Seguimento - Incêndios 2017

Tiagolco

Super Célula
Registo
15 Jul 2015
Mensagens
6,104
Local
Carnaxide, Oeiras
Espantam-me certas reacções. Pode-se discutir o bom gosto da apresentação do corpo num directo da TVI, mas a verdade é que o corpo estava tapado, não havendo, na minha opinião, qualquer falta de respeito perante o cadáver durante a reportagem em questão.
O que me deixa pasmado é que os profissionais da indignação não tenham reparado em algo muito mais grave: havia um corpo estendido no chão, deixado ao abandono. Isso sim é uma falta de respeito. Tal como a jornalista lá chegou, qualquer pessoa ou animal poderia ter lá ido e feito o que bem entendesse com o cadáver.
Tapado ou não, não deixa de ser completamente mórbido. É uma falta de respeito, sim, principalmente para com os familiares da vítima...
 
  • Gosto
Reactions: Teya e ClaudiaRM

luismeteo3

Furacão
Registo
14 Dez 2015
Mensagens
17,112
Local
Fatima (320m)
Bombeiros sem meios para combater fogo em Góis
O comandante distrital da proteção civil, Carlos Tavares, disse há momentos que os meios de combate à disposição dos bombeiros para combater o incêndio “não são suficientes” para combater as chamas naquela região. Neste momento, e sem capacidade para controlar a progressão das chamas, “a principal preocupação é proteger os bens e as pessoas”, disse Carlos Tavares.

Estão 600 bombeiros no terreno, 190 viaturas e sete aeronaves a tentar controlar o incêndio. Mas os aviões “não fizeram nada, a água não chegava cá abaixo”, disse o proteção civil. Os reforços “podem chegar dentro de horas”.

Entretanto, as autoridades já evacuaram três aldeias do arredores de Góis — Cadafaz, Aldeia velha e Tarratas — num total de 12 pessoas retiradas. “O comportamento eruptivo deste incêndio desenvolveu-se de forma violenta, com ventos muitos fortes”, destacou o responsável da proteção civil.
 
Editado por um moderador:
  • Gosto
Reactions: Teya e dahon

luismeteo3

Furacão
Registo
14 Dez 2015
Mensagens
17,112
Local
Fatima (320m)
Oito aldeias vão ser evacuadas
Outras oito aldeias do concelho de Góis deverão ser evacuadas nos próximos minutos, de forma preventiva, adiantou há minutos o comandante distrital da proteção civil, Carlos Tavares.
 
Editado por um moderador:
  • Gosto
Reactions: dahon

David sf

Staff
Registo
8 Jan 2009
Mensagens
5,167
Local
Oeiras / VN Poiares
Sobre o que poderia ter sido feito para minimizar a catástrofe que ocorreu, para além de tudo o que já sabemos e repetimos todos os verões sobre prevenção, limpeza, ordenamento, há um aspecto que gostaria de salientar e que pouca gente ainda referiu: é importante sensibilizar as populações das diversas aldeias espalhadas pelas nossas florestas para adoptarem medidas de autoprotecção em caso de incêndio.
É praticamente impossível os bombeiros chegarem a todo o lado, muitas vezes estas aldeias ficam totalmente isoladas durante os incêndios. As autoridades municipais deveriam em cada uma destas localidades estabelecer um plano de autoprotecção específico, de acordo com as características de cada localidade, de modo a que os seus habitantes se possam proteger. Algo tão simples como a escolha de um local seguro onde toda a gente se possa proteger. Em muitas aldeias as igrejas são construídas em materiais não inflamáveis, localizam-se em zonas centrais e conseguem albergar todos os habitantes.
E assim evita-se que muitas pessoas se aventurem em estradas perigosas que deveriam estar cortadas, tanto pela segurança das pessoas que lá circulariam, como para facilitar o deslocamento dos meios de combate aos incêndios.

PS: Ridículo o papel do PR e do PM. Quantos meios foram necessários desviar do combate ao incêndio, para que eles pudessem chegar ao local em segurança? E para quê? É o espelho do último ano e meio de política pimba, que parece do agrado dos eleitores portugueses...
 
  • Gosto
Reactions: algarvio1980 e Toby

Snifa

Furacão
Registo
16 Abr 2008
Mensagens
10,282
Local
Porto-Marquês:145 m Mogadouro:749 m
Tapado ou não, não deixa de ser completamente mórbido. É uma falta de respeito, sim, principalmente para com os familiares da vítima...

Era fazer uma reportagem em directo, quando o filho desta senhora faleceu, mostravam todos os detalhes na TV.Mas isto não é só válido para a TVI, é para toda a comunicação social, há o dever de informar sim , mas certas situações ( como esta) são dispensáveis..
 
  • Gosto
Reactions: Teya e Tiagolco

Lousano

Cumulonimbus
Registo
12 Out 2008
Mensagens
3,635
Local
Lousã/Casais do Baleal
Espantam-me certas reacções. Pode-se discutir o bom gosto da apresentação do corpo num directo da TVI, mas a verdade é que o corpo estava tapado, não havendo, na minha opinião, qualquer falta de respeito perante o cadáver durante a reportagem em questão.
O que me deixa pasmado é que os profissionais da indignação não tenham reparado em algo muito mais grave: havia um corpo estendido no chão, deixado ao abandono. Isso sim é uma falta de respeito. Tal como a jornalista lá chegou, qualquer pessoa ou animal poderia ter lá ido e feito o que bem entendesse com o cadáver.

A situação foi assumida como investigação criminal, por isso o corpo não deve ser removido, até finalizadas todas as diligências forenses e judiciárias. Nem deveria ter sido coberto, apenas o foi devido ao mesmo se encontrar vísivel a populares.
 
  • Gosto
Reactions: Teya e luismeteo3

ClaudiaRM

Furacão
Registo
2 Dez 2009
Mensagens
10,288
Local
Viseu
Tapado ou não, não deixa de ser completamente mórbido. É uma falta de respeito, sim, principalmente para com os familiares da vítima...

Houve 64 pessoas que perderam a vida nesta tragédia: foram vítimas de acidentes, inalação de fumos e/ou carbonização. Todos ouvimos e vimos essa informação ser repetida nos últimos dias centenas de vezes. Quem opta por fazer reportagem com um cadáver no enquadramento, ou não está bem da cabeça ou mandou o jornalismo às malvas em prol das audiências e, consequentemente, do dinheiro. Não havia nenhuma necessidade de ter o corpo, ainda que tapado, no enquadramento. Não acrescentou absolutamente nada à reportagem e à informação e é o equivalente 'jornalístico' dos parolos que param para ver acidentes e até dos muitos relatos de gente que por estes dias se meteu nos seus popós para 'ir ver o fogo'. Ter sido a Judite de Sousa a protagonizar esta indignidade foi só a cereja no topo do bolo da falta de vergonha.
 
Última edição:

dahon

Nimbostratus
Registo
1 Mar 2009
Mensagens
1,647
Local
Viseu(530m)
Espantam-me certas reacções. Pode-se discutir o bom gosto da apresentação do corpo num directo da TVI, mas a verdade é que o corpo estava tapado, não havendo, na minha opinião, qualquer falta de respeito perante o cadáver durante a reportagem em questão.
O que me deixa pasmado é que os profissionais da indignação não tenham reparado em algo muito mais grave: havia um corpo estendido no chão, deixado ao abandono. Isso sim é uma falta de respeito. Tal como a jornalista lá chegou, qualquer pessoa ou animal poderia ter lá ido e feito o que bem entendesse com o cadáver.

Eu acho que ninguém critica o intuito da reportagem e até acho importante. Agora o cenário em que foi feita já acho completamente desnecessário. Aliás é de tal forma mórbido que a parte informativa da reportagem como estamos a ver passou completamente ao lado. Penso que faltou alguma sensibilidade na forma como a mensagem foi passada, não era necessária aquela exposição para informar.
 

ClaudiaRM

Furacão
Registo
2 Dez 2009
Mensagens
10,288
Local
Viseu
Mas não foram os únicos, é verdade. Do que acompanhei e na minha opinião, só a RTP e o Público fizeram uma cobertura que considerei razoável.
 
  • Gosto
Reactions: criz0r e luismeteo3

criz0r

Cumulonimbus
Registo
11 Abr 2008
Mensagens
4,446
Local
Cova da Piedade (28m) / Belver (140m)
O que me deixa pasmado é que os profissionais da indignação não tenham reparado em algo muito mais grave: havia um corpo estendido no chão, deixado ao abandono. Isso sim é uma falta de respeito. Tal como a jornalista lá chegou, qualquer pessoa ou animal poderia ter lá ido e feito o que bem entendesse com o cadáver.

Desconheço os contornos da situação em si, mas naquele cenário o corpo estava tapado e não pode de maneira nenhuma ser mexido até chegarem os peritos do Instituto de Medicina Legal. Qualquer prova poderá ser destruída se houver o mínimo toque e ainda para mais quando estamos a falar em corpos carbonizados.

Na minha opinião sincera, é no mínimo ridículo e altamente desrespeitoso o que aquela profissional da comunicação social fez. No máximo, teria apontado a câmara para ela e dizia que tinha avistado um cadáver, agora sabendo da tragédia que estava e ainda está a acontecer na região vai filmar o corpo de uma pessoa que que morreu de uma forma tão horrível como aquela.. chega a roçar o desumano. Voltamos à história do filho, se lá tivesse estado um abutre a filmar o corpo do filho dentro da piscina... não teria sido provavelmente muito agradável de se ver nas televisões por esse País fora.