IPMA - Novidades, dúvidas, sugestões e críticas

N_Fig

Cumulonimbus
Registo
29 Jun 2009
Mensagens
3,580
Local
Coimbra (Figueira da Foz aos fins de semana)
Será que Braga terá as normais 91-20? Pois a estação do Posto Agrário deixou de funcionar em 2007 e depois temos Merelim que começou a funcionar em 1996, mas que está num sítio diferente o que não dará para fazer comparações dado que a outra estação estava em Lamaçães, numa zona mais alta.

Vendo a de 81-10 parece que o IPMA deixou de considerar os -6,3ºC como a temperatura mais baixa registada em 1995 e agora considero o -5,3ºC de 1987 como a mais baixa.
Pelo que li aqui pelo fórum não havia condições nessa altura para atingir os -6,3ºC.

Se esta estação numa zona mais alta registou isto quanto teria registado Merelim? Supondo que teriam sido dias com sol e de inversão térmica.

As situação que levou aos -5,3ºC:

aMwQUs7.png


E a situação que levou aos -6,3ºC. Nota-se que havia menos frio e essa temperatura sempre deveria ter estado errada.

437VPq4.png


Outras situações interessantes, 1 de março de 2005 que registou -5,0ºC:

3JAmyrY.png


E 13 fevereiro de 1983 que registou -4,5ºC:

uVzAkbN.png
É normalíssimo que as normais não digam respeito ao período inteiro a que deveriam dizer respeito. As normais supostamente 71-00 de Castelo Branco, por exemplo, começam a meio da década de 80, o que até tem a consequência de serem anormalmente mais quentes do que seria de esperar (a década de 70 foi bastante fria)
 

guimeixen

Nimbostratus
Registo
5 Jun 2013
Mensagens
1,988
Local
Real, Braga 105m
É normalíssimo que as normais não digam respeito ao período inteiro a que deveriam dizer respeito. As normais supostamente 71-00 de Castelo Branco, por exemplo, começam a meio da década de 80, o que até tem a consequência de serem anormalmente mais quentes do que seria de esperar (a década de 70 foi bastante fria)
Se usarem Merelim daqui para a frente, pelo menos enquanto estiver ativa, não se poderá fazer comparação com as mais antigas, pois eram de outra estação num outro local.
 

StormRic

Furacão
Registo
23 Jun 2014
Mensagens
15,448
Local
Póvoa de S.Iria (alt. 140m)
Porquê que o IPMA inclui trovoada nos avisos de precipitação, não é para isso que serve o aviso "Trovoada"?
Exemplo:
Ver anexo 1202

Não há aviso para trovoada a não ser que se preveja uma frequência e concentração suficientes. Não impede que os aguaceiros sejam acompanhados de trovoadas mas fracas, que não atingem os critérios. As trovoadas nesse exemplo não atingiam os critérios, ou seja, nível de risco muito baixo portanto aviso específico para trovoadas foi desnecessário.
 

StormRic

Furacão
Registo
23 Jun 2014
Mensagens
15,448
Local
Póvoa de S.Iria (alt. 140m)
Com a mudança da hora nesta madrugada, os registos horários em Estações Online repetiram as observações das 2h de hoje dia 27 e omitiram o registo da 01h. Não se sabe se as observações repetidas se referem às 2h ou à 1h. Este erro ocorre em todas as regiões, nos mapas e nos próprios gráficos de cada estação. Sendo a hora de referência invariavelmente UTC ao longo de todo o ano, não se compreende como isto pode acontecer. :huh:
 

RedeMeteo

Nimbostratus
Registo
13 Nov 2017
Mensagens
951
Local
Serpa
Alguém me sabe dizer onde fica a estação do IPMA em Beja?
 
  • Gosto
Reactions: joselamego

N_Fig

Cumulonimbus
Registo
29 Jun 2009
Mensagens
3,580
Local
Coimbra (Figueira da Foz aos fins de semana)
Alguém me sabe dizer onde fica a estação do IPMA em Beja?
Pelo mapa das estações e pelas coordenadas na ficha climatológica, fica algures perto da estação ferroviária de Beja, mas é difícil entender exatamente onde. Talvez na escola agrária? Pelo menos a altitude bate certo, tem uma parte que está a 246 m, mas atenção que eu nem vou sequer a Beja há anos e estou só a supor
 

RedeMeteo

Nimbostratus
Registo
13 Nov 2017
Mensagens
951
Local
Serpa
Obrigado.
A da Meteo Alentejo fica no lado oposto da cidade
N9w7Csp.jpg
 

Jorge_scp

Nimbostratus
Registo
17 Fev 2009
Mensagens
1,103
Local
Casal do Rato (Odivelas)
A depressão Diego, segundo as cartas de previsão, não vai influenciar o continente com uma superfície frontal quente mas sim fria:

JZFksUy.jpg


CLuuW7y.gif


xWjjEBO.gif

Bem, este episódio é um pouco mais complexo do que parece. Na verdade, apesar de não aparecer aqui nas cartas, haverá uma frente quente a trazer precipitação durante a madrugada/manhã. Como se percebe pelas cartas de TetaSW, às 06UTC Portugal Continental ainda estará no sector "frio", em transição para um ar tropical, portanto não me parece incorrecto dizer que a precipitação nessa fase está associada a uma "frente quente".

gh7Zux0.png


5obuzDW.png


Durante a tarde, sim, de facto essa frente fria desenhada pelo MetOffice e as cartas do site do IPMA (automaticamente e não por um meteorologista, diga-se) aproxima-se do noroeste do continente, mas na verdade nem chega propriamente a passar, começando a ondular quando se aproxima do nosso território, trazendo precipitação, mas sempre em sector quente, como se vê nesta carta às 18UTC:

bQTwZKN.png


Ou seja, de facto há uma frente fria em deslocamento, com uma frente quente sobre o norte de França, mas também uma outra "frente quente" não foi desenhada nessas cartas sobre o continente durante a manhã, que depois dá lugar à frente fria mas ficará quase-estacionária a partir da tarde, começando a ondular. Essa aliás, é a razão da chuva persistente prevista amanhã para certas regiões do Norte e Centro, que poderá resultar em acumulados mais elevados. Se a frente fria cruzasse o território mais rapidamente, sem ondular, até poderia haver chuva temporariamente forte, mas os acumulados seriam menores.

Na verdade, isto das frentes "frias" e "quentes" não deixam de ser modelos conceptuais que servem apenas para nos "orientarmos" e podermos de certa forma classificarmos os sistemas segundo as suas características principais, mas na realidade não há uma frente igual a outra, e a realidade é por vezes muito mais complexa, que se torna difícil representar num mapa qualquer.

Talvez neste caso o mais correcto fosse dizer no texto que seria afectado por um sistema frontal, sem identificar as superfícies frontais associadas, sendo que percebo o raciocínio de quem escreveu o texto, assim como não estaria mal de todo referir a superfície frontal fria, porque durante a tarde a precipitação está associada a ela, embora esteja nessa fase já ondulando e não chegue a cruzar o território, nunca provocando a típica redução de temperatura, rotação do vento, mínimo de pressão, etc..
 
Última edição:

StormRic

Furacão
Registo
23 Jun 2014
Mensagens
15,448
Local
Póvoa de S.Iria (alt. 140m)
Bem, este episódio é um pouco mais complexo do que parece. Na verdade, apesar de não aparecer aqui nas cartas, haverá uma frente quente a trazer precipitação durante a madrugada/manhã. Como se percebe pelas cartas de TetaSW, às 06UTC Portugal Continental ainda estará no sector "frio", em transição para um ar tropical, portanto não me parece incorrecto dizer que a precipitação nessa fase está associada a uma "frente quente".

gh7Zux0.png


5obuzDW.png


Durante a tarde, sim, de facto essa frente fria desenhada pelo MetOffice e as cartas do site do IPMA (automaticamente e não por um meteorologista, diga-se) aproxima-se do noroeste do continente, mas na verdade nem chega propriamente a passar, começando a ondular quando se aproxima do nosso território, trazendo precipitação, mas sempre em sector quente, como se vê nesta carta às 18UTC:

bQTwZKN.png


Ou seja, de facto há uma frente fria em deslocamento, com uma frente quente sobre o norte de França, mas também uma outra "frente quente" não foi desenhada nessas cartas sobre o continente durante a manhã, que depois dá lugar à frente fria mas ficará quase-estacionária a partir da tarde, começando a ondular. Essa aliás, é a razão da chuva persistente prevista amanhã para certas regiões do Norte e Centro, que poderá resultar em acumulados mais elevados. Se a frente fria cruzasse o território mais rapidamente, sem ondular, até poderia haver chuva temporariamente forte, mas os acumulados seriam menores.

Na verdade, isto das frentes "frias" e "quentes" não deixam de ser modelos conceptuais que servem apenas para nos "orientarmos" e podermos de certa forma classificarmos os sistemas segundo as suas características principais, mas na realidade não há uma frente igual a outra, e a realidade é por vezes muito mais complexa, que se torna difícil representar num mapa qualquer.

Talvez neste caso o mais correcto fosse dizer no texto que seria afectado por um sistema frontal, sem identificar as superfícies frontais associadas, sendo que percebo o raciocínio de quem escreveu o texto, assim como não estaria mal de todo referir a superfície frontal fria, porque durante a tarde a precipitação está associada a ela, embora esteja nessa fase já ondulando e não chegue a cruzar o território, nunca provocando a típica redução de temperatura, rotação do vento, mínimo de pressão, etc..

:thumbsup: excelente, obrigado pela explicação!