Seguimento Rios e Albufeiras - 2018

Tópico em 'Seguimento Meteorológico' iniciado por SpiderVV 1 Jan 2018 às 00:36.

  1. Nickname

    Nickname
    Expand Collapse
    Nimbostratus

    Registo:
    2 Fev 2012
    Mensagens:
    1,598
    Local:
    Rio de Loba, Viseu (520m)
    Rio Dão, em Alcafache (a jusante da barragem de Fagilde)
    [​IMG]

    [​IMG]

    [​IMG]
     
  2. TekClub

    TekClub
    Expand Collapse
    Cumulus

    Registo:
    10 Out 2015
    Mensagens:
    230
    Local:
    Coimbra
    Armazenamento de água subiu em cinco bacias hidrográficas e desceu em sete
    A quantidade de água armazenada em dezembro subiu em cinco bacias hidrográficas de Portugal continental mas desceu em sete, em comparação com o mês de novembro, segundo o boletim de armazenamento de albufeiras divulgado hoje.
    [​IMG]
    O boletim do Sistema Nacional de Informação de Recursos Hídricos (SNIRH) indica que das 60 albufeiras monitorizadas, cinco apresentam disponibilidades hídricas superiores a 80% do volume total e 24 têm disponibilidades inferiores a 40%.

    De acordo com o SNIRH, a bacia que apresenta menor capacidade de armazenamento é a do Sado com 23,4%, uma subida ligeira em relação ao mês de novembro (21,6%).

    Também a bacia do Lima, que no mês passado tinha registado valores baixos (28%), subiu em dezembro para os 35,8%.

    A bacia do Guadiana é a que regista a maior capacidade de armazenamento 63,9%, seguindo-se a do Cávado (61,3%), do Ave (58,4%), do Douro (58%), do Mondego (53,4%), de Mira (53,2%), do Tejo (52,4%), do Barlavento (48,7%), do Arade (40,1%) e do Oeste (38,7%).

    Os armazenamentos de dezembro de 2017 por bacia hidrográfica apresentam-se inferiores às médias de armazenamento de novembro (1990/91 a 2016/17).


    A cada bacia hidrográfica pode corresponder mais do que uma albufeira, segundo o SNIRH.

    Em novembro de 2017 e comparativamente ao último dia do mês anterior tinha-se verificado um aumento do volume armazenado em duas bacias hidrográficas e uma descida em dez.

    De acordo com o índice meteorológico de seca do Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA), divulgado na semana passada, no final de dezembro verificou-se, relativamente a 30 de novembro, um desagravamento da intensidade da seca meteorológica, com cerca de 60% do território (regiões a sul do sistema montanhoso Montejunto-Estrela) nas classes de seca severa e extrema.

    O IPMA indicou também no seu boletim climatológico que o ano de 2017 é o segundo mais quente dos últimos 86 anos e está entre os quatro mais secos desde 1931.
    Fonte:http://24.sapo.pt/atualidade/artigo...m-cinco-bacias-hidrograficas-e-desceu-em-sete
     
  3. cepp1

    cepp1
    Expand Collapse
    Cumulus

    Registo:
    26 Jul 2017
    Mensagens:
    118
    Local:
    Leiria
  4. luismeteo3

    luismeteo3
    Expand Collapse
    Super Célula

    Registo:
    14 Dez 2015
    Mensagens:
    6,794
    Local:
    Fatima
    Barragem de Fagilde meio cheia
    03 DE JANEIRO DE 2018 - 15:23


    A Barragem de Fagilde, que abastece os concelhos de Viseu, Mangualde, Nelas e Penalva do Castelo, já está com 52 por cento de água.

    Em finais de outubro, a infraestrutura esvaziou e chegou a estar apenas a sete por cento da capacidade de armazenamento.

    "Estamos com 1,4 milhões de metros cúbicos, mas mesmo assim ainda temos um percurso longo para fazer porque a barragem tem uma capacidade de 2,8 milhões de metros cúbicos. O normal nesta altura do ano era que já se tivessem que abrir as comportas por excesso de caudal", afirma o presidente da Câmara de Viseu, Almeida Henriques.

    Para o autarca, apesar de a situação de seca já estar a ser ultrapassada há que já pensar no futuro e tomar medidas para que a água não falte nas torneiras. E para tal é necessário construir uma nova Barragem no Vouga e uma conduta que traga água do rio Balsemão para a região de Viseu.

    Enquanto esses investimentos não saem do papel, e para acautelar eventuais problemas no próximo ano, o município viseense avançou com a instalação de novas comportas em Fagilde.

    A obra, orçada em cerca de 130 mil euros, vai permitir armazenar mais 1,5 milhões de metros cúbicos de água. Este investimento deve estar concluído antes do verão.
    https://www.tsf.pt/sociedade/ambiente/interior/barragem-de-fagilde-meio-cheia-9021916.html
     
  5. hurricane

    hurricane
    Expand Collapse
    Nimbostratus

    Registo:
    11 Nov 2007
    Mensagens:
    651
    Local:
    Bruxelas, Bélgica
    Nao foi aqui que falaram no assoreamento desta barragem. Nao admira que com meia duzia de dias de chuva ja esteja a 52%. lol
     
    jamestorm, dahon, MipsUc e 4 outras pessoas gostaram disto.
  6. AnDré

    AnDré
    Expand Collapse
    Staff

    Registo:
    22 Nov 2007
    Mensagens:
    10,472
    Local:
    Arroja, Odivelas (140m); Várzea da Serra (900m)
    No extremo noroeste as nascentes já brotam!



    Rio Laboreiro:

     
    Collapse Signature Expand Signature
    david 6, MSantos, TekClub e 3 outras pessoas gostaram disto.
  7. efcm

    efcm
    Expand Collapse
    Cirrus

    Registo:
    23 Mar 2013
    Mensagens:
    74
    Local:
    Amadora
    Pergunta já alguma vez se fez um desassoreamento de uma barragem em Portugal? Alguém sabe ?

    É que com fagilde visto que esteve a 7% era "fácil" terem aproveitado para desassorear.



    Enviado do meu LEX722 através do Tapatalk
     
    joselamego gostou disto.
  8. slbgdt

    slbgdt
    Expand Collapse
    Cumulus

    Registo:
    31 Jan 2015
    Mensagens:
    170
    Local:
    Barcelos
    Não admira pq a barragem é mesmo pequena e so se destina a abastecimento de água a população.
    A título de comparação a capacidade de Fagilde é 35 vezes inferior a barragem de Vilar em Sernancelhe.

    @AnDré perfeitamente normais esses caudais.
    Esses rios juntamente com a energia a mais do lado espanhol estão a permitir ao Alto Lindoso voltar a encher.
    Já lá vai nos 311 mts
     
  9. dahon

    dahon
    Expand Collapse
    Nimbostratus

    Registo:
    1 Mar 2009
    Mensagens:
    1,169
    Local:
    Viseu(530m)/Coimbra
    Nas grandes barragens isso não é necessário porque existem os descarregadores de fundo. Como o nome indica os descarregadores ou tomadas estão a uma cota da barragem que com as descargas de fundo permite limpar parte dos sedimentos acumulados.
    A titulo mais cómico já ouvi apelidarem este procedimento de "diarreia das barragens". :lol:

    Quanto ás barragens de pequena dimensão não tenho grande conhecimento neste tipo de barragens. Aliás eu fui um dos que criticou fortemente o facto de nunca ter sido feito um desassoreamento da barragem de Fagilde e de não terem aproveitado esta situação para o fazer. Mas se pensar de uma forma mais calma e fria. Não sei quais seriam as consequências de fazer um desassoreamento na situação em que se encontrava a barragem. Pois ao fazer um desassoreamento vai ser introduzida uma perturbação no deposito de sedimentos o que poderia levar á contaminação da água. No fundo as barragens servem como sistema de decantação da água. Portanto por vezes os problemas são mais complexos do que parecem ser.

    Edit: Encontrei agora este vídeo de uma descarga de fundo.


    Pela cor da água é perceptível a quantidade de sedimentos que transporta e também o porquê do apelido de "diarreia das barragens".:D
     
  10. efcm

    efcm
    Expand Collapse
    Cirrus

    Registo:
    23 Mar 2013
    Mensagens:
    74
    Local:
    Amadora
    Poderiam sempre ter feito o desassoreamento na zona que não tinha água, mas quantos e quantos camiões não seriam necessários para retirar a areia e a que custo €€€€, partindo do princípio que um camião leva+- 20 m3

    Mas só se pode fazer o desassoreamento de uma barragem desse tipo quando ela esta vazia, não é possível navegar com uma draga para lá...

    Por isso é que perguntei se já alguma vez tinha sido feito um desassoreamento de alguma barragem em Portugal, acho que é uma operação que necessita de demasiado planeamento, muito cara ( e não dá votos...) por isso é que acho que nunca se fez nenhuma.

    Opta-se pela solução de subir o paredão da barragem e inundar mais área, é uma obra cara mas que se vê...
     
  11. efcm

    efcm
    Expand Collapse
    Cirrus

    Registo:
    23 Mar 2013
    Mensagens:
    74
    Local:
    Amadora
    Parece que afinal sempre se vai avançar com o desassoreamento das barragens...




    https://www.dn.pt/portugal/interior...-junho-para-aumentar-as-reservas-9022908.html

    Enviado do meu LEX722 através do Tapatalk
     
    TekClub e dahon gostaram disto.
  12. luismeteo3

    luismeteo3
    Expand Collapse
    Super Célula

    Registo:
    14 Dez 2015
    Mensagens:
    6,794
    Local:
    Fatima
  13. slbgdt

    slbgdt
    Expand Collapse
    Cumulus

    Registo:
    31 Jan 2015
    Mensagens:
    170
    Local:
    Barcelos
    joselamego, Aristocrata e luismeteo3 gostaram disto.
  14. Aristocrata

    Aristocrata
    Expand Collapse
    Super Célula

    Registo:
    28 Dez 2008
    Mensagens:
    5,060
    Local:
    Paços de Ferreira, 292 mts
    Boa tarde.
    Normalmente não é isso que acontece.
    As descargas de fundo servem essencialmente para não acumular areia junto ao paredão, areia essa que exerce pressão sobre a estrutura do mesmo.
    A maior parte dos sedimentos ficam na embocadura dos rios, ribeiros e restantes linhas de água.
    É fácil constatar isso nas alturas em que as barragens baixam de nível.
    Mesmo na mais pequena linha de água constata-se este pormenor - a areia fica logo na zona inicial da barragem\encoro. Apenas os sedimentos mais finos, mais facilmente transportáveis é que depositam junto ao paredão das barragens ou conseguem mesmo passar a barragem.
     
    Collapse Signature Expand Signature
    slbgdt, MipsUc, joselamego e 1 outra pessoa gostaram disto.

Partilhar esta Página