Tornado em Carvoeiro, Lagoa e Silves – 16 de Novembro de 2012

Tópico em 'Eventos Meteorológicos' iniciado por ecobcg 16 Nov 2012 às 13:36.

  1. 1337

    1337
    Expand Collapse
    Nimbostratus

    Registo:
    26 Jun 2010
    Mensagens:
    1,803
    Local:
    Ponte de Lima (centro)
    No meio deste caos e desgraça toda que claro que lamento, há que reparar numa certa árvore que se ve bem nas fotos que está mais que preparada pra isto, a Palmeira, impressionante como ficam sempre direitas, incrível sobrevivência destas árvores contra estes fenómenos..
     
  2. Agreste

    Agreste
    Expand Collapse
    Super Célula

    Registo:
    29 Out 2007
    Mensagens:
    9,632
    Local:
    Aljezur (48m) - Faro (11m)
    Artigo do www.público.pt:

    Rede de dados do tempo severo na europa...

    http://www.essl.org/cgi-bin/eswd/eswd.cgi
     
    Collapse Signature Expandir Assinatura
  3. Agreste

    Agreste
    Expand Collapse
    Super Célula

    Registo:
    29 Out 2007
    Mensagens:
    9,632
    Local:
    Aljezur (48m) - Faro (11m)
    Tarde e a más horas mas...

    [​IMG]
     
    Collapse Signature Expandir Assinatura
  4. Paulo H

    Paulo H
    Expand Collapse
    Cumulonimbus

    Registo:
    2 Jan 2008
    Mensagens:
    3,079
    Local:
    Castelo Branco 386m(489/366m)
    Relativamente ao artigo do Público, é necessário referir alguns aspectos:

    1. A área de superfície terrestre dos EUA é 101.76 maior que Portugal. Partindo do princípio que os EUA registou em média 1253 tornados por ano, e que Portugal tenha registado em média 87tornados/80anos, então considerando a diferença de tamanhos, conclui-se que nos EUA os tornados são 11x mais frequentes que em Portugal.

    2. De forma grosseira, podemos também referir que a maior parte dos tornados ocorre numa faixa de 1/3 no interior dos EUA (midwest), o tão chamado corredor de tornados. Excluindo esta faixa crítica, não será muito, muito mais frequente a ocorrência de tornados em relação a Portugal. O terço mais a norte, nos desertos e nas montanhas, são pouco prováveis mesmo.

    3. Portugal não tem nem 1/10 da densidade de rede de observação meteorológica existente nos EUA desde há muitos anos. Só agora mais recentemente existem tantas estações amadoras e agrometeorológicas. Radares temos 2!

    4. Quantas cidades, vilas, aldeias tem Portugal? Centenas, senão milhares! Não acredito que exista algum local povoado em Portugal, que nos últimos 100 anos não tenha ocorrido pelo menos um dos seguintes fenômenos severos:
    - Tornado
    - Downburst
    - Gustnado

    Existe muito fenómeno ocorrido em todas as terras portuguesas, que pertence à memória popular, mas que não foi registado nem classificado!
     
    Collapse Signature Expandir Assinatura
  5. Chingula

    Chingula
    Expand Collapse
    Cumulus

    Registo:
    16 Abr 2009
    Mensagens:
    326
    Local:
    Lisboa
    Palavras certas e sensatas, falta só acrescentar que o IM, deixou de existir e agora oficialmente é um departamento do IPMA...passando por momentos difíceis...
     
  6. Agreste

    Agreste
    Expand Collapse
    Super Célula

    Registo:
    29 Out 2007
    Mensagens:
    9,632
    Local:
    Aljezur (48m) - Faro (11m)
    Fotogaleria José Inácio Neves

    Parecem ser destroços de Lagoa encontrados nas ruas de Silves... o cartaz tem o símbolo dos 2 municípios, Lagoa e Silves...

    [​IMG]

    Ruas de Silves, parte de um painel solar térmico e emaranhado de cabos nas ruas do interior da cidade.

    [​IMG]

    [​IMG]
     
    Collapse Signature Expandir Assinatura
  7. Gerofil

    Gerofil
    Expand Collapse
    Super Célula

    Registo:
    21 Mar 2007
    Mensagens:
    9,727
    Local:
    Estremoz (401 metros)
    [​IMG]
    Storm Forecast; Valid: Fri 16 Nov 2012 06:00 to Sat 17 Nov 2012 06:00 UTC
    Issued: Thu 15 Nov 2012 19:39 Forecaster: TUSCHY

    SYNOPSIS

    Once again a cut-off west of Portugal moves east and phases with a deepening trough over the E/NE Atlantic.

    DISCUSSION

    ... Portugal and parts of Spain ...

    Yet another cut-off approaches the area of interest during the day. Well structured warm conveyor belt (WCB) taps into rich moisture of a (sub) tropical air mass and therefore an healthy precipitation shield is forecast to affect most of the W/S-Iberian Peninsula.
    Given history of similar events in the past with minor activity of electrified DMC in a similar air mass, we kept the 50-% lightning area quite narrow. Weak lapse rates are forecast and embedded convection within the WCB is possible all day long and the main risk will be heavy rain. During the night however, mid-levels cool down from the west, which may increase CAPE in the graupel zone and electrified convection somewhat. An isolated tornado event can't be excluded along the W-coast of Portugal with significantly enhanced LL shear and surface based CAPE offshore/along the coast.

    Fonte: http://www.estofex.org/
     
    Collapse Signature Expandir Assinatura
  8. algarvio1980

    algarvio1980
    Expand Collapse
    Super Célula

    Registo:
    21 Mai 2007
    Mensagens:
    9,756
    Local:
    Olhão (24 m)
    Hoje na sua edição em papel, o Correio da Manhã escreve isto:

    O Correio da Manhã escreve também para a possibilidade de um tornado nesse mesmo dia, em Esteval dos Mouros, Concelho de Loulé, onde arrancou árvores.

    Mas na dúvida, não é normal jogar-se pelo seguro, se o próprio IM admite que havia forte possibilidade de acontecer algo extremo, só ficou pelo amarelo.

    Não ficava nada surpreendido, se o fórum fosse consultado neste inquérito, aliás a comunicação social está a dar grande relevância ao fórum e tem gerado algumas críticas e discussões que são bem-vindas para que no futuro, possamos estar mais preparados, para estes eventos mais extremos e tanto o IM acho se uma situação parecida ocorrer no futuro não hesitará.
     
    Collapse Signature Expandir Assinatura
  9. Paulo H

    Paulo H
    Expand Collapse
    Cumulonimbus

    Registo:
    2 Jan 2008
    Mensagens:
    3,079
    Local:
    Castelo Branco 386m(489/366m)
    Na minha opinião, ninguém aqui duvida da forte imprevisibilidade destes fenómenos extremos. Contudo, penso que há muito a melhorar, com bom senso, sem alarmismos desnecessários:
    1. O aviso mais indicado seria o laranja.
    2. Os avisos e os alertas deveriam ser alterados a todo o momento (sempre que necessário) e não apenas de 12 em 12horas!
    3. O tornado foi avistado do mar em forma de tromba de água. Pergunto se não existem bóias marítimas nas proximidades, ou se as embarcações em alto mar não alertaram a proteção civil. Digamos que seria bastante exequivel o alerta da população com pelo menos 15min de antecedência.
    4. Nestas situações é bem visível a direcção em que avançam estas perigosas supercélulas mesociclones, no radar são núcleos ao longo de uma linha que não deixa dúvidas, que em toda a extensão da linha de trajecto deveria haver um plano de proteção civil posto em ação!

    Conclusão: meia-hora pode não significar nada em termos de colocação dos meios no terreno, mas pode significar tudo para a prevenção da própria população!
     
    Collapse Signature Expandir Assinatura
  10. Paulo H

    Paulo H
    Expand Collapse
    Cumulonimbus

    Registo:
    2 Jan 2008
    Mensagens:
    3,079
    Local:
    Castelo Branco 386m(489/366m)
    Então não há ninguém que se oponha à minha sugestão? Se os avisos do IM são lançados de 12 em 12horas, então para que servem as atualizações de modelos? Para que servem os registos horários das estações? Para que servem os radares meteorológicos? Para que servem as bóias marítimas? Para que servem os alertas de qualquer pessoa/entidade situada num determinado local??

    É assim.. Não se pode evitar os estragos atempadamente, mas e se as pessoas se puderem abrigar a tempo, não é preferível? Às vezes por 1min ou menos, deixamos de estar na momento errado, no local errado, certo?
     
    Collapse Signature Expandir Assinatura
  11. Blizzard

    Blizzard
    Expand Collapse
    Cirrus

    Registo:
    8 Dez 2007
    Mensagens:
    71
    Local:
    Lagos
    Em relação ao célebre video do tornado e como curiosidade tentei, isolando frame a frame, perceber a velocidade dos ventos do tornado quando passou pelo estádio do Silves F.C.
    A unica forma possivel de o fazer sem recurso a software especifico, era tentar perceber, com base em objectos cujo comprimento se conheçe (neste caso a baliza de futebol), quanto tempo levava a passar por ela algum objecto na sua proximidade.
    Consegui ao segundo 55 do video, encontrar um objecto que, segundo os meus cálculos e com todo o erro associado, viajava a cerca de 130 km/h.
    E ainda faltavam cerca de 10 segundos até o muro do estádio se partir (minuto 1:05 do video), momento a partir do qual julgo que o vento começou a abrandar.
    Não consegui perceber nada nesse intervalo de tempo que tivesse como referência pois a baliza deixou de ver devido ao vento e chuva extremos mas comparando a intensidade do vento nesse pequeno intervalo de tempo percebesse que se esta foi muito superior.
    Na minha opinião é bem possivel que este tornado tenha chegado à classificação F2 na escala de Fujita (velocidades de vento entre 182 e 252 km/h).

    [​IMG]
     
  12. Paulo H

    Paulo H
    Expand Collapse
    Cumulonimbus

    Registo:
    2 Jan 2008
    Mensagens:
    3,079
    Local:
    Castelo Branco 386m(489/366m)
    Bom trabalho! Essa velocidade que calculaste seguindo a trajectória do objecto e daí cruzando o deslocamento e tempo decorrido, é um aferidor de uma velocidade média, estabelecida por baixo, pois temos de ter em conta o atrito e outras perturbações (choques, etc..). Podemos afirmar que a velocidade média do vento nesse local, nesse intervalo de tempo, foi superior e nunca inferior a 150km/h, com um erro de quê? 30 frames por segundo? Se conhecemos o comprimento do campo, o objecto percorreu na diagonal? Podemos calcular mais ou menos o erro de espaço percorrido, e mais ou menos 1 frame no tempo decorrido.
     
    Collapse Signature Expandir Assinatura
  13. Iuri

    Iuri
    Expand Collapse
    Cumulus

    Registo:
    24 Dez 2009
    Mensagens:
    187
    Local:
    Estoril
    Concordo com o teu ponto de vista.
    A monitorização com reacção em tempo real é o que se espera.
    Depois temos a articulação com as autoridades locais. Se o radar apresentava (como apresentou) valores extremos, porque não foram os bombeiros destacados para a costa ou a marinha para o mar para fazer observação directa?
     
  14. joocean

    joocean
    Expand Collapse
    Cirrus

    Registo:
    3 Dez 2010
    Mensagens:
    34
    Local:
    Almada
    Já lá vão uns anos estava eu no Algarve e em Faro ficou tudo louco com um alerta da ANPC devido a um aviso do IM, até houve escolas evacuadas e depois o mau tempo "descarregou" todo em cima do mar. Foi bom ver da praia todo aquele temporal!
     
  15. SpiderVV

    SpiderVV
    Expand Collapse
    Staff

    Registo:
    26 Ago 2010
    Mensagens:
    7,522
    Local:
    Portalegre (400m) / Lisboa (60m)
    O problema disto é mesmo se o IM não avisa, há controvérsia, se avis ae não há nada, há controvérsia. Eu por mim sugeria que o IM não tivesse dúvidas e avisasse, se não acontecesse nada, ao menos avisaram e ninguém tinha razão de queixa, apesar de ir haver queixas na mesma. Nesse caso o IM apenas teria que "ignorar" a população e continuar a dar os avisos sempre que fosse necessário, porque quem não ouve depois sofre...
    Tornados são um fenómeno quase imprevisível, mesmo na existência de células severas. Sim, o IM podia ter feito um upgrade ao aviso assim que viu as células a chegarem a terra, mas foi uma situação quase imprevisível e que provavelmente o IM pensou que ia melhorar, as células morrerem. Há que ver também que o IM não está na sua melhor condição por causa da mudança para o IPMA.
     
    Collapse Signature Expandir Assinatura

Partilhar esta Página