"Crocodilo" do Zêzere afinal poderá ser um Siluro

Vince

Furacão
Registo
23 Jan 2007
Mensagens
10,624
Local
Braga
Será que aqueles boatos aqui há uns tempos no Douro Internacional também pode ter sido o mesmo peixe ?

Crocodilo do Zêzere afinal era um peixe-gato

O crocodilo que uma comerciante e um canoísta pensam ter avistado na albufeira de Castelo Bode, no concelho da Sertã, poderá ser um siluro (ou peixe-gato), como o encontrado ontem de manhã perto da foz do Alge (Figueiró dos Vinhos) pelo dirigente da associação ambientalista AQUATomar.

Américo Costa, 48 anos, estava a organizar um passeio de observação da fauna da albufeira, no fim-de-semana, e procurava um sítio para atracar um pequeno veleiro quando descobriu o predador. "Eram 6, 7 horas. Vi movimento junto à margem e julgava tratar-se de uma carpa, mas quando me aproximei constatei que era um siluro, com 1,5 metros", contou o dirigente da AQUATomar, empresário.

Nessa altura, pensou logo ter desfeito o mistério do crocodilo. "Pelo tamanho, por estar em águas menos profundas para apanhar lagostins, pela forma como serpenteia ao nadar e quase não ter escamas, pode confundir-se com o réptil", conclui Américo Costa, destacando que o peixe--gato é muito comum nas barragens espanholas, apesar de ser uma enorme ameaça para os outros peixes.

Apesar da descoberta do ambientalista, o Serviço da Natureza e Protecção do Ambiente da GNR vai manter os patrulhamentos de rotina, com atenção a eventuais vestígios de alguma espécie exótica.

(c) In Correio da Manhã
http://www.cmjornal.xl.pt/detalhe/n.../crocodilo-do-zezere-afinal-era-um-peixe-gato



Alguns vídeos do Ebro em Espanha:


Existe notable confusión en lo concerniente a la talla máxima, que puede alcanzar un siluro (Silurus glanis), especie originaria del Este y Centro de Europa, Asia Central y Asia Menor. No es difícil encontrar historias con tamaños increíbles y datos de longitud-peso no correlativos, como peces rondando los 5 m de largo y los 306 Kg de un ejemplar del río Dniper (Rusia, Bielorrusia y Ucrania). A pesar de todo, el mayor ejemplar cuyo peso pudo ser verificado con suficiente fiabilidad es un ejemplar de 2.78 m y 144 Kg capturado en el río Po, Italia.

La mayoría de los siluros tiene un tamaño rondando los 1.5 m, pudiendo considerarse los ejemplares por encima de los 2 m menos frecuentes y auténticos trofeos para el pescador. El Silurus glanis, prefiere las aguas calmas, profundas y turbias de tramo bajo o en grandes lagos y embalses. Hoy día, el río Ebro (embalses de Mequinenza y Ribarroja), con varios ejemplares de Wels catfish capturados por encima de los 100 Kg, son aguas donde nadan especímenes récord.

Se cree que el biólogo alemán Roland Lorkowsky, especializado en ecosistemas y peces de agua dulce, en el año 1974 introdujo 32 alevines de Silurus glanis procedentes del río Danubio en el río Segre en el rio Ebro. Su intención, nada ecológica, era repoblar la zona del embalse de Ribarroja para remediar la perdida de peces depredadores y un aumento vertiginoso de la población de carpas, a la vez que poder disfrutar de la captura de estos peces enor. El peligro de la introducción en aguas extrañas de esta especie de boca enorme y grandes dimensiones no ha sido determinado con exactitud. Lo cierto es que la extrema voracidad del siluro ha afectado notablemente al ecosistema, dañando las poblaciones de otros peces, anfibios y mamíferos. Como la erradicación de este pez de la familia de los cóngridos no es posible, las administraciones deben proponer y llevar a cabo medidas de control teniendo en cuenta el peligro que supone la competencia interespecífica con otros predadores como el bass o el lucio, epicentro de la pesca deportiva.




siluro221043.jpg

(c) http://pescaprofesional.net/2010/03/16/catfishing-guides-launched-ebro-spain/
 
Editado por um moderador:

duero

Nimbostratus
Registo
23 Dez 2009
Mensagens
1,038
Local
valladolid
El cocodrilo precisa de aguas cálidas, y no veo posible que un cocodrilo pueda vivir en el Duero entre Septiembre y Mayo aprox.

Aún así podía ser un nuevo NESSIE como el del lago escocés, bueno sería para el turismo.
 

belem

Cumulonimbus
Registo
10 Out 2007
Mensagens
4,321
Local
Sintra/Carcavelos/Óbidos
Muito se fala dos danos que os siluros dão para a fauna, mas até hoje ainda não vi nenhum estudo científico sobre o assunto, a confirmar tal coisa. E não são peixes assim tão raros.
Os siluros também existem no Interior do Tejo.
 

Paulo H

Cumulonimbus
Registo
2 Jan 2008
Mensagens
3,159
Local
Castelo Branco 386m(489/366m)
El cocodrilo precisa de aguas cálidas, y no veo posible que un cocodrilo pueda vivir en el Duero entre Septiembre y Mayo aprox.

Aún así podía ser un nuevo NESSIE como el del lago escocés, bueno sería para el turismo.

Eu sinceramente ainda pensei que se tratasse de um brinquedo crocodilo flutuante.. :)

Sim, os siluriformes já não são assim tão raros, pelo menos no Tejo. Vi uma reportagem nos E.U.A. sobre os ditos siluros mas referiam-se a uns peixes enormes exóticos trazidos da birmãnia ou indonésia, por aí.. E não ficou provado que fossem carnivoros, o que não impede que na ausência de predadores destruam o habitat das espécies autoctones! O siluro de que falavam nem era do gênero peixe gato, mas tinha a boca comprida e serrilhada, dando um aspecto algo assustador, podendo chegar aos 90kg ou mais.

O crocodilo para além de preferir águas tepidas, é um animal que caça de embuscada, à semelhança do tigre! Logo, não estou bem a ver um crocodilo a andar por aí a perseguir peixes! :)

Aqui na beira baixa, em rios afluentes do tejo (ex: rio ponsul), e falando peixes ditos carnivoros, existe já há muito o chamado "tubarão do rio"por atacar patos bravos inclusive, estou a falar do lúcio!
 

belem

Cumulonimbus
Registo
10 Out 2007
Mensagens
4,321
Local
Sintra/Carcavelos/Óbidos
Eu sinceramente ainda pensei que se tratasse de um brinquedo crocodilo flutuante.. :)

Sim, os siluriformes já não são assim tão raros, pelo menos no Tejo. Vi uma reportagem nos E.U.A. sobre os ditos siluros mas referiam-se a uns peixes enormes exóticos trazidos da birmãnia ou indonésia, por aí.. E não ficou provado que fossem carnivoros, o que não impede que na ausência de predadores destruam o habitat das espécies autoctones! O siluro de que falavam nem era do gênero peixe gato, mas tinha a boca comprida e serrilhada, dando um aspecto algo assustador, podendo chegar aos 90kg ou mais.

O crocodilo para além de preferir águas tepidas, é um animal que caça de embuscada, à semelhança do tigre! Logo, não estou bem a ver um crocodilo a andar por aí a perseguir peixes! :)

Pois, eu tb vi esse documentário e tratava-se de outra espécie.
Sobre o peixe-gato gigante ou siluro, ainda não vi documentação científica sobre o impacto que tem nas espécies nativas. Se alguém tiver alguma coisa, seria interessante poder aceder a essa informação.

A exoticidade do siluro ainda não está bem determinada, pois durante o Pleistoceno, o siluro também existia na Europa Ocidental, só não tenho a confirmação para a P. Ibérica, mas também ainda não me debrucei de forma séria sobre a fauna pleistocénica de peixes dulçaquícolas da P. Ibérica.
 

lsalvador

Nimbostratus
Registo
18 Nov 2006
Mensagens
1,250
Local
Alhos-Vedros / Tomar
TOMAR – Está confirmado! Há três anos foram capturados dois crocodilos na barragem de Castelo de Bode… mas não há razões para pânico!

Está confirmado! Há três anos foram capturados dois crocodilos, com menos de quarenta centímetros, junto ao paredão da barragem de Castelo de Bode. Esta indicação foi feita à Hertz, na manhã desta segunda-feira, por João Loureiro, biólogo do Instituto de Conservação da Natureza. O especialista já tinha afirmado o mesmo numa entrevista à SIC e essas declarações causaram revolta entre a população das áreas envolventes à albufeira, que não tinham memória que registasse uma captura desse género. Mas, na verdade, as autoridades, nessa altura, tiveram mesmo que apanhar os dois répteis:

«A minha afirmação é verdadeira. Não se tratou de qualquer invenção. Com efeito, capturámos dois crocodilos, com menos de quarenta centímetros, mesmo junto ao paredão da barragem. Este é um exemplo de uma ocorrência que, infelizmente, acontece algumas vezes. Há registo para algumas pessoas que compram crocodilos recém-nascidos. Com o tempo, os espécimes crescem e não há espaço suficiente para os albergar. E as pessoas, presumimos que na boa fé, acabam por libertar os répteis. Felizmente, nestes casos registados, não há perigosidade para as pessoas uma vez ainda são espécimes pequenos e, ainda para mais, não sobrevivem aos nossos invernos. Tratou-se de um caso pontual na barragem de Castelo de Bode, tal como já aconteceu em discotecas, em casas particulares, etc. Condenamos estes casos porque, de facto, é ilegal ter estas espécies em casa. Desde 1992 que a Lei portuguesa proíbe a detenção destes animais. Mas as pessoas vão até Espanha, onde é legal, e até compram mesmo no nosso país, apesar de ser ilegal. Mas convém reforçar que estas espécies são tropicais e, por isso, não aguentam os nossos invernos. Por prevenção, demos seguimentos a essa denúncia que recebemos nessa altura. Prevenir é melhor do que remediar». Relativamente às recentes denúncias sobre a eventual presença de um novo crocodilo, desta vez de maior porte, João Loureiro quis sossegar as pessoas e afirma que, até agora, não há qualquer indício nesse sentido, até porque os répteis não resistem aos invernos do nosso país. Ficou a garantia de que as patrulhas que têm estado na albufeira de Castelo de Bode não registaram qualquer presença anormal: «Esta denúncia já tem algum tempo e, desde então, há uma colaboração com o SEPNA, que continua em patrulha, mesmo depois de encontrado o tal peixe-gato. Convém dizer que essa denúncia, dada a existência de exemplos anteriores, poderia ser credível. Mas, neste último mês e meio, não foi encontrado qualquer crocodilo. Há registo para este peixe-gato, que tem um tamanho considerável, mas não é perigoso para as pessoas. No entanto, come todos os espécimes de peixes e crustáceos que apanha na água. Com efeito, ao Instituto chegaram alguns e-mails a questionar a existência de crocodilos e vamos responder a essas solicitações. É necessário referir que nada indica que existam crocodilos de grande tamanho e, por isso, não haverá perigosidade para os veraneantes. Não foi possível confirmar esta última denúncia, é um facto, mas foram feitos vários tipos de buscas e, por isso, não nos parece haver motivos para pânico».

Fonte : Radio Hertz
 

belem

Cumulonimbus
Registo
10 Out 2007
Mensagens
4,321
Local
Sintra/Carcavelos/Óbidos
Serão crocodilos ou aligátores?
Se forem aligátores, há alguma possibilidade de sobreviverem ao inverno.

PS: Nada me garante que não ande por lá um maior...
 

duero

Nimbostratus
Registo
23 Dez 2009
Mensagens
1,038
Local
valladolid
Serão crocodilos ou aligátores?
Se forem aligátores, há alguma possibilidade de sobreviverem ao inverno.

PS: Nada me garante que não ande por lá um maior...

Cocodrilos no creo que puedan ser, por ser de aguas mucho mas calidas, su distribución es de zonas muy calidas y sin invierno, o con poco invierno.

Pudieran ser cocodrilos soltados en verano por desaprensivos, pero no hubieran sobrevivido al invierno.

Diferente sería si fuear aligator de Sureste de USA o los yacarés de América del Sur que moran en Argentina y Uruguay y se han llegado a encontrar a latitud de 22º Sur.
 

belem

Cumulonimbus
Registo
10 Out 2007
Mensagens
4,321
Local
Sintra/Carcavelos/Óbidos
Cocodrilos no creo que puedan ser, por ser de aguas mucho mas calidas, su distribución es de zonas muy calidas y sin invierno, o con poco invierno.

Pudieran ser cocodrilos soltados en verano por desaprensivos, pero no hubieran sobrevivido al invierno.

Diferente sería si fuear aligator de Sureste de USA o los yacarés de América del Sur que moran en Argentina y Uruguay y se han llegado a encontrar a latitud de 22º Sur.

Sim, nos USA chegam até a norte de 30 graus de latitude (N).
Já vi jacarés, no exterior ( ar livre) durante o mês de Janeiro no zoo de Lisboa.
Estavam em estado latente e tanto quanto sei nenhum morreu.
Infelizmente não tinham ali sítio para se enterrarem como costumam de fazer na natureza. Espero que tenham melhorada as instalações.
A outra questão será, qual a viabilidade populacional através do número de nascimentos bem sucedidos... Já sabemos que são necessárias temperaturas constantes algo entre 28 e 32ºc (mais ou menos). Normalmente as fêmeas fazem ninhos com folhas semi decompostas para obter temperaturas mais altas, pois o material orgânico ao entrar em decomposição liberta calor e permite que o ninho fique quente.
Em Lisboa, talvez seja possível uma taxa de nascimentos bem sucedida, mas apenas durante certos anos...
Em outras partes do país, mais quentes, tal já seria muito mais frequente.
Mas penso que não tem qualquer interesse introduzir animais destes em Portugal.

Já existiram espécies de crocodilos em Portugal, mas apenas durante fases muito quentes em que o clima era tropical e não conheço nenhuma com equivalente modernos da mesma espécie. É certo que a lista pode ser maior do que penso, mas para já é o que sei.
 

duero

Nimbostratus
Registo
23 Dez 2009
Mensagens
1,038
Local
valladolid
El yacaré negro llega su distribución natural a Buenos Aires y mas al Sur. Buenos Aires ya tiene un invierno como el de Lisboa por ejemplo.

http://es.wikipedia.org/wiki/Caiman_yacare

Concuerdo que no tiene interes ninguno introducir en la naturaleza estos animales, mesmo sería peligroso para el ganado y las personas como niños pequeños.

Tal vez sería posible el yacaré en explotación comercial para aprovechar su piel, y hacer bolsos y zapatos y otros productos de cuero.

Desconozco si sería económico, pero al menos no precisarian de instalaciones de calefaccion en invierno pues en la zona de Buenos Aires no precisan de ellas.

Ese sería el único sentido a su introducción, en "granjas peleteras" como los visones americanos.
 

Paulo H

Cumulonimbus
Registo
2 Jan 2008
Mensagens
3,159
Local
Castelo Branco 386m(489/366m)
Hoje o jornal reconquista, jornal semanal regional de castelo branco, vem falar dos siluros. Vou-me abstrair da minha opinião e resumir o que o testemunho de um pescador do rio ponsul afluente do rio tejo aqui a 10km de distância. O dito pescador refere que acha estranho um siluro ser encontrado numa barragem. Refere que os siluros foram colocados no rio ebro e posteriormente no tejo, e mais tarde progrediram naturalmente para os afluentes do tejo. Refere que no rio ponsul são apanhados siluros desde 1kg até 14kg, sendo que são muito distintos dos peixe gato. Refere que numa barragem na cidade, em torno da zona industrial existem peixes gato não alcançando mais de 1.5kg. Refere ainda que os siluros dificilmente conseguem perseguir presas como a carpa ou o barbo (partindo do princípio que peixe grande come o pequeno/minha opinião), pelo que a preocupação reside no facto de que os únicos predadores deste peixe se resume ao ser humano!
 

belem

Cumulonimbus
Registo
10 Out 2007
Mensagens
4,321
Local
Sintra/Carcavelos/Óbidos
Concordo contigo, Duero.


PauloH, em Portugal existem 2 espécies de peixe-gato: peixe gato preto americano ( mais pequeno) e o siluro ou peixe gato gigante ( muito maior).

O primeiro já é algo abundante, enquanto o segundo parece em progressão.

Uma coisa que pode explicar a presença do siluro em locais inesperados, além da introdução ( ou reintrodução), também pode ser o fenómeno das cheias.

Qualquer predador de topo não deve ter muitos predadores na sua fase adulta ( sobretudo no seu local de origem), mas durante as diferentes fases de crescimento decerto deve conhecer mais perigos.
 

Paulo H

Cumulonimbus
Registo
2 Jan 2008
Mensagens
3,159
Local
Castelo Branco 386m(489/366m)
Concordo contigo, Duero.


PauloH, em Portugal existem 2 espécies de peixe-gato: peixe gato preto americano ( mais pequeno) e o siluro ou peixe gato gigante ( muito maior).

O primeiro já é algo abundante, enquanto o segundo parece em progressão.

Uma coisa que pode explicar a presença do siluro em locais inesperados, além da introdução ( ou reintrodução), também pode ser o fenómeno das cheias.

Qualquer predador de topo não deve ter muitos predadores na sua fase adulta ( sobretudo no seu local de origem), mas durante as diferentes fases de crescimento decerto deve conhecer mais perigos.

Confesso que o que sei sobre siluros é apenas do que vi no tal documentário.. Este meu último post, é apenas uma narrativa da notícia do jornal relativa a um pescador do rio ponsul afluente do tejo. Claro que a opinião do dito pescador vale o que vale.. Eu pessoalmente nunca vi um peixe gato, alias o peixe que me é mais famílias (>90%) é o barbo, depois lá poderá aparecer percas ou carpas, ou num rio de águas mais frias e oxigenadas a truta (não só na serra da estrela, mas também na ribeira da sertã, mas apenas na zona de oleiros). Também já apanhei "pardelhas" no zezere e no ponsul, uns peixes que se prendem às pedras com a boca, sem valor comercial alimentar, apenas são apanhados porque são bom isco para pescar "achegans" (duram mais que as minhocas ou as larvas).

Apenas uma opinião minha, que pode ser falso mito, e estar redondamente equivocado: para mim, um peixe chegado à idade adulta é carnivoro nem que seja por necessidade pontual (complemento), quero dizer com isto que, peixe grande come pequeno! :)