Vila Real de Sto. António pede ajuda para travar mosquitos

AnDré

Staff
Registo
22 Nov 2007
Mensagens
11,045
Local
Odivelas (140m) / Várzea da Serra (900m)
O ]ToRnAdO[ já por várias vezes o referiu no tópico do Seguimento Sul, mas a noticia tem estado agora a ganhar mais força:

Vila Real de Sto. António pede ajuda para travar mosquitos

A Câmara Municipal de Vila Real de Santo António pediu a intervenção da Administração da Região Hidrográfica (ARH) do Algarve e da Reserva Natural do Sapal de Castro Marim para travar a proliferação de mosquitos verificada no concelho.

A autarquia admitiu esta terça-feira que, "desde o dia 20 de Julho [terça-feira], que as localidades de Monte Gordo e Vila Real de Santo António (VRSA) têm vindo a ser afectadas por uma praga de mosquitos", mas assegurou que "as espécies em causa não constituem risco de veiculação de doenças".

Segundo a agência Lusa, a câmara explicou que os serviços de Saúde Pública de VRSA informaram que a espécie de mosquitos em causa "desenvolve-se em meios salobros (rias, estuários, sapais)" e "a postura de ovos destas espécies é realizada em charcos e acumulações de água formados na sequência de marés vivas, durante as quais, em período de preia-mar, o nível do mar transpõe os esteiros e canais normais de circulação e inunda zonas sem circulação de água".

"Imediatamente após estes acontecimentos de marés vivas, estão criadas as condições ideais para a postura de ovos, desenvolvimento larvar e proliferação dos mosquitos. Nos dias 15, 16 e 17 de Julho a amplitude de maré, no porto de VRSA, foi superior a 3,5m, o que cumulativamente com temperaturas mais elevadas, originou desenvolvimento de mosquitos", precisou.

A câmara frisou que, "apesar de se confirmar que estas espécies não constituem risco de veiculação de doenças, estes mosquitos são muito incomodativos, pelo que a Autarquia estabeleceu contactos imediatos com a Reserva Natural do Sapal de Castro Marim e VRSA e com a Administração da Região Hidrográfica do Algarve de forma a que sejam tomadas medidas anti-vectoriais nas áreas do Domínio Público Hídrico que impeçam esta proliferação de mosquitos em novos episódios de marés vivas".

"As medidas a tomar poderão passar pela criação de canais de drenagem da água estagnada e/ou pela aplicação de larvicida biológico", acrescentou a autarquia algarvia num comunicado, sublinhando que "no âmbito das suas competências de actuação, a Câmara Municipal reforçou a desinfestação em todos os espaços públicos, principalmente nos espaços verdes, sendo estes serviços executados no período da manhã, entre as 5 e as 9 horas, de forma a evitar incómodos para a população".

Correio da Manhã
 

Gil_Algarvio

Nimbostratus
Registo
23 Mar 2009
Mensagens
1,765
Local
Manta Rota - Algarve
A ver se sim... Porque a vaga de mosquitos já se verifica tambem em Altura e na Manta Rota. Mas com uma intencidade menor.. Mas isto esta mesmo pessimo. Em noites como têm sido as ultimas ( sem ventos e quentes) tem sido mesmo mau.
 

Paulo H

Cumulonimbus
Registo
2 Jan 2008
Mensagens
3,159
Local
Castelo Branco 386m(489/366m)
A meu ver não há muito a fazer, são pragas que ocorrem muito raramente, em especial quando existe água e calor. Por muito que a câmara municipal se esmere, será como tapar o Sol com a peneira! Há que aguentar, protegendo as entradas das casas (portas e janelas), logo passa..

Já assisti a pragas semelhantes, mas de maripósas (borboletas noturnas: traças) na Covilhã e em Castelo Branco, em dias de muito calor depois de ter chovido, situação que voltou ao normal uma semana depois.

Pelo que entendi, os factores que proporcionaram o desenvolvimento de mosquitos em V.R.S.A. são a presença de charcas (sapais) e as marés vivas, aliados ao calor que temos vivido. Mas a verdade é que existem muitos outros meios onde se desenvolvem os mosquitos:
- Nas aldeias em redor e não só, provavelmente em cada quintal haverá uma mangueira a pingar, ou um balde de água esquecido algures.. Aqui o papel preventivo de cada cidadão, se somado, é muito superior a qualquer medida que a câmara possa tomar.

Vou indicar um outro factor, que tenho a certeza que não tem nada a ver com V.R.S.A., mas que até já tem ocorrido acidentalmente noutros pontos do algarve (e que pode ocorrer em qualquer outro local do país):

O consumo de água no Algarve é de uma sazonalidade acentuada: digamos que no inverno consomem-se 50m3/h onde no verão se consome 300m3/h de água, de forma que as ETARES têm de estar correctamente dimensionadas para suportar os níveis do verão. Quando uma ETAR funciona mal por avaria, por subdimensionamento, o tratamento dos resíduos está condenado. Em vez de sair água tratada como efluente, sai água com algum cheiro, carregada de nutrientes, e acabará também por proporcionar o desenvolvimento de insectos e de outras pragas.
 

joseoliveira

Cumulonimbus
Registo
18 Abr 2009
Mensagens
2,889
Local
Loures (Moninhos) 128m
Deve ter sido uma grande praga para justificar tal preocupação porque desde há muito que me habituei à presença desses insectos nessa zona e a cada noite testam a nossa paciência... :p