Astronomia e Ciências Espaciais 2015

Tópico em 'Astronomia' iniciado por Orion 1 Jan 2015 às 17:42.

  1. StormRic

    StormRic
    Expand Collapse
    Furacão

    Registo:
    23 Jun 2014
    Mensagens:
    11,799
    Local:
    Póvoa de S.Iria (alt. 140m)
    Indica mais dados de observação por favor, como na mensagem http://www.meteopt.com/forum/topico/astronomia-e-ciencias-espaciais-2015.8069/page-15#post-499552

    Usa este planisfério do céu no momento de observação que indicaste. Tenta desenhar, se possível, o que viste sobrepondo-o a esta imagem ou referenciando em relação a ela.
    Em baixo à esquerda podes reconhecer a Ursa Maior e um pouco acima da letra N a estrela polar.

    [​IMG]
     
  2. Teles

    Teles
    Expand Collapse
    Cumulonimbus

    Registo:
    7 Dez 2007
    Mensagens:
    2,210
    Local:
    Rio Maior
  3. Teles

    Teles
    Expand Collapse
    Cumulonimbus

    Registo:
    7 Dez 2007
    Mensagens:
    2,210
    Local:
    Rio Maior
    Galáxia de Andrómeda , fotografada mesmo no centro da cidade com um único disparo , nota-se o que parece ser um meteorito bem em cima da galáxia!
    [​IMG]
     
  4. Thomar

    Thomar
    Expand Collapse
    Cumulonimbus

    Registo:
    19 Dez 2007
    Mensagens:
    2,004
    Local:
    Cabanas - Palmela (75m)
    Descoberta Portuguesa!

    FÍSICOS DE AVEIRO DESCOBREM OS PORQUÊS PARA ROTAÇÃO CAÓTICA DAS LUAS DE PLUTÃO

    Em Junho deste ano, a prestigiada revista Nature anunciou que quatro das cinco luas de Plutão têm uma rotação caótica. Numa investigação conduzida pelos cientistas Mark Showalter (Instituto SETI) e Doug Hamilton (Universidade de Maryland), dos Estados Unidos, foi desvendado que a rotação das luas Nix, Hydra, Kerberos e Styx, ao contrário do que acontece com as luas até agora descobertas de grande parte dos planetas, não é constante e varia de forma imprevisível ao longo do tempo.

    Por explicar, no entanto, ficou o porquê deste inesperado fenómeno. Dois meses depois a justificação chegou do Departamento de Física (DFis) da Universidade de Aveiro (UA) e foi revelada ao mundo no último número da revista “Astronomy & Astrophysics Letters”.

    No trabalho da equipa internacional liderada pelo DFis a razão para estranha rotação das quatro luas de Plutão é explicada aplicando as leis da física. Para compreender este problema, aponta Alexandre Correia, coordenador da investigação e especialista em sistemas solares, planetas extrassolares e física planetária, “é necessário ter em conta dois factores que distinguem estas pequenas quatro luas de todas as outras”, nomeadamente de Caronte, a outra lua de Plutão que tem uma rotação regular.

    Assim, “devido [às quatro luas em causa] serem corpos de pequenas dimensões com diâmetros inferiores a 50 quilómetros, elas assemelham-se mais a asteróides em forma de batata do que a corpos esféricos como a Lua da Terra”. Têm sempre por isso, aponta Alexandre Correia (na foto), um eixo mais alongado.

    Outro dos factores que fazem Nix, Hydra, Kerberos e Styx um conjunto único no sistema solar é que, ao contrário das quatro pequenas luas, a maior lua de Plutão, Caronte, “é quase tão grande como Plutão [tem 10 por cento do tamanho de Plutão], pelo que, tecnicamente, o sistema Plutão-Caronte deve ser classificado como um sistema binário [sistema com dois corpos de dimensão semelhante que orbitam em torno do centro de massa comum] e não de sistema Planeta-Lua”.

    Se Caronte não existisse, explica o investigador, “as pequenas luas iriam evoluir por efeito de maré até ficarem síncronas com Plutão, como seria de esperar”. Noutro cenário, se só existisse Caronte, “as pequenas luas iriam apontar o eixo maior na direcção de Caronte até, igualmente, ficarem síncronas” com esse corpo celeste.

    No entanto, como existe Plutão e Caronte, “as pequenas luas ficam ‘indecisas’ e umas vezes tendem a apontar o eixo maior para Plutão, outras vezes para Caronte, dependendo de quem passou mais próximo”. Garante Alexandre Correia que “esta alternância entre a perturbação de Plutão e de Caronte tem como consequência uma rotação irregular das pequenas luas, pois elas nunca conseguem chegar a ficar síncronas nem com Plutão nem com Caronte”.


    Fonte: http://greensavers.sapo.pt/2015/09/...ques-para-rotacao-caotica-das-luas-de-plutao/
     
    Collapse Signature Expandir Assinatura
    StormRic, Albifriorento e CptRena gostaram disto.
  5. Teles

    Teles
    Expand Collapse
    Cumulonimbus

    Registo:
    7 Dez 2007
    Mensagens:
    2,210
    Local:
    Rio Maior
  6. Orion

    Orion
    Expand Collapse
    Furacão

    Registo:
    5 Jul 2011
    Mensagens:
    16,971
    Local:
    Ponta Delgada, Açores
    Collapse Signature Expandir Assinatura
  7. Teles

    Teles
    Expand Collapse
    Cumulonimbus

    Registo:
    7 Dez 2007
    Mensagens:
    2,210
    Local:
    Rio Maior
    Bem essa foi a primeira vez que fotografei a Galáxia do Triângulo (M33)
    Não é visível a olho nu e mesmo com a minha maquina aparece como uma névoa muito ténue!
    Com o fraco material que tenho e mesmo no meio de uma cidade com bastante poluição luminosa até que me sinto entusiasmado!
    Aqui ficam algumas fotos:

    [​IMG]

    [​IMG]

    [​IMG]

    [​IMG]
     
    Thomar, StormRic, Garcia e 2 outras pessoas gostaram disto.
  8. StormRic

    StormRic
    Expand Collapse
    Furacão

    Registo:
    23 Jun 2014
    Mensagens:
    11,799
    Local:
    Póvoa de S.Iria (alt. 140m)
    Linda imagem, uma sensação cósmica.


    :thumbsup: belas fotos, isto dá trabalho!
     
    Teles gostou disto.
  9. Orion

    Orion
    Expand Collapse
    Furacão

    Registo:
    5 Jul 2011
    Mensagens:
    16,971
    Local:
    Ponta Delgada, Açores
    [​IMG]
     
    Collapse Signature Expandir Assinatura
    guisilva5000 e StormRic gostaram disto.
  10. Orion

    Orion
    Expand Collapse
    Furacão

    Registo:
    5 Jul 2011
    Mensagens:
    16,971
    Local:
    Ponta Delgada, Açores
    [​IMG]
     
    Collapse Signature Expandir Assinatura
    guisilva5000, StormRic e Thomar gostaram disto.
  11. Orion

    Orion
    Expand Collapse
    Furacão

    Registo:
    5 Jul 2011
    Mensagens:
    16,971
    Local:
    Ponta Delgada, Açores
    Na madrugada da próxima segunda-feira, dia 28 de setembro, será possível observar um raro fenómeno astronómico, um eclipse total de uma Superlua.

    Este raro fenómeno só voltará a ocorrer em 2033.

    A Superlua ocorre quando o satélite natural da terra se encontra no ponto mais próximo do nosso planeta, apresentando-se uma lua cheia «com um diâmetro aparente 14% maior do que o habitual».

    Este ano já se registou uma Superlua, a 29 de agosto - a próxima ocorrerá a 27 de outubro.

    Em Portugal, o pico do fenómeno poderá ser observado «às 03.47 horas de segunda-feira», indica o Observatório Astronómico de Lisboa.

    http://www.abola.pt/mundos/ver.aspx?id=572753

    (notícia em português para complementar as outras)
     
    Collapse Signature Expandir Assinatura
    guisilva5000 e Duarte Sousa gostaram disto.
  12. Duarte Sousa

    Duarte Sousa
    Expand Collapse
    Staff

    Registo:
    8 Mar 2011
    Mensagens:
    5,111
    Local:
    Loures
    Essa notícia está muito enganosa, pois mostra uma fotografia de um eclipse solar.
     
  13. StormRic

    StormRic
    Expand Collapse
    Furacão

    Registo:
    23 Jun 2014
    Mensagens:
    11,799
    Local:
    Póvoa de S.Iria (alt. 140m)
    :lol: autêntico tesourinho deprimente, literalmente. Os leitores à espera de ver algo com aquele aspecto e depois descobrem que é de madrugada e é a Lua que fica escura e não o sol que desaparece (desaparecido já ele está a essa hora).

     
    Duarte Sousa e guisilva5000 gostaram disto.

Partilhar esta Página