Arquivo de eventos históricos

Aurélio

Cumulonimbus
Registo
23 Nov 2006
Mensagens
4,335
Local
Faro
Salvo erro ... em 13 Outubro de 1989?(90?) em Faro tb cairam 164 mm(l/m2), e algures em 1983, creio que em Tavira tb cairam cerca de 180 mm, sendo essa precipitação registada em cerca de 24h.
No que me lembro de 13 Outubro aqui em Faro começou a chover ao fim do dia(cerca das 17h/18h) logo com imensa violência e depois prolongou-se por toda a noite em regime de aguaceiros muito fortes acompanhados de trovoadas, e lembro-me particularmente de um caso muito estranho:
Uma nuvem pequenina aparentemente inofensiva a provocar um relampago violento que chegou á terra, felizmente sem causar estragos. Mas foi muito estranho ....
 
  • Gosto
Reactions: StormRic

Gerofil

Super Célula
Registo
21 Mar 2007
Mensagens
9,755
Local
Estremoz (401 metros)
Tempestades históricas em Portugal

No dia 15 de Fevereiro de 1941, os valores da pressão atmosférica
"desceram até 937hPa em Coimbra, 950hPa em Lisboa/Geofísico e 931hPa em
Évora."

in O TEMPORAL DE 3 A 6 DE DEZEMBRO DE 1739 EM PORTUGAL: RECONSTITUIÇÃO A PARTIR DE FONTES DOCUMENTAIS DESCRITIVAS
(JOÃO PAULO TABORDA)

Abri este tópico para abordar tempestades históricas ocorridas em Portugal. Para a tempestade específica de 1941 já existe um outro tópico apropriado:

http://www.meteopt.com/meteorologia/severa-tempestade-de-15-fevereiro-1941-em-portugal-793.html#post49057
 
  • Gosto
Reactions: StormRic

Agreste

Furacão
Registo
29 Out 2007
Mensagens
10,015
Local
Aljezur (48m) - Faro (11m)
Excelente posta gerofil... :thumbsup:

Podia era existir um tópico logo na entrada do forum para arquivar este tema! :)
 

Gerofil

Super Célula
Registo
21 Mar 2007
Mensagens
9,755
Local
Estremoz (401 metros)
"Em 1278, um pastor de nome Domingos, que tinha pactuado com o Diabo, e que depois de morrer voltara à vida para cumprir as ordens do Porco-sujo que lhe comprara a alma, conseguiu, por prodígio infernal, expulsar de todas as casas de Elvas a multidão de percevejos que lá se anichava. E sabem onde os enviou o poder diabólico de São Maquinete ? Para uma ribeira, onde onde morreram todos afogados, tal como os gafanhotos no Guadiana em 1756."

in Rio Guadiana: as cheias, as secas e o terramoto de 1755 nos termos de Juromenha e Olivença ((João Mimoso Loureiro)
 

Gerofil

Super Célula
Registo
21 Mar 2007
Mensagens
9,755
Local
Estremoz (401 metros)
"Tinham caído algumas chuvas, com várias intermitências, nos dez ou doze dias que precederam o 9 de Outubro de 1803. Neste dia, pelas 8 horas da manhã, começou a cair no Funchal uma chuva não muito copiosa, que se manteve inalteravelmente até ás 8 horas da noite, mas nada fazia recear que estivesse iminente uma tão terrível inundação. Principiou então a ouvir-se o ribombar do trovão e a chuva, acompanhada de algum vento, caía já em verdadeiras catadupas. Ás 8 horas e meia as águas das ribeiras galgavam as suas margens e espalhavam-se com grande ruído pelas ruas laterais, começando a sua obra de destruição e de morte. Estava-se em pleno dilúvio."

in Ilucidário Madeirense (Fernando Silva e Carlos de Meneses)

Esta obra relata muitos outros temporáveis que assolaram o Arquipélago nos últimos séculos.
 

Gerofil

Super Célula
Registo
21 Mar 2007
Mensagens
9,755
Local
Estremoz (401 metros)
Na madrugada de 31 de Outubro de 1997 ocorreram na ilha de São Miguel inúmeros movimentos de vertente desencadeados por precipitação muito intensa. Embora toda ilha tenha sido de algum modo fustigada, o Concelho da Povoação foi sem dúvida um dos mais afectados.
Na sequência destes movimentos de vertente pereceram 29 pessoas residentes na freguesia da Ribeira Quente, enquanto no Faial da Terra houve a registar 2 feridos graves. No total ficaram desalojadas 69 pessoas. Os custos directos e indirectos foram muito avultados (cerca de 21 milhões de euros), resultado da destruição total de casas, estradas cortadas, pontes danificadas e terrenos cobertos de lama. A gravidade da ocorrência justificou a declaração de situação de calamidade pública.
A maioria dos eventos registados nesta fatídica madrugada corresponderam, predominantemente, a deslizamentos translacionais e/ou escoadas detríticas muito fluidas formadas por um mistura de água, vegetação, pedra pomes e cinzas, em que no primeiro terço do depósito se encontravam materiais mais grosseiros e nos dois terços finais uma mistura de água e cinzas, onde predomina claramente a água. Esse predomínio de água conferiu às escoadas uma baixa viscosidade, aliado à morfologia das vertentes (declives acentuados), permitiu atingir velocidades elevadas, tendo demonstrado uma elevada capacidade de erosão e de carga, transportando em alguns casos blocos com mais de 2 m, árvores com o sistemas de raízes intactas e alguns veiculos automóveis; em alguns casos as escoadas galgaram obstáculos com mais de 6 m.
As cicatrizes dos movimentos identificadas reflectem a predominância de deslizamentos muito superficiais, não excedendo o plano de rotura os 2-3 m de profundidade e cerca de 20 a 30 m de largura. As cicatrizes foram longas e estreitas, iniciando-se, muitas delas, no topo das vertentes e arribas, prolongando-se até à sua base. A espessura dos depósitos raramente atingiu valores superiores a 1 m.

Fonte: O.V.S. da Universidade dos Açores
 

Gerofil

Super Célula
Registo
21 Mar 2007
Mensagens
9,755
Local
Estremoz (401 metros)

Gerofil

Super Célula
Registo
21 Mar 2007
Mensagens
9,755
Local
Estremoz (401 metros)
Les tornades au Portugal

"De la connaissance historique du phénomène au Portugal, la tornade qui a eu le plus grand impact pendant le dernier siècle a été enregistré à Castelo Branco, en 1954. Le 6 novembre 1954 à 12h50, durée 30 secondes. Bruit étrange, éloigné. "Un énorme nuage noir ayant une forme étrange s'approchait à une vitesse fantastique". "Obscurité profonde et un bruit étonnant" comme si des "milliers d'avions passaient". 5 morts, 220 blessés, plus de 40.000 personnes avec des préjudices."

in Les Tornades au Portugal

===================================================

Uma nota: Este tópico é apenas um apanhado resumido das tempestades que ocorreram no país; algumas destas tempestades já se encontram devidamente referenciadas e desenvolvidas em tópicos específicos.
 

Gerofil

Super Célula
Registo
21 Mar 2007
Mensagens
9,755
Local
Estremoz (401 metros)
A Invernada de 1664-65

"Aos 13 (13 de Janeiro de 1665), quase espaço de vinte e quatro horas, se cobriu tudo de neve altíssima, chovendo copiosamente no mesmo tempo, e ventando, por espaço de vinte e quatro horas, com tal fúria a espaços, se duram mais tempo e com maior continuação, nenhuma cousa ficara em pé. O estrago nos olivais e em todo o género de árvores foi enormíssimo, e maior nos montes que nos vales, umas arrancadas de todo, outras quebradas. Na nossa Quinta da Cheira vieram ao chão mais de duzentos pinheiros, que ali são muito grandes e fortes, e nesta cerca do Colégio vinte e quatro ciprestes, e muito mais na de Santa Cruz."

in Os tipos de Clima em Coimbra, dez. 1663 - set. 1665, Suzanne Daveau
 

Gerofil

Super Célula
Registo
21 Mar 2007
Mensagens
9,755
Local
Estremoz (401 metros)
A tragédia de Campo Maior

"O castelo de Campo Maior conta uma história de tragédia, de uma madrugada de forte trovoada que ditou o destino da fortaleza e da própria vila. No dia 16 de Setembro de 1732, pelas três da manhã, uma violenta trovoada abate-se sobre a vila; um raio atingiu o paiol situado na torre grande. Lá dentro milhares de arrobas de pólvora e munições explodem. Chovem pedras sobre a localidade. Um incêndio arrastou consigo cerca de dois terços da população.
Em menos de nada Campo Maior vê-se reduzida a escombros e a mortos."

in Fonte Nova
in Sapo.pt
 

Vince

Furacão
Registo
23 Jan 2007
Mensagens
10,624
Local
Braga
Obrigado Gerofil, já conhecia alguns, mas outros não. Apreciei bastante o primeiro de 1789.

À conta desse documento descobri a data de uma tempestade que ficou na minha memória e que desde há uns tempos estava a tentar descobrir quando foi.

Era muito miudo e na altura fiquei bastante aterrorizado, tendo recordações duma noite infernal (no interior centro do país) que nunca mais acabava, o barulho era insuportável com todo o tipo de detritos e chapas a voar pelas ruas e a embater nas paredes das casas e telhados. Ouvir o barulho das telhas a partirem no telhado era assustador e a sensação de insegurança era enorme.

26 a 30 de Dezembro de 1981

1-11.jpg


2q.jpg


A circulação à superfície, durante os dias 26 a 30 de Dezembro de 1981, caracterizou-
se pela progressão, à latitude de Portugal continental, de sucessivos sistemas
frontais, associados a centros depressionários evoluindo à latitude de 50ºN-55ºN. No
dia 26, às 12 horas, a velocidade média do vento em Évora e em Coimbra foi de, respectivamente,
40km/h e 50km/h. Nos dias 29 e 30 a situação agravou-se com a aproximação
e passagem por Portugal de uma perturbação frontal associada a uma depressão
muito cavada (975hPa). A carta de superfície das 00 horas de 30 de Dezembro
(INMG), localizava-a imediatamente a Oeste da Galiza. O mau tempo atingiu então o
seu paroxismo. Em Lisboa e em Évora, por exemplo, entre as 18 horas do dia 29 e as
18 horas do dia 30 a precipitação foi de, respectivamente, 58mm e 33mm e o vento
atingiu velocidades médias de cerca de 60km/h, isto é, superiores ao valor significativo de 51km/h,
a partir do qual se verifica agitação total das árvores e se torna muito
difícil andar contra o vento (Carvalho et al., 1991).
A circulação em altitude, entre os dias 26 a 30 de Dezembro de 1981, evoluiu do
modo seguinte: após a migração para Leste de uma dorsal de eixo N-S, que no dia 25
se estendia da Península Ibérica até às Ilhas Britânicas, a situação passou a caracterizar-
se pela presença, à latitude de Portugal continental, de um fluxo de Oeste, a norte
do qual se manteve estacionário, a ocidente das Ilhas Britânicas, um centro de baixas
pressões, expressão, aos diferentes níveis isobáricos (700hPa, 500hPa e 300hPa), dos
núcleos depressionários localizados à superfície.

http://www.ceg.ul.pt/finisterra/numeros/2006-82/82_05.pdf


Já agora, eu penso que houve uma outra situação parecida nos primeiros anos da década de 80. Alguém saberá a data ?
A 11 de Dezembro de 1978 também houve um vendaval enorme:

1978.jpg
 

nimboestrato

Nimbostratus
Registo
8 Jan 2008
Mensagens
1,865
Local
Pedras Rubras-Aeroporto
Desse 11 de Dezembro lembro-me eu muito bem.Casou a minha irmã e com o temporal que estava a boda ficou estragada porque foi projectada para uma quinta perto de P.Lima.Foi um fiasco total.Curiosamente o casamento ainda dura e está aí para as curvas.
Rrea00119871016.gif

recordo-me também deste dia de 16 de Outubro de 1987 em que o vendaval aqui no norte foi impressionante tendo caído várias árvores de grande porte na cidade do Porto e imagine-se uma marquise mesmo em cima do meu peugeout 204 que foi parar à sucata.
Memórias inesquecíveis.
 

Diogo.lis.vpa

Cumulus
Registo
18 Dez 2007
Mensagens
279
Local
Vale de Figueira
grande topico ... este topico podia ser sticky pois ja mt falaram nas tempestades ... inclusive eu ... ja tinha documentado com exactamente o mm link .... a tempestade de 1739 :P
:thumbsup: parabens pela a pesquisa !!!