Queda de meteorito na Rússia - 15 Fevereiro 2013

Tópico em 'Astronomia' iniciado por irpsit 15 Fev 2013 às 08:12.

  1. irpsit

    irpsit
    Expand Collapse
    Cumulonimbus

    Registo:
    9 Jan 2009
    Mensagens:
    2,322
    Local:
    Inverness, Escocia
    E houve relatos de outros dois eventos na Califórnia e outro evento na Flórida. Até ver, ainda não confirmados.

    Mas é tudo coincidência não é?

    Talvez, porque a órbita do meteoro na Rússia é (ou aparenta ser) de leste para oeste, enquanto o asteróide passou de sul para norte. Quanto aos outros dois eventos, se ocorreram, não se sabe nada das suas órbitas.

    De qualquer modo, eu continuo aberto à hipótese que estes foram eventos relacionados, estes eventos sendo fragmentos do corpo principal. Essa é a minha ideia e eu não me convenci ainda do contrário.

    Já agora, Tunguska ocorreu no dia da chuva de meteoros Beta Taurid. Mais uma observação que nos mostra que estes eventos estão muitas vezes associados a um percurso orbital de não só um corpo, mas vários fragmentos que cruzam a órbita da Terra no mesmo dia. Outro exemplo foi o cometa Shoemaker–Levy 9 que quando colidiu em Júpiter em 1994, também já se encontrava fragmentado.
     
    Collapse Signature Expandir Assinatura
  2. Gerofil

    Gerofil
    Expand Collapse
    Super Célula

    Registo:
    21 Mar 2007
    Mensagens:
    9,727
    Local:
    Estremoz (401 metros)
    Entre vários vídeos a circular, é neste que melhor ilustra a intercepção do asteróide quando se aproximava do solo. Algo interceptou o meteorito e o fez explodir … Aliás, foram bem audíveis as explosões.



    espan max

    Aqui também se destaca o tal “objecto” que interceptou o meteorito, visto a partir de outro local (02mn52s) …



    wiseman5758

    Teste de alguma arma mal sucedido ? :lmao:
     
    Collapse Signature Expandir Assinatura
    #77 Gerofil, 20 Fev 2013 às 01:58
    Editado por um moderador: 21 Set 2014 às 03:52
  3. 1337

    1337
    Expand Collapse
    Cumulonimbus

    Registo:
    26 Jun 2010
    Mensagens:
    2,017
    Local:
    Ponte de Lima (centro)
    OH MY GOD :surprise:

    realmente muito estranho:shocking:
     
  4. vitamos

    vitamos
    Expand Collapse
    Staff

    Registo:
    11 Dez 2007
    Mensagens:
    5,423
    Local:
    Estarreja; Costa da Caparica
    Continuo a não acreditar minimamente nesta teoria da intersecção de algum objecto com o meteorito. E mesmo as imagens não fornecem essa evidência. No 1º vídeo a luz que se vê suupostamente a atingir o meteorito vinda do lado esquerdo parece-me mais um efeito óptico ou mesmo um fragmento solto. Não se esqueçam que estão a ver num vídeo uma realidade tridimensional. O trajecto na imagem é esquerda direita, mas se repararem parece que existe tb aproximação do meteorito relativamente ao ponto de filmagem. Daí ser notório tb a dispersão de fragmentos após a entrada na atmosfera. Quanto ás explosões são perfeitamente normais. A primeira o grande impacto na atmosfera e a desintegração, as segundas explosões a desintegração dos pedaços mais pequenos. A mim nada me convence até prova em conrário que a detecção atempada deste meteoro e respectiva intersecção à velocidade elevadíssima a que este caiu fosse possível.
     
  5. irpsit

    irpsit
    Expand Collapse
    Cumulonimbus

    Registo:
    9 Jan 2009
    Mensagens:
    2,322
    Local:
    Inverness, Escocia
    Independemente de haver ou não um objecto a atingir o meteoro, há uma coisa que me pergunto:

    Como reage o sistema de anti misseis nucleares dos Russos ou o dos Norte Americanos quando um meteorito entra na atmosfera.

    Eles funcionam? E se funcionarem, não há perigo de se iniciar uma guerra com isso? Afinal na guerra fria, isso era um medo comum, e agora?

    Ninguém nos conta esses segredos militares, nem sequer sabemos o quanto a tecnologia está ou não avançada.

    Obviamente os meteoros deslocam-se muito rápido, mas misseis e aviões actuais já tentam actualmente viajar também de forma muito rápida para poder escapar ao sistema de anti-misseis.


     
    Collapse Signature Expandir Assinatura
  6. Mário Barros

    Mário Barros
    Expand Collapse
    Furacão

    Registo:
    18 Nov 2006
    Mensagens:
    12,501
    Local:
    Cavaleira (Sintra)

    Pode apostar que isto se fosse na guerra fria certamente teria despoletado uma guerra, o que vale é que hoje temos tecnologia suficiente pra comprovar as coisas de maneira mais eficaz tal como fazer chegar a mensagem a quem manda mais rápido (a correcta claro). Mas quanto a isso, penso que um meteorito é algo que artilharia ainda não capta, se não estaria a disparar a toda a hora, se calhar o sistema de defesa até reagiu, mas não foi a tempo de receber ordens pra efectuar o que quer que fosse, afinal, por trás da máquina tá quase sempre um homem.
     
  7. camrov8

    camrov8
    Expand Collapse
    Cumulonimbus

    Registo:
    14 Set 2008
    Mensagens:
    3,277
    Local:
    Oliveira de Azeméis(278m)
    Não reage a velocidade é tal que nenhum sistema tem tempo. Não é como um míssil balístico que pode ser interceptado porque os radares têm muito tempo para o acompanhar. já agora sabem a origem do sistema infra-som que toda a gente fala tem origem na guerra fria para monitorizar os ensaios nucleares. E não, não haveria guerra, aconteceu algo muito semelhante durante a guerra fria
     
  8. Gerofil

    Gerofil
    Expand Collapse
    Super Célula

    Registo:
    21 Mar 2007
    Mensagens:
    9,727
    Local:
    Estremoz (401 metros)
    Algumas perguntas que ficaram sem resposta ...

    - Exercícios militares a decorrer na região;
    - Trajectória muito estranha, quase horizontal, do meteorito;
    - 20 000 militares envolvidos nas buscas dos vestígios do suposto meteorito;
    - Fim das operações de busca do meteorito passadas 24 horas.




    http://translate.googleusercontent.com/translate_c?act=url&depth=1&hl=pt-BR&ie=UTF8&prev=_t&rurl=translate.google.pt&sl=en&tl=pt&u=http://doctoruga.livejournal.com/423788.html&usg=ALkJrhiJ8TFKKAmSLVkj7ONS6L15L29yJw
     
    Collapse Signature Expandir Assinatura
  9. Vince

    Vince
    Expand Collapse
    Furacão

    Registo:
    23 Jan 2007
    Mensagens:
    10,624
    Local:
    Braga
    Gerofil, quando começaram a chegar as primeiras notícias por cautela eu suspeitei de imediato de algo militar, ainda há poucos anos aconteceu, acho que na América do Sul culparem um meteorito por uma explosão, mas depois à medida que começavam a chegar cada vez mais vídeos e evidências, tornou-se óbvia a natureza do objecto. Alguma vez um míssil deixaria um rasto enorme de detritos e vapor, de 300 km de comprimento e dezenas de largura, em imagens de satélite da Meteosat como este objecto deixou?

    E quanto à intercepção, acho que isso então faz menos sentido ainda. O objectivo de um míssil terra-ar contra outro míssil por exemplo, é incapacitar o mecanismo de deflagração duma ogiva nuclear, ou de explosivos convencionais.
    Um asteróide não tem explosivos, todo o seu poder destruidor provém da energia cinética transformada em energia mecânica, calor, ondas de choque, etc. Não teria qualquer interesse nem eficácia disparar um míssil contra um objecto nestas circunstâncias, não serviria para nada, a própria atmosfera vai desfazendo o objecto com uma eficácia milhões de vezes melhor. Interceptar um objecto destes com um míssil deve ser menos eficaz do que mandar uma melga interceptar um livre do Ronaldo.

    Há variadas teorias, hipóteses, cenários, especulações, que ao longo dos anos se vão debatendo do que é que um dia no futuro se poderia fazer se detectássemos um asteróide ameaçador para a vida na Terra, mas todas essas teorias giram à volta do que se faria com o objecto ainda no espaço, uma vez em queda livre na atmosfera pouco haveria a fazer, seria tarde demais, seria como irmos para o meio duma linha de comboio atirar pedras contra uma locomotiva que se aproxima a grande velocidade

    Há depois a questão da velocidade, segundo estimativas, este asteróide tinha uma dimensão de 17 metros e uma massa estimada entre 7 a 10 mil toneladas quando entrou na atmosfera a mais de 64 mil km/h. Apesar da enorme desaceleração que sofre, demorou apenas 32 segundos e meio desde a entrada na atmosfera até à sua desintegração. Os misseis mais rápidos que existem (SAM300/400, Patriot, etc), tem velocidades na ordem de Mach 5, pouco mais do que 6 mil km/h, supõe-se que algumas variantes russas alcancem Mach 12. Mas mesmo os sistemas mais eficazes e rápidos necessitam pelo menos de alguns minutos para ficarem operacionais, o meio minuto deste evento nem dá tempo de pedir autorização ao chefe para carregar no botão. E para atingir a velocidade máxima ainda levam algum tempo, seguramente mais de meio minuto.


    Já agora, deixo um update da ESA

     
  10. Agreste

    Agreste
    Expand Collapse
    Super Célula

    Registo:
    29 Out 2007
    Mensagens:
    9,883
    Local:
    Aljezur (48m) - Faro (11m)
    Foi um ensaio balístico da coreia do norte. :p

    O meteoro desintegrou-se. Aquela velocidade, o atrito na atmosfera provocou uma tão grande quantidade de calor que foi derretendo. Como o Vince explicou, não há possibilidade militar de interceptar objectos a esta velocidade.
     
    Collapse Signature Expandir Assinatura
  11. MSantos

    MSantos
    Expand Collapse
    Staff

    Registo:
    3 Out 2007
    Mensagens:
    9,379
    Local:
    Azambuja / Mte. Barca (Coruche)
    Já começam as teorias da conspiração... :rolleyes:
     
    Collapse Signature Expandir Assinatura
  12. Zapiao

    Zapiao
    Expand Collapse
    Nimbostratus

    Registo:
    20 Set 2006
    Mensagens:
    882
    Local:
    Coimbra - 135m alt.
    Claramente nota-se que foi 1 meteorito e nada mais. O sistema anti-aereo nao funciona assim tao rapido porque baseia-se sempre em radares, e este meteorito que teve vida só de 32s veio de cima e nao de outro país.
     
    Collapse Signature Expandir Assinatura
  13. camrov8

    camrov8
    Expand Collapse
    Cumulonimbus

    Registo:
    14 Set 2008
    Mensagens:
    3,277
    Local:
    Oliveira de Azeméis(278m)
    1.é a russia há sempre manobras militares especialmente nos urais que são fronteira com muitos paises.
    2.Os meteoritos não curvam com a gravidade a velocidade que não o afecta.
    3.O angulo pode ir de 0 a 90º na verdade impactos de 0º e 90º são raros alguns entrão e saem da atmosfera parecido quando se atira uma pedra plana sobre água.
    4.Um meteorito tem um valor incalcolavel para a ciencia há quem passe a vida a procura deles tens o caso de tunguska.
    5. kilo por kilo um meteorito vale bem mais que o ouro não me importava de ser eu a acha-lo
     
  14. Azathoth

    Azathoth
    Expand Collapse
    Cumulus

    Registo:
    18 Jul 2012
    Mensagens:
    244
    Local:
    Funchal, Madeira
    Estavas à espera que ele caísse na vertical? :rolleyes:
     
  15. Gerofil

    Gerofil
    Expand Collapse
    Super Célula

    Registo:
    21 Mar 2007
    Mensagens:
    9,727
    Local:
    Estremoz (401 metros)
    Descoberto enorme fragmento do meteorito que caiu em Chelyabinsk

    [​IMG]

    Os cientistas e os «caçadores de meteoritos» têm estado a procurar fragmentos do asteróide que caiu sobre a cidade russa de Chelyabinsk, no dia 15. Já foram encontrados mais de 100 fragmentos, mas agora os peritos da Universidade Federal dos Urais descobriram o maior até ao momento, que pesa mais de um quilo.
    Estima-se que o asteróide tivesse cerca de 15 metros de diâmetro antes de se desintegrar ao entrar na atmosfera terrestre, a uma velocidade várias vezes superior à do som, tendo explodido numa bola de fogo nos céus. A onda de choque provocou o estilhaçar de vidros na cidade e ferimentos a cerca de 1.500 pessoas.
    Foram descobertos fragmentos num trilho de cerca de 50 km, logo abaixo da trajectória descrita pelo meteorito no céu. Também foram encontrados vários pequenos fragmentos numa cratera com cerca de oito metros no Lago Chebarkul. Viktor Grokhovsky, da Universidade dos Montes Urais, acredita que ainda há muitos fragmentos por descobrir, incluindo o maior de todos, que deve estar no fundo do lago e poderá ter até 60 cm de diâmetro, segundo estima.
    O fragmento exibido na foto em anexo foi descoberto numa expedição que teve lugar na segunda-feira, na região de Chelyabinsk.

    Diário Digital
     
    Collapse Signature Expandir Assinatura

Partilhar esta Página