1. Postagens no fórum Off-Topic
    Para combater registos que têm por único objectivo o de participar em tópicos controversos, o acesso às postagens está condicionado a membros com um número mínimo de 100 mensagens. Membros que não tenham esta quantidade de mensagens não poderão submeter mensagens ou criar tópicos nesta secção.
    Condições Gerais de Utilização do MeteoPT

Floresta portuguesa e os incêndios

Tópico em 'Off-Topic' iniciado por frederico 20 Jul 2010 às 22:23.

  1. MSantos

    MSantos
    Expand Collapse
    Super Célula

    Registo:
    3 Out 2007
    Mensagens:
    8,905
    Local:
    Foros Charneca (Benavente) / Mte. Barca (Coruche)
    Foram publicados os resultados do 6º Inventário Florestal Nacional.

    Uma primeira análise dos dados recolhidos permite desde já concluir que:
    A maior área de floresta (1 063 000 ha) é coberta por montado (sobreiro e azinheira)
    A área de eucalipto (844 000 ha) cresceu abaixo das estimativas
    A área de pinheiro bravo (714 000 ha) diminuiu
    A área de pinheiro manso (193 000 ha) aumentou

    Mais informação: https://mail.google.com/mail/u/0/?tab=wm&ogbl#sent/QgrcJHsTfQmTSRZlmvXCPkLgVntTmgXjSsG
     
    Collapse Signature Expandir Assinatura
    criz0r, Pedro1993 e Ricardo Carvalho gostaram disto.
  2. Ricardo Carvalho

    Ricardo Carvalho
    Expand Collapse
    Cumulonimbus

    Registo:
    23 Jul 2015
    Mensagens:
    2,110
    Local:
    Azeitão/Sesimbra
    Praticamente só boas notícias nos primeiros dados recolhidos :thumbsup:
     
    Collapse Signature Expandir Assinatura
  3. MSantos

    MSantos
    Expand Collapse
    Super Célula

    Registo:
    3 Out 2007
    Mensagens:
    8,905
    Local:
    Foros Charneca (Benavente) / Mte. Barca (Coruche)
    Veremos se quando saírem os dados finais em Outubro, que já vão incluir os danos provocados pelos incêndios de 2017, se as coisas continuam a parecer assim tão boas. Como resultado dos incêndios de 2017 o pinheiro bravo deverá ter ficado 600mil ha e não os 714mil, e a explosão de acácias, háqueas e eucaliptos nas áreas ardidas do Interior Centro também deve ter feito mossa.

    Acho graça a agregarem as áreas de sobreiro e as azinheira de forma a tentar que passe despercebido que o eucalipto é a espécie com maior área em Portugal... :hmm:
     
    Collapse Signature Expandir Assinatura
    Pedro1993 gostou disto.
  4. MSantos

    MSantos
    Expand Collapse
    Super Célula

    Registo:
    3 Out 2007
    Mensagens:
    8,905
    Local:
    Foros Charneca (Benavente) / Mte. Barca (Coruche)
    Se quiserem ler o relatório (técnico) deixo aqui um link do mesmo: https://gallery.mailchimp.com/61798...3e7de6/IFN6_Principais_resultados_Jun2019.pdf
     
    Collapse Signature Expandir Assinatura
    Ricardo Carvalho gostou disto.
  5. Ricardo Carvalho

    Ricardo Carvalho
    Expand Collapse
    Cumulonimbus

    Registo:
    23 Jul 2015
    Mensagens:
    2,110
    Local:
    Azeitão/Sesimbra
    Ups...pensei que estes dados já estivesse a contabilizar os danos depois dos incêndios de 2017, sendo assim certamente os resultados vão ser outros :unsure:.
     
    Collapse Signature Expandir Assinatura
    MSantos gostou disto.
  6. algarvio1980

    algarvio1980
    Expand Collapse
    Super Célula

    Registo:
    21 Mai 2007
    Mensagens:
    9,595
    Local:
    Olhão (24 m)
    Collapse Signature Expandir Assinatura
    MSantos gostou disto.
  7. MSantos

    MSantos
    Expand Collapse
    Super Célula

    Registo:
    3 Out 2007
    Mensagens:
    8,905
    Local:
    Foros Charneca (Benavente) / Mte. Barca (Coruche)

    A quando dos incêndios de 2017 negaram que a origem dos fogos pudesse ter sido as linhas eléctricas em contacto com a vegetação, mas agora desenvolvem uma aplicação para evitar que isso aconteça? :intrigante:

    De qualquer das formas esta aplicação é uma boa medida para evitar ignições, é com estas pequenas coisas que se contribui para minimizar o problema.
     
    Collapse Signature Expandir Assinatura
    Pedro1993 gostou disto.
  8. Pedro1993

    Pedro1993
    Expand Collapse
    Super Célula

    Registo:
    7 Jan 2014
    Mensagens:
    6,974
    Local:
    Torres Novas(75m)
    Portugal é o país com mais zona queimada da zona mediterrânica
    [Fonte: O Jornal Económico]

    Portugal, Espanha, França, Itália, Grécia e Turquia totalizam mais de 80% da área total queimada no continente europeu anualmente. A luta contra os incêndios na zona mediterrânea atinge custos de dois mil milhões de euros a cada ano.

    A organização não governamental ‘World Wide Fund for Nature’ divulgou esta quinta-feira, 4 de julho, o relatório ‘Arde o Mediterrâneo’ onde falam sobre os incêndios que têm ocorrido desde o início do século, em 2000.

    Portugal, Espanha, França, Itália, Grécia e Turquia totalizam mais de 80% da área total queimada no continente europeu anualmente. Em média, 375 mil hectares de floresta são queimados em apenas um ano na região do Mediterrâneo, em mais de 56 mil desastres florestais.

    O relatório da WWF revela ainda o facto de 96% dos incêndios terem origem criminosa. Os incêndios florestais já não são um problema exclusivo de uma região, nem um problema limitado ao verão, uma vez que 55% dos incêndios nos países do relatório ocorreram no mês de outubro.

    Portugal é o país da lista onde mais superfície é queimada anualmente, registando uma média de 22.600 incêndios. A vizinha Espanha surge em segundo lugar com 12 mil incêndios e a Grécia em terceiro com nove mil incêndios.

    A luta contra os incêndios na zona mediterrânea atinge custos de dois mil milhões de euros a cada ano. Em média, 80% estão destinados à extinção, cerca de 1,5 milhões, contra apenas 20%, ou seja 385 milhões de euros, que é canalizado para a prevenção.

    “Os ecossistemas mediterrâneos são especialmente vulneráveis às alterações climáticas”, segundo a WWF. Um dos grandes culpados é o aumento da temperatura que se tem verificado. “Em junho de 2017 produziu-se em Portugal, pela primeira vez, uma nova tipologia de incêndios desconhecida”, assume o relatório. “Um megaincêndio de sexta geração, claramente vinculado às alterações climáticas. Extremo, incontrolável e letal”, sendo que este “tipo de incêndio se voltou a repetir em outubro do mesmo ano”.

    Entre 2000 e 2016, cerca de 488 bombeiros e civis europeus perderam a vida, o que pressupõe um número de 30 vítimas mortais por ano. Atualmente, estes incêndios florestais representam perdas de três mil milhões de euros, por ano, para a Europa.

    https://www.agroportal.pt/portugal-...zztxea0zFwKUvxb8N7FvysKddZavpaPaPcCUgGdNJQ74s
     
    Collapse Signature Expandir Assinatura
    "Charneca" Mundial gostou disto.
  9. "Charneca" Mundial

    "Charneca" Mundial
    Expand Collapse
    Nimbostratus

    Registo:
    28 Nov 2018
    Mensagens:
    1,275
    Local:
    Corroios (cota 26); Aroeira (cota 59)
    Não é de admirar que Portugal seja o país com maior área ardida da Europa. É um país com pouca floresta autóctone e ordenamento do território nulo em grande parte do país. :disgust:
    Até acho estranho como é que Espanha tem tantos incêndios... Lá está, eu raramente vou ao Norte de Espanha, vou praticamente sempre ao sul/centro/este. Se calhar no Norte estão menos preparados.
    Também acho estranho como é que a Grécia não tem mais incêndios. Que eu saiba, eles têm lá grandes florestas de coníferas, árvores bastante inflamáveis. :)
     
    Collapse Signature Expandir Assinatura
    Pedro1993 gostou disto.
  10. Pedro1993

    Pedro1993
    Expand Collapse
    Super Célula

    Registo:
    7 Jan 2014
    Mensagens:
    6,974
    Local:
    Torres Novas(75m)
    Pois, a Grécia, quando tem incendios, e são quase sempre devastadores, com milhares de ha queimados, mas se não tem mais incendios, secalhar é porque estão melhor preparados do que nós, no ataque inicial, antes de tomarem proporções gigantescas, mas isto sou eu aqui a divagar, não conheço o sistema deles por lá.
    Nós em relação a esses outros países somos pequenos em termos de área, pois o nosso país é mais pequeno, mas lá está, o desordenamento do território, e o abndono do nosso interior só dificulta mais as coisas.
    Faz falta rebanhos comunitários para reduzir a biomassas nas serras, e a agricultura também faz falta, no nosso interior, e fixar ao máximo a população jovem.
     
    Collapse Signature Expandir Assinatura
    "Charneca" Mundial gostou disto.
  11. MSantos

    MSantos
    Expand Collapse
    Super Célula

    Registo:
    3 Out 2007
    Mensagens:
    8,905
    Local:
    Foros Charneca (Benavente) / Mte. Barca (Coruche)
    Portugal não é um país com pouca floresta autóctone... ;)
     
    Collapse Signature Expandir Assinatura
  12. frederico

    frederico
    Expand Collapse
    Super Célula

    Registo:
    9 Jan 2009
    Mensagens:
    7,687
    Local:
    Porto
    Isto é discutível. Deverá o montado ser considerado floresta autócne? O que é uma floresta? Para o Prof. Paiva, que tive o prazer de conhecer há muitos anos, o eucaliptal, os pinhais, os montadores não eram floresta. Eram sim silviculturas ou culturas florestais. Verdadeira floresta em Portugal era raríssima e ocuparia menos de 1% do território.

    A ideia de que o Alentejo seria um enorme montado é ilusória. parte do distrito de Portalegre era mistura de carvalho com sobreiro, castanheiro e azinheira. O Litoral, serras de Grândola, Cerca, Odemira, era mistura de carvalhos com sobreiro, e vales com nogueiras e castanheiros, amieiros, freixos, choupos, pilriteiros. O Monfurado tinha carvalhais marcescentes. Nas zonas mais áridas do interior havia matos de zambujeiro, murta, aroeira, esteval misturados com azinheira.
     
    MSantos e Pedro1993 gostaram disto.
  13. frederico

    frederico
    Expand Collapse
    Super Célula

    Registo:
    9 Jan 2009
    Mensagens:
    7,687
    Local:
    Porto
    Forests comprise 25.4% of the total area of Greece, making it the fourth largest country in Europe with respect to forest resources. The majority of the Greek forests are natural and not technical. They are characterized as Mediterranean. These are ecosystems that have adapted to dry, hot summers and cold winters. Oak trees have developed in the Mediterranean and Circum Mediterranean zone, while acorns grow in the Thessaly plain where the soil is more fertile. We will also come across types of trees that have spread throughout Europe, such as the pine (Pinus silvestris), the spruce (Picea abies), and the beech (Fagus sylvatica).

    http://www.visitgreece.gr/en/nature/forests

    Penso que na Grécia a maior parte da floresta é pública.
     
    "Charneca" Mundial gostou disto.
  14. belem

    belem
    Expand Collapse
    Cumulonimbus

    Registo:
    10 Out 2007
    Mensagens:
    3,921
    Local:
    Sintra
    Penso que existem pinhais por cá, que são florestas.
    Também existe muita floresta autóctone em recuperação em Portugal, a crescer debaixo de alguns eucaliptais e pinhais, que não aparece em praticamente todos os estudos sobre a nossa floresta.
    Existem muitos carvalhais novos por cá a crescer.
    E penso que temos plantado mais floresta autóctone, do que no passado, mas é preciso plantar mais e alguns casos, plantar melhor.
    Temos cá nucleos florestais de enorme raridade, que precisam de ser urgentemente protegidos e disseminados.
    De resto concordo, que há muita coisa que precisa de mudar por cá.

    PS: Portugal, tem o privilégio de ter a maior mancha contínua do tipo de floresta mais antigo da Europa (laurissilva), que na Madeira está presente há pelo menos desde há quase 2 milhões de anos de forma ininterrupta.
    É uma sorte enorme, mas também deveria ser uma fonte de inspiração, para preservarmos melhor as nossas florestas.
     
    Collapse Signature Expandir Assinatura
    #1934 belem, 8 Jul 2019 às 20:39
    Última edição: 9 Jul 2019 às 14:52
  15. frederico

    frederico
    Expand Collapse
    Super Célula

    Registo:
    9 Jan 2009
    Mensagens:
    7,687
    Local:
    Porto
    Sim concordo. Alguns pinhais são mesmo floresta. Mas creio que originalmente não teríamos pinhais puros, mas estariam associados a outras espécies.

    No Algarve temos pequeníssimas áreas «relíquia» de pinhais degradados, entre a Torre de Ares e o Livramento, perto da ria, ou no Ludo, em Faro.

    A Mata de Monte Gordo foi plantada para conter as areias, originalmente aquilo era um matagal de piornos.
     

Partilhar esta Página