1. Postagens no fórum Off-Topic
    Para combater registos que têm por único objectivo o de participar em tópicos controversos, o acesso às postagens está condicionado a membros com um número mínimo de 100 mensagens. Membros que não tenham esta quantidade de mensagens não poderão submeter mensagens ou criar tópicos nesta secção.
    Condições Gerais de Utilização do MeteoPT

Floresta portuguesa e os incêndios

Tópico em 'Off-Topic' iniciado por frederico 20 Jul 2010 às 22:23.

  1. duero

    duero
    Expand Collapse
    Nimbostratus

    Registo:
    23 Dez 2009
    Mensagens:
    1,038
    Local:
    valladolid
    Desde 1949 passaram já 60 anos, pelo que as propriedades foram muitas delas divididas ao meio pelos filhos na herança, provavelmente em alguns casos 2 gerações, ou seja, ainda mais uma divisão. São já muitas vezes parcelas pequenas, algumas com 100m2, ou seja, com área 0.01 ha!

    Mesmo asim é nos Ancares, como eu dixe a minha familia somos propietarios de 3 ha. en 18 predios diferentes, algunas nem ten 0'1 ha. pois temos una de 500 m2, mesmo 0'05 ha.

    De esas 18 predios, só aproveitamos 3 que nao chegan a 1 ha. para frutais, como cereixos, e nogais e castaños. As otras fican con matos e ninguen fai nada por elas.
     
  2. duero

    duero
    Expand Collapse
    Nimbostratus

    Registo:
    23 Dez 2009
    Mensagens:
    1,038
    Local:
    valladolid
    Posibles soluciones:

    -Reconcentración parcelaria: si una familia tiene 3 ha. en 10 predios separados, se le da una parcela de 3 ha. en un mismo lugar. Seguramente los 10 millones de predios pasan a ser 1 millon de predios.

    -Mercado de tierras: muchas personas hoy viven en ciudades y no quieren o interesan las tierras. Obligar a pagar impuestos por las tierras a esas personas, asi esas personas deben venderlas, al estado, a la camara municipal o a otras personas.

    -Obligación de vecinos y camara municipal de mantener limpios los caminos.

    -Obligación de limpiar las tierras por parte de privados o cámara municipal.

    Y los mas importante

    -OBLIGACIÓN DE POR CADA PINHEIRO O EUCALIPTO PLANTAR UN ÁRBOL AUTOCTONO CADUCIFOLIO: CASTAÑO, NOGAL, CARVALHO, ETC....

    Si la persona planta 3 ha. de eucalipto debe plantar 3 ha. de nogal, castaño, abedul (betula).

    LA MADERA DE NOGAL VALE 25 VECES MAS QUE LA MADERA DE EUCALIPTO.

    -Exección de impuestos a las personas que planten árboles caducifolias autoctonas y vivan en el medio rural.


    Creo que la cuestión de los fuegos es falta de auténtica voluntad política.
     
  3. Paulo H

    Paulo H
    Expand Collapse
    Cumulonimbus

    Registo:
    2 Jan 2008
    Mensagens:
    3,076
    Local:
    Castelo Branco 386m(489/366m)
    Concordo com tudo o que disseste! Mas já pagamos impostos sobre prédios rústicos, embora seja uma quantia anual pequena. Pago inclusive impostos por terras que não são minhas, nem da família, e conheço alguns vizinhos que pagam impostos de propriedades minhas! :) Está assim mal o cadastro nacional português! Uma desgraça.. :) Mas sim, apresentaste muito boas e realistas soluções! Aquela solução de reagrupar propriedades pode ainda levantar algum incômodo, porque algumas seriam melhores que outras (com acesso por estrada, caminho, com ribeira, ou poços de água, umas mais perto e outras mais longe) mas a verdade é que já ninguém se afasta muito da povoação, tudo o que demore mais de 30min a pé já é raro ir até lá tratar de alguma coisa, mas isso não significa que não pertença aos donos por direito sucessório, comprado ou não.
     
    Collapse Signature Expandir Assinatura
  4. Dan

    Dan
    Expand Collapse
    Staff

    Registo:
    26 Ago 2005
    Mensagens:
    9,358
    Local:
    Bragança (675m)
    Em algumas regiões de Portugal nem é necessário plantar os pinheiros. Após um incêndio as sementes rebentam fazendo com que toda a área fique cobertos de com elevada densidade de pequenos pinheiros.
     
    Collapse Signature Expandir Assinatura
  5. FSantos

    FSantos
    Expand Collapse
    Nimbostratus

    Registo:
    16 Ago 2006
    Mensagens:
    507
    Local:
    Gondomar (115m)
  6. duero

    duero
    Expand Collapse
    Nimbostratus

    Registo:
    23 Dez 2009
    Mensagens:
    1,038
    Local:
    valladolid
    Entonces es preciso hacer limpieza de montes cada pocos años, dejando los árboles de mejor forma, mas fuertes y con mas madera, ir eliminando pinheiros cada 5 años por ejemplo.

    5 años........corta de 40% de pinheiros, permance 60%
    10 años......corta de 40% (sobre el 60%), permanece un 36% de pinos total.
    15 años......corta de 40% (sobre el 36%), permanece aprox. un 20% de pinos.
    20 años......corta de 40% (sobre 20%), permanece un 12% de pinos totales.
    30 años......corta final.
     
  7. duero

    duero
    Expand Collapse
    Nimbostratus

    Registo:
    23 Dez 2009
    Mensagens:
    1,038
    Local:
    valladolid
    O plantar simientes de ABEDULES (betula), especie colonizadora que en el Norte de Portugal crecería bien.
    Es muy dificil los fuegos en zonas de especies caducifolias.
     
  8. duero

    duero
    Expand Collapse
    Nimbostratus

    Registo:
    23 Dez 2009
    Mensagens:
    1,038
    Local:
    valladolid
    Otra solución sería que el estado o la cámara municipal comprase algunas propiedades para hacer bosque autóctono, con especies nativas (sin pretensión económica).

    Seguro hay muchos predios que ya no se trabajan, los dueños tienen ya edad avanzada y los hijos prefieren vivir en las ciudades o trabajar en otra cosa y no tienen interes ninguno en las tierras.
     
  9. belem

    belem
    Expand Collapse
    Cumulonimbus

    Registo:
    10 Out 2007
    Mensagens:
    3,923
    Local:
    Sintra
    Existem bétulas nativas em Portugal ( Serra da Estrela, por exemplo).
     
    Collapse Signature Expandir Assinatura
  10. Gerofil

    Gerofil
    Expand Collapse
    Super Célula

    Registo:
    21 Mar 2007
    Mensagens:
    9,648
    Local:
    Estremoz (401 metros)
    Algumas fotografias da área do Caramulo, tiradas ontem, aqui.
     
    Collapse Signature Expandir Assinatura
  11. jonhfx

    jonhfx
    Expand Collapse
    Cumulus

    Registo:
    26 Set 2008
    Mensagens:
    409
    Local:
    Madeira-Calheta
    Parece que alguém leu o fórum e o blogue http://ambio.blogspot.com/2010/08/as-economias-baseadas-na-gestao-de.html
     
    Collapse Signature Expandir Assinatura
  12. Paulo H

    Paulo H
    Expand Collapse
    Cumulonimbus

    Registo:
    2 Jan 2008
    Mensagens:
    3,076
    Local:
    Castelo Branco 386m(489/366m)
    Confesso que só li até aparecer a palavra expropriar!

    Será que estão todos inocentes??

    Pelo amor de Deus, façam a seguinte experiência científica:

    - Amostra controlada A: um cubo de vidro/acrílico 10x10x15 m3 contendo 1 pinheiro e mato de 4m de altura. Elevem a temperatura interior do cubo até digamos, 70C e HR=10%. Chega? Pois bem, admirem-se, não arde!!

    - Amostra controlada B: um cubo de vidro/acrílico 10x10x15 m3 contendo 1 pinheiro e SEM mato. Mantenham a temperatura interior do cubo até digamos, 30C e HR=10%. Chega? No seu interior, coloquem um indivíduo que tenta pegar fogo com 1cigarro e 6 fósforos juntando um molhe de agulhas de pinheiro na base da árvore. Pois bem, admirem-se arde!! Não só arde, com têm de tirar de lá o pobre homem que não tem culpa da experiência!

    Eu juro que não consigo explicar melhor! Expropriando, também não significa que houvesse mais incendiarios, as pessoas têm os seus haveres e a sua criação!

    Digam o que disserem, a sabedoria popular diz tudo: "No tempo de Salazar não havia incêndios florestais!"

    Se o estado pretende expropriar, que tenha primeiro vergonha e cuide dos seus próprios parques naturais!

    O mato faz parte da nossa flora durante séculos e milénios, muitos e muitos milénios, retém as terras e contribui com matéria orgânica.
    Há apenas uma verdade, com mato abundante e alto torna mais difícil o combate às chamas, e demora muito mais a extinguir um incêndio. Mas não se lhe pega o fogo de livre e espontânea vontade, ok??

    Tenho dito.
     
    Collapse Signature Expandir Assinatura
  13. Paulo H

    Paulo H
    Expand Collapse
    Cumulonimbus

    Registo:
    2 Jan 2008
    Mensagens:
    3,076
    Local:
    Castelo Branco 386m(489/366m)
    Desculpem as palavras.. Não é que eu seja fascista e muito menos seguidor de salazar! :)

    Mas no tempo desse senhor, não havia tanto lixo na floresta, não havia tantos fumadores, não havia tantas estradas à mercê de fumadores, não havia tantas idas ao campo (para acampar, para fazer piqueniques, para o que fosse), tudo tinha dono. Havia muita gente que trabalhava habitando muitas horas do dia na floresta. E os cidadãos das aldeias entreajudavam-se, não esperavam pelos bombeiros, incêndios? Muito, mas muito raro! Também não havia tantos espectáculos pirotecnicos, e embora não houvesse postos de vigia, havia guarda rios, a GNR territorial também zelava pela floresta!

    São estas pequenas diferenças, que dizem tudo, e que fazem toda a diferença!
     
    Collapse Signature Expandir Assinatura
  14. duero

    duero
    Expand Collapse
    Nimbostratus

    Registo:
    23 Dez 2009
    Mensagens:
    1,038
    Local:
    valladolid
    O mato faz parte da nossa flora durante séculos e milénios, muitos e muitos milénios, retém as terras e contribui com matéria orgânica.
    Há apenas uma verdade, com mato abundante e alto torna mais difícil o combate às chamas, e demora muito mais a extinguir um incêndio. Mas não se lhe pega o fogo de livre e espontânea vontade, ok??


    En verdade moito de ese mato é degradaçao das florestas, en una boa floresta de Quercus robur ou betulas apenas ha mato, pois pouca luz chega a superficie.

    A árvore mais significativa é a faia (Fagus sylvatica). Mesmo un día de verao sen nubes nenhuma, una pesoa entra en una floresta de faias e pareze que fizerase de noite, pois é pouca a luz que chega a superficie.
    As florestas de faia nao ten mato nenhum, parezen todas limpinhas, mais é por que dentro da floresta tudo e sombra de facto nem crecen outras arvores, en floresta de esas os quercus sempre sao moito velhos de cando ainda nao chegaran as faias.


    Acontece, menos, mais tamben acontece esto con florestas de betulas e quercus robur.
    En boas florestas de eses especies ha pouco pouco mato, ainda mais, o chao ten mais humedade pois nao chega moito sol, e nas florestas de esas especie as temperaturas mesmo sao mais baixas.

    É moito dificil arder un abedular (floresta de betulas) ou un bon carbalhal (de q. robur), e imposivel arder un faial (de Fagus sylvatica).

    EU FIZE ESTAS FOTOS O MESMO DIA DE VERAO CON FORTE CALOR NAS HORAS MAIS QUENTES DO DIA.

    OLHAR A GRANDE DIFERENCIA DAS FLORESTAS NATURAIS DE BETULAS, E AS REFORESTAÇOES QUE FIZERA A ADMINISTRAÇAO DE PINUS SILVESTRIS.

    As betulas fican ben, grandes, dentro da floresta pouco sol ten, o chao ten humedade, as folhas das betulas tudas verdes, as árvores con musgo.

    A reforestaçao de pinus tudo contrario, dentro da floresta tanto calor como fora, o chao cheio de madeira seca, basta un raio para tudo arder.

    [​IMG]

    [​IMG]

    [​IMG]
     
  15. Paulo H

    Paulo H
    Expand Collapse
    Cumulonimbus

    Registo:
    2 Jan 2008
    Mensagens:
    3,076
    Local:
    Castelo Branco 386m(489/366m)
    Tens razão num aspecto, é que quando as árvores chegam a velhas, e os pinheiros bravos também chegam a velhos (>40anos) o mato se reduz a quase nada, devido à sombra das árvores! Falaste das betulas e das faias, acredito que sim, são boas alternativas ao pinheiro. Quanto ao gênero quercus, já coloco algumas dúvidas, pois aí depende um pouco do clima da região! Repara, aqui na zona este do concelho de castelo branco existe uma reserva natural que se estende até ao Tejo Internacional, mas digamos que na zona de Monforte (freguesia de castelo branco) existem bastantes sobreiros e azinheiras bem velhos e contudo o mato chega a 4m de altura, digamos que tratando-se de uma região quente e seca não ajuda muito a desenvolver outros gêneros quercus (exemplo quercus robur=roble=vermelho=carvalho alvarinho). O mato faz parte daquela região onde os veados se passeiam por entre matos altos entre sobreiros e azinheiras.
     
    Collapse Signature Expandir Assinatura

Partilhar esta Página