Urso-pardo de volta a Portugal?

Kodiak

Cumulus
Registo
7 Fev 2009
Mensagens
109
Local
Braga
Re: Urso-pardo de volta à Peneda Gerês?

Thunderboy,

Ao dizer que a instalação de um parque eólico em Montesinho constituiria um grave precedente esqueci completamente a situação do Parque Natural da Serra de Aire.
O problema do nosso país é que primeiro fazem-se as coisas e só depois é que se olha ao ordenamento do território. Foi sempre assim e assim será.
E o caso das eólicas é mais um exemplo. Vamos assistir serenamente à ocupação dos últimos espaços protegidos de Portugal. E quando for tarde o Governo decretará finalmente a sua proibição. Entretanto as autarquias receberão uns míseros tostões que serão empregues na abertura de mais umas estradas que não servem ninguém nem vão a lado algum, os promotores irão encher os bolsos com os subsídios pagos pelo Estado (os contribuinte) e o contribuinte irá pagar mais cara a electricidade, quando os subsídios finalizarem.
 

Kodiak

Cumulus
Registo
7 Fev 2009
Mensagens
109
Local
Braga
Re: Urso-pardo de volta à Peneda Gerês?

Caro Trevinca,

Conheço mal a área a norte de Vinhais. Passei lá uma ou duas vezes em visita ao PN de Montesinho. Mas lembro-me de ver bosquetes de Quercus pyrenaica, como seria de esperar. As áreas a verde do mapa devem corresponder, grosso modo, a uma mistura de pinhais (talvez de Pinus pinaster) com carvalhais. De qualquer das formas, tratando-se do mapa que é, um mapa turistico, não te fies na mancha. Se calhar já nem existe.
Obrigado pela referência.
 

Kodiak

Cumulus
Registo
7 Fev 2009
Mensagens
109
Local
Braga
Re: Urso-pardo de volta à Peneda Gerês?

Caro Belem,

Pois a mim parece-me que as duas auto-estradas irão impedir a expansão do urso para sul. Conheço as duas vias e não me lembro de ver passagens inferiores que possam permitir a circulação da fauna, como seria desejável.
Mas posso estar enganado. Entretanto as autoridades de León e das Astúrias estão a proceder a alterações nas auto-estradas de modo a possibilitar a circulação dos ursos naquelas regiões. É uma boa medida que possibilitará a troca de genes entre ambas as populações. Por cá retalha-se o território e isolam-se as populações. Definitivamente a salvaguarda do património natural não está na agenda dos portugueses em geral e na dos governantes em particular
 

Dan

Staff
Registo
26 Ago 2005
Mensagens
9,790
Local
Bragança (675m)
Re: Urso-pardo de volta à Peneda Gerês?

Caro Kodiak:

As massas de robles desta zona são, por regra geral, desse tipo. Não será nenhuma surpresa. De facto, pode observar-se bosques de tal tipo no mapa exposto (representados por uma cor verde): à altura do Porto de Foncebadón (1.500 m.) e na área que vai do Porto do Peñón (1.840 m.) até o Teleno (2.188). Este de Montesinho seria o maior, sem nenhuma dúvida. Nos dantes citados conhece-se o passo de urso actual, sobretudo no área de Foncebadón. E pergunto: As massas de cor verde cerca de Vinhais e a fronteira de que classe de arbolado são?

Saludos.

O livro do lince: FERNÁNDEZ DE CAÑETE Y MARTÍNEZ (1969): "La caza en España". Tomo I. Ministerio de Información y Turismo. Madrid, páginas 293 a 301.
Pede-o à Biblioteca Nacional de Espanha, remetem fotocopias de páginas pedidas prévio pagamento, não excessivamente caro.-


Essa área ainda apresenta um bom coberto vegetal.

x435
 

trevinca

Cirrus
Registo
8 Mar 2009
Mensagens
91
Local
Espanha
Re: Urso-pardo de volta à Peneda Gerês?

Passos para a fauna em ditas estradas há; mas são muito poucos. Concretamente, nos arredores dos portos de Canda e o Padornelo, na autovía de Vigo; e no Porto de Manzanal, na autovía da Coruña.
 

trevinca

Cirrus
Registo
8 Mar 2009
Mensagens
91
Local
Espanha
Re: Urso-pardo de volta à Peneda Gerês?

Caro Dam:
Acabo de ver a fotografia e concordo que está bem para a fauna do Noroeste peninsular (incluindo ao urso). Parece-se bastante ao área de Foncebadón (entre as cidades de Astorga e Ponferrada).

Saludos.-
 

AnDré

Staff
Registo
22 Nov 2007
Mensagens
11,094
Local
Caneças (300m) / Várzea da Serra (900m)
Re: Urso-pardo de volta à Peneda Gerês?

Thunderboy,

Ao dizer que a instalação de um parque eólico em Montesinho constituiria um grave precedente esqueci completamente a situação do Parque Natural da Serra de Aire.
O problema do nosso país é que primeiro fazem-se as coisas e só depois é que se olha ao ordenamento do território. Foi sempre assim e assim será.
E o caso das eólicas é mais um exemplo. Vamos assistir serenamente à ocupação dos últimos espaços protegidos de Portugal. E quando for tarde o Governo decretará finalmente a sua proibição. Entretanto as autarquias receberão uns míseros tostões que serão empregues na abertura de mais umas estradas que não servem ninguém nem vão a lado algum, os promotores irão encher os bolsos com os subsídios pagos pelo Estado (os contribuinte) e o contribuinte irá pagar mais cara a electricidade, quando os subsídios finalizarem.

Não é o Parque Natural da Serra de Aire que tem uma pedreira cuja dimensão deverá ser travada com os parque eólicos anunciados?
Não é esse mesmo parque que todos os anos é consumido pelos incêndios de Verão?

Não vejo em que é que as eólicas na serra de Aire poderão agravar a situação ambiental neste parque natural.
 

thunderboy

Cumulonimbus
Registo
27 Nov 2008
Mensagens
2,030
Local
Alcanena/Aveiro
Re: Urso-pardo de volta à Peneda Gerês?

Não é o Parque Natural da Serra de Aire que tem uma pedreira cuja dimensão deverá ser travada com os parque eólicos anunciados?
Não é esse mesmo parque que todos os anos é consumido pelos incêndios de Verão?

Não vejo em que é que as eólicas na serra de Aire poderão agravar a situação ambiental neste parque natural.

Eu da minha casa consigo avistar uma das muitas pedreiras inactivas numa encosta Serra:disgust:
É uma pena estas situações estarem por resolver e sim esta zona também é fortemente afectada por incêndios, tanto que me lembro que houve um ano que o fumo rolou serra abaixo como nevoeiro cerrado.:disgust:
 

Kodiak

Cumulus
Registo
7 Fev 2009
Mensagens
109
Local
Braga
Re: Urso-pardo de volta à Peneda Gerês?

Não, os parques eólicos não vão agravar a situação do Parque Natural da serra de Aire. O Parque Natural da serra de Aire já tinha e tem problemas de sobra. Se calhar nem deveria ser um Parque Natural. Trata-se de uma questão de princípio. Os parques naturais integrados do Sistema de Áreas Protegidas foram criados tendo em vista determinados objectivos, a conservação da paisagem, da fauna, da flora etc. Portanto não faz sentido introduzir repentinamente um elemento estranho que ainda por cima colide com a conservação dos valores naturais. O nosso país tem território que chegue para as eólicas. Deixem em paz o que resta, que infelizmente já é muito pouco.
 

Kodiak

Cumulus
Registo
7 Fev 2009
Mensagens
109
Local
Braga
Re: Urso-pardo de volta à Peneda Gerês?

Caro Trevinca,

Se a foto representa a área a norte de Vinhais (a serra da Coroa?) então parece-me bem, se comparada com a maioria do território português. Vejo na foto algum pinhal de Pinus pinaster misturado com carvalhal e matos. E ao longe alguns lameiros mais ou menos bem conservados. Parece-me um bom habitat. É uma paisagem típica do nordeste, humanizada, em mosaico, favorável ao lobo, ao corço e ao viado. E é também boa para o urso, mas aqui permanece uma questão, que é a questão central. O território português não tem capacidade para albergar uma população de ursos. Seria preciso um corredor contínuo de Montesinho ao Gerês para isto acontecer. Ora, todos sabemos que existe uma barreira ao centro, que é a veiga de Chaves, com uma densidade populacional enorme e com uma auto-estrada que a corta ao meio. O urso só sobrevive nas Astúrias porque as autoridades regionais tiveram o bom senso de criar uma rede contínua de parques naturais e nacionais na Cordilheira Cantâbrica (Somiedo, Muniellos, Redes etc), que, por si, já era muito isolada. E mesmo assim os organismos ligados à conservação do urso fazem imensos esforços para proteger a espécie. De outro modo já teria desaparecido. Vejam, por exemplo, a dificuldade em conservar o urso nos Pirinéus apesar da extensão destas montanhas. Em conclusão o urso até poderá chegar a Montesinho (menos ao Gerês) mas será sempre uma visita de ocasião.
 

Kodiak

Cumulus
Registo
7 Fev 2009
Mensagens
109
Local
Braga
Re: Urso-pardo de volta à Peneda Gerês?

Caro Belem,
Ainda não percebi o teu trajecto. Para se chegar à fronteira da Ameijoeira é obrigatório ir de Melgaço a Lamas de Mouro (16 KM), de Lamas a Castro Labooreiro (12 Km) e de Castro á Ameijoeira (10 Km). Há um outro trajecto até Lamas de Mouro, a partir da Peneda, mas depois o caminho é o mesmo. Se calhar foi feito durante a noite devido aos pirilampos e não viste a paisagem. E por falar em pirilampos, vejo-os pousados com uma luz amarelada, ou esverdeada? Não sei identificar a espécie.
 

belem

Cumulonimbus
Registo
10 Out 2007
Mensagens
4,322
Local
Sintra/Carcavelos/Óbidos
Re: Urso-pardo de volta à Peneda Gerês?

Caro Belem,

Pois a mim parece-me que as duas auto-estradas irão impedir a expansão do urso para sul. Conheço as duas vias e não me lembro de ver passagens inferiores que possam permitir a circulação da fauna, como seria desejável.
Mas posso estar enganado. Entretanto as autoridades de León e das Astúrias estão a proceder a alterações nas auto-estradas de modo a possibilitar a circulação dos ursos naquelas regiões. É uma boa medida que possibilitará a troca de genes entre ambas as populações. Por cá retalha-se o território e isolam-se as populações. Definitivamente a salvaguarda do património natural não está na agenda dos portugueses em geral e na dos governantes em particular

Em relação ao caso de Montesinho eu só vejo uma e não impede a circulação de ursos para o sul em todo o perímetro.
Além de que os ursos por vezes atravessam as AE, sobretudo as que têm pouco tráfego. Mas gostaria de visitar o local e ver por mim mesmo.
As autoridades das Asturias e Leon vão alterar auto-estradas? Isso é muito bom, sabes se a A52 é uma delas?
 

belem

Cumulonimbus
Registo
10 Out 2007
Mensagens
4,322
Local
Sintra/Carcavelos/Óbidos
Re: Urso-pardo de volta à Peneda Gerês?

Caro Belem,
Ainda não percebi o teu trajecto. Para se chegar à fronteira da Ameijoeira é obrigatório ir de Melgaço a Lamas de Mouro (16 KM), de Lamas a Castro Labooreiro (12 Km) e de Castro á Ameijoeira (10 Km). Há um outro trajecto até Lamas de Mouro, a partir da Peneda, mas depois o caminho é o mesmo. Se calhar foi feito durante a noite devido aos pirilampos e não viste a paisagem. E por falar em pirilampos, vejo-os pousados com uma luz amarelada, ou esverdeada? Não sei identificar a espécie.

Sim foi mais ou menos esse o trajecto que fiz. Como disse fui de Melgaço a Castro Laboreiro e depois fui até à Ameijoeira. Devo ter passado por Lamas de Mouro.
Em que época os vês?
Eu hoje vi o primeiro pirilampo adulto do ano, um Luciola lusitanica a brilhar uma luz amarela em vôo a qual piscava.
 

thunderboy

Cumulonimbus
Registo
27 Nov 2008
Mensagens
2,030
Local
Alcanena/Aveiro
Re: Urso-pardo de volta à Peneda Gerês?

Não, os parques eólicos não vão agravar a situação do Parque Natural da serra de Aire. O Parque Natural da serra de Aire já tinha e tem problemas de sobra. Se calhar nem deveria ser um Parque Natural. Trata-se de uma questão de princípio. Os parques naturais integrados do Sistema de Áreas Protegidas foram criados tendo em vista determinados objectivos, a conservação da paisagem, da fauna, da flora etc. Portanto não faz sentido introduzir repentinamente um elemento estranho que ainda por cima colide com a conservação dos valores naturais. O nosso país tem território que chegue para as eólicas. Deixem em paz o que resta, que infelizmente já é muito pouco.

Discordo completamente:nugget::nono:
Se assim fosse todos os locais desprezados pelo Homem continuariam a ser desprezados. Têm que haver parques Naturais para zelar pela protecção de toda a fauna e flora mesmo que as regras impostas não sejam cumpridas. Não podemos apenas deixar de proteger uma zona apenas porque está poluida/danificada, há é que proteger esses locais e proteger os em risco;)
 

belem

Cumulonimbus
Registo
10 Out 2007
Mensagens
4,322
Local
Sintra/Carcavelos/Óbidos
Re: Urso-pardo de volta à Peneda Gerês?

Caro Trevinca,

Se a foto representa a área a norte de Vinhais (a serra da Coroa?) então parece-me bem, se comparada com a maioria do território português. Vejo na foto algum pinhal de Pinus pinaster misturado com carvalhal e matos. E ao longe alguns lameiros mais ou menos bem conservados. Parece-me um bom habitat. É uma paisagem típica do nordeste, humanizada, em mosaico, favorável ao lobo, ao corço e ao viado. E é também boa para o urso, mas aqui permanece uma questão, que é a questão central. O território português não tem capacidade para albergar uma população de ursos. Seria preciso um corredor contínuo de Montesinho ao Gerês para isto acontecer. Ora, todos sabemos que existe uma barreira ao centro, que é a veiga de Chaves, com uma densidade populacional enorme e com uma auto-estrada que a corta ao meio. O urso só sobrevive nas Astúrias porque as autoridades regionais tiveram o bom senso de criar uma rede contínua de parques naturais e nacionais na Cordilheira Cantâbrica (Somiedo, Muniellos, Redes etc), que, por si, já era muito isolada. E mesmo assim os organismos ligados à conservação do urso fazem imensos esforços para proteger a espécie. De outro modo já teria desaparecido. Vejam, por exemplo, a dificuldade em conservar o urso nos Pirinéus apesar da extensão destas montanhas. Em conclusão o urso até poderá chegar a Montesinho (menos ao Gerês) mas será sempre uma visita de ocasião.

Sim o território português tem hipóteses escassas para já de albergar uma população estável de ursos.
Mas parte do território de ursos pode incluir certas zonas de Portugal e como tal isso é um factor com peso e a ter em conta.
Quando vierem as provas científicas de que há ursos em Portugal isso mudaria alguns aspectos, sobretudo a nível de conservação. Seria uma descoberta com consequências tendencionalmente positivas.
Eu sinceramente já tinha pensado na criação de reservas a nível de possíveis ligações/corredores naturais entre diferentes zonas, entre as quais a Peneda-Gerês, Montesinho e o Douro Internacional.