Astrofotografia

Gilmet

Staff
Registo
12 Dez 2007
Mensagens
9,099
Local
Cacém (180 m) / Mira-Sintra (188 m)
Ficou fantastico com a lua em baixo .
A que horas e o dia capturaste a foto ?

Obrigado, Rui!:)

A fotografia foi tirada hoje (27-02-2009), pelas 19:57, numa das poucas alturas em que a neblusidade deu "permissão" para tal...
 

Gerofil

Super Célula
Registo
21 Mar 2007
Mensagens
9,755
Local
Estremoz (401 metros)
Portugal vai estar hoje de olhos postos em Vénus

Lisboa, 28 Fev (Lusa) - Portugal vai estar hoje de olhos postos em Vénus, através de telescópios distribuídos de norte a sul, com acesso gratuito, pelo programa "E agora eu sou Galileu", organizado no âmbito do Ano Internacional de Astronomia (AIA). O objectivo é "recriar as primeiras observações de Galileu Galilei, ocorridas há 400 anos, e interpretar a sua importância para a astronomia à luz de hoje", explica José Afonso, coordenador do programa do AIA e investigador do Observatório Astronómico de Lisboa.
Nas observações de hoje, 30 telescópios de Bragança ao Algarve vão permitir analisar as diferentes fases do Planeta Vénus, actualmente visíveis ao entardecer e ao pôr do Sol, das 18:30 às 22:00, hora limite para se observar o Planeta. "Em Lisboa, quem se deslocar ao Observatório Astronómico ou ao planetário Calouste Gulbenkian vai ter cadernos informativos especialmente criados para estas observações, mas também pessoas capazes de explicar o que significaram as observações das fases de Vénus para Galileu e para a sociedade da altura", explica José Afonso, destacando que foi por causa de Galileu que a Humanidade ficou a saber que o Sol não girava em vota da Terra.
"E agora eu sou Galileu" é organizado por sessões e cada uma terá um tema, desde as luas de Júpiter, aos anéis de Saturno, mas também a tipologia da Lua ou as manchas solares. O programa prolonga-se até ao fim do ano, sendo que já estão escolhidas 14 datas em que o público poderá participar na iniciativa, com os seus próprios aparelhos amadores ou com os que forem disponibilizados nos diversos locais.
"Estamos a pedir a todas as pessoas que têm um telescópio que apoiem esta iniciativa, promovendo uma sessão de observação na sua localidade", refere o coordenador do programa. "Há até várias escolas secundárias que estão a organizar as suas observações locais e estão a colaborar connosco para as organizar", adianta.
O Ano Internacional de Astronomia é organizado em Portugal pela Sociedade Portuguesa de Astronomia, com o apoio da Fundação para a Ciência e a Tecnologia (FCT), da Fundação Calouste Gulbenkian, o Ciência Viva e a European Astronomical Society (EAS).

© 2009 LUSA
 

abrantes

Cumulus
Registo
4 Jan 2008
Mensagens
237
Local
Rio de Janeiro
Vem ai o telescópio gigante

Vai começar a construção do maior telescópio do mundo
Agência Fapesp
11/02/2009
Maior telescópio óptico do mundo começará a ser construído
Cada um dos sete espelhos do Telescópio GMT terá 8,4 m de diâmetro e pesará 20 toneladas.[Imagem: GMT]

O consórcio do Telescópio Gigante Magalhães (GMT na sigla em inglês) anunciou as nove instituições que assinaram oficialmente o acordo para construção e operação do telescópio.

Maior telescópio do mundo

Localizado no Observatório Las Campanas, nos Andes chilenos, o GMT terá um espelho principal com resolução de 24,5 metros. Os maiores telescópios ópticos em operação atualmente são bem menores: o Gran Telescopio Canarias (10,4 metros), na Espanha, e os dois Keck (10 metros cada), no Havaí.

As nove instituições que participam do projeto do GMT são as universidades Harvard, Texas A&M, do Texas e do Arizona, e as instituições Carnegie e Smithsonian, nos Estados Unidos, a Universidade Nacional Australiana, a Astronomy Australia Limited e o Instituto de Astronomia e Ciência Espacial da Coreia do Sul.

Composto por sete segmentos primários com 8,4 metros e 20 toneladas cada um, o GMT deverá fornecer possibilidades inéditas em astronomia óptica e em infravermelho.

Janelas para o Universo

Os organizadores esperam "abrir novas janelas no Universo" e responder a questões que não podem ser abordadas pelos instrumentos atuais. Entre os temas a serem investigados com a ajuda do GMT estão a natureza da matéria e da energia escura que permeiam o Universo, a origem das primeiras estrelas e galáxias, formação dos planetas e buracos-negros. Também será usado na detecção de planetas em órbita de estrelas próximas ao Sol.

O GMT está previsto para entrar em operação em 2019. A construção deverá começar em 2012. De um total de estimados US$ 700 milhões necessários para a construção, US$ 130 milhões já foram levantados. O Observatório de Las Campanas, onde será instalado, pertence e é operado pela Instituição Carnegie.

Tecnologia dos espelhos

"Tanto na tecnologia de seus espelhos como na instalação no local escolhido, o projeto GMT aproveita a herança proveniente de dois telescópios muito bem-sucedidos, o Magalhães I e o Magalhães II, que estão em operação em Las Campanas desde 2000", disse Matt Johns, gerente de projetos do GMT.

"As oportunidades científicas para o GMT são extraordinárias. Ele deverá ajudar a iluminar não apenas a natureza do Universo, mas também as leis fundamentais da física que governam sua evolução", disse Patrick McCarthy, diretor interino do GMT.

"É especialmente significativo que o acordo que viabilizará sua construção tenha sido assinado no Ano Internacional de Astronomia e no 400º aniversário do primeiro uso astronômico de um telescópio, feito por Galileu", destacou.