Aquecimento Global

Tópico em 'Climatologia' iniciado por Minho 23 Set 2007 às 19:38.

  1. rossby

    rossby
    Expand Collapse
    Cumulus

    Registo:
    10 Mar 2007
    Mensagens:
    158
    Local:
    Ponta Delgada - São Miguel

    Bravo !

    Vejo que a discussão continua e vai melhorando :)

    Relativamente ao feedback positivo do poder radiativo do vapor de água, é claro que o aumento de albedo devido as núvens constitui um tipo de feedback negativo. Já ouviram falar na Lei do Corpo Negro e do equilíbio radiativo ? Bom, podemos analisar um conceito bastante simples, mas que está na base de qualquer modelo climático:

    [​IMG]

    A temperatura de equilíbrio T aumenta com a diminuição do albedo [​IMG] e com a diminuição da transmissividade [​IMG] ou "transparência" da atmosfera. F0 é a radiação solar que chega à superfície da Terra ou "constante solar" (aprox. 1366 W/m2) e o sigma é a constante de Stephan-Boltzmann. Isto significa que em teoria, se o albedo for nulo e a atmosfera opaca(transmissividade nula), a temperatura de equilíbrio seria "infinita". Acontece que o albedo e a transmissividade não são independentes e por isso a não-linearidade deste problema :hehe:

    Abraços atlânticos
     
  2. LUPER

    LUPER
    Expand Collapse
    Nimbostratus

    Registo:
    20 Nov 2005
    Mensagens:
    1,945
    Local:
    Aveiro
    Isso já mexeria com o electromagnetismo e daria aqui pano para mangas. Não me quero alongar com isso, para seguir uma linha do politicamento correcto. :rolleyes:
     
  3. Aurélio

    Aurélio
    Expand Collapse
    Cumulonimbus

    Registo:
    23 Nov 2006
    Mensagens:
    4,335
    Local:
    Faro
  4. LUPER

    LUPER
    Expand Collapse
    Nimbostratus

    Registo:
    20 Nov 2005
    Mensagens:
    1,945
    Local:
    Aveiro
    Se foi do electromagnetismo, este é provocado pelos fluxos internos dos metais derretidos. Estou correcto, não estou?
     
  5. Vince

    Vince
    Expand Collapse
    Furacão

    Registo:
    23 Jan 2007
    Mensagens:
    10,624
    Local:
    Braga
    Algures estabelece-se um novo equilibrio. Esse equilibrio para a natureza é que pode não ser confortável para nós, homem.

    As nuvens são ainda hoje o calcanhar de aquiles dos modelos climáticos. O próprio IPCC admite que a questão das nuvens é um dos maiores responsáveis pelas incertezas e é assim um dos pontos mais atacados na teoria, a par da questão da reconstrução das temperaturas a partir dos proxies de aneis das árvores.

    O problema das nuvens tem a ver com o facto delas terem simultaneamente os dois efeitos, com a agravante de que o saldo positivo ou negativo variar conforme o tipo de nuvens, a altitude, a latitude, a hora do dia, a temperatura do ar, as particulas de água e gelo que contem, etc,etc. São extraordináriamente dificeis de modelar e esta área é uma das que está ainda em continua investigação para melhorar os modelos climáticos.
     
  6. psm

    psm
    Expand Collapse
    Nimbostratus

    Registo:
    25 Out 2007
    Mensagens:
    1,509
    Local:
    estoril ,assafora



    eis uma das principais variaveis,vou pôr uma pergunta para ver como é complexo esta variavel do tema das nuvens.

    nos anticiclones dos oceanos (o nosso AA o de santa helena etc), como é que os estratos cumulos se vão comportar(têm grande albedo),vão-se expandir ou retrair?


    acerca do oxido nitroso vale apena de ir ao wikipédia, que é o mais simples de entender,e o meu post tinha um contexto.
     
    Collapse Signature Expandir Assinatura
  7. Vince

    Vince
    Expand Collapse
    Furacão

    Registo:
    23 Jan 2007
    Mensagens:
    10,624
    Local:
    Braga
    Isso é provavelmente irrelevante na nossa escala temporal. Estamos a falar de causas humanas e efeitos numa escala temporal reduzida. Os negativistas (diferente de cépticos) é que tem por hábito misturar tudo e recomendar passividade e encolher de ombros, dizendo que a Terra já foi objecto de todo tipo de eventos passados e de qualquer forma não vale a pena preocuparmo-nos com o que nós fazemos que mais dia menos dia outra factor natural resolverá tratar de nós de qualquer das formas. Esse do arrefecimento do nucleo poderia enquadrar-se num desses eventos. Durante quantos anos vai arrefecendo ? Milhares ? Milhões ? É um pouco como quando nascermos deixarmos de nos preocupar com a nossa vida porque de qualquer das formas acabaremos por morrer de causas naturais ou por outra razão qualquer.
     
  8. Paulo H

    Paulo H
    Expand Collapse
    Cumulonimbus

    Registo:
    2 Jan 2008
    Mensagens:
    3,156
    Local:
    Castelo Branco 386m(489/366m)
    O albedo médio do planeta e a transparência da atmosfera são variáveis essenciais sem dúvida alguma para a quantidade de calor recebida do Sol, sendo que um albedo elevado (branco) reflete teoricamente 100% da luz recebida, enquanto que a transparência da atmosfera que nos envolve terá a ver com a reflectividade de igual forma, mas se o calor já cá estiver também impedirá certamente a reflecção de radiação no espectro infravermelho (calor), pois todos os corpos com temperatura superior a 0ºK (=-273.15ºC) emitem radiação

    Quanto às nuvens, a atenção centra-se mais nos cirros, sendo que é aceite que os cristais de gelo maiores favorecem o efeito de estufa enquanto que os cristais de gelo quase microscópicos actuam como escudo devolvendo a radiação recebida novamente para o espaço.

    Posso afirmar também que uma atmosfera "suja" de partículas favorece a condensação do vapor de água facilitando o desenvolvimento das nuvens (núcleos de condensação). Também já todos ouvimos falar das experiências com iodeto de prata espalhado a uma dada altitude, que induz ainda maior efeito sobre a condensação (desconheço a razão) provocando chuva. O efeito conseguido não é ainda muito claro, porque não se pode experimentar com e depois voltar atrás e experimentar sem o iodeto de prata. Mas já existe mercado nos E.U.A. para isso!

    Apenas por curiosidade, também vi um documentário onde se pretendia alertar para um estudo acerca do efeito provocado pelos rastos brancos de condensação deixados pela passagem dos aviões comerciais!
     
    Collapse Signature Expandir Assinatura
  9. Paulo H

    Paulo H
    Expand Collapse
    Cumulonimbus

    Registo:
    2 Jan 2008
    Mensagens:
    3,156
    Local:
    Castelo Branco 386m(489/366m)
    Também não sei se estarei dizendo asneira grossa.. Mas creio que é o processo de evolução como planeta leva a que continue arrefecendo desde o seu início, assim como a sua rotação vai também desacelerando. Estamos a falar de uma escala de tempo enormíssima, antes que o planeta Terra se torne "morto", frio, sem rotação interna já terá sido provavelmente "engolido" pela expansão do Sol no último terço da sua vida.

    O que provoca o campo magnético terrestre é precisamente este núcleo de ferro fundido em constante rotação, em que o sentido de rotação define o polo magnético terrestre. As bússulas já apontaram para Sul (ver orientação magnética em vestígios geológicos intactos), assim como, num periodo de transição já estivemos sem polo magnético definido.

    Ora, sem este motor que produz toda esta força electromagnética que nos protege dos violentos ventos solares (partículas de alta energia), seríamos literalmente cozinhados exactamente como num micro-ondas!

    Acho que consegui esclarecer aqui o papel deste motor (núcleo de ferro fundido em rotação) no clima, sem ele estariamos como que no interior dum microondas! Mas no nosso dia a dia, não creio que interfira, só se deixasse de funcionar. O interior do planeta vai arrefecendo inexoravelmente, mas é um arrefecimento lento, nem me atrevo a citar números ou taxas, seria à escala de milhões de anos.

    Se vamos para essa escala temporal, também falaria do papel da Lua, que como sabemos está-se afastando (1palmo/ano?!) perdendo influência nas marés, mas também na nossa atmosfera! Não nos esqueçamos que a pressão atmosférica varia sempre 2 vezes ao dia, isto é observável se tivermos à partida uma pressão estável com as Isobaras muito distantes umas das outras.
     
    Collapse Signature Expandir Assinatura
  10. rossby

    rossby
    Expand Collapse
    Cumulus

    Registo:
    10 Mar 2007
    Mensagens:
    158
    Local:
    Ponta Delgada - São Miguel
    Bem, acho que o efeito da ausência do campo magnético terrestre será mais espectacular do que mortífero. As partículas de alta energia são prácticamente todas absorvidas na alta atmosfera dando origem ao que conhecemos por ionosfera. Quando um fluxo significativo dessas partículas atinge a alta atmosfera ionizam o oxigênio e o azoto dando origem a emissões de luz coloridas e de formas bizarras conhecidas por auroras. As auroras são mais comuns nos polos precisamente por que são regiões onde essas partículas conseguem penetrar. :p
     
  11. Paulo H

    Paulo H
    Expand Collapse
    Cumulonimbus

    Registo:
    2 Jan 2008
    Mensagens:
    3,156
    Local:
    Castelo Branco 386m(489/366m)

    Sem dúvida, na ausência do campo magnético terrestre o planeta seria colorido de auroras boreais e austrais. Mas desconfio que a ionosfera no seu todo, não seria capaz de nos proteger dos ventos solares sem este primeiro escudo - campo magnético terrestre.

    A razão de vermos as auroras a latitudes mais próximas dos polos, tem a ver com a própria geometria (distribuição espacial) das linhas de força do campo magnético terrestre (campos de força vectoriais), que partem de um polo, alargam-se no espaço, curvando-se em parábolas e acabando novamente no outro polo. Por isso, penso que, a protecção nos polos é menor ionizando-se mais facilmente a alta atmosfera nessas latitudes circundantes.

    Fazendo referência a alguns filmes de ficção científica, lembro-me de que os efeitos começariam por provocar disturbios nas aves, mas também noutros seres vivos que usam o campo magnético como bússula. Depois tudo o que é componente electrónico estaria induzido por uma atmosfera mais ionizada, sendo que as bobines e os díodos funcionariam incorrectamente, provocando danos nas suas placas e portanto nos aparelhos electronicos (1º os satélites, depois, telemóveis, televisores, por aí fora..). Estariamos rodeados de electricidade estática, trovoadas, enfim, tudo um pouco eléctrico. Estou falando de ficção claro, mas prefiro não experimentá-lo na realidade.
    Na realidade, os fatos e capacetes dos astonautas estão protegidos para que estes possam passear no exterior da nave, por algumas horas. O visor do capacete está protegido por uma película/microfilme de ouro.
     
    Collapse Signature Expandir Assinatura
  12. Vince

    Vince
    Expand Collapse
    Furacão

    Registo:
    23 Jan 2007
    Mensagens:
    10,624
    Local:
    Braga
    Hoje sai um post meu do frigorífico ;)

    O Met Office Hadley Centre, para quem não sabe, é uma das principais instituições ligadas à teoria do Aquecimento Global Antropogénico, das europeias é a que mais está envolvida nesta questão, informou há dias que descobriram um bug no tratamento dos dados que exagerava tendências. O bug sempre lá esteve, mas só deram por ele agora com o frio. Quando exagerava o calor não o tinham descoberto :-)

    O Steve McIntyre do Climate Audit diz que o bug deu bastante jeito para fazer uns gráficos o ano passado pois Janeiro desse ano foi bastante quente e foi em Fevereiro a reunião do IPCC. E fez um comparativo com o antes e depois da descoberta do bug. A vermelho o gráfico do ano passado com o bug, a azul o gráfico deste ano com o bug, e a preto o gráfico já sem o erro agora descoberto.

     
  13. LUPER

    LUPER
    Expand Collapse
    Nimbostratus

    Registo:
    20 Nov 2005
    Mensagens:
    1,945
    Local:
    Aveiro

    Parece que se confirma mesmo que a partir do pico de 1998 a temperatura média global entrou em descida acentuada. Falta saber se estamos perante uma pausa, ou se pelo contrário iremos continuar a descer nos próximos anos.

    Quanto ao sentido de oportunidade do Bug, se é que era mesmo um Bug, parece que andam um pouco a ajustar as previsões à realidade, assim tipo GFS e ECM ;)
     
  14. ppereira

    ppereira
    Expand Collapse
    Cumulus

    Registo:
    18 Dez 2007
    Mensagens:
    331
    Local:
    Lisboa/Guarda

    Data: 4 de Abril de 2008
    Autor: IM


    A temperatura global diminuirá ligeiramente este ano como resultado do efeito de arrefecimento da corrente do Pacífico "La Niña", declararam os meteorologistas das Nações Unidas. O Secretário-Geral da OMM, Michel Jarraud, anunciou na BBC que seria provável que La Niña se prolongasse durante o Verão.

    Isto significará que as temperaturas globais não subiram desde 1998, colocando em causa algumas teorias de alteração do clima. No entanto, peritos dizem que existe uma tendência para o aquecimento global a longo prazo e prevêm um novo recorde da temperatura dentro dos próximos cinco anos. A OMM aponta para a década de 1998-2007 como a mais quente de que há registo. Desde o príncipio do século XX, a temperatura global média à superfície subiu 0,74ºC.



    0,7ºC :surprise:
    pensava que o aumento fosse superior 1/1,5.
    isto terá q levar a repensar os modelos de previsão para 2100
     
  15. LUPER

    LUPER
    Expand Collapse
    Nimbostratus

    Registo:
    20 Nov 2005
    Mensagens:
    1,945
    Local:
    Aveiro
    E muito discretamente lá vãoi reavaliando os famosos modelos do IPCC. Enfim, a teoria do aquecimento "men made" pode estar a chegar ao fim. Não acham?
     

Partilhar esta Página