Maciço calcário da Serra D' Aire e Candeeiros

Tópico em 'Natureza e Viagens' iniciado por Pedro1993 17 Ago 2015 às 11:50.

  1. Pedro1993

    Pedro1993
    Expand Collapse
    Cumulonimbus

    Registo:
    7 Jan 2014
    Mensagens:
    3,076
    Local:
    Torres Novas(75m)
    " Hoje festejamos os 38 anos do Parque Natural das Serras de Aire e Candeeiros, criado a 4 de maio de 1979 [​IMG]:) Aqui domina o calcário, as formações determinadas pelos caprichos da água e do vento: grutas, campos de lapiás, escarpas e cursos de água subterrâneos, são acompanhados por flora e fauna muito específicas, de que se destacam várias espécies de morcegos. Neste Parque encontram-se também trilhos de dinossáurios saurópodes que aqui viveram no período Jurássico, há cerca de 175 milhões de anos.
    Saibam mais e visitem http://natural.pt/portal/pt/AreaProtegida/Item/8"

     
    Collapse Signature Expand Signature
  2. Pedro1993

    Pedro1993
    Expand Collapse
    Cumulonimbus

    Registo:
    7 Jan 2014
    Mensagens:
    3,076
    Local:
    Torres Novas(75m)
     
    Collapse Signature Expand Signature
    Aristocrata, belem e bluejay gostaram disto.
  3. Pedro1993

    Pedro1993
    Expand Collapse
    Cumulonimbus

    Registo:
    7 Jan 2014
    Mensagens:
    3,076
    Local:
    Torres Novas(75m)
    A Quinta-feira da Ascensão é uma festa religiosa católica. Há locais onde é mesmo um dia feriado.
    Celebra a ascensão de Jesus ao Céu, depois de ter sido crucificado e de ter ressuscitado (A Ressurreição é o que a Páscoa celebra).

    • Cada elemento simboliza um desejo:

      • [​IMG]
        - A espiga = que haja pão (isto é, que nunca falte comida, que haja abundância em cada lar)
        - O ramo de folhas de oliveira = que haja paz (lembra-te que a pomba da paz traz no bico um ramo de oliveira) e que nunca falte a luz (divina). (Dantes as pessoas alumiavam-se com lamparinas de azeite, e o azeite faz-se com as azeitonas, que são o fruto da oliveira.)
        - Flores (malmequeres, papoilas, etc.) = que haja alegria (simbolizada pela cor das flores - o malmequer ainda «traz» ouro e prata, a papoila «traz» amor e vida e o alecrim «traz» saúde e força)

    • [​IMG]
      O ramo é guardado ao longo de um ano, até ao Dia de Espiga do ano seguinte, pendurado algures dentro de casa.

    • Acredita-se que este costume, que surge mais no centro e sul de Portugal, nasceu de um antigo ritual cristão, que era uma bênção aos primeiros frutos.

    • No entanto, por ter tanta ligação com a Natureza,
      [​IMG]
      pensa-se que vem bem mais de trás no tempo, talvez de antigas tradições pagãs associadas às festas da deusa Flora que aconteciam por esta altura e às quais se mantém ligada à tradição dos Maios e das Maias.

    • Hoje em dia, nas grandes cidades, as pessoas já não vão colher o Ramo da Espiga (nem há onde...), mas há quem os venda, tendo-os colhido e atado, fazendo negócio com a tradição... E ajudando a preservá-la.
    http://www.junior.te.pt/servlets/Bairro?P=Portugal&ID=1389

    E como hoje é feriado, aqui pelo Ribatejo aproveito para partilhar o simbolismo deste dia.
     
    Collapse Signature Expand Signature
    Aristocrata e belem gostaram disto.
  4. Pedro1993

    Pedro1993
    Expand Collapse
    Cumulonimbus

    Registo:
    7 Jan 2014
    Mensagens:
    3,076
    Local:
    Torres Novas(75m)
    Gruta da Nascente do Alviela, um mundo ainda por descobrir...

     
    Collapse Signature Expand Signature
  5. Pedro1993

    Pedro1993
    Expand Collapse
    Cumulonimbus

    Registo:
    7 Jan 2014
    Mensagens:
    3,076
    Local:
    Torres Novas(75m)
    E assim chega o rio Almonda, á sua foz, na Azinhaga, praticamente seco.





     
    Collapse Signature Expand Signature
    guisilva5000, Aristocrata e luismeteo3 gostaram disto.
  6. Pedro1993

    Pedro1993
    Expand Collapse
    Cumulonimbus

    Registo:
    7 Jan 2014
    Mensagens:
    3,076
    Local:
    Torres Novas(75m)
     
    Collapse Signature Expand Signature
    luismeteo3 gostou disto.
  7. Pedro1993

    Pedro1993
    Expand Collapse
    Cumulonimbus

    Registo:
    7 Jan 2014
    Mensagens:
    3,076
    Local:
    Torres Novas(75m)
    ANÁLISES AO RIO ALMONDA REVELAM “ÁGUA MEDÍOCRE”

    [​IMG]

    A associação ambientalista Zero detetou água de má qualidade em quatro cursos de água em Leiria, Lisboa e Santarém, tendo o rio Almonda, na Golegã, o pior resultado, segundo um estudo divulgado hoje, dia 29 de outubro.

    O rio Almonda, na Golegã, apresenta “um resultado medíocre”, enquanto a ribeira da Laje, em Oeiras, o rio Lis, em Leiria, e o rio Sizandro, em Torres Vedras, têm apenas qualidade razoável, de acordo com a análise realizada pela associação ambientalista.

    http://www.mediotejo.net/analises-ao-rio-almonda-revelam-agua-mediocre/

    O rio Almonda continua ser alvo de descargas ilegais de pequenas e grandes indústrias, bem como também de resíduos de agropecuárias.
     
    Collapse Signature Expand Signature
    guisilva5000, frederico e luismeteo3 gostaram disto.
  8. Pedro1993

    Pedro1993
    Expand Collapse
    Cumulonimbus

    Registo:
    7 Jan 2014
    Mensagens:
    3,076
    Local:
    Torres Novas(75m)
    Nas aldeias serranas de Porto Mós, a água da chuva é aproveitada e tornada potável

    [​IMG]


    O JORNAL DE LEIRIA foi conhecer algumas das estratégias utilizadas, ao longo dos tempos, pelas gentes das freguesias serranas de Porto de Mós para contornar a escassez de água com que sempre se debateram.

    “Nunca nos faltou a água, nem mesmo agora com a falta de chuva que vai por aí”. Maria Fernanda Narciso, 72 anos, fala-nos enquanto enche três garrafões no fontanário localizado bem no centro da Mendiga, uma das aldeias serranas do concelho de Porto de Mós, onde a água da chuva é aproveitada e transformada em potável.

    Durante várias décadas do século passado, os Telhados de Água – assim se chama o sistema existente na Mendiga e em Serro Ventoso – foram, aliás, o único meio de abastecimento àquelas povoações.

    E, mesmo depois da chegada da rede pública, os sistemas mantiveram-se a funcionar e ainda hoje são utilizados pelas populações locais e, no caso da Mendiga, por gente das povoações vizinhas.

    “Há pessoas de fora que aqui vêm encher. Dizem que a nossa água é das melhores”, conta Maria Fernanda, que era ainda uma criança quando o sistema da Mendiga foi criado, por iniciativa de Manuel Baptista Amado, regedor da freguesia, com a ajuda de “toda a aldeia”. “Fizeram-se cortejos. Cada um dava o que podia”.

    A inauguração aconteceu em 1954, em ambiente de festa. “Foi uma riqueza muito grande para a terra”, recorda a septuagenária, habituada, desde sempre, a aproveitar a água da chuva. Uma tradição que se perpetuou ao longo dos tempos nas Serras de Aire e Candeeiros, que nas suas entranhas guardam uma das maiores reservas de água doce do País, mas que o calcário do maciço aprisiona, só deixando vir à superfície o excedente, através da formação de nascentes cárcicas.

    https://www.jornaldeleiria.pt/notic...-de-porto-mos-agua-da-chuva-e-aproveitad-7630
     
    Collapse Signature Expand Signature
    frederico, belem e luismeteo3 gostaram disto.

Partilhar esta Página