Lince-Ibérico (Lynx pardinus)

Tópico em 'Biosfera e Atmosfera' iniciado por Seattle92 30 Set 2010 às 14:54.

  1. belem

    belem
    Expand Collapse
    Cumulonimbus

    Registo:
    10 Out 2007
    Mensagens:
    4,062
    Local:
    Sintra
    Sim, eu reparei. E isso é muito bom! :)
    Estava apenas a falar sobre a questão dos avistamentos e a falar do último lince-ibérico avistado na Malcata (Xara).
    As provas genéticas é que já eram do conhecimento geral.
    De acordo com o que tenho lido (a ser verdade...) dá-me a ideia que os linces do Maciço Central ibérico, têm-se reproduzido ( sim, aqui estou a especular), mas que deambulam mais do que os seus congéneres da Andaluzia... Não só em busca de território de caça como de reprodução.
    Durante essas viagens ( autênticas situações de sobrevivência...) muito pontualmente permanecem num local durante alguns períodos e depois vão para outro. Daí que na Serra de Gata ou Malcata, por vezes seja possível passar uma temporada inteira sem encontrar qualquer vestígio da sua presença e se calhar no ano seguinte já se encontram 3, 4 ou mais linces.
    Eu já li um artigo sobre os últimos linces do Sado e os cientistas constatavam este comportamento nos linces locais...
    Não é para ser demasiado pessimista, mas quando isso acontece em felinos selvagens é porque estamos numa situação já algo preocupante. No entanto, ainda assim é surpreendente a capacidade destes felinos, em adaptarem-se a estas situações, evidenciando comportamentos tão anormais para a espécie, conseguindo assim sobreviver ( precariamente) a uma extinção quase anunciada. No estudo dos linces do Sado, constatou-se que por vezes os felinos selvagens, conseguem sobreviver em densidades muito baixas, desde que tenham a possibilidade de se deslocar entre diferentes habitats favoráveis ( mesmo que estes locais apenas possam oferecer benefícios temporariamente), saindo de um local para outro. Os de Monchique ( em que alguns acreditam que ainda existam, pois alguns cientistas já os têm detectado ( mas ainda sem provas genéticas)), adoptam/adoptavam o comportamento de andar a vigiar os rebanhos, procurando por crias indefesas ( em alternativa aos coelhos)... Utilizam/utilizavam até eucaliptais e pinhais como zonas de dispersão, para chegarem aos matagais mediterrânicos e zonas que alternam matagal e descampado. Matagal para refúgio e descampado para terreno de caça. Actualmente têm sido avistados linces de Monchique em reservas de caça ( onde há muito mais coelho e perdiz, embora eu tenha constatado pessoalmente, abundância de coelho fora destas zonas também), comportamento mais amplamente conhecido e também verificado em Doñana. Mas ainda não há provas conclusivas sobre a actual presença de linces em Monchique...
    Existe assim uma surpreendente plasticidade comportamental no lince-ibérico, embora o essencial e preferível seja um território mais fixo e uma alimentação constituída sobretudo por coelho e logo a seguir perdiz-vermelha.
    Estes últimos acontecimentos sobre a Malcata, vêm dar alguma esperança a estes linces tão importantes para o futuro do lince-ibérico, pois de acordo com as últimas informações que tive, possuem possivelmente uma genética algo diferenciada das populações do Sul da P. Ibérica.
     
    Collapse Signature Expandir Assinatura
    #16 belem, 7 Out 2010 às 20:39
    Última edição: 29 Abr 2018 às 11:53
  2. belem

    belem
    Expand Collapse
    Cumulonimbus

    Registo:
    10 Out 2007
    Mensagens:
    4,062
    Local:
    Sintra
    Collapse Signature Expandir Assinatura
  3. Seattle92

    Seattle92
    Expand Collapse
    Nimbostratus

    Registo:
    22 Set 2010
    Mensagens:
    668
    Local:
    Portugal
  4. Seattle92

    Seattle92
    Expand Collapse
    Nimbostratus

    Registo:
    22 Set 2010
    Mensagens:
    668
    Local:
    Portugal
    http://sic.sapo.pt/online/noticias/...+balanço+positivo+de+um+ano+de+actividade.htm
     
  5. belem

    belem
    Expand Collapse
    Cumulonimbus

    Registo:
    10 Out 2007
    Mensagens:
    4,062
    Local:
    Sintra
    Nada contra ti, Seattle, mas estou indignado e curioso sobre a origem dessas informações. Serra do Caldeirão? Existem lá habitats de boa qualidade e quantidade para sustentar uma população viável de linces ( mínimo de 15 animais)? Então e o caso de Monchique e arredores?
    Área Moura/Barrancos separada do Baixo Guadiana porquê?
    Há algo que impeça a um lince de ir desde Moura ou Barrancos ao Baixo Guadiana? Não serão habitats com continuidade?
    E a Serra da Malcata não consta da lista porquê? Alguma explicação racional para estas decisões?
    Sinceramente, nem me parecem vir de alguém que conheça a situação do lince-ibérico em Portugal... A não ser que hajam linces onde eu não saiba ( o que seria extraordinário), que a situação da Malcata esteja estabilizada (o que não está, pois há demasiados poucos linces (de acordo com o que tenho lido) ) e que o Baixo Guadiana seja num local diferente do que eu penso.
    Bom, vou contactar algumas entidades para tentar saber o que se passa.
     
    Collapse Signature Expandir Assinatura
    #20 belem, 28 Out 2010 às 00:32
    Última edição: 29 Abr 2018 às 11:54
  6. Seattle92

    Seattle92
    Expand Collapse
    Nimbostratus

    Registo:
    22 Set 2010
    Mensagens:
    668
    Local:
    Portugal
    Realmente entre a serra do Caldeirão e a Malcata... não se percebe porquê escolher a primeira. Só se for para os bichos não fugirem para Espanha. ;)
     
  7. belem

    belem
    Expand Collapse
    Cumulonimbus

    Registo:
    10 Out 2007
    Mensagens:
    4,062
    Local:
    Sintra
    Não, não me parece...
    Tenho dúvidas é na fonte da notícia.
     
    Collapse Signature Expandir Assinatura
  8. Seattle92

    Seattle92
    Expand Collapse
    Nimbostratus

    Registo:
    22 Set 2010
    Mensagens:
    668
    Local:
    Portugal
    Olha que ainda hoje voltaram à carga com esses locais:


    http://www.publico.pt/Ecosfera/mata...arado-para-o-regresso-do-linceiberico_1463399


    Ao menos já referem a Malcata
     
  9. belem

    belem
    Expand Collapse
    Cumulonimbus

    Registo:
    10 Out 2007
    Mensagens:
    4,062
    Local:
    Sintra

    Ah bom.
    Essa notícia já me parece mais correcta, porque uma coisa é fazerem a recuperação de habitat e a outra é soltarem lá os animais.
    Não me parece que a Serra do Caldeirão seja para já um sítio ideal para soltar linces. Pelo menos por agora.
    Quanto à Malcata, já era esperado. :thumbsup:
     
    Collapse Signature Expandir Assinatura
  10. belem

    belem
    Expand Collapse
    Cumulonimbus

    Registo:
    10 Out 2007
    Mensagens:
    4,062
    Local:
    Sintra
    [​IMG]
     
    Collapse Signature Expandir Assinatura
  11. Seattle92

    Seattle92
    Expand Collapse
    Nimbostratus

    Registo:
    22 Set 2010
    Mensagens:
    668
    Local:
    Portugal
    Mais uma notícia do Primeiro Seminário do Lince Ibérico

    http://ecosfera.publico.pt/biodiver...-em-espanha-ultrapassa-os-200-animais_1463887
     
  12. belem

    belem
    Expand Collapse
    Cumulonimbus

    Registo:
    10 Out 2007
    Mensagens:
    4,062
    Local:
    Sintra
    Muito interessante, sem dúvida.
    Parece também haver já uma tentativa de reconhecer a presença de lince-ibérico fora dos 2 principais núcleos ( Andujar e Doñana), daí a utilização da expressão « nas 2 únicas populações viáveis». Isto muitas vezes é considerado tabú para algumas pessoas ( por razões que não interessam a ninguém certamente), daí elogio a frontalidade e rigor científico a quem proferiu estas afirmações.
    Penso então, que a reintrodução terá que incidir prioritariamente em zonas onde ainda há lince-ibérico, só que em situação crítica ( sem viabilidade reprodutora a médio/longo prazo).
     
    Collapse Signature Expandir Assinatura
  13. belem

    belem
    Expand Collapse
    Cumulonimbus

    Registo:
    10 Out 2007
    Mensagens:
    4,062
    Local:
    Sintra
  14. duero

    duero
    Expand Collapse
    Nimbostratus

    Registo:
    23 Dez 2009
    Mensagens:
    1,038
    Local:
    valladolid
    Yo preferiría que se hiciera con el lince lo que hicieron con los bisontes.

    Apañar todos los posibles y llevarlos a un área muy controlada, como lo acontecido en Bialowiecza, intentar reproducirlos y de ahí llevarlos a otros lugares.

    No veo sentido ninguno a tener muchas áreas de linces con dos o tres linces, peligro de endogamia y totalmente inviables.
     
  15. Seattle92

    Seattle92
    Expand Collapse
    Nimbostratus

    Registo:
    22 Set 2010
    Mensagens:
    668
    Local:
    Portugal
    ^^

    Mas as duas espécies são completamente diferentes.

    Os bisontes vivem em sociedade, em manadas. É possível e aconselhável estarem várias dezenas no mesmo terreno. Eles vão reproduzir-se e a familia vai crescer.

    No caso dos linces não sei se isso ajudava. Quer dizer, se fosse uma reserva enorme e cercada, até podia ser uma boa solução. Andariam em semi liberdade mas afastados uns dos outros, como é normal na espécie.

    No geral concordo, que quando forem libertados os primeiros em Portugal (dos que estão no centro de Silves), isso deve acontecer apenas numa área. Têm de escolher a melhor zona entre as possíveis e apostar nessa. No futuro, quando tiverem uma área com uma população estavel, aí sim, podem apostar noutras zonas.
     

Partilhar esta Página