Floresta nativa Portuguesa

Tópico em 'Biosfera e Atmosfera' iniciado por DMigueis 26 Abr 2013 às 13:48.

  1. nelson972

    nelson972
    Expand Collapse
    Cumulus

    Registo:
    22 Abr 2010
    Mensagens:
    352
    Local:
    Mira de Aire

    Em Alvados, no PNSAC sao as centenas, a ocupar terrenos agrícolas entretanto abandonados. Quando estao em flor e' verdadeiramente magnifico!
    Ha inclusivamente algumas com troncos de dimensão relevante!
    Tenho conhecimento que há quem use as bagas para fazer licor :)...

    Assim que tiver oportunidade coloco fotos !
     
  2. Pedro1993

    Pedro1993
    Expand Collapse
    Super Célula

    Registo:
    7 Jan 2014
    Mensagens:
    6,997
    Local:
    Torres Novas(75m)
    O pilriteiro, é uma das árvores que acaba por aparecer quando um terreno fica ao abandono depois de uns 25 a 30 anos, sem a intervenção humana.
    Esta árvores acaba depois por ser disseminada, pelas bagas que as aves comem, originando assim novas plantas debaixo de outras árvores como oliveiras, ou até mesmo um pilriteiro mais adulto.
    Conheço aqui um pilriteiro, num terreno abandonado, que o seu tronco é já muito grosso, talvez mais de 80 cm de diâmetro e deve ter uns 3 metros e meio.
    Tenho aproveitado para trazer algumas árvores novas, com o tamanho de um palmo para o meu terreno, para incentivar a biodiversidade, porque a sua linda flor, atrai muitas abelhas, bem como as suas bagas atraem também muitas aves.

    Falando agora noutro pequeno arbusto, que deve ter aqui na minha quinta recentemente plantados uns 10, mais outros 15 em vasos, é o sanguinho-das-sebes, também é muito adorado pelas aves.
    Espero daqui a alguns anos ter aqui na minha quinta um óptimo "cantinho" de fauna e flora, visto estar em processo de conversão para agricultura biológica.

    [​IMG]
    Rhamnus alaternus é uma espécie de planta com flor da família Rhamnaceae. É popularmente conhecida como aderno-bastardo, aderno-bravo, espinheiro-cerval ou sanguinho-das-sebes.[1]
     
    Collapse Signature Expandir Assinatura
  3. frederico

    frederico
    Expand Collapse
    Super Célula

    Registo:
    9 Jan 2009
    Mensagens:
    7,687
    Local:
    Porto
    Lamento muito que nao tenhamos a tradicao de ter plantas nativas a fazer sebes que dividam os terrenos como ocorre em Inglaterra ou em Franca... e lamento ainda mais a mania recente de vedar os terrenos e por arame farpado... nunca vi um terreno com vedacao metalica em Inglaterra... ha zonas de Portugal que parecem em estado de guerra...

    O pilriteiro ate tem importantes aplicacoes medicinais...
     
    MSantos, João Pedro e Pedro1993 gostaram disto.
  4. Pedro1993

    Pedro1993
    Expand Collapse
    Super Célula

    Registo:
    7 Jan 2014
    Mensagens:
    6,997
    Local:
    Torres Novas(75m)
    Concordo plenamente, acho que é uma grande mancha visual por exemplo observar terrenos de vários hectares tudo com vedações de rede ovelheira e estacas, isto já para não falar que é um grande obstáculo para muitos animais que a queiram ultrapassar.
    Uma quinta aqui perto de mim, que deve ter mais de uns 40 hectares, dos quais metade são de matos e montados, e está tudo cercado, até mesmo as diversas estradas de terra batida, estão barradas com cercas, apesar que quem quiser passar de bicicleta ou a pé poder abrir a rede porque até ver ainda não tem cadeados a trancar.
    Se fosse usado uma cerca viva, a delimitar os terrenos, isso seria um autentico nicho de biodiversidade, tal como se fazia antigamente, ou então com um muro de pedras como é usual aqui na Serra D'Aire e Candeeiros, mas o problema é que as pessoas devem pensar por estar tudo cercado que assim não entram lá os ladrões tão facilmente.

    [​IMG]

    Este muros serviam para delimitar os terrenos, ao mesmo tempo que retiravam muita pedras da terra, para a poderem cultivar mais facilmente.
     
    Collapse Signature Expandir Assinatura
  5. Micael Gonçalves

    Micael Gonçalves
    Expand Collapse
    Cirrus

    Registo:
    6 Mai 2017
    Mensagens:
    44
    Local:
    Portugal
    Boas, noto esse problema de vedações até por parte das juntas de freguesia, a lagoa mais próxima de mim (espaço público) está cercada com rede, o que impede animais selvagens de se aproximarem para beber água..
    Numa zona cada vez com mais eucaliptais, barrar acesso á água é contraprodutivo, deixando as zonas de reserva naturais sem animais que sobrevivam nelas..
    Há também a ausência de árvores nativas.
     
    João Pedro e Pedro1993 gostaram disto.
  6. frederico

    frederico
    Expand Collapse
    Super Célula

    Registo:
    9 Jan 2009
    Mensagens:
    7,687
    Local:
    Porto
    Nem em Espanha se ve tanta vedacao. Ha zonas que parecem cenarios de guerra, basta haver pequena propriedade como sucede por exemplo no litoral algarvio. As vedacoes nao protegem absolutamente nada, qualquer mafioso que queira entrar salta a vedacao. Pode dificultar, mas nao protege la muito. Com 30 anos ainda sou do tempo em que nao havia uma unica vedacao e andavamos nas terras dos vizinhos sem qualquer problema.
     
    João Pedro gostou disto.
  7. Pedro1993

    Pedro1993
    Expand Collapse
    Super Célula

    Registo:
    7 Jan 2014
    Mensagens:
    6,997
    Local:
    Torres Novas(75m)
    Eu sou um bocado mais novo do que tu, e sempre gostei de andar pelos terrenos á procura de muitas espécies de árvores e de animais, e já lá vai tempo em que consegui percorrer muitos terrenos sem me deparar com uma vedação, qualquer pessoa com alguma mobilidade consegue saltar junto a uma estaca.
    É um negócio que veio para ficar, o das vedações, infelizamente, é que os ribeiros que atravessam as propriedade escapam sem levar rede.
     
    Collapse Signature Expandir Assinatura
  8. Micael Gonçalves

    Micael Gonçalves
    Expand Collapse
    Cirrus

    Registo:
    6 Mai 2017
    Mensagens:
    44
    Local:
    Portugal
    Sou desta zona, vou tentar carregar aqui uma foto que tirei:
    https://uploaddeimagens.com.br/imagens/wp_20170512_18_18_03_pro-jpg

    Edit: há aqui também sobreiros, e alguns pinheiros mansos, mas maioria plantados recentemente, alguns por mim :)
     
    João Pedro, belem e Pedro1993 gostaram disto.
  9. frederico

    frederico
    Expand Collapse
    Super Célula

    Registo:
    9 Jan 2009
    Mensagens:
    7,687
    Local:
    Porto
    E possivel que na zona da Figueira da Foz tenha sido abundante o Quercus robur.

    A especie e comum mesmo nos dias de hoje a latitudes inferiores, caso da regiao da barragem do Cabril. Nos terrenos abandonados o carvalhal parece querer recuperar. A literatura tambem menciona a presence da especie na Marinha Grande nos anos 30 do seculo passado. O vale do Mondego esta numa regiao de transicao entre Europa Eurossiberiana e Europa Mediterranica, ha uma mistura de especies das duas regioes bioclimaticas.
     
    Pedro1993 e Micael Gonçalves gostaram disto.
  10. nelson972

    nelson972
    Expand Collapse
    Cumulus

    Registo:
    22 Abr 2010
    Mensagens:
    352
    Local:
    Mira de Aire
    Desenterrando um pouco este tópico, mostro um pilriteiro singular que vi em covões largos, pnsac. Um sobrevivente, numa área em que só o pastoreio trazia algum rendimento aos habitantes.

    Mapa

    https://goo.gl/maps/jaZQ8RhThLJ2[​IMG]

    Enviado do meu ASUS_Z017D através do Tapatalk
     
  11. Pedro1993

    Pedro1993
    Expand Collapse
    Super Célula

    Registo:
    7 Jan 2014
    Mensagens:
    6,997
    Local:
    Torres Novas(75m)
    Tenho aqui perto de mim, também um belo exemplar de pilriteiro, que mais se parece com uma oliveira, deve ter mais de 7 metros de altura, é lindo de ver quando está no auge da sua floração.
    Aliás foi mesmo nesse período de floração que consegui capturar um enxame de abelhas, isto em Abril, e ainda hoje, estão a "trabalhar", em força dentro de um cortiço, esse mesmo exame que já tinha saída de uma das minhas colmeias, bem próximas.
     
    Collapse Signature Expandir Assinatura
    remember, João Pedro e luismeteo3 gostaram disto.
  12. João Pedro

    João Pedro
    Expand Collapse
    Cumulonimbus

    Registo:
    14 Jun 2009
    Mensagens:
    4,332
    Local:
    Porto, Campo Alegre (50m)
    Collapse Signature Expandir Assinatura
    MSantos, Thomar, remember e 1 outra pessoa gostaram disto.
  13. Pedro1993

    Pedro1993
    Expand Collapse
    Super Célula

    Registo:
    7 Jan 2014
    Mensagens:
    6,997
    Local:
    Torres Novas(75m)
    Bem bonitos que estão esses sanguinhos, bem como os pilriteiros, nestes ultimos 2 anos tenho feito uma boa aposta na plantação de sanguinhos, pois as aves adoram as suas bagas.
    E o mais incrivel, é que alguns desses sanguinhos que plantei este inverno, estão já estabilizados e com um bom crescimento, alguns deles sem nunca terem sido regados, basta dizer que são plantas autóctones, e está tudo dito.
     
    Collapse Signature Expandir Assinatura
    João Pedro, Thomar e remember gostaram disto.
  14. Devas

    Devas
    Expand Collapse
    Cirrus

    Registo:
    23 Jul 2017
    Mensagens:
    85
    Local:
    Bragança/Tomar/Leiria
    O pilriteiro também é conhecido por espinheiro alvar ou espinheiro branco. É uma planta com propriedades medicinais (folhas, flores e bagas), entre elas, rica em vitamina C. As bagas são bastante anti-oxidantes. Ajuda a melhorar o sono, no tratamento de problemas de coração, a fortalecer o coração e a melhorar a circulação sanguínea.
    O fruto (pilrito) é comestível e com ele pode-se fazer ótimas compotas e marmeladas e deliciosos vinhos.
    Pode ser usado como porta-enxertos de pereiras. E a título de curiosidade: conta-se que os espinhos da coroa de Cristo eram de ramos de pilriteiro.
     
    João Pedro e Thomar gostaram disto.

Partilhar esta Página