Dúvidas

Tópico em 'Aprendizagem e Formação' iniciado por Aspvl 13 Ago 2010 às 20:35.

  1. hvalentim

    hvalentim
    Expand Collapse
    Cirrus

    Registo:
    13 Dez 2007
    Mensagens:
    71
    Local:
    Ch. da Caparica
    Isso faz sentido. No entanto é minha convicção que se não é presente a sua localização pelo menos no passado já foi no edifício localizado à esquerda imediatamente à entrada do parque, o qual claramente tem uma guarita de Stevenson no topo:

    Bing Bird's Eye View >>

    GMaps >>



     
    Collapse Signature Expandir Assinatura
  2. jonas_87

    jonas_87
    Expand Collapse
    Furacão

    Registo:
    11 Mar 2012
    Mensagens:
    15,775
    Local:
    Alcabideche, Cascais - cota 119 mts
    Não me parece que seja esse local, alias basta ver os dados de temperatura minima que a estação está instalada numa area de inversão, ou seja exactamente junto à estrada florestal. Apesar de os dois locais serem próximos devem ter registos de temperatura bem diferentes.
     
    Collapse Signature Expandir Assinatura
    Daniel Vilão gostou disto.
  3. Prof BioGeo

    Prof BioGeo
    Expand Collapse
    Nimbostratus

    Registo:
    19 Dez 2006
    Mensagens:
    642
    Local:
    Moura, Alentejo
    Não sei se este é o tópico adequado ou se isto deveria estar antes nos tesourinhos deprimentes... se a administração assim achar, agradeço o trabalho de mudarem. Aqui vai:

    Num manual escolar de Ciências Naturais do 8.º ano, no Objetivo Geral 11 (Influência das catástrofes no equilíbrio dos ecossistemas), vem a seguinte informação sobre "tempestades":
    «É habitual distinguir as tempestades de acordo com a área geográfica de ocorrência por:
    Tufão: é a nomenclatura utilizada para as tempestades de maior intensidade que ocorrem no Oceano Pacífico Noroeste (região oeste dos EUA, Japão e China).
    Furacão: é a nomenclatura utilizada para as tempestades no Oceano Atlântico norte (Caraíbas, região leste dos EUA e Golfo do México).
    Ciclones tropicais: ocorrem no sul do Pacífico e Índico.»

    Bem, aquela do Oceano Atlântico norte parte-me todo. E depois aquela dos Ciclones tropicais... Os tufões e os furacões também o são, não é? (a pessoas lê tanta asneira que chega a uma altura já nem consegue raciocinar). E o próprio conceito de "distinguir as tempestades..." Enfim!

    Isto parece-me grave. Apesar de ser informação exclusiva para o professor, a que os alunos não têm acesso, reconheço que a maior parte do professores de Ciências Naturais/Biologia e Geologia, infelizmente, não percebe nada de Meteorologia e são capazes de aceitar passivamente aquela informação e transmiti-la aos alunos...

    Agradeço comentário, em especial dos mais entendidos no assunto, pois sinto-me na obrigação de contactar a editora. Mas para isso quero estar 100% seguro das correções que têm que ser introduzidas. Obrigado desde já!
     
    CptRena gostou disto.
  4. Paulo H

    Paulo H
    Expand Collapse
    Cumulonimbus

    Registo:
    2 Jan 2008
    Mensagens:
    3,099
    Local:
    Castelo Branco 386m(489/366m)
    Eu também não gosto das definições, mas, aparentemente basearam-se na informação disponibilizada nesta página em ipma:

    https://www.ipma.pt/pt/educativa/fenomenos.meteo/index.jsp?page=ciclone.tropical.xml

    O correto seria explicar que furacão e tufão são o mesma coisa, sendo ambos ciclones tropicais (com origem na faixa de latitude dos trópicos), que evoluem de e para tempestades tropicais.
     
    Collapse Signature Expandir Assinatura
    CptRena gostou disto.
  5. Orion

    Orion
    Expand Collapse
    Furacão

    Registo:
    5 Jul 2011
    Mensagens:
    17,947
    Local:
    Ponta Delgada, Açores


    O livro está certo na generalidade*/**. E é importante abordar as diferenças não obstante serem a mesma coisa.

    Há coisas piores. Os EUA, por exemplo, não usam o sistema métrico. Algo muito mais significativo que a nomenclatura das tempestades.

    ---

    *Erro 1:

    É falso:

    http://www.aoml.noaa.gov/hrd/tcfaq/A3.html

    Tufão -> Cat. 1, 2 e 3; Super-Tufão -> Cat. 4 e 5.

    Há que ter em atenção que esta escala é usada pelos Japoneses e Americanos fruto do Joint Typhoon Warning Center:

    https://pt.wikipedia.org/wiki/Joint_Typhoon_Warning_Center

    Internamente os Japoneses usam outra escala:

    https://www.facebook.com/Okinawatyphoonpics/notes

    https://en.wikipedia.org/wiki/Tropical_cyclone_scales

    Mas para todos os efeitos os ocidentais usam a escala do JTWC.

    **Erro 2:

    E Pacífico Central :p
     
    Collapse Signature Expandir Assinatura
    #170 Orion, 11 Fev 2016 às 00:44
    Última edição: 11 Fev 2016 às 00:50
    CptRena e Portugal Storms gostaram disto.
  6. CptRena

    CptRena
    Expand Collapse
    Nimbostratus

    Registo:
    16 Fev 2011
    Mensagens:
    1,504
    Local:
    Gafanha da Encarnação, Aveiro
    Observando a tabela que consta na seguinte ligação, consegue-se perceber como estas nomenclaturas funcionam:

    EN: https://en.wikipedia.org/wiki/Tropical_cyclone#Hurricane_or_typhoon
    PT: https://pt.wikipedia.org/wiki/Ciclone_tropical#Classifica.C3.A7.C3.B5es_de_intensidade


    E nesta ligação está a explicação para a origem dos nomes: furacão (hurricane) e tufão

    EN: https://en.wikipedia.org/wiki/Tropical_cyclone#Origin_of_storm_terms
    PT: https://pt.wikipedia.org/wiki/Ciclone_tropical#Origem_dos_termos_usados_em_ciclones_tropicais


    PS: Para os Wikipedia haters, certamente se encontra outras fontes com a informação, por exemplo verificando a bibliografia que deu origem ao texto colocado na Wikipedia.
     
    Collapse Signature Expandir Assinatura
    VimDePantufas gostou disto.
  7. rafathunderstorm

    rafathunderstorm
    Expand Collapse
    Cumulus

    Registo:
    11 Mar 2016
    Mensagens:
    160
    Local:
    Almada
    Ola bom dia...
    Sou um bocado novata nestas coisas da meteorologia, mas como é um tópico que me interessa bastante tenho estudado por conta própria, principalmente de trovoadas.
    Gostaria de esclarecer algumas dúvidas sobre a formação das mesmas.
    Porque razão quando há a passagem de uma frente fria nem sempre há ocurrência de trovoadas?
    Factores necessarios para a sua formação (portugal- litoral)?
    Obrigada ☺
     
    CptRena gostou disto.
  8. Mr. Neves

    Mr. Neves
    Expand Collapse
    Cumulonimbus

    Registo:
    22 Jan 2013
    Mensagens:
    3,728
    Local:
    Tondela-290m
    Olá Stormy. Antes de mais peço desculpa pela minha ignorância e pelo incómodo:o, e devo também dizer que tenho apreciado muito o trabalho que têm feito no BestWeather.

    Ao ler a previsão para segunda-feira fiquei sem perceber como é que o vento seco de leste consegue acentuar o gradiente de humidade na média troposfera. Porque do pouco que sei quando o vento é de leste baixa de forma drástica a humidade relativa mas isto é à superfície, em altura tem outro comportamento? Como se processa esse comportamento? O que é facto é que na segunda feira teve de haver bastante humidade relativa em altura para gerar todas aquelas células.

    O gradiente de temperatura que cita na previsão é o chamado gradiente adiabático certo? Mas e porque é que o vento de leste seco produz um maior gradiente adiabático? Porque o vapor de água tem a capacidade de reter mais energia e como tal a temperatura desce mais em ar mais seco?

    Embora não tenha a ver com a previsão em si, mas talvez:unsure: com assunto em questão, quando andei a pesquisar acerca das minhas dúvidas anteriores, li que o arrefecimento adiabático do ar ocorre quando uma parcela de ar sobe e arrefece devido à sua expansão interna, que é resultado da redução de pressão.

    A questão aqui é perceber como é que essa expansão interna das particulas de ar provoca um arrefecimento da mesma, pelo que se me pudesse elucidar melhor a este respeito agradecia:).

    Agradeço a atenção e o tempo perdido, e mais uma vez peço desculpa pela minha ignorância:o
     
    Collapse Signature Expandir Assinatura
    #173 Mr. Neves, 23 Mar 2016 às 02:34
    Última edição: 23 Mar 2016 às 12:47
    CptRena, 4ESTAÇÕES e rafathunderstorm gostaram disto.

Partilhar esta Página