Tesourinhos deprimentes da Meteorologia e Clima

algarvio1980

Furacão
Registo
21 Mai 2007
Mensagens
11,296
Local
Olhão (24 m)
Quando os próprios "ditos entendidos" na matéria, baralham tudo, não se pode pedir muito mais aos Media... :facepalm:

Curiosamente, nem uma palavra para o tornado de Lagoa e que curiosamente amanhã faz 10 anos sobre a sua ocorrência.

Em Lagoa e Silves, as cidades mais afetadas, o valor do "vento máximo instantâneo" ter-se-á situado entre 256 quilómetros por hora e 295 quilómetros por hora, "sendo de considerar como mais provável um valor máximo para a rajada [de três segundos] da ordem de 260-270 quilómetros por hora", segundo o IPMA que considerou de escala quatro na escala Fujita.


Também, falta o tornado de 4 de Março de 2018, que afectou os concelhos de Faro e Olhão, onde destruiu parte do Estádio do Moncarapachense.
 


StormRic

Furacão
Registo
23 Jun 2014
Mensagens
17,602
Local
Póvoa de S.Iria (alt. 140m)
Quando os próprios "ditos entendidos" na matéria, baralham tudo, não se pode pedir muito mais aos Media... :facepalm:


A explicação é má demais... :facepalm:

"
Os tornados são fenómenos tipicamente continentais e a sua formação ocorre através da chegada de frentes frias a regiões onde o ar está mais quente e instável, favorecendo o desenvolvimento de uma tempestade, que, por sua vez, impulsiona a formação deste tipo de ciclone.
Os tornados caracterizam-se como uma forte corrente de ar ascendente, em espiral, na base da nuvem, cuja forma se assemelha a um funil, com elevado poder de destruição, e formam-se pelo choque entre duas correntes de ar, e a rotação do ar.
Como decorre o processo do tornado? A massa de ar frio forma uma “tampa” sobre a massa de ar quente próxima ao solo, impedindo a formação de nuvens. Com a penetração de uma frente fria ou pelo aquecimento excessivo da camada de ar próxima ao solo, o ar quente rasga a tampa e invade a massa de ar frio.
O ar quente sobe e expande-se, com uma velocidade que pode chegar aos 250 km/h. A instabilidade atmosférica poderá contribuir para que o movimento de expansão ocorra em forma espiral.
Por fim, a humidade condensada cai sob a forma de chuva. Devido à evaporação, o tornado forma-se abaixo da “tampa” numa área onde não chove. Ao invés dos furacões, os tornados são compactos e possuem curta duração. Por norma, um tornado apresenta 100 metros de extensão, e a sua duração é de poucos minutos. "
 

StormRic

Furacão
Registo
23 Jun 2014
Mensagens
17,602
Local
Póvoa de S.Iria (alt. 140m)
"Tornado pode ser confundido com um downburst" como chuva pode ser confundida com neve?

Não. A rotação ascendente associada a um tornado, e que tem de ser claramente visível pelas trajectórias dos detritos e partículas transportadas, permite distingui-lo facilmente. No downburst o vento diverge radialmente à superfície relativamente ao local onde o fluxo é fortemente descendente. Na periferia do downburst, o fluxo radial pode terminar com alguma ascensão e rotação de eixo horizontal, e é este movimento terminal do vento que pode ser confundido, numa visão muito limitada localmente, com o característico movimento ascensional do tornado, mas faltar-lhe-á sempre a rotação de eixo predominantemente vertical (mudança de direcção da componente horizontal do vento).

No terreno, os efeitos do downburst são linearmente rectilíneos e divergentes, cada objecto é danificado pelo vento que actuou sem mudar de direcção horizontal. No tornado, a rotação é visível pela torção sofrida, o objecto recebeu vento de direcção variando muito rapidamente. Um tornado é ainda capaz de levantar e transportar objectos de grande dimensão e atirá-los em qualquer direcção e posição. No downburst o derrube e arrastamento horizontal é preponderante. Só na periferia o movimento ascensional terminal será capaz de levantar detritos menores.

Downburst:
c8p4Zbn.jpg
 

Pedro Mindz

Cumulus
Registo
18 Out 2015
Mensagens
389
Local
Montijo
Não. A rotação ascendente associada a um tornado, e que tem de ser claramente visível pelas trajectórias dos detritos e partículas transportadas, permite distingui-lo facilmente. No downburst o vento diverge radialmente à superfície relativamente ao local onde o fluxo é fortemente descendente. Na periferia do downburst, o fluxo radial pode terminar com alguma ascensão e rotação de eixo horizontal, e é este movimento terminal do vento que pode ser confundido, numa visão muito limitada localmente, com o característico movimento ascensional do tornado, mas faltar-lhe-á sempre a rotação de eixo predominantemente vertical (mudança de direcção da componente horizontal do vento).

No terreno, os efeitos do downburst são linearmente rectilíneos e divergentes, cada objecto é danificado pelo vento que actuou sem mudar de direcção horizontal. No tornado, a rotação é visível pela torção sofrida, o objecto recebeu vento de direcção variando muito rapidamente. Um tornado é ainda capaz de levantar e transportar objectos de grande dimensão e atirá-los em qualquer direcção e posição. No downburst o derrube e arrastamento horizontal é preponderante. Só na periferia o movimento ascensional terminal será capaz de levantar detritos menores.

Downburst:
c8p4Zbn.jpg
Eu estava a ser irónico mas obrigado pela explicação perfeita (como sempre).