Espécies Invasoras

MSantos

Staff
Registo
3 Out 2007
Mensagens
9,854
Local
Azambuja / Rio Maior
Vai ser mesmo muito difícil de controlar, arrisco que veio para ficar... o Grande Porto está CHEIO de fábricas e armazéns ao abandono ou em ruínas, casas devolutas, eucaliptais abandonados, já chamam ao Porto a Detroit da Europa... num cenário destes o bicho tem todas as condições para fazer ninhos sem ser visto. Vem aí tempestade...

A vespa asiática vai ser uma problema muito maior nos próximos anos. Estima-se que se está a expandir 50km por ano, neste momento o limite Sul andará pelo distrito de Aveiro e Viseu, para o ano deverá estar nos distritos de Coimbra e Leiria, no ano seguinte em Santarém e Lisboa.
Dificilmente chegará às zonas mais secas do País já que se pensa que não estará apta para viver em ambientes secos, por exemplo no Alentejo Interior não deverá ser um problema, mas em todo o Norte, Centro e Litoral Alentejano vai causar grandes prejuízos a apicultores, para além dos ataques a pessoas.
 


DaniFR

Nimbostratus
Registo
21 Ago 2011
Mensagens
1,917
Local
Coimbra (75 m)
Praga de Jacintos-de-Água na Pateira de Espinhel, Águeda
Foto de A. Fonseca Photography

12119005_722278591250174_7049487463177832780_n.jpg
 
  • Gosto
Reactions: StormRic e MSantos

frederico

Furacão
Registo
9 Jan 2009
Mensagens
10,094
Local
Porto
Precisamos urgentemente de legislação para tratar deste problema, as autarquias em vez de estoirarem dinheiro em rotundas deveria resolver isto de uma vez por todas, a situação em alguns pontes do país está fora de controlo e os prejuízos serão brutais.
 
  • Gosto
Reactions: StormRic

DaniFR

Nimbostratus
Registo
21 Ago 2011
Mensagens
1,917
Local
Coimbra (75 m)
Portugal não consegue travar avanço da vespa-asiática

Espécie invasora já chegou ao distrito de Coimbra, embora o seu avanço, de norte para sul, decorra a uma velocidade mais lenta do que a verificada em França.

995701


995702


995696


Público
 

Pedro1993

Super Célula
Registo
7 Jan 2014
Mensagens
8,249
Local
Torres Novas(75m)
Vespa asiática já chegou a Trás-os-Montes
Hoje às 15:22
Investigadores da Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro (UTAD) querem mobilizar os apicultores e a população em geral para o combate à vespa asiática, cuja presença foi confirmada em Vila Real.

ng5181244.jpg


A UTAD informou, esta segunda-feira, em comunicado, que especialistas academia da confirmaram, recentemente, a presença da vespa velutina, vulgarmente conhecida por "vespa asiática", na região de Vila Real.

"No decorrer de trabalhos no apiário da UTAD, um aluno de mestrado capturou dois exemplares de vespa e, após observação, confirmou-se que se tratava de vespa asiática, uma rainha e uma obreira mais concretamente. Não há dúvida sobre a presença desta espécie em Vila Real, à semelhança de outros locais na região norte do país", afirmou o investigador especialista em apicultura, Paulo Russo Almeida.

http://www.jn.pt/PaginaInicial/Naci...am=9c5627681bf0b460c1f96095ac9c2239&eg_list=3



Vespa asiática quase mata homem em Barcelos

Homem sofreu uma reação alérgica grave. Intervenção de uma patrulha da GNR e dos bombeiros foi fundamental para salvar a vítima
A GNR divulgou esta terça-feira ter socorrido em Vila Seca, Barcelos, um homem que sofreu uma reação alérgica grave, correndo risco de vida, depois de ter sido picado por uma vespa asiática.

“A intervenção dos elementos da patrulha foi de tal facto relevante que conseguiram manter a pessoa com sinais vitais até à chegada da VMER [Viatura Médica de Emergência e Reanimação] e bombeiros que enalteceram a intervenção dos militares”, refere o relatório do acidente que ocorreu segunda-feira pelas 15:45.
O documento acrescenta que os bombeiros disseram mesmo: “se não chegassem ao local tão rápido numa questão de cinco minutos o cidadão teria supostamente falecido”.

http://www.tvi24.iol.pt/sociedade/picada/vespa-asiatica-quase-mata-homem-em-barcelos

Apicultores de São Pedro do Sul combatem a vespa asiátic
A vespa asiática está a destruir colmeias na zona de São Pedro do Sul.
Os apicultores criaram armadilhas artesanais com vinho e açúcar.

http://www.rtp.pt/noticias/pais/apicultores-de-sao-pedro-do-sul-combatem-a-vespa-asiatica_v874225
 
  • Gosto
Reactions: Thomar

Pedro1993

Super Célula
Registo
7 Jan 2014
Mensagens
8,249
Local
Torres Novas(75m)
Oxalis pes-caprae(Azedas)

Oxalys-pes-caprae-1-834x399.jpg


Falando, sobre espécies invasoras, lembrei-me de falar um pouco sobre as azedas, ou erva-canária, que agora pelo menos por aqui está a começar a florir.
Pelo que tenho visto esta invasora tem ganhado cada vez mais terreno, invadindo áreas de terrenos formando manchas já de grandes dimensões.
Tenho observado algumas pessoas a queixarem-se que já nao sabem o que fazer para erradicar esta praga, que nao deixe que nos mesmo espaço cresça erva nativa.
Tenho algumas manchas de azedas no meu terrenos, embora ainda de pequenas dimensões.
Outra espécies, que decidiu invadir o meu terreno em força, foi as acelgas selvagens, já em anos anteriores era habitual nascerem por aqui, mas desde que caiu aqui as primeiras chuvas desde outono, que me invadiram muita terra. Com a chuva elas ficaram muito viçosas, até á quem as use para a alimentação, para fazer sopas...
Penso que nao esteja classificada como invasora ainda, a sua raíz é profunda e pode alcançar mais de meio metro de profundidade, o que a faz resistir a muitos meses sem chover, como aconteceu este verão.
Eu tenho o hábito de as cortar todas, antes que elas deixem cair as suas sementes de volta para a terra.
A sorte é que as galinhas, adoram estas verduras, e ajudam a dar-lhe um desbaste, eu corto-as rente á terra, e elas voltam sempre a rebentar novamente.

http://invasoras.pt/gallery/oxalis-pes-caprae/

maio2012+032.JPG
 
  • Gosto
Reactions: StormRic

Pedro1993

Super Célula
Registo
7 Jan 2014
Mensagens
8,249
Local
Torres Novas(75m)
João Branco da Quercus. “Uma espécie invasora provoca um desequilíbrio ecológico”

Há um combate suficiente para a ameaça?
Acho que não. O plano e acções de combate deviam envolver mais pessoas, mais organizações, senão não se vai conseguir combater a vespa asiática.

O problema está subdiagnosticado?

As acções deviam ser centralizadas, em vez de estarem nas mãos dos bombeiros e particulares. A grande questão é quem paga a destruição dos ninhos. Repare, é um trabalho feito à noite. Geralmente, os ninhos estão em árvores altas, é preciso equipamento próprio, pessoas especializadas. Isto pode custar 1000 euros e, se a pessoa não puder pagar, a erradicação está dependente dos bombeiros, que também têm custos em mandar lá o carro e o pessoal.

Em termos de espécies invasoras, há memória de uma ameaça assim?
Em Portugal, julgo que não. Mas no mundo há. Veja-se a abelha assassina, que já chegou aos Estados Unidos e foi um insecto criado pelo homem através da hibridização. Esta não tem esse risco, mas tem outros: a vespa asiática é predadora das abelhas. Põem-se à entrada das colmeias e atacam as abelhas em voo para as comerem e levarem para as crias. Mas além deste prejuízo directo na produção de mel, há outros impactos por apurar.

http://ionline.pt/artigo/481010/joa...equilibrio-ecologico-?seccao=Portugal_i#close
 
  • Gosto
Reactions: Thomar e StormRic

StormRic

Furacão
Registo
23 Jun 2014
Mensagens
16,174
Local
Póvoa de S.Iria (alt. 140m)
Outra espécies, que decidiu invadir o meu terreno em força, foi as acelgas selvagens, já em anos anteriores era habitual nascerem por aqui, mas desde que caiu aqui as primeiras chuvas desde outono, que me invadiram muita terra. Com a chuva elas ficaram muito viçosas, até á quem as use para a alimentação, para fazer sopas...
Penso que nao esteja classificada como invasora ainda, a sua raíz é profunda e pode alcançar mais de meio metro de profundidade, o que a faz resistir a muitos meses sem chover, como aconteceu este verão.
Eu tenho o hábito de as cortar todas, antes que elas deixem cair as suas sementes de volta para a terra.
A sorte é que as galinhas, adoram estas verduras, e ajudam a dar-lhe um desbaste, eu corto-as rente á terra, e elas voltam sempre a rebentar novamente.

Àcerca das azedas, em tempos tive um quintal onde arranjei uma horta com 50 m2. O combate às azedas era uma batalha diária, um trabalho de paciência que envolvia extrair completamente toda a raíz, uma a uma. Mas consegui erradicá-la, em parte porque o talhão era murado a alvenaria, por isso não havia contaminação dos terrenos contíguos. Nenhum outro processo funciona. Não é, obviamente, exequível em grandes extensões abertas.

Não sabia que as acelgas selvagens eram comestíveis. E não sei se a expansão desse conhecimento será ou não favorável à prevenção da sua proliferação. Por um lado revela um meio atraente para o seu controlo, por outro pode incitar à sua plantação. Se necessitam das sementes para se multiplicarem penso que pode ser relativamente eficaz cortá-las, pelo menos para não estenderem a área ocupada.
 
  • Gosto
Reactions: MSantos e Pedro1993

Pedro1993

Super Célula
Registo
7 Jan 2014
Mensagens
8,249
Local
Torres Novas(75m)
À atenção dos nossos agricultores e não só: a espécie que as fotos documentam é PARA ERRADICAR: Trata-se de uma espécie invasora, Araujia sericifera, conhecidapelos nomes comuns de pepino-de-seda ou planta cruel, e nativa da América do Sul. É uma trepadeira, que pode trepar até 5-7 m de altura. As lianas são de rápido crescimento, podendo cobrir as copas de um bosque ou galeria ripícola em dois ou três anos, competindo com as árvores por luz, água e nutrientes. A presença da espécie danifica as árvores por aquela competição e por o entrelaçamento ser tão forte em torno dos ramos que provoca o anelamento.

Chegou a Portugal, e outras regiões do globo, pelos mesmos motivos do jacinto-aquático: como planta ornamental...

A seiva é irritante para a pele e olhos, o fruto é tóxico - o que é grave, porque pode ser confundido com o chuchu - e a planta, para além de matar os insectos que a polinizam, é possivelmente hospedeira de vários dos vírus-mosaico que afectam as nossas culturas agrícolas.
12491848_10153534110352909_4328427060077651385_o.jpg




12523033_10153534128412909_7434628604854801857_n.jpg



Autor do texto: ‎Carlos Paula
 
  • Gosto
Reactions: Thomar e TiagoLC

frederico

Furacão
Registo
9 Jan 2009
Mensagens
10,094
Local
Porto
As azedas já são impossíveis de erradicar. No litoral e barrocal algarvios estão de uma ponta à outra. A espécie está apenas ausente na serra, talvez devido ao tipo de solo e à resina da esteva. A sorte é esta: a planta aparece em Outubro e começa a desaparecer no final do Inverno. As plantas endémicas começam a nascer e a florir quando as azedas começam a desaparecer.
 
  • Gosto
Reactions: Thomar e Pedro1993

Agreste

Furacão
Registo
29 Out 2007
Mensagens
10,032
Local
Terra
há uma zona conhecida em Faro como acesso ao cais comercial em que as palmeiras morreram todas por causa do escaravelho... esteve assim muito tempo, talvez uns 3 ou 4 anos, entretanto reparei que estão a nascer outras fruto das bagas que estavam enterradas no solo...
 

Gil_Algarvio

Nimbostratus
Registo
23 Mar 2009
Mensagens
1,785
Local
Manta Rota - Algarve
É estranho haver este tópico, e se não estou em erro, não vi ninguém a falar do escaravelho da palmeira, que por aqui já matou quase todas as palmeiras.
Por acaso não me recordo se se falou nisso por aqui, é uma questão de reler. Mas vendo do ponto de vista correcto isso acabou apenas por ser uma invasora que dizimou outra invasora. As palmeira embora relativamente bem adaptadas e de crescimento lento mas não deixam de ser invasoras.
 

MSantos

Staff
Registo
3 Out 2007
Mensagens
9,854
Local
Azambuja / Rio Maior
É estranho haver este tópico, e se não estou em erro, não vi ninguém a falar do escaravelho da palmeira, que por aqui já matou quase todas as palmeiras.

Já se falou desse escaravelho no fórum, mas ainda antes da existência deste tópico, penso que haja posts sobre isso no tópico da Biodiversidade.
 
Última edição:

1337

Cumulonimbus
Registo
26 Jun 2010
Mensagens
2,046
Local
Ponte de Lima (centro)
Por acaso não me recordo se se falou nisso por aqui, é uma questão de reler. Mas vendo do ponto de vista correcto isso acabou apenas por ser uma invasora que dizimou outra invasora. As palmeira embora relativamente bem adaptadas e de crescimento lento mas não deixam de ser invasoras.
São invasoras, mas não se pode meter os invasores todos dentro do mesmo saco, uma coisa é a palmeira que já está cá há centenas de anos, não faz mal aos ecossistemas , é bonita e dá um ar exótico. Enquanto esse bicho só serve para destruir as Palmeiras.
 
  • Gosto
Reactions: Gil_Algarvio