Seguimento Ásia - 2008

Tópico em 'África, Ásia e Oceânia' iniciado por Minho 4 Jan 2008 às 17:30.

  1. Dan

    Dan
    Expand Collapse
    Staff

    Registo:
    26 Ago 2005
    Mensagens:
    9,487
    Local:
    Bragança (675m)
    Neve no deserto.

    Nestas imagens, do dia 24, ainda é possível ver uma vasta área coberta de neve na Síria, Iraque, Jordânia, Líbano e também um pouco em Israel.

    Cor verdadeira.
    [​IMG]

    Nesta foto a neve aparece a azul.
    [​IMG]

    fonte
     
    Collapse Signature Expandir Assinatura
  2. MSantos

    MSantos
    Expand Collapse
    Staff

    Registo:
    3 Out 2007
    Mensagens:
    9,240
    Local:
    Azambuja / Mte. Barca (Coruche)
    O Serviço Meteorológico Chinês emitiu hoje de manhã, um alerta vermelho para previsões de neve para a região central e oriental da China.
    A queda de neve tem trazido graves problemas à região, com elevados prejuízos para as populações.
    fonte:http://www.meteo.pt/pt/media/noticias/neve_na_china
     
    Collapse Signature Expandir Assinatura
  3. Vince

    Vince
    Expand Collapse
    Furacão

    Registo:
    23 Jan 2007
    Mensagens:
    10,624
    Local:
    Braga
    http://edition.cnn.com/2008/WORLD/asiapcf/01/29/china.weather/index.html
     
  4. Gerofil

    Gerofil
    Expand Collapse
    Super Célula

    Registo:
    21 Mar 2007
    Mensagens:
    9,727
    Local:
    Estremoz (401 metros)
    Neve causa caos na China às vésperas de Ano Novo

    O sistema de transporte da China está em caos nesta terça-feira, às vésperas do Ano Novo chinês, por causa das fortes nevascas que atingem o país desde o dia 10 de janeiro. Vários aeroportos foram fechados, auto-estradas estão bloqueadas e a rede ferroviária entrou em colapso no país por causa da neve nas duas últimas semanas.
    A neve destruiu mais de 4,22 milhões de hectares de plantações, causou o desabamento de 107 mil casas e obrigou a evacuação de 827 mil moradores. Somente na cidade de Cantão, na província de Guangdong, meio milhão de passageiros estão ilhados na estação central desde o fim de semana, depois que um corte no fornecimento de energia elétrica suspendeu a chegada de trens vindos do norte. O governo despachou mais de 70 locomotivas extras para transportar os viajantes, mas até o momento o serviço não foi normalizado e passageiros continuam acampados na estação, informou a imprensa estatal nesta terça-feira. Autoridades estão tentando acomodar os milhares de viajantes em dormitórios improvisados ao redor da estação, em meio a forte esquema de segurança para evitar que a frustração da maioria resulte em tumulto e violência.
    O Ano Novo chinês, comemorado no dia 7 de fevereiro, é uma época em que milhões de trabalhadores imigrantes atravessam o país de volta às suas cidades de origem para comemorar o feriado em família.
    Segundo dados oficiais do governo, as nevascas rigorosas já afetaram a vida de quase 80 milhões de chineses em 14 províncias. As áreas centrais de Hunan e Hubei foram as mais afetadas até o momento, mas regiões ao leste também estão sofrendo com o forte frio. Somente em Xangai, 37 prédios desabaram por causa do peso da neve, informou o jornal oficial China Daily nesta terça-feira.
    Estimativas do governo calculam que os custos da destruição causada pelo mau tempo já somam três mil milhões de dólares. O número total de vítimas fatais ainda é contraditório, mas somente em Guizhou, 25 pessoas morreram depois que um ônibus escorregou na pista cheia de gelo e caiu num barranco, informou a agência de notícias estatal Xinhua.
    A previsão do tempo para os próximos dias é de mais neve para as regiões centrais.
    O mau tempo está afetando a produção e distribuição de alimentos e combustíveis e o país enfrenta uma crise de abastecimento desencadeada pelo inverno. No fim de semana, o primeiro-ministro Wen Jiabao convocou uma reunião de emergência em Pequim para estabelecer um plano de ação.
    O governo decidiu aumentar a produção de combustíveis, para aliviar a falta de energia que causou apagões em 17 províncias, e aumentar a distribuição emergencial de alimentos. Na manhã desta terça-feira o primeiro-ministro Wen Jiabao chegou a Changsha, capital da província de Hubei, e vai acompanhar de perto os esforços das equipes de socorro que estão auxiliando a população afetada pelas nevascas.

    BBC Brasil
     
    Collapse Signature Expandir Assinatura
  5. Dan

    Dan
    Expand Collapse
    Staff

    Registo:
    26 Ago 2005
    Mensagens:
    9,487
    Local:
    Bragança (675m)
    Mais um nevão no médio oriente.

    [​IMG]

    [​IMG]

    Localidades a 32º / 33º de latitude.
     
    Collapse Signature Expandir Assinatura
  6. Mário Barros

    Mário Barros
    Expand Collapse
    Furacão

    Registo:
    18 Nov 2006
    Mensagens:
    12,501
    Local:
    Cavaleira (Sintra)
    Inverno paralisa regiões da China e mata 25

    O primeiro-ministro da China, Wen Jiabao, usou um megafone para comunicar palavras de incentivo a pessoas presas na cidade de Changsha devido ao excesso de neve, enquanto condições climáticas excepcionalmente rigorosas paralisavam o setor de transportes no sul chinês em meio à pior crise de energia do país.

    As temperaturas congelantes, a neve e o granizo que atingiram grande parte das áreas central, leste e sul da China impediram o deslocamento de milhares de caminhões e trens carregados com carvão, alimentos e passageiros, no inverno mais rigoroso a atingir o país em 50 anos.

    Um ônibus caiu de uma altura de mais de 40 metros, de uma estrada montanhosa recoberta pela neve, na Província de Guizhou (sudoeste), matando 25 pessoas, afirmou a agência de notícias Xinhua. Essa é a primeira notícia sobre um acidente grave provocado pelas condições climáticas excepcionais.

    O premiê chinês visitou a Província de Hunan, ao sul de Guangdong, mas teve de desembarcar na vizinha Hubei porque o aeroporto de Hunan estava fechado.

    "Quando a eletricidade voltar, os trens poderão circular, de forma que não demorará muito até vocês conseguirem regressar para casa a fim de celebrar o Ano Novo (Lunar)", gritou Wen para um grande número de passageiros presentes na estação ferroviária de Changsha. A imagem do premiê foi mostrada pela CCTV, um canal estatal.

    In: Reuters

    Isto está a ficar feio :eek::eek: está andar mais rápido do que eu pensava...e o culpado é o CO2 claro produzido pelo homem mas quem seria puff anda-se a preparar o mundo para o calor e depois vem disto claro teorias Algorianas é no que dá.
     
  7. Gerofil

    Gerofil
    Expand Collapse
    Super Célula

    Registo:
    21 Mar 2007
    Mensagens:
    9,727
    Local:
    Estremoz (401 metros)
    Jérusalem d'or se drape de blanc. La neige tombe en abondanc




    :cold:

    A strong winter storm dropped nearly 6 inches of snow on Jerusalem, prompting school closures and travel delays on interior roads. Public transportation and air travel remained open but some interior roadways remained buried, prompting officials to close area schools and universities citing hazardous travel conditions, Haaretz reported Wednesday.
    Hospital officials said emergency crews were on standby overnight amid several reports of traffic accidents, including a police cruiser skidding off the road. Two people suffered broken limbs in a separate accident.
    Forecasters predicted stormy weather to continue Wednesday with wind gusts of up to 60 mph expected as a polar front sweeps through the region.

    EarthTimes

    Tempestade de neve atinge o Oriente Médio

    Uma rara nevasca atingiu o Oriente Médio hoje deixando parte da Terra Santa coberta de branco, bloqueando estradas e fechando escolas na região. Em Jerusalém, crianças brincavam nas ruas e o clima tomou o noticiário, eclipsando um relatório do governo, a ser divulgado, sobre a guerra no Líbano em 2006, que poderia pressionar o primeiro-ministro Ehud Olmert a renunciar. Brincadeiras na neve também ocorreram na Cisjordânia e em Amã, capital da Jordânia. O Serviço de Meteorologia de Israel informou que mais de 20 centímetros de neve caíram sobre a cidade. Segundo a previsão, mais neve deve cair até amanhã.
    A neve cobriu a maioria das cidades e bloqueou estradas no Líbano enquanto fortes ventos e chuvas atingiram a costa mediterrânea. A tempestade interrompeu o abastecimento de energia da maioria das cidades e vilarejos libaneses, piorando os já existentes cortes de energia. Trechos da estrada entre Beirute e Damasco, ligando Líbano e Síria, foram interrompidos. Na Síria, as temperaturas caíram abaixo de zero e a neve embranqueceu as montanhas em torno de Damasco. Ventos de 70 quilômetros por hora forçaram o fechamento de portos mediterrâneos de Tartous e Latakia, de acordo com o Departamento de Meteorologia Sírio.

    A TARDE On Line
     
    Collapse Signature Expandir Assinatura
    #22 Gerofil, 30 Jan 2008 às 15:20
    Editado por um moderador: 21 Set 2014 às 03:52
  8. Mário Barros

    Mário Barros
    Expand Collapse
    Furacão

    Registo:
    18 Nov 2006
    Mensagens:
    12,501
    Local:
    Cavaleira (Sintra)
    Neve caiu sobre Jerusalém

    Temperaturas muito baixas na cidade sob domínio de Israel

    Jerusalém (Israel) acordou, hoje, son um manto de 30 centímentros de neve, imagem rara naquela cidade do Médio Oriente habituada a altas temperaturas. Crianças e turistas foram os que mais aproveitaram a neve para se divertirem na cidade santa para três relgiões.

    A queda de neve é tão rara na cidade que o presidente da Câmara decidiu organizar um concurso de bonecos de neve e deverá ainda hoje escolher o vencedor.

    As crianças e jovens terão tempo de sobra para participar porque as escolas e universades estão fechadas. Também os funcionários judiciais, empregados bancários e funcionários de alguns escritórios ficaram com o dia livre devido à dificuldade de se deslocarem ao locais de trabalho, encerrados por hoje.

    A autarquia já criou um grupo de limpeza das ruas com 100 máquinas limpa-neves, mas a maioria da população tenta aproveitar o novo "cartão postal" da cidade: dezenas de igrejas e lugares santos cobertos de neve, quando costumam brilhar sob o sol quente na maior parte do ano.

    "Na Rússia nevava muito, mas aqui é uma forma de quebrar a rotina. É bom poder aproveitar os simples prazeres da natureza", disse à BBC Inna Kanaan, 31 anos, arquitecta emigrada em Israel mas nascida na Rússia.

    http://sic.sapo.pt/online/noticias/mundo/20080130Neve+caiu+sobre+Jerusalem.htm
     
  9. Dan

    Dan
    Expand Collapse
    Staff

    Registo:
    26 Ago 2005
    Mensagens:
    9,487
    Local:
    Bragança (675m)
    Fotos do nevão de hoje em algumas cidades do Médio Oriente.

    fotos
     
    Collapse Signature Expandir Assinatura
  10. Mário Barros

    Mário Barros
    Expand Collapse
    Furacão

    Registo:
    18 Nov 2006
    Mensagens:
    12,501
    Local:
    Cavaleira (Sintra)
    Caos na China

    Sistema de transportes praticamente parado devido ao mau tempo
    O caos no sistema de transportes da China está a provocar o desespero de centenas de milhares de pessoas. A situação causou distúrbios numa das principais estações do sul do país

    Uma multidão de passageiros em fúria tentou ocupar os últimos lugares num dos poucos comboios disponíveis e obrigou à intervenção da polícia.

    As tempestades de neve que se abatem nas últimas semanas sobre a China são já consideradas as piores dos últimos 50 anos.

    In:Sic

    E a saga continua não há meio de parar :cold::cold::cold: serão mesmo dos ultimos 50 anos hmmm :intrigante:

    [​IMG]
     
  11. Gerofil

    Gerofil
    Expand Collapse
    Super Célula

    Registo:
    21 Mar 2007
    Mensagens:
    9,727
    Local:
    Estremoz (401 metros)
    Tempestades de neve paralisam 14 províncias da China

    As autoridades chinesas debatem-se com os impactos do Inverno mais severo das últimas décadas. Três semanas de violentas tempestades de neve fizeram mais de 60 mortos e causaram prejuízos na ordem dos 4,5 mil milhões de dólares. Os efeitos dos nevões, que começaram a cair a 10 de Janeiro, afectam perto de 80 milhões de pessoas em 14 províncias do Centro, do Leste e do Sul da China. Até ao final de terça-feira, tinham já morrido pelo menos 38 pessoas em acidentes provocados pelo mau tempo, segundo o Ministério dos Assuntos Civis. A edição de quinta-feira do jornal China Daily actualiza o balanço para 64 vítimas mortais.
    Uma mistura de neve, granizo e gelo está a provocar o caos nas redes de transportes, bloqueando dezenas de milhares de chineses. Algumas linhas ferroviárias e estradas foram entretanto reabertas. Contudo, 12 auto-estradas das regiões Sul e Centro permanecem encerradas. Cenário que se repete na importante linha ferroviária que liga Guangzhou a Pequim. Em Ghangzhou, dezenas de milhares de trabalhadores, na sua maioria migrantes com poucos recursos, aguardam há vários dias pelo restabelecimento da circulação de comboios, o único meio de que dispõem para regressar a casa nos feriados do Novo Ano Lunar. Os aeroportos das regiões mais afectadas começam lentamente a retomar a actividade.
    A par dos esforços para atenuar o caos nos transportes e fazer chegar alimentos às regiões mais assoladas pelos nevões, o Governo chinês está a pôr em marcha uma campanha mediática destinada a persuadir as populações de que as autoridades centrais estão equipadas para fazer face ao rigor do Inverno. Imagens de militares entregues a operações humanitárias e de responsáveis do regime em campo compõem o retrato difundido pelos órgãos oficiais de comunicação. “Após 30 anos de reformas e aberturas, acumulámos fortes alicerces materiais e, enquanto continuarmos vigorosamente organizados, seremos capazes de vencer as actuais dificuldades”, afirmou o primeiro-ministro chinês, Wen Jiabao, durante uma deslocação a Ghangzhou. Antes, percorrera algumas localidades do Centro da China para contactar populares, sempre acompanhado pelas câmaras da televisão estatal.
    Três electricistas foram declarados “mártires revolucionários”, depois de terem morrido quando tentavam remover a neve e o gelo que cobriam linhas eléctricas na província de Hunan. Em Ghangzou, Wen Jiabao foi filmado a pedir desculpa a alguns trabalhadores pelos atrasos dos transportes. O Governo colocou, entretanto, meio milhão de soldados em campo para ajudar a combater a crise. Os soldados estão a distribuir mantas e outros agasalhos pelas populações.
    Em algumas regiões, a falta de alimentos começa a fazer-se sentir. E no Sul do país os impactos na produção agrícola são já “catastróficos”. É pelo menos essa a avaliação de Chen Xiwen, um dirigente do Partido Comunista citado pela BBC. “O impacto nos vegetais e na fruta, em alguns locais, tem sido catastrófico”, disse o responsável, alertando ainda que, caso as tempestades se dirijam para Norte, “o impacto na produção de cereais do ano inteiro será visível”.
    De acordo com dados do Ministério dos Assuntos Civis, os prejuízos causados pelas intempéries ascendem já a 4,5 mil milhões de dólares. Os meteorologistas chineses já avisaram que a neve e o granizo deverão continuar a cair no Centro, Leste e Sul do país durante os próximos dez dias.

    RTP
     
    Collapse Signature Expandir Assinatura
  12. Gerofil

    Gerofil
    Expand Collapse
    Super Célula

    Registo:
    21 Mar 2007
    Mensagens:
    9,727
    Local:
    Estremoz (401 metros)
    China: situação actual c/ imagens

    Observação: Tradução para Inglês de alguma imprensa chinesa, utilizando o Google

    China News Network

    News.QQ

    It.com
     
    Collapse Signature Expandir Assinatura
  13. Gerofil

    Gerofil
    Expand Collapse
    Super Célula

    Registo:
    21 Mar 2007
    Mensagens:
    9,727
    Local:
    Estremoz (401 metros)
    Eletricidade retorna a zonas mais afetadas por nevascas na China

    A localidade de Chenzhou, na província de Hunan, que vive o pior inverno em cem anos, recuperou o fornecimento elétrico após onze dias sem energia, um exemplo de como a China vai voltando à normalidade após três semanas de caos, embora milhões de pessoas continuem sem eletricidade. Segundo a agência estatal "Xinhua", mais de cinco mil eletricistas (dos quais dois mil viajaram à região a partir de outras províncias) trabalharam para conseguir que a cidade retorne à normalidade e possa estar iluminada na noite de hoje, a mais importante do ano, já que marca o início do Ano Lunar.
    Com a ajuda de geradores móveis, foi possível restabelecer a eletricidade em 148 das 170 cidades e regiões chinesas que tinham ficado sem energia nos últimos dias. A imprensa, no entanto, indica que pelo menos oito localidades e distritos (entre eles áreas de uma capital provincial, Guiyang) passarão a virada do ano às escuras.
    Enquanto isso, a Associação Meteorológica da China anunciou hoje a suspensão do "alerta grave" pelo mau tempo, já que espera que as nevascas e a chuva diminuam nas zonas do centro, sul e leste do país afetadas pela onda de frio. As tarefas de reconstrução e ajuda aos afetados prosseguem, e a Cruz Vermelha anunciou hoje que recebeu doações no valor de mais de US$ 8,3 milhões para realizar estes trabalhos.
    O frio e a neve causaram a morte de mais de 80 pessoas, segundo números da Cruz Vermelha chinesa, enquanto mais de 105 milhões teriam sido afetadas e as perdas econômicas são avaliadas em US$ 11 bilhões.

    Último Segundo

    Cruz Vermelha diz que nevascas mataram mais de 80 pessoas na China

    A Cruz Vermelha chinesa informou que o número de mortos pela pior nevasca em meio século no centro e sul da China supera os 80, segundo dados divulgados pela agência de notícias "Xinhua". O dado contrasta com o fornecido pelo Ministério de Assuntos Civis, de 60 mortos, apesar de fontes provinciais informarem diariamente mortes em suas regiões.
    Nas 19 províncias afetadas, 300.000 casas foram arrasadas pelo gelo e as tempestades de neve, enquanto 90 milhões de hectares de cultivo ficaram danificados, gerando perdas econômicas diretas de US$ 11 bilhões, segundo a Cruz Vermelha. Milhões de pessoas que abandonaram os campos e que há duas semanas tentam retornar a suas províncias de origem para celebrar esta noite a chegada do Ano Novo Lunar chinês continuam retidas pela neve.
    Apesar de a imprensa oficial ter informado ontem que as comunicações estão sendo restabelecidas gradualmente nas estradas e ferrovias, a agência "Xinhua" reconhece hoje que boa parte dos 200 milhões de viajantes não poderão compartilhar o "nianyefan", um jantar tradicional, chinês com suas famílias. As inusitadas baixas temperaturas que assolam o centro e sul da China há três semanas causaram um caos monumental no país, com 1,7 milhão de evacuados e mais de 100 milhões de afetados, segundo dados ministeriais.

    Último Segundo
     
    Collapse Signature Expandir Assinatura
  14. Gerofil

    Gerofil
    Expand Collapse
    Super Célula

    Registo:
    21 Mar 2007
    Mensagens:
    9,727
    Local:
    Estremoz (401 metros)
    Tajiquistão: Temperaturas de 30 graus negativos levam governo a apelar à ajuda internacional

    O Tajiquistão apelou hoje à ajuda internacional, devido à grave crise energética e aos grandes prejuízos económicos causados por fortes tempestades de neve e por uma vaga de frio com temperaturas a rondar os 30 graus negativos. O duro Inverno, sem precedentes, provocou uma forte diminuição das reservas de água na barragem de Nurek, o que reduziu de forma drástica a produção de energia, explicou o Governo, em comunicado.
    "Em consequência da escassez de reservas de gás e electricidade, nos últimos dias deixaram de funcionar praticamente todas as empresas industriais e pequenos comércios", informa o comunicado que estima prejuízos económicos que rondam os 245 milhões de dólares (127 milhões de euros). "A crise afectou o abastecimento de alimentos às populações e colocou numa situação muito complicada as empresas industriais, o sector agrícola e os habitantes, pondo em risco as reformas económicas que se realizam no país", declarou Matlubjón Davlatov, acessor da Presidência tajiquistanesa, numa reunião com representantes de organismos financeiros internacionais. Explicou que o frio destruiu centenas de hectares de vinhas, jardins e culturas de batata, e que também causou numerosos prejuízos ao sector pecuário.
    Ainda segundo o Governo, o vizinho Uzbequistão anunciou hoje que cortará o fornecimento de gás natural ao Tajiquistão devido a problemas internos próprios do abastecimento, o que veio agravar ainda mais a crise. Em Dushambe, muitas lojas, cabeleireiros e bares instalaram geradores para poder funcionar, depois do fornecimento ter sido cortado em meados de Janeiro. A situação noutras cidades ainda é pior, pois algumas recebem electricidade apenas durante duas horas por dia, uma de manhã e outra à noite, e nas zonas rurais o corte é total, segundo informa a imprensa local.
    De acordo com as autoridades tajiquistanesas, o Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) já pediu a outros países membros donativos para entregar ao Tajiquistão alimentos, medicamentos e outros bens de primeira necessidade.

    © 2008 LUSA
     
    Collapse Signature Expandir Assinatura
  15. iceworld

    iceworld
    Expand Collapse
    Nimbostratus

    Registo:
    18 Dez 2007
    Mensagens:
    1,051
    Local:
    coimbra ( 85m )
    Os números das autoridades chinesas deixam-me sempre muitas dúvidas. Foi um longo período num pais onde faltam ainda muitas infraestruturas. De qualquer modo é sempre de lamentar quaisquer perdas, principalmente as humanas :(
    Obrigado aos que fazem estas pesquisas internacionais para manter o fórum actualizado a nível mundial! :thumbsup:
     

Partilhar esta Página