Mitos Climáticos - Apresentação

LUPER

Nimbostratus
Registo
20 Nov 2005
Mensagens
1,945
Local
Aveiro
Concordo plenamente, ao ler estes lamentáveis últimos posts, fiquei :surprise:.

Que me desculpem, e acho que falo por todos os membros de uma forma geral, e pelos mais antigos em especial. Nesta humilde casa toda a gente é bem-vinda :), e claro se forem pessoas com um conhecimento e formação na área melhor (como parece ser o caso de ambos), pois todos nós gostamos de aprender :w00t: e enriquecer os nossos conhecimentos, agora o respeito e a forma como se devem redigir e porque não "digerir" as opiniões, é uma regra de ouro que por aqui tem sido inquebrantável. Não acho assim tão difícil ser ponderado e reflexivo quando nos dirigimos a outra pessoa, aliás essa é a única maneira de aclarar pontos de vista e aprender.
Eu tenho pouco mais de trinta anos, mas se há algo que nesta vida julgo já ter aprendido, é que quando nos achamos donos da verdade, que o nosso ponto de vista ou teoria é a única a existir, então realmente nada sabemos e a nossa convicção é dogmatizada, logo, estancada, perdida... :sad:

Há aqui membros com opiniões quase diametralmente opostas, mas nunca os vi serem agressivos entre si. Até porque se assim fosse eu não era tão participativo e possivelmente nem me tinha registado.

Por favor, dignifiquem este espaço único, de gente amadora, pessoas de todos os quadrantes sociais, de tantas regiões e profissões e até de fora do nosso Portugal. Se não entraram com o objectivo de ajudar, de participar com alegria e PAZ, então não venham! :mad:
E este meu desabafo serve também para outros que ainda não se registaram e o pretendam fazer, venham! Mas de forma construtiva ;).
Não sei o que faz o MeteoPT um local tão especial, se o facto de ser único em Portugal (pelo menos que eu conheça :unsure:), se pelo gosto generalizado do frio e da neve, se pelo amor e carinho real que todos temos pela meteorologia e os seus fenómenos (e quantas vezes andamos ao vento, à chuva, e debaixo de neve, feitos tolitos com a máquina na mão, só para partilhar com os outros :D) ou simplesmente por este grupo de pessoas, tão singulares, que o integram :thumbsup:.
Reparem, eu como todos aqui, tenho vida própria, tenho muitas coisas que me ocupam, tenho esposa, filhos, trabalho e no entanto já nas minhas conversas do dia a dia, eu falo com todo o à-vontade do Seringador, do Alex, do Luper, do Minho, do Dan, do Luís França, do Fil, do Iceberg, do Tozequio, do Miguel do Rogpacheco, do Bruno, do João Pais, do Santos, do Mag0, etc, enfim de todos vós. Isto acontece porque o "clima" que se gerou ao estudar-mos os climas e os seus estados de tempo é fabulástico.
Tenho dito. :D ;)

P.S. - Alexandre, com um ordenadão desses já era para teres um portátil daqueles caros, com acentos e tudo! :lmao:

Pessoalmente não conseguia me exprimir melhor :thumbsup: :thumbsup: :thumbsup: :thumbsup: :thumbsup: :D

Vamos todos discutir e aprender, pq uma coisa é iniguavel, estamos a assistir a uma mudança climatologica muito grande, vamos observar e acima de tudo estudar e pensar sobre o nosso destino enquanto habitantes deste planeta :thumbsup: :thumbsup:
 

dj_alex

Nimbostratus
Registo
14 Dez 2005
Mensagens
1,913
Local
Lisboa
Caro Luper: agradeço e aproveito para fazer uma
Declaração de interesses.
É assim que se faz quando a alma não é pequena. Declaro que na Internet os únicos sítios, sem contar com o meu blogue, que publicaram textos meus com a minha autorização foram: Águaonline, Ciência Hoje, Alameda Digital, deFrente do Grupo Algébrica e este Fórum (não me recordo de mais nenhum). Em muitos outros foram reproduzidos textos meus sem me terem pedido autorização. Não posso proibir nem exigir a retirada dessas reproduções. Na Internet, que eu saiba, não existem direitos de autor (se houver que me desculpem a ignorância). Sempre que me pediram um texto para publicar, a única condição que coloquei foi a de não ser conotado com qualquer pensamento político, religioso, filosófico, sociológico ou outro. Numa rápida vista de olhos pela blogosfera verifico que aparecem textos meus reproduzidos em blogues que abrangem todo o “arco baleno”. Que culpa tenho eu?
Rui G. Moura

Rui G. Moura apesar de nao termos a mesma opiniao sobre o aquecimento global nunca deixe de postar neste forum ou em qualquer outra lugar...Pois é essas questoes/diferenças que a ciência avança, quer essas questoes estejam certas ou nao...;)

Quantos aos direitos de autor existem também na internet....por isso é que digo sempre quando estao a citar um artigo, alguma imagem indiquem sempre a fonte...já houve problemas com outros foruns devido a isto!
 

kimcarvalho

Nimbostratus
Registo
19 Nov 2005
Mensagens
1,775
Local
Elvas
Qual ordenadao???:huh: :huh: Continuo a ganhar o mesmo que ganho em Lisboa..ou seja..o que um BIC ganha...um miseria... :mad: :mad:

O que é um ordenadao? será que queres dizer ordenadão :D
E já agora o que é um BIC, para mim é uma marca de caneta! :lol:
Deve ser Bolseiro qualquer coisa não? :unsure:

Pessoalmente não conseguia me exprimir melhor :thumbsup: :thumbsup: :thumbsup: :thumbsup: :thumbsup: :D

Vamos todos discutir e aprender, pq uma coisa é iniguavel, estamos a assistir a uma mudança climatologica muito grande, vamos observar e acima de tudo estudar e pensar sobre o nosso destino enquanto habitantes deste planeta :thumbsup: :thumbsup:

Nem mais LUPER. :thumbsup:
 

Seringador

Cumulonimbus
Registo
29 Ago 2005
Mensagens
2,984
Local
Canelas - Vila Nova de Gaia
Meus Amigos,

Tenho de pedir que moderem os vossos comportamentos em relação aos comentários, visto que o fórum não pode servir de bode expiatório para discussões e/ou ataques pessoais.:mad:
Se o quiserem fazer terá de ser com bons modos, humildade e serventia da casa, caso contrário irão ser tomadas outras acções:(

Mário Marques
Moderador
 

Rui M.

Cirrus
Registo
19 Nov 2006
Mensagens
11
Local
Lisboa
Ora bem, para começar não era minha intenção ofender ninguém, pelo menos não mais que o Rui G. Moura quando acusa a torto e a direito uma data de gente de fraude científica e chama a outros "cães de Pavlov" como pode ser lido neste topic.
Não sabia que o artigo no Pravda tinha sido publicado sem autorização, como tal é o caso e o Rui G. Moura parece incomodado com isso não custa nada pedir para o retirar, a parte legal dos direitos de autor e autorizações há-de estar nos termos da licensa de utilização do blogger. Peço desculpa se o meu comentário o ofendeu mas tem de ver que é no minimo irónico que haja uma artigo escrito por si no mesmo jornal que publicou as fantásticas descobertas de Lysenko.
Ainda não vi foi mais nada do que eu escrevi discutido, excepto pelo Seringador.

Quanto ás apresentações, chamo-me Rui, vivo em Lisboa, sou geologo e curioso acerca de todos os fenómenos que modelam a superfície da terra sejam eles internos ou externos.

Bem hajas,

Rui
 

Santos

Nimbostratus
Registo
27 Jan 2006
Mensagens
1,110
Local
-------
Sendo membro deste fórum há algum tempo e com poucos conhecimentos na matéria, mas fruto do "gosto" que a área me proporciona, visito este site com a regularidade que me é possível, e tento de alguma forma fornecer elementos que julgo possam ser interessantes no presente bem como no pf.
Saliento que desde que frequento este espaço tenho aprendido e criado amizades pois sou "humano", no entanto fantástico é o facto de nunca aqui se terem discutido dois factores; futebol e política caso isso tivesse acontecido estou seguro que já aqui não estaria.
Como já mencionado a diversidade deste fórum é imensa e garante-nos o estímulo "viciante" de querer aprofundar matéria, pois temos AMIGOS que são exponencialmente crentes na aproximação de uma época gélida, assim como temos AMIGOS que são potencialmente adeptos da(s) teoria(s) do aquecimento global, assim como outros AMIGOS, e assim temos que continuar.

Já agora se me permitem no que concerne direito de autor, sugiria a leitura do Código do direito de autor e direitos conexos de autoria de Francisco Rebello, devo no entanto salientar que quando a revisão desse código foi efectuada ainda não existia a proliferação dos direitos digitais, mas eles existem e devem ser observados e respeitados, sendo a sua violação prevista e punível ao abrigo de várias convenções internacionais.
 

André P.

Cirrus
Registo
21 Nov 2006
Mensagens
3
Em primeiro lugar, gostaria de me apresentar como investigador da Faculdade de Geologia, da Universidade de Oviedo e desde já saudar todos os intervenientes neste fórum.

Em segundo lugar, gostaria de perguntar ao senhor Rui Moura , já que conhece os modelos climáticos "por dentro e por fora", que apontasse as suas falhas intrínsecas. Seja no fundamento teórico da modelação (Balanço radiativo, Steffan-Boltzman), ou na construcção dos fluxos enunciados. Por exemplo, o modelo "BLAG", aceite globalmente como base de trabalho por toda a gente que trabalha no âmbito das Alterações Climáticas e que é constantemente actualizado, que falhas possui na sua óptica?

Em terceito lugar, trabalho com um dos climatólogos mais conceituados do mundo (H. Stöll, representa o topo em Biogeoquímica) e não conhecemos nenhum trabalho publicado no âmbito das Alterações Climáticas, Oceanografia, Climatologia, etc., pelo Instituto Superior de Economia (que hoje deve ser o ISEG ), nem a formação que fornece nesses âmbitos (julgávamos que se prendiam com instituições de ciências-naturais e tecnológicas, mas enfim...).

Por último, fico muito triste com o tom com que regularmente se dirige aos investigadores nestas áreas (nos quais eu me incluo), que se reveste de uma grosseria impressionante. Não sei o que lhe fizemos para merecer semelhante trato da sua parte, com os insultos de tom paternalista que nos dirige. Noto que possui grandes falhas em conhecimentos básicos de Geociências, algo que é natural. Eu também não nenhuns sobre Engenharia Electrotécnica. É por esta razão que não executo juízos de valor sobre o trabalho de outras pessoas, que escape ao meu domínio intelectual.
Já para não falar na questão da falta de educação.


Com os melhores cumprimentos,
André Pinto
 

Seringador

Cumulonimbus
Registo
29 Ago 2005
Mensagens
2,984
Local
Canelas - Vila Nova de Gaia
Em primeiro lugar, gostaria de me apresentar como investigador da Faculdade de Geologia, da Universidade de Oviedo e desde já saudar todos os intervenientes neste fórum.

Em segundo lugar, gostaria de perguntar ao senhor Rui Moura , já que conhece os modelos climáticos "por dentro e por fora", que apontasse as suas falhas intrínsecas. Seja no fundamento teórico da modelação (Balanço radiativo, Steffan-Boltzman), ou na construcção dos fluxos enunciados. Por exemplo, o modelo "BLAG", aceite globalmente como base de trabalho por toda a gente que trabalha no âmbito das Alterações Climáticas e que é constantemente actualizado, que falhas possui na sua óptica?

Em terceito lugar, trabalho com um dos climatólogos mais conceituados do mundo (H. Stöll, representa o topo em Biogeoquímica) e não conhecemos nenhum trabalho publicado no âmbito das Alterações Climáticas, Oceanografia, Climatologia, etc., pelo Instituto Superior de Economia (que hoje deve ser o ISEG ), nem a formação que fornece nesses âmbitos (julgávamos que se prendiam com instituições de ciências-naturais e tecnológicas, mas enfim...).

Por último, fico muito triste com o tom com que regularmente se dirige aos investigadores nestas áreas (nos quais eu me incluo), que se reveste de uma grosseria impressionante. Não sei o que lhe fizemos para merecer semelhante trato da sua parte, com os insultos de tom paternalista que nos dirige. Noto que possui grandes falhas em conhecimentos básicos de Geociências, algo que é natural. Eu também não nenhuns sobre Engenharia Electrotécnica. É por esta razão que não executo juízos de valor sobre o trabalho de outras pessoas, que escape ao meu domínio intelectual.
Já para não falar na questão da falta de educação.


Com os melhores cumprimentos,
André Pinto


Antes demais Bem-vindo André:thumbsup:

Estamos todos aqui para aprender, por isso é que existe o fórum para expormos as ideias e alimentar discussões saudáveis, mas a comunidade científica anda agastada e nós (onde me incluo-o) andamos agastados com a mesma:thumbsup:
Além do facto de que ser investigador em Portugal faz-me lembrar os tempos da pequena idade do gelo, em que os artistas andavam a passar fome e só mais tarde é que lhes deram rewal valor;)
Eu gostava de ser investigador a tempo inteiro, mas infelizmente isso é impossível devido ás guerras existentes entre os diferentes sectores académicos dentro das próprias Universidades.
Existem também um desinteresse institucional nesta matéria de investigação científica, em especial do sector privado, mas isso não pode invalidar uma conjuntura mais global do problema que é ser investigador em Portugal, contudo isso é outro tema.

Por agora teremos de falar e discutir os mitos climáticos e não será por ataques pessoais ou de ordem ética que se conseguem resultados.:)

André já que na sua opinião trabalha com um dos melhores climatólogos, terá a oportunidade de lhe questionar qual a importância da observação da Lua para uma melhor previsão climática mensal?

Como tenho vindo a defender, existe demasiada matemática no mundo e, não é só na climatologia mas em tudo. Todavia esquecem-se que a matemática não tem, nem pode ter explicações para tudo ou melhor, não é possível num ambiente caótico (como atmosfera) uma interpretação e correlação de factos sem existir associação de conhecimento tácito e impírico.

Só menciono isto como exemplo...
Nem os melhores do mundo sabem pq é que existe o EL Niño, quanto mais as suas reais consequências!
Agora imaginem extrapolar acerca do que vai acontecer daqui a 100 anos numa prespectiva global, ainda falta muito caminho e humildade a precorrer....
Será que estão a ver na prespectiva correcta?
Será que estão a correlacionar as variáveis correctas?
Será que estamos mesmo aquecer ou será somente uma transição para algo mais antagónico em relação a esta fase??
A análise do Plancton ou Fitoplancton poderá ajudar a detectar alterações das correntes maritimas e por consequência alterar as condições climáticas local e sazonalmente?

Isto na minha humilde opinião;)
 

André P.

Cirrus
Registo
21 Nov 2006
Mensagens
3
Amigo Seringador:

As suas perguntas são de facto pertinentes, mas primeiro deixe-me responder-me à pergunta que me dirigiu sobre a Lua.

Não trabalhamos em Previsão Metereológica, mas sim (no caso da Heather) em processos biogeoquímicos (ou puramente geoquímicos) ocorrentes nos oceanos, que são indicadores correlacionáveis com modificações ambientais.

De facto, os modelos possuem um carácter indicativo e são de várias índoles, consoante a parametrização adoptada, assim como a magnitude dos fenómenos assumida. Mas isso não inviabiliza os modelos, mas sim ALGUNS cenários.
Claro que a comunicação social opta por focar os cenários com consequências mais espectaculares, que coincidem com as mais catastróficas. Este aproveitamento sensacionalista é a única fonte de informação para a generalidade das pessoas. Assim, quando existe interesse e poder para tal, é fácil lançar campanhas de desinformação dizendo que:

a) os modelos não funcionam porque são modelos (sim, o que seria da Ciência sem modelos? Não haveria pontes, carros, rádios, não tinhamos ido à Lua, etc.) por terem um nível de confiança associado,
b) os cientistas exageram para conseguirem mais fundos para as suas investigações,
c) é uma cabala política de contornos obscuros.

Para terminar, não é o facto de haver limitações nos cenários que justifica a incúria na emissão de CO2. Que o CO2 é um GEE toda a gente sabe, que provoca aquecimento global, também toda a gente sabe, que há um incremento de 200 Gt no total atmosférico de CO2, pós-Revolução Industrial também toda a gente sabe... E toda a gente sabe que os "sinks" não possuem capacidade infinita?

Também não serve argumentar com o que se passa a longa escala geológica, já que essas modificações se baseiam em fenómenos lentos (source: vulcanismo/metamorfismo, sink: meteorização; alteração de silicatos cálcicos em carbonatos cálcicos; ver reacção padrão da meteorização da wollastonite em calcite), e que não contavam com a acção antrópica.

Mas as suas perguntas são de alguém curioso e que pretende obter esclarecimento. Congratulo-me por isso e por haver discussão científica.
 

Seringador

Cumulonimbus
Registo
29 Ago 2005
Mensagens
2,984
Local
Canelas - Vila Nova de Gaia
Caro André P.

De facto aprecio as suas palavras, no entanto são para relembrar o quanto desconhecemos e somos insignificantes, sendo que tomo por minhas algumas palavras no que se refere à manipulação de informação;)

Está a trabalhar numa área que é interessante como o Heather, penso que se relaciona com o estudo dos meios ambientes e ecossistemas através da criação de indicadores, como de perda de massa terrestre, emissões, conversão de solos, resíduos, etc, não é?;)

Faltam muitos dados, mas é de facto um bom caminho para se alimarem arestas para uma melhor compreensão e transmi~ssão de conhecimentos, isto para projectar e modelar.
Consciencializar, isso já é mais difícil:(
Abraço
 

LUPER

Nimbostratus
Registo
20 Nov 2005
Mensagens
1,945
Local
Aveiro
Amigo Seringador:

As suas perguntas são de facto pertinentes, mas primeiro deixe-me responder-me à pergunta que me dirigiu sobre a Lua.

Não trabalhamos em Previsão Metereológica, mas sim (no caso da Heather) em processos biogeoquímicos (ou puramente geoquímicos) ocorrentes nos oceanos, que são indicadores correlacionáveis com modificações ambientais.

De facto, os modelos possuem um carácter indicativo e são de várias índoles, consoante a parametrização adoptada, assim como a magnitude dos fenómenos assumida. Mas isso não inviabiliza os modelos, mas sim ALGUNS cenários.
Claro que a comunicação social opta por focar os cenários com consequências mais espectaculares, que coincidem com as mais catastróficas. Este aproveitamento sensacionalista é a única fonte de informação para a generalidade das pessoas. Assim, quando existe interesse e poder para tal, é fácil lançar campanhas de desinformação dizendo que:

a) os modelos não funcionam porque são modelos (sim, o que seria da Ciência sem modelos? Não haveria pontes, carros, rádios, não tinhamos ido à Lua, etc.) por terem um nível de confiança associado,
b) os cientistas exageram para conseguirem mais fundos para as suas investigações,
c) é uma cabala política de contornos obscuros.

Para terminar, não é o facto de haver limitações nos cenários que justifica a incúria na emissão de CO2. Que o CO2 é um GEE toda a gente sabe, que provoca aquecimento global, também toda a gente sabe, que há um incremento de 200 Gt no total atmosférico de CO2, pós-Revolução Industrial também toda a gente sabe... E toda a gente sabe que os "sinks" não possuem capacidade infinita?

Também não serve argumentar com o que se passa a longa escala geológica, já que essas modificações se baseiam em fenómenos lentos (source: vulcanismo/metamorfismo, sink: meteorização; alteração de silicatos cálcicos em carbonatos cálcicos; ver reacção padrão da meteorização da wollastonite em calcite), e que não contavam com a acção antrópica.

Mas as suas perguntas são de alguém curioso e que pretende obter esclarecimento. Congratulo-me por isso e por haver discussão científica.

Caro Andre, desde já fico muito satisfeito por termos por aqui alguem com os seus conhecimentos. Eu que tenho formação em Engenharia Civil e que sou um curioso destas coisas tenho notado, atraves dos dados publicos da net, umas alterações muito estranhas no sistema de correntes do Atlântico Norte. Por acaso, dentro das suas investigações e do seu Kwon-How é possivel ajudar-nos a interpretar alguns resultados muito estranhos que irei apresentar ainda hoje no tópico da corrente do golfo?:)
 

LUPER

Nimbostratus
Registo
20 Nov 2005
Mensagens
1,945
Local
Aveiro








Estas imagens permitem tirar uma conclusão a um leigo como eu, algo de grave se passa na corrente do golfo, a sua velocidade e em especial a sua "espessura" diminui a olhos vistos. A imagem do ano 2004 faz parte daquela paragem de 10 dias que a corrente teve e que ninguem consegue explicar, agora reparem na imagem deste ano, é simplesmente assustador :surprise: :surprise: :surprise: . A corrente no estreito da Flórida está a diminuir de velocidade e tambem de "espessura", algo de grave se passa para isto estar a acontecer.

Mas atenção que tudo isto pode ser uma visão minha:rolleyes: , mas meus amigos, há mais de 1 ano que aqui venho falando disto, e o comportamento atmosférico corrobora os dados da corrente. As entradas de NW e W estão muito mais frias do que era suposto, a iso 0 chega aos Açores com uma facilidade incrivel.

Deixo ao critério de cada um as possíveis conclusões, mas uma coisa é certa, nada vai ficar igual ao que era.:rolleyes:
 

Rog

Cumulonimbus
Registo
6 Set 2006
Mensagens
4,515
Local
Norte Madeira (500m)








Estas imagens permitem tirar uma conclusão a um leigo como eu, algo de grave se passa na corrente do golfo, a sua velocidade e em especial a sua "espessura" diminui a olhos vistos. A imagem do ano 2004 faz parte daquela paragem de 10 dias que a corrente teve e que ninguem consegue explicar, agora reparem na imagem deste ano, é simplesmente assustador :surprise: :surprise: :surprise: . A corrente no estreito da Flórida está a diminuir de velocidade e tambem de "espessura", algo de grave se passa para isto estar a acontecer.

Mas atenção que tudo isto pode ser uma visão minha:rolleyes: , mas meus amigos, há mais de 1 ano que aqui venho falando disto, e o comportamento atmosférico corrobora os dados da corrente. As entradas de NW e W estão muito mais frias do que era suposto, a iso 0 chega aos Açores com uma facilidade incrivel.

Deixo ao critério de cada um as possíveis conclusões, mas uma coisa é certa, nada vai ficar igual ao que era.:rolleyes:

Tens os dados de algum ano identico a este, relativo à corrente do golfo, por exemplo o último ano em que houve o El-niño, tenho curiosidade porque penso que poderão os resultados ser idênticos. O El-niño é resultado de muitas alterações atmosféricas e claro oceânicas com influência a nível global...
 

LUPER

Nimbostratus
Registo
20 Nov 2005
Mensagens
1,945
Local
Aveiro
Tens os dados de algum ano identico a este, relativo à corrente do golfo, por exemplo o último ano em que houve o El-niño, tenho curiosidade porque penso que poderão os resultados ser idênticos. O El-niño é resultado de muitas alterações atmosféricas e claro oceânicas com influência a nível global...

Este el niño é parecido aos dos outros anos, não vejo nada de anormal do el ninõ sinceramente, mas infelizmente estes mapas só começam em 2003:(