1. Postagens no fórum Off-Topic
    Para combater registos que têm por único objectivo o de participar em tópicos controversos, o acesso às postagens está condicionado a membros com um número mínimo de 100 mensagens. Membros que não tenham esta quantidade de mensagens não poderão submeter mensagens ou criar tópicos nesta secção.
    Condições Gerais de Utilização do MeteoPT

Floresta portuguesa e os incêndios

Tópico em 'Off-Topic' iniciado por frederico 20 Jul 2010 às 22:23.

  1. frederico

    frederico
    Expand Collapse
    Super Célula

    Registo:
    9 Jan 2009
    Mensagens:
    7,200
    Local:
    Porto
    O caro fala do pinhal interior. Conheço a região e as suas características naturais. Contudo o eucalipto está bem presente longe do pinhal interior. Por exemplo, abunda nos distritos de Viana, Braga, Porto e Aveiro, zonas com mais chuva que a maior parte de França, bons solos e apenas dois meses secos.
     
  2. frederico

    frederico
    Expand Collapse
    Super Célula

    Registo:
    9 Jan 2009
    Mensagens:
    7,200
    Local:
    Porto
    As coisas não surgem no pinhal interior porque há aqui um elemento extra que explica. Não há gente para investir e viver lá. Como referi, os eucaliptos não dão trabalho. É pôr na terra e deixar andar. Um negócio normal implica estar presente no local, viver lá. E nesses concelhos não há jovens. Há reformados com a vidinha feita e os grandes empregadores são as autarquias, Misericórdia, serviços públicos.
     
  3. bandevelugo

    bandevelugo
    Expand Collapse
    Cumulus

    Registo:
    3 Jan 2008
    Mensagens:
    169
    Local:
    Lisboa
    E então, volto a perguntar, por que não "há gente para investir e viver lá"? É por serem terras de abundância e prodigalidade, como as lezírias e os vales do Minho?

    Os eucaliptos "não dão trabalho" porque nenhuma floresta, em Portugal ou no resto do mundo, dá tanto trabalho como o dá uma cultura agrícola, são duas coisas totalmente diferentes.

    Eu colho batatas 70 a 150 dias depois de as plantar. E tenho que andar lá todos os dias a cuidar delas. Eucaliptos plantam-se e colhem-se 10 ou 12 anos depois, e vai-se lá de vez em quando desbastar e limpar. Sobreiros plantam-se e só dão a primeira cortiça de valor aos 30 ou 40 anos. Até lá é só "prejuízo", e vamos ver se não ardem entretanto (o que no interior de Portugal é pouco provável...)

    O problema de base é que em Portugal os solos agrícolas bons (os das batatas) são escassos, e nos maus, não se pode fazer vinho ou olival em todo o lado! Qualquer uma destas culturas, para ser rentável, tem de ter dimensão, como acontece por exemplo no Alentejo.

    E, ainda assim, comparando o eucalipto com outras culturas florestais menos intensivas, esta ainda consegue dar mais "trabalho" (e remuneração). Por isso é que os proprietários o plantam, não são propriamente estúpidos.

    Esta é a dura realidade.
     
    #1908 bandevelugo, 16 Jun 2019 às 17:51
    Última edição: 16 Jun 2019 às 18:00
    MSantos gostou disto.
  4. frederico

    frederico
    Expand Collapse
    Super Célula

    Registo:
    9 Jan 2009
    Mensagens:
    7,200
    Local:
    Porto
    O pinhal interior tem condições para ter sobreiro. Eu sei perfeitamente que aqueles solos não são bons para a agricultura. Mas há alternativa. O problema do sobreiro é que terá de ser subsidiado para que as pessoas o ponham, já que os lucros só virão 30 ou 40 anos depois. Que assim seja, neste caso pontual. O pinhal interior tem melhores condições para o sobreiro que o Sul, onde o stress hídrico acentuou os efeitos nefastos da doença do sobreiro. A cultura do sobreiro terá de ser deslocada mais para Norte pois com o aumento das temperaturas e queda das precipitações os distritos de Beja, Évora e Faro têm neste momento uma elevada mortalidade de sobreiro.
     
  5. frederico

    frederico
    Expand Collapse
    Super Célula

    Registo:
    9 Jan 2009
    Mensagens:
    7,200
    Local:
    Porto
    Um senhor com quase 90 anos de uma aldeia da serra algarvia disse-me isto ná uns anos. «Quando era jovem se tivesse posto sobreiros nas terras dos meus pais, hoje era um homem rico com a cortiça; mas naquele momento, se não tivesse posto o trigo tinha morrido à fome».
     
    MSantos e Pedro1993 gostaram disto.
  6. ClaudiaRM

    ClaudiaRM
    Expand Collapse
    Super Célula

    Registo:
    2 Dez 2009
    Mensagens:
    6,665
    Local:
    Viseu
    Pois. Eu agora repetia aqui uma coisa que a minha avó dizia amiúde mas não vale a pena. Fica só a dica de que quando não sabemos do que falamos, ou não dizemos nada ou informamo-nos antes. Esta coisa da 'tudologia' não vale só para os tudólogos que falam na TV...
     
    Collapse Signature Expandir Assinatura
  7. bandevelugo

    bandevelugo
    Expand Collapse
    Cumulus

    Registo:
    3 Jan 2008
    Mensagens:
    169
    Local:
    Lisboa
    Sim, mas ninguém planta eucaliptos em terra de pão. Ele abunda nesses distritos em terrenos florestais (os piores), ponto. E está num clima exatissimamente igual ao da sua região de origem (Tasmânia), daí as produtividades brutais que tem no norte de Portugal e na Galiza.

    Outro erro que se ouve muitas vezes, até por "comentadores" e "sabichões" da comunicação social que são especialistas em tudo e têm opiniões definitivas, é o de que os outros países europeus não os plantam porque não querem. "Se os eucaliptos são tão bons, porque é que os suecos e os alemães não os plantam?", já ouvi eu de um famoso comentador televisivo.

    Há uma única razão para a França (e outros países da Europa central e setentrional) não terem eucaliptos: é que não há eucaliptos que aguentem o frio e as geadas de lá!!!!

    E eles bem tentaram lá os cultivar, até com variedades de altitude mais resistentes ao frio. Mas não dá, morre tudo à primeira vaga de frio.

    Já as mimosas, que são plantas muito mais resistentes à geada e mesmo à seca, têm-nas em barda, junto ao mediterrâneo: https://www.la-croix.com/Culture/Art-de-vivre/Cote-dAzur-lombre-mimosas-fleur-2019-01-25-1200998048

    E pelos vistos até fazem bom dinheiro com elas.
     
    MSantos e Pedro1993 gostaram disto.
  8. bandevelugo

    bandevelugo
    Expand Collapse
    Cumulus

    Registo:
    3 Jan 2008
    Mensagens:
    169
    Local:
    Lisboa
    Claro que sim, o interior do país e mesmo o centro e norte litoral estão cheios de sobreiros, só falta tratá-los corretamente.

    Agora, parece-me que não vai ser para produzir cortiça, nem existem condições de propriedades para ter o mesmo tipo de explorações que no Alentejo ou no Ribatejo. Vai ter de ser mais uma cultura florestal típica, de madeira, como se vê na Landes, em França.
     
  9. frederico

    frederico
    Expand Collapse
    Super Célula

    Registo:
    9 Jan 2009
    Mensagens:
    7,200
    Local:
    Porto
    O eucalipto em Portugal não é genericamente produtivo. Há uns anos estimava-se que só cerca de um terço das explorações eram produtivas. Não sei se os números mudaram.

    Em vários concelhos do Norte e Centro o eucalipto ocupou todo o espaço que não é urbano nem tem agricultura. Por outras palavras, domina a paisagem. Isto deveria chocar-nos. Trata-se de uma destruição da nossa identidade paisagística e do nosso património.

    A ser verdade que só um terço das plantações são produtivas temos condições para que haja um reordenamento e redução drástica da presença do eucalipto na paisagem.
     
  10. AJB

    AJB
    Expand Collapse
    Nimbostratus

    Registo:
    5 Mar 2009
    Mensagens:
    963
    Local:
    Baião
    Não haja ilusões...voltar a paisagem dos anos 30/40/50 é a curto/médio prazo mera utopia!
    Não chega ter cidades médias no interior (essas serão bons centros de serviços), precisamos é do setor primário...esqueçam lá isso!
    Só, repito, só nos resta ir gerindo a paisagem com fogo controlado e gestão estratégica em mosaicos (nos locais habituais de aceleração do fogo), tirando potencial á area ardida!
    Reduzir incêndios de 5000 ha para os 1000/1500 ha será uma enorme vitoria...o problema é que a nossa escala em anos severos anda nos 20000 ha...
     
    Collapse Signature Expandir Assinatura
    Pedro1993 e Ricardo Carvalho gostaram disto.
  11. frederico

    frederico
    Expand Collapse
    Super Célula

    Registo:
    9 Jan 2009
    Mensagens:
    7,200
    Local:
    Porto
    Nos anos 30 o país já estava despido! Já tinha levado com 40 anos de campanhas do trigo. Depois até recuperou um pouco, o Estado Novo promoveu as plantações de pinhal no Centro e de sobreiro a Sul.

    O ideal era termos floresta pública em todas as regiões do país e que pelo menos 10% da floresta fosse pública e nativa. Só isso já seria uma grande ajuda para preservar o património genético da flora portuguesa. E isso não é nenhuma utopia, nem é necessário muito dinheiro para tal.
     
  12. AJB

    AJB
    Expand Collapse
    Nimbostratus

    Registo:
    5 Mar 2009
    Mensagens:
    963
    Local:
    Baião
    E quem geria depois milgares de ha de floresta? Quem rocaria os matos? Quem vigiaria e combateria incêndios?
    O estado?
    Teria que incorporar tantos funcionarios públicos que o défice aumentaria
     
    Collapse Signature Expandir Assinatura
  13. frederico

    frederico
    Expand Collapse
    Super Célula

    Registo:
    9 Jan 2009
    Mensagens:
    7,200
    Local:
    Porto
    As florestas não têm mato quando já estão desenvolvidas.

    Nós em Portugal tivemos durante séculos floreta nativa nas mãos da Igreja e das populações locais. Suponho que não desse assim tanta despesa pois o país era genericamente pobre. Além disso uma floresta dá lucros. Não são lucros milionários mas chegam para pagar aos funcionários.
     
    Pedro1993 gostou disto.
  14. frederico

    frederico
    Expand Collapse
    Super Célula

    Registo:
    9 Jan 2009
    Mensagens:
    7,200
    Local:
    Porto
    Nós no cômputo geral temos excesso de funcionários públicos no país.

    Mas há áreas onde há carência. Quem me segue aqui no fórum sabe que há anos que digo aqui que há falta de vigilantes da Natureza e do território. Com ou sem mais floresta pública há falta de vigilância.
     
    Pedro gostou disto.
  15. MSantos

    MSantos
    Expand Collapse
    Super Célula

    Registo:
    3 Out 2007
    Mensagens:
    8,735
    Local:
    Foros Charneca (Benavente) / Mte. Barca (Coruche)
    Quem planta eucaliptos são as pessoas, os proprietários dos terrenos e não o governo. As pessoas plantam eucaliptos porque na escala temporal das suas vidas o eucalipto é a espécie mais rentável e que dá menos trabalho. Se queremos uma floresta genericamente diferente tem que haver apoio e intervenção do Estado.
     
    Collapse Signature Expandir Assinatura

Partilhar esta Página