoadas-8613846.html
 

MSantos

Staff
Registo
3 Out 2007
Mensagens
9,645
Local
Azambuja / Mte. Barca (Coruche)
Meteorologia vai renovar e aumentar sensores de trovoadas
05 DE JULHO DE 2017 - 07:01


Renovação da rede de sensores de descargas elétricas vai demorar 3 anos e chegar, pela primeira vez, à Madeira e aos Açores.

image.aspx


O Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) vai renovar toda a rede do sistema de deteção de descargas elétricas atmosféricas, chegando, pela primeira vez, à Madeira e aos Açores.

A renovação vai acontecer nos próximos três anos e, segundo o presidente do IPMA, não tem nada a ver com o caso de Pedrógão Grande pois já estava prevista há algum tempo. Miguel Miranda explica que atualmente Portugal Continental tem quatro sensores em Braga, Castelo Branco, Olhão e Alverca, este último desativado há algum tempo.

SUBSCREVER
Foram os três sensores portugueses em funcionamento, conjugados com os espanhóis perto da fronteira, que permitiram ao IPMA concluir, no relatório pedido pelo primeiro-ministro, com uma probabilidade de 95%, que não existiu qualquer raio a cair em Escalos Fundeiros, onde começou o incêndio de Pedrógão Grande que matou 64 pessoas.

O presidente do IPMA explica à TSF que os sensores são antigos, têm mais de 20 anos, e começam a ter avarias, pelo que é preciso renová-los com tecnologia mais moderna.

Miguel Miranda garante, no entanto, que se os sensores fossem mais modernos e mesmo que o sensor de Alverca estivesse a funcionar não teria sido possível obter resultados mais precisos que aqueles que obtiveram na análise do que se passou em Pedrógão Grande.

Miguel Miranda explica o que vai acontecer aos sensores de raios.
O responsável do IPMA salienta que a mudança mais relevante neste processo de renovação dos sensores de descargas elétricas será a colocação de sensores na Madeira e nos Açores, regiões que atualmente não têm esta tecnologia.

Miguel Miranda defende que o caso de Pedrógão Grande é um exemplo de como estes sensores e todos os radares meteorológicos do país são muito importantes, apesar de com frequência "as pessoas não perceberem para que servem".
http://www.tsf.pt/sociedade/interio...e-aumentar-sensores-de-trovoadas-8613846.html

Boa notícia! :thumbsup: