Seguimento Açores e Madeira - Fevereiro 2017

Tópico em 'Seguimento Meteorológico' iniciado por Gilmet 1 Fev 2017 às 00:00.

  1. Orion

    Orion
    Expand Collapse
    Furacão

    Registo:
    5 Jul 2011
    Mensagens:
    16,845
    Local:
    Ponta Delgada, Açores
    [​IMG]

    Escolhi o acumulado semanal porque as outras opções não eram grande coisa (mas o principal da chuva ocorreu ontem e hoje). A tronqueira é uma agradável surpresa tendo em conta a sua posição face ao fluxo dominante.

    Já assisti nas Sete Cidades ao nevoeiro matinal associado às inversões mas trocava isso para ver neve nas Furnas :lol:

    [​IMG]

    Problema recorrente da estação. Essa rede devia ser integrada no IPMA regional.
     
    Collapse Signature Expandir Assinatura
    lserpa gostou disto.
  2. lserpa

    lserpa
    Expand Collapse
    Cumulonimbus

    Registo:
    29 Dez 2013
    Mensagens:
    3,031
    Local:
    Horta, Matriz, (120 metros)
    Relativamente à neve, este ano está a ser muito pouco propício infelizmente, era a minha esperança ver neve este ano, mas o raio do fluxo predominante de sw não está a ajudar nada.
    Relativamente à RHMA fazia todo o sentido estar interligada ao IPMA, temos por exemplo o caso da Madeira! Têm estações em locais variados, enquanto nós, apenas temos nas principais localização e por norma a cotas muito baixas. Vem então dessa forma ocultar a realidade metereologica destas ilhas... podemos ver a diferença brutal, por exemplo, entre Ponta Delgada e o nordeste.
    Dessa forma, teria-se uma ideia muito mais clara do verdadeiro impacto dos acumulados e gradientes térmicos que ocorrem em nas mais diversas cotas das nossas ilhas.


    Enviado do meu iPhone usando Tapatalk
     
    Wessel1985 gostou disto.
  3. faroeste

    faroeste
    Expand Collapse
    Cirrus

    Registo:
    18 Set 2012
    Mensagens:
    79
    Local:
    Alt:111m 5-Ribeiras,AGH,Terceira,Açores
    As estações da Região possivelmente vai culmatar esse défice. Sei que têm uma instalada no cimo da serra de santa Bárbara Ilha Terceira.
    Espero ter os dados online esta semana.
     
    Wessel1985 gostou disto.
  4. Pedro1993

    Pedro1993
    Expand Collapse
    Super Célula

    Registo:
    7 Jan 2014
    Mensagens:
    7,307
    Local:
    Torres Novas(75m)
    "Voltou a nevar nas serras da Madeira"





     
    Collapse Signature Expandir Assinatura
  5. Hugois

    Hugois
    Expand Collapse
    Cumulus

    Registo:
    17 Abr 2012
    Mensagens:
    150
    Local:
    Camacha - Madeira (500/600m)
    Pelos vistos ainda foi uma queda considerável, pela noite e madrugada é que pela divulgação de fotos e vídeos não havia um grande acumulado. Segundo um vídeo partilhado há pouco no facebook pintou mesmo o areeiro todo de branco :
     
  6. Orion

    Orion
    Expand Collapse
    Furacão

    Registo:
    5 Jul 2011
    Mensagens:
    16,845
    Local:
    Ponta Delgada, Açores
    Esfumou-se tudo... depressão cavada, CAPE frontal (quase todo), tornados... Os ventos são fracos, o cisalhamento é moderado. Fica para outra vez.

    No que concerne à Madeira, avizinha-se um evento convectivo potencialmente interessante com a frente (quase) estacionária. Amanhã os dados deverão ser mais claros.
     
    Collapse Signature Expandir Assinatura
    #68 Orion, 12 Fev 2017 às 17:28
    Última edição: 12 Fev 2017 às 17:35
    Aristocrata e TekClub gostaram disto.
  7. Pedro1993

    Pedro1993
    Expand Collapse
    Super Célula

    Registo:
    7 Jan 2014
    Mensagens:
    7,307
    Local:
    Torres Novas(75m)
     
    Collapse Signature Expandir Assinatura
  8. Orion

    Orion
    Expand Collapse
    Furacão

    Registo:
    5 Jul 2011
    Mensagens:
    16,845
    Local:
    Ponta Delgada, Açores
    Fazer fazia. Mas quem vai lidar com a rede é o CIVISA/CVARG.

    Estão a complicar uma coisa que devia ser bem simples (o 2º outorgante do contrato é esta funcionária do CVARG).

    [​IMG]

    Claro que as estações têm que estar quase online. O contrato foi firmado em Abril do ano passado e faltam apenas 2 meses para o fim do mesmo...

    O instituto sismológico-vulcânico a gerir a rede hidrometeorológica com os meteorologistas locais a ver navios. Tanta duplicação escusada de recursos e tanto desperdício de dinheiro. Só mesmo nos Açores :rolleyes:
     
    Collapse Signature Expandir Assinatura
    #70 Orion, 12 Fev 2017 às 22:57
    Última edição: 12 Fev 2017 às 23:03
    Aristocrata, faroeste e lserpa gostaram disto.
  9. Orion

    Orion
    Expand Collapse
    Furacão

    Registo:
    5 Jul 2011
    Mensagens:
    16,845
    Local:
    Ponta Delgada, Açores
    Fiz a pergunta esperando resposta :D

    [​IMG]

    Porque é que não há muitas trovoadas nos Açores?

    Há alguns estudos sobre atividade elétrica no continente mas não encontrei nenhum sobre as ilhas (estou chocado :rolleyes:). Em 2012 ocorreu uma supercélula no Havai. Não só eventos deste género são raros lá como também são as trovoadas em geral. Não obstante o clima do Havai ser mais tropical que os Açores também eles são afetados por um anticiclone. Lá, como cá, ocasionalmente ocorre a "inversão dos ventos comerciais" (trade wind inversions) que é visível nos tefigramas.

    Algumas explicações que tenho captado p'la 'net (algumas associadas ao Havai):

    - Reduzido lift devido à reduzida extensão dimensão das ilhas (mesmo com CAPE a 2000 trovoadas severas são uma raridade nos Açores se é que ocorrem - não há radar para ter uma ideia);

    - Orografia em geral pouco acidentada (mas suficiente para gerar chuva localmente forte);

    - Poucos núcleos de condensação (há mais em terra). Isso faz com que as gotas sejam tendencialmente superiores. O reduzido lift impede choques mais violentos entre as partículas;

    - A temperatura do oceano não é muito quente. O pós-frontal raramente traz trovoada e quando traz está associada a linhas de instabilidade.

    Em suma, geralmente o CAPE pós-frontal é irrelevante para gerar trovoada/tempo severo (mas já ocorreu uma freak célula na transição). O reduzido lift impede que muitas células resistam ao cisalhamento moderado a forte daí que CAPE's de 400 ou 500 que poderiam gerar tempo severo no continente pouco ou nada geram nos Açores (só com cisalhamento muito baixo). O cisalhamento nos níveis baixos é tendencialmente superior nos continentes e isso ajuda a gerar tempo severo (mas é preciso lift). Paralelamente, o surgimento de cumulonimbus não significa necessariamente o surgimento de (muitos) raios nos Açores (devido ao pouco lift).

    Trovoada só mesmo em frentes muito ativas (isóbaras muito juntas ou com grande diferencial térmico) ou linhas de instabilidade em ambientes com um grande arrefecimento. Granizadas só ocorrem tipicamente no inverno. Os tornados são geralmente fracos e de curta duração. Pode haver muita instabilidade latente mas a insolação sozinha não é fator suficiente para gerar convecção. Outros fatores têm que se juntar à mistura.

    Isto apenas representa a minha opinião amadora. Dissidentes são bem-vindos :D

    Mais cenas destas só ajudavam o turismo :lol:

     
    Collapse Signature Expandir Assinatura
    #71 Orion, 13 Fev 2017 às 00:34
    Última edição: 13 Fev 2017 às 00:57
  10. Orion

    Orion
    Expand Collapse
    Furacão

    Registo:
    5 Jul 2011
    Mensagens:
    16,845
    Local:
    Ponta Delgada, Açores
    [​IMG]

    O boletim deve estar disponível lá para Abril mas ao que parece Janeiro foi um mês quente. Mais um para juntar aos restantes:

    [​IMG]
     
    Collapse Signature Expandir Assinatura
  11. lserpa

    lserpa
    Expand Collapse
    Cumulonimbus

    Registo:
    29 Dez 2013
    Mensagens:
    3,031
    Local:
    Horta, Matriz, (120 metros)
    Sigo neste momento com 8.8°c. Vento calmo e já caiu 1.1mm de chuva entretanto.
    @Orion no dia em que filmei isso, essa célula esteve o dia inteiro nessa localização, ora mais em cima de terra, ora mais no mar. Quando começou a anoitecer, começou a se desmoronar com uma valente porrada de água. Lembro-me em 1995, no verão também haver uma trovoada estacionária, mas dessa fez foi a sul e foi, se a memória não me falha, desde meio da tarde, até ir dormir... lembro-me bem do ano, pois nesse ano passou o Furacão Tânia.


    Enviado do meu iPhone usando Tapatalk
     
  12. Azorean Storm Buster

    Azorean Storm Buster
    Expand Collapse
    Cumulus

    Registo:
    1 Set 2015
    Mensagens:
    371
    Local:
    Ponta Delgada
    Peço desculpa, @Orion, pensei que fosse uma pergunta retórica ou que, não sendo, não saberia a resposta :D
    Achei interessante a tua explicação, mas há uma pergunta que tenho para fazer... Sendo as condições não muito propícias à formação de tempestades junto (ou sobre) às ilhas açorianas, mesmo com valores de CAPE muito elevados, que fatores consideras serem determinantes nas linhas de instabilidade para que haja uma boa trovoada ou algum tornado/tromba de água? Que essência distingue as linhas de instabilidade de uma série de condições que poderiam despoletar tempo severo mas não são suficientes no nosso arquipélago?
     
    Collapse Signature Expandir Assinatura
  13. Orion

    Orion
    Expand Collapse
    Furacão

    Registo:
    5 Jul 2011
    Mensagens:
    16,845
    Local:
    Ponta Delgada, Açores
    As linhas de instabilidade são linhas convectivas não frontais. Às vezes são bolsas de ar mais húmido que aproveitam a instabilidade existente para gerar trovoadas.

    Os funis de bom tempo surgem em condições de muita instabilidade (CAPE e LI elevados) e ventos fracos mas é preciso que haja convergência/lift para gerar convecção (insolação, orografia, linha de instabilidade...). Os funis de mau tempo surgem quando há outras variáveis a aumentar a intensidade do evento (cisalhamento...)

    Do meu conhecimento o que se aplica às frentes aplica-se às linhas de instabilidade. Estas é que podem ser mais fracas porque não há o choque de massas de ar (especialmente nos Açores que em geral tem pouco lift).
     
    Collapse Signature Expandir Assinatura
    TekClub e Azorean Storm Buster gostaram disto.

Partilhar esta Página